Contigo nunca me perco, perdendo-me ! (Ricardo Santos)

quinta-feira, 19 de julho de 2018

7.ª Arte - Akira Kurosawa

Breves palavras sobre o que é para mim, o Cinema.

Durante os anos da minha juventude houve algo que me despertou o interesse e fez com que a minha ligação com os audiovisuais se tornasse, desde então, preponderante na minha vida. Esse algo foi o Cinema. A chamada 7.ª arte (arte da imagem) que quando dado o nome e na minha modesta opinião, ela reflectia somente a realidade do cinema mudo, por isso “arte da imagem”. Posteriormente a 7.ª arte tornou-se em algo muito mais complexo. A obra/filme tornou-se num conjunto de várias e ricas variáveis: a imagem, o texto, a cenografia, o som, o guarda-roupa, a interpretação, etc.. Tudo isso conglomerado e orientado de alguma maneira, por uma pessoa na arte de dirigir, o realizador.

Um bom filme, é como uma boa música ou um bom livro, é algo que deve ser visto mais que uma vez, para que nos apercebamos de coisas que numa só, é impossível. Um amante de cinema vê um filme duas, três vezes, para que nele possa visualizar todas essas variáveis de que falei anteriormente.

Vão passar por aqui alguns realizadores que fizeram e fazem parte do meu imaginário de cinéfilo. Nessa época, quando frequentei as salas de cinema em Lisboa, as filmografias de eleição eram: a italiana, a francesa, a alemã, a sueca, a espanhola, a nipónica, a americana. Mas passarão também, e obviamente, realizadores brasileiros e portugueses

Esta nova publicação intitulada 7.ª Arte, será muito de uma pequena mostra do que se via cinematograficamente em Lisboa, nos finais da década de 60 e 70, mas não só, porque teremos filmes muito mais actuais !!!
Tal qual, como todos vós, me reconhecem como um melómano amador, eu também sou um cinéfilo amador. O que vou trazer aqui foram/são obras que gostei/gosto e vi/revejo, e as minhas escolhas são apenas opiniões e gostos, livres de qualquer pretensiosismo !!!

No nome do realizador (se estrangeiro) e na maioria dos títulos dos filmes existem “links” para a Wikipedia (versão inglesa), por ser a plataforma mais abrangente e mais completa. Se pretenderem, na coluna esquerda dessas mesmas páginas, em baixo, têm normalmente, a escolha da tradução para a língua portuguesa.

Vão passar aqui 91 realizadores e ei-los aqui alfabeticamente:

Akira Kurosawa; Alfred Hitchcock; Alfredo Tropa; Anselmo Duarte; Anthony Minghella; António Cunha Telles; António Lopes Ribeiro; António Pedro Vasconcelos; Arnaldo Jabor; Arthur Duarte; Arthur Penn; Barry Levinson; Bernardo Bertolucci; Billy Wilder; Blake Edwards; Bob Fosse; Brian de Palma; Carlos Diegues; Carlos Saura; Claude Chabrol; Clint Eastwood; Darryl Francis Zanuck; David Linch; Eduardo Geada; Eric Rohmer; Ernst Lubitsch; Ettore Scola; Federico Fellini; Fernando Fragata; Fernando Lopes; Fernando Trueba; Francis Ford Coppola; François Truffaut; George Lucas; Glauber Rocha; Hector Babenco; Howard Hawks; Ingmar Bergman; James Lawrence Brooks; Jean-Jacques Annaud; Jean-Luc Godard; Jean Renoir; João Canijo; João César Monteiro; Joaquim Pedro de Andrade; John Ford; John Huston; Jorge Brum do Canto; José Fonseca e Costa; Lima Barreto; Louis Malle; Luchino Visconti; Luis Buñuel; Manoel de Oliveira; Marco Ferreri; Mark Robson; Martin Scorsese; Mel Brooks; Mel Gibson; Michelangelo Antonioni; Nagisa Oshima; Oliver Stone; Orson Wells; Otto Preminger; Pedro Almodóvar; Peter Weir; Pier Paolo Pasolini; Quentin Tarantino; Rainer Werner Fassbinder; Richard Brooks; Robert Stevenson; Robert Wise; Robert Zemeckis; Roberto Rossellini; Roger Vadim; Ron Howard; Sergio Leone; Sidney Lumet; Stanley Kramer; Stanley Kubrick; Steven Kloves; Steven Soderbergh; Steven Spielberg; Sydney Pollack; Terence Fischer; Tim Burton; Victor Fleming; Walt Disney; Werner Herzog; Wim Wenders e Woody Allen.

A ordem de publicação não será alfabética !

