Teus olhos contas escuras, são duas Avé Marias, dum rosário d’amarguras, que eu rezo todos os dias. - Fernando Pessoa

terça-feira, 21 de maio de 2019

CinemaScope (25)

Retomo uma rúbrica que existia neste blogue, em rodapé e que possivelmente passou despercebida a muitos que me visitavam, por estar mesmo lá no fim da minha página.

É música claro ! O que estavam à espera ?

São composições que me dizem muito, porque sou um romântico e um eterno apaixonado por música, pelas outras artes, pela humanidade, pelos amigos que encontrei na blogosfera, pela Natureza, pela vida, no fundo, pelas coisas boas desta sociedade em que vivemos.

Desta vez os registos, enquanto não apagados ou eliminados do Youtube, ficarão por cá, com uma única etiqueta “CinemaScope”.

Paul McCartney (18-06-1942) & Michael Jackson (29-08-1958 - 25-06-2009) – Say, Say, Say (1983)

segunda-feira, 20 de maio de 2019

Faz Hoje Anos (57) – Joe Cocker

Faz hoje 75 anos... Parabéns !!!

Ouvi-o pela primeira vez nos anos 60 e logo de seguida no Festival de Woodstock, onde tem uma excelente interpretação da composição dos Beatles, “With a Littlke Help From My Friends”. Excelente intérprete com a sua voz rouca. Um poço de energia ! Aqui a música é outra. Quem se lembra do filme "Nove Semanas e Meia" ?

John Robert Cocker (20-04-1944 – 22-12-2014) – You Can Leave Your Hat On

sábado, 18 de maio de 2019

Eyes Thru Glass (37) - Alcobaça

Aqui neste blogue e no “Eyes thru Glass“ mostro aquilo que os meus olhos vêem, através da objectiva.

Aqui ficarão somente as fotos, sem texto ficcional e sem música, apenas uma breve introdução, onde são tiradas e quando, e eventualmente alguma especificação técnica.

Nos dias 19 de Setembro de 2016 e 30 de Agosto de 2018, vagueei por Alcobaça e “bati” bastantes fotos e deixo aqui apenas uma pequena mostra.














quinta-feira, 16 de maio de 2019

Jazz Standards (182)

(Dados Biográficos In Wikipédia e In AllMusic.Com - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos)

(Sobre o tema em questão, algumas palavras retiradas de “in
http://www.jazzstandards.com/compositions/index.htm” - adaptação e tradução por Ricardo Santos)

Groovin' High (#186) - Música e Letra Dizzy Gillespie
Dizzy Gillespie levou o sextet ao estúdio em 9 de Fevereiro de 1945, e gravou duas novas composições. “Groovin’ High”, uma canção a meio tempo, baseada na mudança de cordas de “Whispering” (escrita em 1920), e “Blue ‘N’ Boogie”. No seu livro “Dizzy: The Life and Times of John Birks Gillespie”, Donald Maggin diz que “Dizzt criou um arranjo complexo para “Groovin’ High”, que se tornou num dos maiores e mais duradouros sucessos.

Phil Woods (Springfield, Massachusetts, EUA 2-11-1931 - East Stroudsburg, Pennsylvania, EUA, 29-09-2015), Frank Wess (Kansas City, Missouri, EUA, 28-03-1956 - Manhattan, New York, EUA 30-10-2013), Jon Faddis (Oakland, Califórnia, EUA, 24-07-1953) & BJO (Barcelona Jazz Orquestra)  (1996) – Com Maestro: Dani Alonso; Saxofones: Víctor DeDiego, Juli Aymí, Xavier Figuerola, Pepino Pascual, Lluc Casares; Trompetes: Matthew Simon, Ivó Oller, Alberto Pérez, Jaume Peña; Trombones: Dani Alonso, Jordi Giménez, Josep Tutusaus, Sergi Vergès; Piano: Ignasi Terraza; Contrabaixo: Giorgos Antonius e Bateria: Esteve Pi.


Arturo Sandoval (Artemisa, Cuba, 06-11-1949) – No programa “Good Morning America Show”. Do album “Danzon” de 1993.


Chick Corea (Chelsea, Massachusetts, EUA, 12-06-1941) e (Al)wyn Lopez Jarreau (Milwaukee, EUA,12-03-1940 - Los Angels, EUA, 12-02-2017) – Em 1979, com Garry Burton (vibraphone) e Tom Bretchlein (bateria). Obrigado Al Jarreau por esta soberba interpretação !


Dizzy Gillespie (Cheraw, South Carolina, EUA, 21-10-1917 – Englewood, New Jersey, EUA, 06-01-1993) Sexteto – Com Dizzy Gillespie (trompete), Dexter Gordon (saxofone tenor), Frank Paparelli (piano), Chuck Wayne (guitarra), Murray Shipinski (contrabaixo) e Shelly Manne (bateria).

