Dá a surpresa de ser

Dá a surpresa de ser É alta, de um louro escuro. Faz bem só pensar em ver Seu corpo meio maduro.

Seus seios altos parecem (Se ela estivesse deitada) Dois montinhos que amanhecem Sem ter que haver madrugada.

E a mão do seu braço branco Assenta em palmo espalhado Sobre a saliência do flanco Do seu relevo tapado.

Apetece como um barco. Tem qualquer coisa de gomo. Meu Deus, quando é que eu embarco? Ó fome, quando é que eu como?

10-9-1930 - Poesias. Fernando Pessoa. (Nota explicativa de João Gaspar Simões e Luiz de Montalvor.) Lisboa: Ática, 1942 (15ª ed. 1995) - 123.

terça-feira, 13 de julho de 2021

O Poeta Bocage (2)

Vou trazer aqui em dez publicações, trinta sonetos de Manuel Maria Barbosa du Bocage (Elmano Sadino), pseudónimo adoptado em 1790, quando da sua adesão à Academia das Belas Letras ou Nova Arcádia. Bocage é um dos nossos melhores poetas, embora não lhe seja reconhecida a sua genialidade, visto ser basicamente conhecido pelas suas anedotas obscenas ou ousadas. Escolhi trinta sonetos, dez da poesia lírica, dez de poesia satírica e outros dez da poesia erótica.

Alguns links sobre a poesia de Bocage, bem como onde poderão encontrar  alguns livros editados do poeta:

https://www.bertrand.pt/autor/bocage/9129

https://www.wook.pt/livro/poesias-eroticas-bocage/223553

https://www.fnac.pt/Antologia-de-Poesia-Erotica-de-Bocage-Bocage/a1320322

Na RTP

Entrevista a Daniel Pires, presidente do Centro de Estudos Bocagianos sobre a obra satírica e erótica do poeta Manuel Maria Barbosa du Bocage, com visita à exposição "2005 Ano Bocage", Comemorações do Bicentenário da Morte de Bocage, patente no Museu de Arqueologia e Etnografia de Setúbal realizada por Henrique Félix.

https://arquivos.rtp.pt/conteudos/poesia-erotica-e-satirica-de-bocage/

Na TSF

https://www.tsf.pt/programa/o-livro-do-dia/emissao/antologia-de-poesia-erotica-de-bocage-8963082.html

No Município de Setúbal

https://www.mun-setubal.pt/livro-valoriza-poesia-erotica/



Sobre a artista plástica Dina de Sousa:

http://artistasportugueses.weebly.com/dina-de-sousa.html


Lírica

Temo que a minha ausência e desventura

Vão na tua alma, docemente acesa,

Apoucando os excessos de foirmeza,

Rebatendo os assaltos da ternura.

 

Temo que a tua singular candura

Leve o Tempo, fugaz nas asas presa,

Que é quase sempre o vício da beleza

Génio mudável, condição perjura.

 

Temp; e se o fado mau, fado inimigo,

Confirmar ìmpiamente este receio,

Espectro perseguidor, que anda comigo,

 

Com rosto, alguma vez de mágoa cheio,

Recorda-te de mim, dize contigo:

«Era fiel, amava-me, e deixei-o.»


Satírica

Preside o neto da rainha Ginga

À corja vil, aduladora, insana.

Traz sujo moço amostras de chanfana,

Em copos desiguais se esgota a pinga.

 

Vem pão, manteiga e chá, tudo à catinga;

Masca farinha a turba americana;

E o orangotango a corda à banza abana,

Com gesto e visagens de mandinga.

 

Um bando de comparsas logo acode

Do fofo Conde ao novo Talaveiras;

Improvisa berrando o rouco bode.

 

Aplaudem de contínuo as frioleiras

Belmiro em ditirambo, o ex-frade em ode.

Eis aqui Lereno as quartas-feiras.


Erótica

Soneto (Des)pejado

 

Num capote embrulhado, ao pé de Armia,

Que tinha perto a mãe o chá fazendo,

Na linda mão lhe foi (oh céus) metendo

O meu caralho, que de amor fervia;

 

Entre o susto, entre o pudor, a moça ardia;

E eu solapado os beijos remordendo,

Pela fisga da saia a mão crescendo

A chamada sacana lhe fazia;

 

Começa a vir-se a menina... Ah! Que vergonha!

"Que tens?" — diz-lhe a mãe sobressaltada;

Não pôde ela encobrir na mão langonha;

 

Sufocada ficou, a mãe corada;

Finda a partida, e mais do que medonha

A noite começou à bofetada.

18 comentários:

  1. Este Manuel Maria era terrível!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Manuel Maria era um génio das letras, da poesia e das rimas, irreverente como um Mozart !
      Pedro obrigado

      Eliminar
  2. Um dos maiores poetas portugueses na minha opinião.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Absolutamente de acordo, mas infelizmente como digo posto de parte, na altura politicamente e conhecido basicamente pelas suas anedotas. A sua poesia lírica e erótica são de grande qualidade !!!
      Mistletoe obrigado

      Eliminar
  3. Como já aqui disse, num outro post, gosto muito do Bocage.
    Abraço e saúde

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu também Elvira !
      Possuímos poetas excepcionais que nadfa ficam a dever aos estrangeiros, na nem poesia, nem na prosa. Pena que a nossa língua esteja a ser completamente adulterada desde 1990, o que me entristece bastante.
      Elvira obrigado
      Abraço e cuidem-se

      Eliminar
  4. Oi Ricardo
    Leio muito os poetas portugueses e adorei a lembrança da Bocage.
    Portugal é pródigo em escritores incríveis .
    Volto para tentar ler a entrevista, se abrir o link_ nem sempre acontece.
    abraços Ricardo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O poeta Bocage é um dos nossos melhores sonetistas.
      Lis obrigado

      Eliminar
  5. Gosto muito dos poemas do Bocage.
    Irreverência na arte de bem escrever.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os irreverentes são normalmente os que ficam para a história.
      Manuela obrigado

      Eliminar
  6. Bocage traz-me à lembrança a minha avó paterna, que o adorava, e contava algumas interessantes citações e poemas dele.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, um homem dotado de grande verbosidade oral e escrita.
      Maria obrigado

      Eliminar
  7. Ricardo, mais três belos poemas do grande Bocage aqui partilhas.
    Eu li-os com imenso gosto... escolhi bem a palavra?!
    Venham mais!
    Beijo, bom fim-de-semana.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esta é a segunda publicação de um total de 10 (30 sonetos!).
      Teresa obrigado

      Eliminar
  8. Sempre bom, ficar a conhecer um pouco mais da sua genialidade, irreverência... e assertividade! A sua obra contem um importante legado sociológico da época...
    Excelente trabalho de pesquisa, e divulgação, Ricardo! Um grande abraço!
    Ana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ana tive algum trabalho sim, mas nada de extraordinário. Foi enquadrar alguns links e escolher os sonetos (30) que irei publicando por aqui, de mais um importantíssimo escritor-poeta português, infelizmente pouco compreendido. É na realidade o que dizes com muita propriedade, " A sua obra contem um importante legado sociológico da época...".
      Ana obrigado e abraço

      Eliminar

Eu fiz um Pacto com a minha língua, o Português, língua de Camões, de Pessoa e de Saramago. Respeito pelo Português (Brasil), mas em desrespeito total pelo Acordo Ortográfico de 90 !!!