Teus olhos contas escuras, são duas Avé Marias, dum rosário d’amarguras, que eu rezo todos os dias. - Fernando Pessoa

terça-feira, 20 de novembro de 2018

O Livrinho Vermelho do Galo de Barcelos (5)

O Livrinho Vermelho do Galo de Barcelos / Ex-citações de Mau de Zé y Chunga:
2ª. edição. Colaboração dos Anarkas (e não só...) deste País;
Fotos de: José Teixeira, Avelãs Coelho, Lourenço Pereira e José Teixeira;
Capa de: Acácio Campos.
Digitalizações gentilmente cedidas pela Afrodite.



Notas introdutórias:




Hoje:



domingo, 18 de novembro de 2018

Eyes Thru Glass (32) – Palácio dos Marqueses de Fronteira

Aqui neste blogue e no “Eyes thru Glass“ mostro aquilo que os meus olhos vêem, através da objectiva.

Aqui ficarão somente as fotos, sem texto ficcional e sem música, apenas uma breve introdução, onde são tiradas e quando, e eventualmente alguma especificação técnica.

No dia 9 de Dezembro de 2017, visitei os exteriores do Palácio dos Marqueses de Fronteira. Tenho uma segunda visita semi-planeada e dessa vez terá de ser mais na Primavera, para aproveitar o nascer das flores e toda a beleza do jardim.










sábado, 17 de novembro de 2018

Raúl Solnado (7)

(Dados Biográficos In Wikipédia e/ou In AllMusic.Com - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos)

O grande Raúl Solnado. Embora nunca o tenha conhecido pessoalmente, foi alguém porque quem sempre nutri muita carinho e admiração. Acompanhei a sua carreira de humorista e vi-o algumas vezes no Teatro. Recordo as duas vezes que me lembro melhor. A peça “O Vison Voador” (1969) no desaparecido Teatro Laura Alves, e uma revista, no também desaparecido, Teatro Monumental, chamada “Prá Frente Lisboa”. Lembro-me de uma música que se chamava “Malmequer”, que fez um sucesso estrondoso na época. Também na RTP o segui. Destaco o grande “Zip Zip” (1969) com o Fialho Gouveia e o Carlos Cruz, e o excelente concurso “A Visita da Cornélia” (1977).

Antepenúltima publicação.

Raúl Solnado (19-10-1929 – 08-08-2009) – É um actor, humorista português e apresentador de televisão. Foi galardoado com a Ordem do Infante D. Henrique (OIH)

Chamada para Washington

quinta-feira, 15 de novembro de 2018

CinemaScope (18)

Retomo uma rúbrica que existia neste blogue, em rodapé e que possivelmente passou despercebida a muitos que me visitavam, por estar mesmo lá no fim da minha página.

É música claro ! O que estavam à espera ?

São composições que me dizem muito, porque sou um romântico e um eterno apaixonado por música, pelas outras artes, pela humanidade, pelos amigos que encontrei na blogosfera, pela Natureza, pela vida, no fundo, pelas coisas boas desta sociedade em que vivemos.

Desta vez os registos, enquanto não apagados ou eliminados do Youtube, ficarão por cá, com uma única etiqueta “CinemaScope”.

Rui Veloso (30-07-1957) – Cavaleiro Andante (1986), do album “Rui Veloso” de 1986, e aqui ao vivo, no programa “Piano Bar” de Simone de Oliveira, nos anos 80. Já lá vão 38 anos !

terça-feira, 13 de novembro de 2018

Jazz Standards (176)

(Dados Biográficos In Wikipédia e In AllMusic.Com - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos)

(Sobre o tema em questão, algumas palavras retiradas de “in
http://www.jazzstandards.com/compositions/index.htm” - adaptação e tradução por Ricardo Santos)

That Old Black Magic  (#180) - Música de Harold Arlen e Letra de Johnny Mercer

A preciosa canção “That Old Black Magic”, foi escrita pelo compositor Harold Arlen e pelo letrista Johnny Mercer para o filme “Star-Spangled Rhythm” de 1942, foi tocada na abertura e cantada pelo, relativamente, desconhecido Johnny Johnston. Susan Sackett, em “Hollywood Sings! - Um olhar dentro de Sessenta Anos de Músicas Nomeadas para Oscar”, diz: "Numa rotina centrada, principalmente, em torno de um número de dança, interpretado pela bailarina Vera Zorina, que na altura era coreografada pelo seu então marido, o lendário George Balanchine, o cantor Johnny Johnston interpretou esta composição."

