Teus olhos contas escuras, são duas Avé Marias, dum rosário d’amarguras, que eu rezo todos os dias. - Fernando Pessoa

sábado, 14 de setembro de 2019

Eyes Thru Glass (41) – Ruínas Convento do Carmo em Lisboa

Aqui neste blogue e no “Eyes thru Glass“ mostro aquilo que os meus olhos vêem, através da objectiva.

Aqui ficarão somente as fotos, sem texto ficcional e sem música, apenas uma breve introdução, onde são tiradas e quando, e eventualmente alguma especificação técnica.

No dia 26 de Outubro de 2018, fotografei as Ruínas do Convento do Carmo em Lisboa.












Vídeo realizado por mim, durante o espectáculo "Lisbon Under Stars" pelo "O Cubo". Filmado através de um Smartphone Samsung Galaxy A3 no dia 23 de Junho de 2018.

quinta-feira, 12 de setembro de 2019

O Livrinho Vermelho do Galo de Barcelos (17, 18, 19 e 20)

O Livrinho Vermelho do Galo de Barcelos / Ex-citações de Mau de Zé y Chunga:
2ª. edição. Colaboração dos Anarkas (e não só...) deste País;
Fotos de: José Teixeira, Avelãs Coelho, Lourenço Pereira e José Teixeira;
Capa de: Acácio Campos.
Digitalizações gentilmente cedidas pela Afrodite.

Notas introdutórias:




Hoje:







terça-feira, 10 de setembro de 2019

Amazónia

Amazónia – Dança da Chuva …

São perto de 25 minutos para nos dar a entender o que a Amazónia importa para o Brasil e para o Mundo. Vale a pena ouvir !


segunda-feira, 9 de setembro de 2019

Charada 7.º Arte – Arnaldo Jabor (2)

Fotos e nomes correctos: Fernanda Pinheiro Torres  e Jayme Monjardim Matarazzo Filho

1- Janita: (Fernanda Torres, em “Eu Sei Que Vou Te Amar” e Jayme Matarazzo Filho em “Suprema Felicidade”

2- Elvira: (Fernanda Torres, em “Eu Sei Que Vou Te Amar” e Jayme Matarazzo Filho em “Suprema Felicidade”

3- Manuela: (Fernanda Torres, em “Eu Sei Que Vou Te Amar” e Jayme Matarazzo Filho em “Suprema Felicidade”

4- Gabriela: (Fernanda Torres, em “Eu Sei Que Vou Te Amar” e Jayme Matarazzo Filho em “Suprema Felicidade”

5- Pedro Coimbra: (Fernanda Torres, em “Eu Sei Que Vou Te Amar” e Jayme Matarazzo Filho em “Suprema Felicidade”

6- Clara: (Fernanda Torres, em “Eu Sei Que Vou Te Amar” e Jayme Matarazzo Filho em “Suprema Felicidade”

Muito Obrigado a Todos Vós pela participação e pelos acertos, que todos conseguiram. A ideia não é ser difícil, mas sim despertar as pessoas a verem bom cinema. Abraço !!!

Próximo realizador, o norte-americano Steven Spielberg, que anunciarei na Newsletter a data de publicação.

sábado, 7 de setembro de 2019

Charada 7.ª Arte – Arnaldo Jabor



Realizador Arnaldo Jabor


O que têm de fazer:


Ajudas: O número de letras do nome a encontrar, e uma foto um pouco alterada.

Somente aceitarei os nomes correctos com as fotos.

Têm 48 horas para "matar a charada" e três palpites por actriz e outros três por actor.

Depois de amanhã, dia 9, pelas 20:00 publico a solução, bem como os seus participantes.

Actriz, duas palavras (14 letras):
_ _ _ _ _ _ _ _   _ _ _ _ _ _















Actor, duas palavras (14 letras):
_ _ _ _ _    _ _ _ _ _ _ _ _ _















Obrigado

sexta-feira, 6 de setembro de 2019

7.ª Arte – Arnaldo Jabor

Breves palavras sobre o que é para mim, o Cinema.

Durante os anos da minha juventude houve algo que me despertou o interesse e fez com que a minha ligação com os audiovisuais se tornasse, desde então, preponderante na minha vida. Esse algo foi o Cinema. A chamada 7.ª arte (arte da imagem) que quando dado o nome e na minha modesta opinião, ela reflectia somente a realidade do cinema mudo, por isso “arte da imagem”. Posteriormente a 7.ª arte tornou-se em algo muito mais complexo. A obra/filme tornou-se num conjunto de várias e ricas variáveis: a imagem, o texto, a cenografia, o som, o guarda-roupa, a interpretação, etc.. Tudo isso conglomerado e orientado de alguma maneira, por uma pessoa na arte de dirigir, o realizador.

Um bom filme, é como uma boa música ou um bom livro, é algo que deve ser visto mais que uma vez, para que nos apercebamos de coisas que numa só, é impossível. Um amante de cinema vê um filme duas, três vezes, para que nele possa visualizar todas essas variáveis de que falei anteriormente.

Vão passar por aqui alguns realizadores que fizeram e fazem parte do meu imaginário de cinéfilo. Nessa época, quando frequentei as salas de cinema em Lisboa, as filmografias de eleição eram: a italiana, a francesa, a alemã, a sueca, a espanhola, a nipónica, a americana. Mas passarão também, e obviamente, realizadores brasileiros e portugueses

Esta nova publicação intitulada 7.ª Arte, será muito de uma pequena mostra do que se via cinematograficamente em Lisboa, nos finais da década de 60 e 70, mas não só, porque teremos filmes muito mais actuais !!!
Tal qual, como todos vós, me reconhecem como um melómano amador, eu também sou um cinéfilo amador. O que vou trazer aqui foram/são obras que gostei/gosto e vi/revejo, e as minhas escolhas são apenas opiniões e gostos, livres de qualquer pretensiosismo !!!

No nome do realizador (se estrangeiro) e na maioria dos títulos dos filmes existem “links” para a Wikipedia (versão inglesa), por ser a plataforma mais abrangente e mais completa. Se pretenderem, na coluna esquerda dessas mesmas páginas, em baixo, tem normalmente, a escolha da tradução para a língua portuguesa.

(Dados Biográficos In Wikipédia e/ou In Imdb - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos)

Do cinema brasileiro trago-vos Arnaldo Jabor (12-12-1940), realizador com 10 películas, duas delas curtas-metragens e uns quantos galardões. Dele escolhi 1 filme que vi, embora para além deste tenha visto mais um ou dois, que me lembre.

(1973) Toda Nudez Será Castigada (filme complete)


(2007) Entrevista com Arnaldo Jabor

quarta-feira, 4 de setembro de 2019

Billboard Top 100 - Lugar n.º 80 – Diana Ross / Upside Down

Esta rúbrica trará algumas das 100 melhores músicas consideradas pela “Billboard” (https://www.billboard.com/).

Virão somente aqui aquelas que gosto. Não gosto de “Rap” ou “Hip-Hop”, por isso, as que aqui, do género, aparecerem, é porque gostei de ouvir. Também alguma música, como disse o Salvador Sobral “de plástico”, com “batucada” irritante (para mim, claro !!!), não a mostrarei.
No entanto, deixarei os links do Youtube para quem quiser ouvir as que não colocar aqui, com indicação do Lugar n.º / Intérprete / Composição / Link.