A paixão nua e cega dos estios, Atravessou a minha vida como rios

Sophia de Mello Breyner Andresen, A Paixão Nua, in “O Nome das Coisas”.

quinta-feira, 8 de maio de 2014

Raúl Solnado

(Dados Biográficos In Wikipédia e/ou In AllMusic.Com - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos)

Raúl Augusto de Almeida Solnado (Santa Isabel, Lisboa, 19-10-1929 — Campo Grande, Lisboa, 08-08-2009) - Foi um comediante, humorista, apresentador de televisão e actor português. Filho de Bernardino da Silva Solnado (Fundada, Vila de Rei, 1902 - ????) e de sua mulher Virgínia Augusta de Almeida (Maceira, Fornos de Algodres, c. 1905 - Santa Isabel, Lisboa, 19-10-1929).
Unanimemente reconhecido, como um dos maiores nomes do humor português, começou a fazer teatro na “Sociedade de Instrução Guilherme Cossoul” (1947), profissionalizando-se em 1952.
Em 1953 estreia-se no teatro de revista com "Viva O Luxo", apresentado no Teatro Monumental. Entra também na revista "Ela não Gostava do Patrão".
1956 é o ano de "Três Rapazes e Uma Rapariga" no Teatro Avenida.
Participa ainda nos filmes "O Noivo das Caldas" e "Perdeu-se um Marido".
No ano de 1958 participou nos filmes "Sangue Toureiro" e "O Tarzan do Quinto Esquerdo".
Desloca-se pela primeira vez ao Brasil em 1958 onde as coisas correram mal.
Em 1960 torna-se primeiro actor na peça "A Tia de Charley" apresentada no Teatro Monumental.
Participa no filme "As Pupilas do Senhor Reitor" (Prémio S.N.I.).
"A Guerra de 1908", um “sketch” do espanhol Miguel Gila, adaptado para português por Solnado, é interpretado na revista "Bate o Pé", estreada no Teatro Maria Vitória em Outubro de 1961. Entra também no filme "Sexta-feira, 13".

A Guerra - TV Record (Brasil), em 1967.


Chamada para Washington - TV Record (Brasil), em 1967.


Entrevista a Raúl Solnado, no celebérrimo programa “Zip Zip” (Maio de 1969 a Dezembro de 1969, e possivelmente no dia 29 de Dezembro de 1969, em pleno fim da ditadura, com Marcelo Caetano, no poder, como primeiro-ministro. “No último episódio de ZIP ZIP, e depois de uma primeira parte dedicada a uma paródia futurista à sociedade portuguesa, Carlos Cruz e Fialho Gouveia decidem aceder ao pedido de milhares de espectadores e entrevistam Raul Solnado, o mentor mítico e hilariante do programa. É uma entrevista relevante da figura de um dos maiores cómicos portugueses, e da maneira como a feitura deste programa marcou tanto a sua carreira e a fama que alcançou junto dos portugueses. (in Youtube)”.

13 comentários:

  1. Vi o Raúl Solnado várias vezes na TV.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Raúl Solnado veio na sequência de grandes cómicos e humoristas do teatro português, como António Silva, Vasco Santana, Humberto Madeira, Ribeirinho, José Viana, etc, etc... um País de grandes pessoas nas artes !
      Obrigado Teresa

      Eliminar
  2. INESQUECÍVEL!!!
    Companhia desde menino (o meu pai tinha os discos TODOS) o Solnado era um génio.

    ResponderEliminar
  3. Absolutamente de acordo contigo Pedro !!!
    Obrigado

    ResponderEliminar
  4. Inesquecível e único no seu "estilo" muito característico ! Houve grandes cómicos e humoristas no seu tempo, há-os hoje, mas nenhum o faz esquecer ! Creio que se pode considerar que ele foi o maior !

    Abraço, Ricardo !
    .

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Rui, antes de mais, sê bem vindo à minha humilde casa e estou feliz pelo teu regresso.
      Em relação ao comentário, sou capaz de estar de acordo contigo, embora tenham sido tantois e tão bons !
      Um Abraço

      Eliminar
  5. Grande actor e comediante, Raúl Solnado ficará para sempre na memória daqueles que o ouviram e viram, nos fabulosos anos 60 no programa Zip Zip, com Fialho Gouveia e Carlos Cruz, bem como em outras aparições televisivas e em discos de vinil.
    A Guerra de 1908 e a Ida ao Médico, são inesquecíveis. Aquilo, sim, era humor!
    Merecida homenagem! :)
    E, como ele dizia, faz o favor de ser feliz!:)

    ResponderEliminar
  6. Era de mais este Raul Solnado!! Gostava bastante de o ver na televisão. No teatro e ao vivo então era um espetáculo!! Sem esquecer o extraordinário Zip-Zip de que não perdi um único episódio!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não perdeste nem tu nem eu. Admirador incondicional do Raúl !
      Obrigado Graça

      Eliminar
  7. Excelente actor, excelente humorista, excelente pessoa, grande Belenenses . :):)
    O seu estilo de humor a raiar o non sense, metafórico e subtil é intemporal. :)
    Abraço. D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não se podia descrevê-lo melhor. Intemporal definitivamente !

      Eliminar
    2. Obrigado pela tu visita aqui onde se fala Português do século XX ! :)

      Eliminar

Eu fiz um Pacto com a minha Língua, o Português, língua de Camões e de Pessoa.