Dá a surpresa de ser

Dá a surpresa de ser É alta, de um louro escuro. Faz bem só pensar em ver Seu corpo meio maduro.

Seus seios altos parecem (Se ela estivesse deitada) Dois montinhos que amanhecem Sem ter que haver madrugada.

E a mão do seu braço branco Assenta em palmo espalhado Sobre a saliência do flanco Do seu relevo tapado.

Apetece como um barco. Tem qualquer coisa de gomo. Meu Deus, quando é que eu embarco? Ó fome, quando é que eu como?

10-9-1930 - Poesias. Fernando Pessoa. (Nota explicativa de João Gaspar Simões e Luiz de Montalvor.) Lisboa: Ática, 1942 (15ª ed. 1995) - 123.

sexta-feira, 22 de outubro de 2021

Jazz Standards (207)

(Sobre o tema em questão, algumas palavras retiradas de “in

http://www.jazzstandards.com/compositions/index.htm” - adaptação e tradução por Ricardo Santos)

Blues in the Night (#207) - Música de Harold Arlen e Letra de Johnny Mercer

"Blues in the Night" foi escrita pelo compositor Harold Arlen e pelo letrista Johnny Mercer, para um filme de 1941, originalmente intitulado “Hot Nocturne”, que se tornou “Blues in the Night” devido ao próprio apelo da música. A canção, foi nomeada para um prémio da Academia, e foi apresentada no filme, como música de fundo, num instrumental tocado pela banda diante das câmeras e cantada por William Gillespie.

... 

Amy Winehouse (Londres, Inglaterra, 14-09-1983 - Londres, Inglaterra, 23-07-2011).

Julie London (Santa Rosa, EUA, 26-09-1926 - Encino, EUA, 18-10-2000).

Louis Armstrong (New Orleans, EUA, 04-08-1901 — New York, EUA, 06-07-1971).

Ray Charles (Albany, Geórgia, EUA, 23-09-1930 - Beverly Hills, Califórnia, EUA, 10-06-2004).

Letra

 

My mama done tol' me,

When I was in pig tails

My mama done tol' me,

Hon! A man's gonna sweet talk

And give ya the big eye;

But when the sweet talkin's done,

A man is a two face

A worrisome thing

Who'll leave ya t'sing

The blues in the night

Now the rain's a fallin',

Hear the train a callin'

Whoo-ee (my mama done tol' me)

Hear that lonesome whistle

Blowin' cross the trestle,

Whoo-ee (my mama done tol' me)

A whoo-ee-duh-whoo-ee, ol' clickety clack's

A echoin' back th' blues in the night

The evenin' breeze'll start the trees to cryin'

And the moon will hide its light

When you get the blues in the night

Take my word, the mockin' bird'll

Sing the saddest kind o' song

He knows things are wrong and he's right

Oh oh

From Natchez to Mobile,

From Memphis to St. Joe,

Wherever the four winds blow,

I been in some big towns,

I heard me some big talk,

But there is one thing I know

A man is a two face,

A worrisome thing

Who'll leave ya t'sing

The blues in the night

Oh oh

My mama was right, my mama was right

There's blues in the night

Lamento, algumas eventuais falhas nas letras, encontradas na Internet, devido à própria improvisação dada pelos seus intérpretes, e muitas vezes de difícil entendimento. (Ricardo Santos).

2 comentários:

  1. You saved the best for last!! 👍

    Nesta publicação guardaste o melhor para o fim!! E quem não ouviu as tuas quatro propostas até ao fim, não sabe o que perdeu! ☺️
    Ray Charles era grande, mesmo GRANDE!!
    E este Blues In The Night ficou magistral interpretado por ele.

    Gostei muito deste Standard
    (^^)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu não sou grande admirador de "blues", nunca o fui continuo a divulgá-los por serem uma expressão importnate na música afro-americana norte-americana.
      Nesta composição não tenho preferências, sãp, como é óbvio, interpretaçõpes distintas!
      Clara obrigado

      Eliminar

Eu fiz um Pacto com a minha língua, o Português, língua de Camões, de Pessoa e de Saramago. Respeito pelo Português (Brasil), mas em desrespeito total pelo Acordo Ortográfico de 90 !!!