Dá a surpresa de ser

Dá a surpresa de ser É alta, de um louro escuro. Faz bem só pensar em ver Seu corpo meio maduro.

Seus seios altos parecem (Se ela estivesse deitada) Dois montinhos que amanhecem Sem ter que haver madrugada.

E a mão do seu braço branco Assenta em palmo espalhado Sobre a saliência do flanco Do seu relevo tapado.

Apetece como um barco. Tem qualquer coisa de gomo. Meu Deus, quando é que eu embarco? Ó fome, quando é que eu como?

10-9-1930 - Poesias. Fernando Pessoa. (Nota explicativa de João Gaspar Simões e Luiz de Montalvor.) Lisboa: Ática, 1942 (15ª ed. 1995) - 123.

quarta-feira, 15 de setembro de 2021

Jazz Standards (205)

(Sobre o tema em questão, algumas palavras retiradas de “in

http://www.jazzstandards.com/compositions/index.htm” - adaptação e tradução por Ricardo Santos)

Baby Won't You Please Come Home (#205) - Música de Clarence Williams e Letra de Charles Warfield 

Clarence Williams não foi só um pianista que acompanhou, nas suas gravações, muitos dos cantores de “blues” como Ethel Waters, Bessie Smith e sua esposa Eva Taylor, mas também liderou a sua própria banda que, ocasionalmente, incluía Louis Armstrong e Sidney Bechet.

Frank Sinatra (Hoboken, EUA, 12-12-1915 — Los Angeles, EUA, 14-05-1998)

Sam Cooke (Clarksdale, Mississippi, EUA, 22-01-1931 - Los Angeles, California, EUA, 11-12-1964) – do álbum “The Man Who Invented Soul” para a editora “BMG Music”, em 1972.

Bessie Smith (Chattanooga, Tennessee, EUA, 15-04-1894 - Clarksdale, Mississippi, EUA, 26-09-1937) - Esta é uma de suas primeiras gravações em 1923 com o pianista Clarence Williams.

Ella Fitzgerald (Newport News, EUA, 25-04-1917 — Beverly Hills, EUA, 15-06-1996) – do álbum “Ella Fitzgerald & Her Orchestra Vol 1”.

Letra

I've got the blues, I feel so lonely

I'll give the world if I could only

Make you understand

It surely would be grand

I'm gonna telephone my baby

Ask him won't you please come home

'Cause when you're gone

I'm worried all day long

Baby won't you please come home

Baby won't you please come home

I have tried in vain

Evermore to call your name

When you left you broke my heart

That will never make us part

Every hour in tthe day

You will hear me say

Baby won't you please come home, I mean

Baby won't you please come home

Baby won't you please come home

'Cause your mama's all alone

I have tried in vain

Nevermore to call your name

When you left you broke my heart

That will never make us part

Landlord gettin' worse

I've got to move May the first

Baby won't you please come home, I need money

Baby won't you please come home

Lamento, algumas eventuais falhas nas letras, encontradas na Internet, devido à própria improvisação dada pelos seus intérpretes, e muitas vezes de difícil entendimento. (Ricardo Santos).

6 comentários:

  1. Respostas
    1. Gosto de todas, embora a Ella seja um intérprete fora do comum !
      Pedro obrigado

      Eliminar
  2. Na interpretação desta canção, quem gostei mais de ouvir foi Frank Sinatra.

    ResponderEliminar
  3. Este é um belo tema que tem resistido à usura do tempo. É um tema que quase todos os cantores de jazz interpretaram, desde Louis Armstrong e Billie Holiday até Ray Charles e Maria João. A dificuldade está na escolha. Das interpretações apresentadas no post, a minha preferência vai para a de Bessie Smith, sem dúvida, apesar do som de baixa fidelidade, que era o que havia naquele tempo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estes foram os temas que ouvi, de alguns, que mais gostei. Os "standard" são, na realidade, interpretados por muitos e bons cantores e cantoras, como é o caso
      Fernando obrigado

      Eliminar

Eu fiz um Pacto com a minha língua, o Português, língua de Camões, de Pessoa e de Saramago. Respeito pelo Português (Brasil), mas em desrespeito total pelo Acordo Ortográfico de 90 !!!