Letra

Be silent
And listen
The summer night has got something to say
Honey be silent
And listen
A little whisper like a preacher would pray
Honey be silent
And listen
Slow down a moment we been talkin' all day
What wonderful story it's tellin'
We'll hear it if we stop yellin'
So Honey be silent
And listen
The night'll whisper little things in your ear
Be silent,
And listen,
It's gonna whisper something you wanna hear
Honey be silent
And listen
And when you've heard it and it's ever so clear
Define every meanin'
Cause I will be dreamin' away
Hey don't scream
That way
Whispering while you cuddle near me
Whispering so so no one hear me
Each little whisper seems to cheer me
I know it's true dear
There's no one but you
Won't you keepâ?¦
Whisper why…

Lamento, algumas eventuais falhas nas letras, encontradas na Internet, devido à própria improvisação dada pelos seus intérpretes, e muitas vezes de difícil entendimento. (Ricardo Santos).

terça-feira, 14 de maio de 2019

Rui Veloso – Nascidos Aqui (22)

(Dados Biográficos In Wikipédia e/ou In AllMusic.Com - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos)

Rui Veloso (30-07-1957) – Nascido na capital, mas criado no Porto desde tenríssima idade. Um dos melhores do panorama musical português, leiam, ouçam, pouco mais há para dizer deste Artista com letra Grande.
Escolhi quatro músicas menos conhecidas. A segunda é uma das que mais gosto.

Saíu Para a Rua, do álbum “Ar de Rock” de 1980. Aqui com Manuel Paulo (Piano, teclados e acordeão), Miguel Mascarenhas (Guitarra acústica), Zé Nabo (Baixo), André Rocha (Percussão), Alexandre Frazão (Bateria)  e ainda Paulo Ramos, Berg, Sandra e Dora Fidalgo (Vozes).


Embalagem de Damas, do álbum “Mingos e Samurais” de 1990.


Zira, do álbum “Mingos e Samurais” de 1990.


Limpa Corações, do album de 1998, “Avenidas

domingo, 12 de maio de 2019

Billboard Top 100 - Lugar n.º 85 - Shania Twain / You’re Still the One

Esta rúbrica trará algumas das 100 melhores músicas consideradas pela “Billboard” (https://www.billboard.com/).

Virão somente aqui aquelas que gosto. Não gosto de “Rap” ou “Hip-Hop”, por isso, as que aqui, do género, aparecerem, é porque gostei de ouvir. Também alguma música, como disse o Salvador Sobral “de plástico”, com “batucada” irritante (para mim, claro !!!), não a mostrarei.
No entanto, deixarei os links do Youtube para quem quiser ouvir as que não colocar aqui, com indicação do Lugar n.º / Intérprete / Composição / Link.


sexta-feira, 10 de maio de 2019

Woodstock (8) – Jimi Hendrix, Gypsy Sun & Rainbows

Por aqui pelo “Pacto”, durante algum tempo, as músicas que encantaram, ou não, a juventude nascida nos finais dos anos 40 e na década de 50, durante o grandioso “Festival de Woodstock”, realizado nos Estados Unidos, na fazenda de Max Yasgur, cidade de Bethel, estado de New York, entre 15 e 18 de Agosto de 1969.
Encontraremos grupos e composições que muitos de nós reconhecerão como agradáveis e de imediato, e outras nem tanto assim, como algumas de género Rock Psicadélico, Hard Rock, Blues Rock, Acid Rock, Blues, R&B (Rhythm and Blues). O exemplo mais flagrante deste conjunto de géneros, será o guitarrista Jimi Hendrix, considerado por muitos, um dos melhores do Mundo e de sempre.
Este Festival foi, principalmente, um levantar de questões à sociedade, à liberdade de expressão e à guerra entre os povos. Isto tudo, tendo como base os problemas da sociedade americana da altura e as suas condições sociais, e ainda, a famigerada guerra do Vietnam que deixou marcas indeléveis nos EUA.
Tal como o Vietnam, as guerras são meramente negócio para alguns, não trazem absolutamente nada de benéfico para a humanidade. Isso todos os portugueses puderam comprovar, cronologicamente antes, com a guerra das Colónias, guerra em África ou guerra do Ultramar, consoante o quadrante politico de cada um de nós.

Hoje ouviremos, já aqui embaixo:

Jimi Hendrix, Gypsy Sun & Rainbows - Star Spangled Banner





Jimi Hendrix, Gypsy Sun & Rainbows - Voodoo Chile (Slight Return) Stepping Stone


quarta-feira, 8 de maio de 2019

A Sopa do Pacto (5), músicas

Luísa SobralO Melhor Presente, de 2018


José Mário BrancoMudam-se os Tempos, Mudam-se as Vontades, do álbum com o mesmo nome de




DelfinsNasce Selvagem, uma das suas músicas mais emblemáticas, do álbum “Desalinhados” de 1990