(Dados Biográficos In Wikipédia e/ou In Imdb - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos)

Começamos com o cinema nipónico. Trago-vos Akira Kurosawa (23-03-1910 – 06-09-1998), realizador com uma obra notável. Um dos realizadores imensamente influente no cinema mundial, com 30 películas e uns quantos galardões. Dele escolhi 8 filmes que vi, embora para além destes tenha visto outros.

(1952) IkiruViver


(1954) Shichinin no samuraiOs Sete Samurais


(1961) YojimboO Guarda-Costas


(1965) AkahigeO Barba Ruiva


(1975) Dersu UzalaA Águia das Estepes


(1980) KagemushaA Sombra de um Samurai


(1985) RanOs Senhores da Guerra


(1991) Hachi-gatsu no kyôshikyokuRapsódia em Agosto




Entrevista com Akira Kurosawa

24 comentários:

  1. Bravo!
    Mais uma rubrica em que prestas um verdadeiro serviço público!

    Proposta arrojada a tua já que 91 é um número de respeito. Confesso que até os fui contar... hehehehe
    Bom, isso pelas minhas contas... quer dizer que teremos esta rubrica "no ar"... no mínimo por um par de anos!

    Vou ter muito a aprender com estes teus posts!
    Vão ser certamente um sucesso pois toda a gente gosta de cinema :)
    Parabéns por esta fantástica ideia!

    Beijinhos de gueixa
    (^^)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado pelas tuas palavras. Na realidade o meu Blogue serve principalmente para despertar as pessoas para as artes (cinema, fotografia, música), neste caso o cinema. Há muito que me queria debruçar sobre este tema, mas estava a ganhar fôlego. Irão passar aqui 91 realizadores, com os filmes que vi na minha juventude e muitos deles obrigatórios para se conhecer um pouco da história do cinema.
      Antigamente, seguiasse a carreira do realizador. Este tinha um estilo próprio, as suas obras focavam determinados temas que iam num determinado caminho. Hoje tudo mudou, mas o cinema continua a encantar as pessoas. Hoje vou muitíssimas poucas vezes ao cinema, por questão pessoais, mas vejo e revejo ainda bons filmes na televisão. Ainda esta semana correu na RTP2 o filme de Ingmar Bergman "Lágrimas e Suspiros". Voltei a revê-lo pela 4.ª vez. Uma antes do 25 de Abril e outras três depois.

      Obrigado Afrodite pelo teu simpático comentário

      Eliminar
    2. Assino o comentário da AFRODITE.

      Estou saindo de casa. Amanhã regresso e comento mais detalhadamente, porque embora goste mais de teatro, também gosto de cinema.

      Beijos para ambos 😘😘

      Eliminar
  2. Parabéns, Ricardo por esta nova e muito ambiciosa rubrica ! Acho que tiveste uma ideia fantástica, mas extremamente trabalhosa !!!
    A tua introdução à rubrica está fantástica !

    O nome de Akiri Kurosawa é por demais conhecido ! No entanto, vendo estes 8 trailers não me recordo de ter visto nenhum deles, embora tenha na memória, os nomes de "Os Sete Samurais" e os "Os Senhores da Guerra".
    O facto é que não me lembro das imagens dos trailers. :( ... Fico na dúvida se vi e se só me recordo dos nomes . (??)

    Já agora uma nota/ 2 sugestões :
    - Acho que o facto de haver muita coisa em inglês poderá ser "desmotivador" para muitos dos teus leitores/seguidores. (?)
    - O mesmo, relativamente ao tamanho do post com 9 vídeos e cerca de mais de meia hora.

    Abraço e parabéns pela "coragem" ! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado pelas tuas palavras.

      O intuito é dar a conhecer realizadores e filmes que as pessoas não viram e não conheceram.
      Esses dois filmes, "Sete Samurais" e "Ran - Os Senhores da Guerra", talvez sejam os mais conhecidos e dos melhores, do Kurosawa, na realidade.

      Relativamente às tuas sugestões, as quais agradeço, no texto introdutório eu explico como se consegue obter o português na Wikipedia. Escolher o link português, evito quase sempre, a não ser que eu trabalhe o texto antes de, visto que é quase sempre português (Brasil).

      O número de filmes também é grande na realidade, mas há ainda alguns com mais e tenho de realçar todos as obras mais importantes que realizaram.
      Acredito que possa desmotivar quem vier aqui comentar, mas isto é cinema e quem gosta, vai querer rever todos as apresentações que eu colocar aqui.

      Rui Muito Obrigado e um Abraço

      Eliminar
    2. Trabalhosa ou não trabalhosa, é uma rubrica que me agrada absolutamente, portanto amanhã cá estou para dar a minha mostarda.

