Teus olhos contas escuras, são duas Avé Marias, dum rosário d’amarguras, que eu rezo todos os dias. - Fernando Pessoa

segunda-feira, 9 de julho de 2018

Raúl Solnado (4)

(Dados Biográficos In Wikipédia e/ou In AllMusic.Com - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos)

O grande Raúl Solnado. Embora nunca o tenha conhecido pessoalmente, foi alguém porque quem sempre nutri muita carinho e admiração. Acompanhei a sua carreira de humorista e vi-o algumas vezes no Teatro. Recordo as duas vezes que me lembro melhor. A peça “O Vison Voador” (1969) no desaparecido Teatro Laura Alves, e uma revista, no também desaparecido, Teatro Monumental, chamada “Prá Frente Lisboa”. Lembro-me de uma música que se chamava “Malmequer”, que fez um sucesso estrondoso na época. Também na RTP o segui. Destaco o grande “Zip Zip” (1969) com o Fialho Gouveia e o Carlos Cruz, e o excelente concurso “A Visita da Cornélia” (1977).

Raúl Solnado (19-10-1929 – 08-08-2009) – É um actor, humorista português e apresentador de televisão. Foi galardoado com a Ordem do Infante D. Henrique (OIH)

É do Inimigo ?

15 comentários:

  1. Também sentia por ele esse carinho. E também nunca o conheci.
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Raúl foi Alguém muito importante em Portugal !!!
      Obrigado Elvira

      Eliminar
    2. Acredito que tenha sido muito importante na cultura portuguesa, Ricardo, eu quase não me lembro dele.

      Eliminar
    3. Pois Teresa é uma questão que abrange todos aqueles que se "desligaram", neste caso, de Portugal, por causa da emigração. Compreendo !
      Obrigado

      Eliminar
    4. NUNCA me desliguei de PORTUGAL como também não emigrei.
      O AMOR é que me obrigou a ficar na Alemanha. Tencionava regressar a Portugal depois de acabar o curso.
      Continuo muito ligada à LITERATURA PORTUGUESA e até ao futebol. A música portuguesa nunca foi a minha praia e nunca me ri com o que vi do Raúl Solnado na TV.
      Os gostos não se discutem.
      Eu sempre detestei as telenovelas e a minha mãe amava as telenovelas brasileiras e o Hermann José (também nunca me ri com as piadas dele).
      Ultimamente tenho visto Governo Sombra, não me rio, mas até gosto.

      Eliminar
  2. Um género de humor como só um grande humorista soube fazer.
    Ainda hoje se ouve com prazer e soltamos gargalhadas, como se o ouvíssemos pela primeira vez .

    Obrigada, por nos recordares bons momentos, Ricardo.

    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Dá sempre vontade de rir, é uma verdade !
      Obrigado Janita

      Eliminar
  3. Boa tarde, julgo que o Raul Solnado foi conhecido por quase ou pela totalidade dos portugueses pelo seu humor, teve uma carreira de humorista única e reconhecida.
    Continuação de boa semana,
    AG

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Apesar de conhecido pela sua carreira dentro do humor, ligada ao teatro, televisão, rádio, ele era uma excelente pessoa e um ser humano como poucos !
      Obrigado António

      Eliminar
  4. Quem o conheceu... dificilmente não gostava dele.
    Esse carinho de que tu falas é transversal, tocou-nos a todos senti-lo porque ele era de facto alguém muito especial. Talvez por causa daquele sei jeitinho de eterno menino... e daquela gaguez muito subtil e uma ligeira timidez que lhe davam aquele ar adorável.

    Continuo a rir sempre que ouço as suas rábulas, esta então é uma delícia. Nunca me canso de o escutar... e recordo sempre a sua frase que ficou um hino, e com ela me despeço também dizendo: façam o favor de serem felizes :)

    Beijinhos amigos
    (^^)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gostei muito do teu comentário. é exactamente a ideia que eu tenho dele. Alguém que deve ser bom ter como Amigo. Amigo daqueles que te coloca o cachecol no pescoço !
      Obrigado Afrodite e faz favor de seres Feliz

      Eliminar
  5. Para mim um humorista inegualável.
    Adorei recordar esta rábula que me deixa sempre a sorrir.
    Lembro-me com saudade dos programas em que participou e que tu referes aqui.

    Uma excelente partilha Ricardo

    ResponderEliminar

Eu fiz um Pacto com a minha língua, o Português, língua de Camões, de Pessoa e de Saramago.