Rod Stewart (Highgate, North London, Inglaterra, 10-01-1945) -


Jerry Lewis (Newark, Nova Jersey, EUA, 16-03-1926 - Las Vegas, Nevada, EUA, 20-08-2017) – do filme, “The Nutty Professor” de 1963 dirigido por Jerry Lewis


Marilyn Monroe (Los Angeles, Califórnia, EUA, 01-06-1926 - Los Angeles, Califórnia, EUA, 05-08-1962) – do filme “Bus Stop”, Marilyn é “Cherie”, uma cantora que sonha com Hollywood e com a fama.


Peggy Lee (Jamestown, North Dakota, EUA, 26-05-1920 – Bel Air, California, EUA, 21-01-2002)


Letra

That old black magic has me in its spell
That old black magic that you weave so well
Icy fingers up
And down my spine
The same old witchcraft when your eyes meet mine
The same old tingle that i feel
Inside
When that elevator starts its ride
Down and down i go, round and round i go
Like a leaf that's
Caught in the tide
I should stay away but what can i do
I hear your name, and i'm aflame
Aflame with
Such a burning desire
That only your kiss can put out the fire
You are the lover that i've waited for
The mate that fate had me created for
And every time your lips meet mine
Baby down and down i go,
All around i go
In a spin, loving the spin that i'm in
Under that old black magic called love

Lamento, algumas eventuais falhas nas letras, encontradas na Internet, devido à própria improvisação dada pelos seus intérpretes, e muitas vezes de difícil entendimento. (Ricardo Santos).

domingo, 11 de novembro de 2018

Woodstock (1) – Arlo Guthrie

Por aqui pelo “Pacto”, durante algum tempo, as músicas que encantaram, ou não, a juventude nascida nos finais dos anos 40 e na década de 50, durante o grandioso “Festival de Woodstock”, realizado nos Estados Unidos, na fazenda de Max Yasgur, cidade de Bethel, estado de New York, entre 15 e 18 de Agosto de 1969.
Encontraremos grupos e composições que muitos de nós reconhecerão como agradáveis e de imediato, e outras nem tanto assim, como algumas de género Rock Psicadélico, Hard Rock, Blues Rock, Acid Rock, Blues, R&B (Rhythm and Blues). O exemplo mais flagrante deste conjunto de géneros, será o guitarrista Jimi Hendrix, considerado por muitos, um dos melhores do Mundo e de sempre.
Este Festival foi, principalmente, um levantar de questões à sociedade, à liberdade de expressão e à guerra entre os povos. Isto tudo, tendo como base os problemas da sociedade americana da altura e as suas condições sociais, e ainda, a famigerada guerra do Vietnam que deixou marcas indeléveis nos EUA.
Tal como o Vietnam, as guerras são meramente negócio para alguns, não trazem absolutamente nada de benéfico para a humanidade. Isso todos os portugueses puderam comprovar, cronologicamente antes, com a guerra das Colónias, guerra em África ou guerra do Ultramar, consoante o quadrante politico de cada um de nós.

Hoje ouviremos, já aqui embaixo:

Arlo Guthrie - Walking Down The Line

sexta-feira, 9 de novembro de 2018

Brigada Victor Jara (18) Ronda das Mafarricas

(Dados Biográficos In Wikipédia e/ou In AllMusic.Com - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos)

Músicas do CD Duplo “Os Filhos da Madrugada” editado em 27 de Abril de 1994, onde o Grande José Afonso, foi homenageado pelos artistas das principais bandas portuguesas. É também a minha homenagem a esta figura IMPORTANTÍSSIMA na vida musical portuguesa e no respeito que demonstrava e defendia pela liberdade de todos os cidadãos.

José Manuel Cerqueira Afonso dos Santos (Aveiro, 02-08-1929 – Setúbal, 23-02-1987)



Desenho meu, feito a lápis de carvão, no ano de 1988, após a morte do Artista




Estavam todas juntas
Quatrocentas bruxas
À espera à espera
À espera da lua cheia
Estavam todas juntas
Veio um chibo velho
Dançar no adro
Alguém morreu
Arlindo coveiro
Com a tua marreca
Leva-me primeiro
Para a cova aberta
Arlindo Arlindo
Bailador das fadas
Vai ao pé coxinho
Cava-me a morada
Arlindo coveiro
Cava-me a morada
Fecha-me o jazigo
Quero campa rasa
Arlindo Arlindo
Bailador das fadas
Vai ao pé coxinho
Cava-me a morada