Teus olhos contas escuras, são duas Avé Marias, dum rosário d’amarguras, que eu rezo todos os dias. - Fernando Pessoa

quinta-feira, 8 de março de 2018

Opus Ensemble (10) Era um Redondo Vocábulo

(Dados Biográficos In Wikipédia e/ou In AllMusic.Com - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos)

Músicas do CD Duplo “Os Filhos da Madrugada” editado em 27 de Abril de 1994, onde o Grande José Afonso, foi homenageado pelos artistas das principais bandas portuguesas. É também a minha homenagem a esta figura IMPORTANTÍSSIMA na vida musical portuguesa e no respeito que demonstrava e defendia pela liberdade de todos os cidadãos.

José Manuel Cerqueira Afonso dos Santos (Aveiro, 02-08-1929 – Setúbal, 23-02-1987)


             Desenho meu, feito a lápis de carvão, no ano de 1988, após a morte do Artista

Opus Ensemble (??-08-1980)



Era um redondo vocábulo
Uma soma agreste
Revelavam-se ondas
Em maninhos dedos
Polpas seus cabelos
Resíduos de lar
Nos degraus de Laura
A tinta caía
No móvel vazio
Convocando farpas
Chamando o telefone
Matando baratas
A fúria crescia
Clamando vingança
Nos degraus de Laura
No quarto das danças
Na rua os meninos
Brincando e Laura
Na sala de espera
Inda o ar educa

15 comentários:

  1. Muito bom, Ricardo. Gostei imenso de ouvir a versão instrumental do Opus Ensemble.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esta composição do Zeca é mesmo muito bonita. É uma das que gosto mais !
      Obrigado Luísa

      Eliminar
  2. Não conhecia.
    E gostei imenso.
    Aquele abraço, bfds

    ResponderEliminar
  3. Talvez uma das menos conhecidas do Zeca Afonso (?)... (eu não conhecia).
    Adorei a linha melódica, quer cantada, quer instrumental Opus Ensemble) !
    Achei muito estranha a letra (para mim) difícil de entender (?).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Rui deixo-te algumas explicações sobre esta linda composição do nosso Zeca Afonso. Mudei o video com alusão à letra e ao texto do Pedro Rolo Duarte (o segundo !)

      José Afonso continua a sua "peregrinação", cantando um pouco por todo o lado. Muitas sessões foram proibidas pela PIDE/DGS. Em Abril de 73 é preso em Caxias até finais de Maio. Novamente no Natal de 1973 surge Venham mais cinco, um novo disco com a colaboração de José Mário Branco onde interpreta Redondo Vocábulo, poema escrito na cadeia de Caxias.
      In http://alfarrabio.di.uminho.pt/zeca/venham.html

      Era um redondo vocábulo
      Se fosse vivo, José Afonso faria 80 anos neste Agosto de 2009. Aqui há um tempo, a pedido do António Macedo, escolhi para a Antena 1 as cinco canções da minha vida. Uma delas era de José Afonso e sobre ela disse no rádio o que se segue:

      “São anos de vida assim: sempre que me perguntam qual a melhor canção portuguesa de sempre, eu digo simplesmente “Era Um Redondo Vocábulo”, José Afonso. Sei que é injusta esta escolha – porque eu não conheço todas as canções portuguesas de todos os tempos. Mas é com essa noção de presumível injustiça que ainda assim escolho esta. Ela reúne, a um tempo, o melhor de José Afonso e do seu tempo: a poesia desconstruída, os notáveis arranjos que vão de Coimbra a Angola e voltam, passando por Lisboa a atravessando tempos e tempos, a composição absolutamente irrepreensível de um ambiente, de uma paisagem, onde entramos em apenas segundos e por lá ficamos minutos. Por lá ficamos até ao fim. A canção é redonda, como redondo é o vocábulo – e o génio está ali. Por isso está aqui”.

      Mais tarde soube que tinha sido escrita e composta na prisão, algures nos anos 70, o que ainda enriqueceu mais a minha escolha. Nas viagens pela maionese da internet, descobri ontem uma interpretação videográfica em animação 3-D para este monumento da musica popular portuguesa. O autor é Eurico Coelho e aqui fica a minha maneira de, uma vez mais, trazer à superfície uma das canções da minha vida. O pretexto são os 80 anos do nascimento? Nada disso, o pretexto não faz cá falta.
      In http://pedroroloduarte.blogs.sapo.pt/114941.html

      Obrigado e abraço

      Eliminar
    2. Outra análise a esta composição é a do Maestro António Vitorino de Almeida
      in http://www.aja.pt/era-um-redondo-vocabulo/

      Abraço

      Eliminar
    3. Grato pela trabalheira da explicação, Ricardo ! Sei que o fazes com prazer ! :)
      Li com a maior atenção e entendi ! Estamos sempre a aprender desde que mostremos a nossa ignorância ! :)... Se eu apenas dissesse que "gostei muito, parabéns" !!! ... nunca ficaria a saber e daí a vantagem de um "comentário sincero" !

      Claro que não conhecia e daí o julgar que era das menos conhecidas ; claro que a melodia me agradou mesmo muito ; e quanto ao poema/letra, lá está a tal "poesia desconstruída", que nos faz "andar à nora" a tentar compreendê-la, tal como eu gosto.
      A verdade é que a maior parte, não liga "puto" às letras ! :(
      Eu gosto de seguir a letra enquanto ouço ! :)
      Abraço e obrigado, Ricardo ! :))

      Eliminar
    4. Rui obrigaste-me e ainda bem, porque a publicação ficou mais rica com este meu comentário à conta da tua pergunta !
      Obrigado

      Eliminar
  4. Boa tarde, Zeca é insubstituível, Seu desenho a Lápis está fantástico.
    Bom fim de semana,
    AG

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado António pelo comentário e pelo elogio ao meu carvão !

      Eliminar
  5. Não conhecia esta versão instrumental feita pelo Opus Ensemble.
    Gostei muito de ouvir, sobretudo graças à sonoridade do contrabaixo.

    Beijinhos redondos
    (^^)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eles ainda estão no activo, mas a sua música se passar é na Antena 2 que desde, talvez há um ano, elegi como estação de rádio preferida e ouço de manhã e ao final da tarde. Não os tenho ouvido por lá, mas este grupo de música de câmara português é excelente.
      Obrigado Afrodite

      Eliminar
  6. Muito bom, Ricardo, o desenho e as músicas deste inesquecível cantor e compositor.
    Gostei de ler a explicação que deste ao Rui sobre a letra de "Eras um redondo vocábulo" e o vídeo está muito bom.
    És um poço de conhecimento musical.
    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Refuto o ser "um poço de conhecimento musical". Sou um ignorante em termos de escrever ou ler música, tenho algum conhecimento e experiência de audição de muita música, só, mais nada. O resto é leitura e alguma pesquisa !
      Muito Obrigado pelo teu comentário Maria

      Eliminar

Eu fiz um Pacto com a minha língua, o Português, língua de Camões, de Pessoa e de Saramago.