      Aquele abraço para ambos 🤗

      Eliminar
  3. INFORMAÇÃO
    Tal como tinha anunciado acabo de publicar mais um episódio, o oitavo, da saga É DIFÍCIL VIVER COM UM IRMÃO MONGOLÓIDE que desta feita tem como título... "Empernanço de pestana"... Com este texto a acção entra de raspão na guerra colonial e ainda na ida do primeiro homem à Lua. Uma vez mais alerto para imagem que pode impressionar as/os mais sensíveis.


    Volto depois para comentar.


    ResponderEliminar
  4. Difícil escolher um favorito.
    Mas talvez seja mesmo Os Sete Samurais.
    Aquele abraço, bfds

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim "Sete Samurais" e "Ran - Os Senhores da Guerra", são dos melhores !
      Obrigado e Abraço Pedro

      Eliminar
  5. Uma interessantíssima rubrica que agora iniciaste.
    Penso que te dará muito trabalho e prazer também.
    Nunca pude dedicar-me muito ao cinema devido à minha vida trabalhosa, daí que estes filmes são para mim desconhecidos, assim acho que vou aprender muito.
    Gostei do que vi e sempre que puder virei aqui para ver tudo calmamente, já que o tempo tem sido escasso.

    Bom fim de semana Ricardo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Admito que o cinema, é algo muito importante na minha vida. Todos nós aprendemos com todos.
      Obrigado Manuela

      Eliminar
  6. Rashomon é, sem dúvida, o filme de Akira Kurosawa que mais me agradou.

    Como já disse nos comentários anteriores, esta rubrica sobre os realizadores mais importantes da história do cinema, é muitíssimo interessante.

    Na lista já li o nome de um dos meus realizadores preferidos. Não, não me estou a referir ao Woody Allen.

    Continuação de um domingo feliz.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Li a lista com mais atenção e encontrei um grande número de realizadores de eleição.

      Mais uma vez, PARABÉNS pela tua ideia, Ricardo, que me deixa quase eufórica.

      Eliminar
    2. Rashomon de 1950, não vi. Os filmes que colocar aqui vi-os todos. Outros que não constam nesta pequena mostra também, mas outros não. A abordagem tenta ser significativa do realizador em questão, mas como disse sou um cinéfilo amador. Existirão de certeza algumas lacunas. Fico satisfeito ter despertado curiosidade nos meus Amigos leitores.
      Obrigado Teresa

      Eliminar
  7. Grande empresa esta, Ricardo! É fôlego. :)
    Estou como a Afrodite, a pensar que vou aprender bastante por aqui.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gosto deste tipo de trabalho sobre algo que gosto e admiro, o mundo cinematográfico. Se vos ensinar algo fico muito satisfeito. O fundamental é passar conhecimentos entre as pessoas e de geração em geração.
      Obrigado Luísa

      Eliminar
  8. Continuo à espera do Alfred Hitchcock.

    Tenho curiosidade em saber os filmes que viste (penso que todos) e quais são os teus favoritos.

    Conheço apenas dois filmes Akira Kurosawa, enquanto que vi todos os filmes de Hitchcock, mesmo os filmados em Londres, no início da sua carreira.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Teresa ele irá aparecer a seu tempo. Neste momento o Blogue encerrou para um curto período de férias. Quando o "Pacto" regressar iremos publicar mais cinema e outras rúbricas, como é costume.
      Obrigado

      Eliminar
  9. Sou uma razoável cinéfila, mas há dois géneros de filmes que não aprecio: artes marciais e ficção cientifica. Destes que nos trouxeste só conheço Os Sete Samurais.
    Verei que futuros filmes no trarás, Ricardo.

    Já estás a gozar as tuas férias?

    Se sim, que sejam muito boas. :)

    Um abraço, boa semana.

    ResponderEliminar
  10. Os filmes serão sempre as obras dos realizadores que aqui trouxer. Os cinéfilos do meu tempo, seguiam a obra dos directores de cinema e tentavam ver o maior número de filmes desses realizadores para poderem tecer opiniões sobre eles. Estilo, temas focados, coerência de rumo na obra, quando ela existia.

    Obrigado Janita

    ResponderEliminar
  11. Meu caro Ricardamigo

    Eu de cinema pouco percebo portanto é difícil que possa participar. Talvez com outro realizador me seja mais acessível mas...

    De qualquer maneira não quero deixar de comentar a tua iniciativa que uma vez mais me parece muito interessante para os cinéfilos. Entretanto fico à tua espera lá na Nossa Travessa.

    Um abração deste teu amigo e admirador
    Henrique, o Leãozão - e lá se foi o Rodrigo Leão :-) :-(

    ResponderEliminar

Eu fiz um Pacto com a minha Língua, o Português, língua de Camões, de Pessoa e de Saramago.