Contigo nunca me perco, perdendo-me !!!... (Ricardo Santos)

domingo, 27 de maio de 2012

5MJZ (XXI) - Fats Waller

(Dados Biográficos In Wikipédia e/ou In AllMusic.Com - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos; e ainda In Duarte, José, História do Jazz, 2ª. Edição, Editora Sextante, Novembro de 2009)             
                  
Se Luís Villas-Boas é considerado o pai do Jazz em Portugal, José Duarte é também uma figura proeminente e importante na divulgação deste género musical no nosso País.
Estamos a passar, com o auxílio do “Youtube”, como é habitual, algumas das músicas, consideradas obrigatórias pelo José Duarte e constantes numa edição de três CD’s sobre o programa “Cinco Minutos de Jazz”, começado na década de 60 (1966), no “Rádio Renascença”, depois na Rádio Comercial e mais tarde na Antena 1, onde ainda hoje e há mais de 40 anos se divulga o improviso na rádio do nosso país.          
            
Thomas Wright Waller (Fats Waller) (New York, EUA, 21-05-1904 – Kansas City, EUA , 15-12-1943) - Foi mais conhecido como Fats Waller, foi pianista de jazz, organista, compositor e comediante norte-americano.
Waller foi um dos mais populares artistas de sua época, com sucesso comercial e da crítica, no seu país e na Europa. Foi um fértil compositor, ainda com várias composições (standards jazz) tocadas, actualmente, para modernas audiências, como "Honeysuckle Rose", "Ain't Misbehavin'" e "Squeeze Me".
Nasceu no Harlem, em New York, filho de um pastor batista. Começou por estudar piano clássico e órgão na igreja. Em jovem ainda teve lições regulares, com um conhecido pianista do Harlem, James P. Johnson, que lhe ensinou jazz. Também foi influenciado por Willie "The Lion" Smith, músico que tocava um tipo de música chamada “stride”. Fats gravou pela primeira vez com 18 anos.
Waller contraiu pneumonia e morreu numa viagem de combóio próximo de Kansas City, no Missouri, em 15 de Dezembro de 1943. Assim que o combóio chegou ao destino, a notícia da morte de Fats Waller espalhou-se pela estação, chegando a outro combóio que partia para oeste. Nesse estava Louis Armstrong, que ao saber da morte, ficou imensamente comovido, e diz-se ter chorado horas.            
                
Ain’t Misbehavin", é uma canção de 1929 (*) escrita por Fats Waller e Harry Brooks, a música, e Andy Razaf, a letra. Waller gravou a versão original desse ano para a editora Victor e mais tarde, cantou a música em 1943, no filme “Stormy Weather”. Numa entrevista de 1941 com Eddie "Rochester" Anderson, Fats alegou que a canção teria sido escrita enquanto estava "hospedado" na prisão, e é por isso que ela  se chamou de "mau comportamento".
Ela foi gravada por muitos outros artistas ao longo dos anos, Anita O'Day, Billie Holiday, Eartha Kitt, Ella Fitzgerald, Django Reinhardt, Louis Armstrong, Miles Davis, Kay Starr, Frankie Laine, Art Tatum, Sonny Stitt, Sam Cooke, Johnnie Ray, Sidney Bechet, Ray Charles, Nat King Cole, Elkie Brooks, “Bill Haley & His Comets” (que gravou uma versão “Rock & Roll” em 1957). Em 1960, Tommy Bruce e “The Bruisers” teve um sucesso #3 nas tabelas britânicas, no Reino Unido, com sua versão da canção. Leon Redbone executou a canção no “Saturday Night Live”, em 1976.
A gravação original de 1929 "Ain’t Misbehavin '", de Fats Waller recebeu o “Grammy” “Hall of Fame Award”, em 1984, e foi uma das cinquenta gravações seleccionadas para inclusão no Registo Nacional de gravação pela “Biblioteca do Congresso”, em 2004.
Vamos ver no “videoclip” do Youtube, a versão do filme “Stormy Weather” de 1943.      
                
(*) 1929 – “Crash” na bolsa de new York, a 29 de Outubro, provocando a “Grande Depressão”; Georges Prosper Remi, mais conhecido por “Hergé” cria a personagem da banda desenhada “TinTim”; Ernest Hemingway escreve “O Adeus às Armas”; e o presidente Carmona recebe dois filhos do ditador fascista Benito Mussolini, acompanhados por um destacamento da ”Juventude Fascista Italiana”, um deles viria mais tarde, a ser pianista de jazz, e a tocar em Lisboa;              
                  

Alguma “velha” publicidade televisiva (V)

Anúncio aos Frigoríficos “Bosch” feito pelo nosso saudoso humorista Raúl Solnado.         
               

Jazz Standards (LXIV)

(Dados Biográficos In Wikipédia e In AllMusic.Com - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos)     
               
(Sobre o tema em questão, algumas palavras retiradas de “in
http://www.jazzstandards.com/compositions/index.htm” - adaptação e tradução por Ricardo Santos)        
              
I Cover The Waterfront (#50) - Música de Johnny Green e Letra de Edward Heyman
No início dos anos 1930 o público americano estava bem ciente da frase, "I Cover The Waterfront" Foi o título de um romance best-seller de Max Miller (1932), e uma gravação de sucesso escrita por Johnny Green e Heyman Edward (1933), e ainda, um filme feito nos Reliance Studios, e interpretado por Claudette Colbert (1933).                 
                  
Louis Armstrong (New Orleans, EUA, 04-08-1901 — New York, EUA, 06-07-1971) – Copenhaga (Dinamarca), em 1933               
                  
             
                
Lester Young (Woodville, Kansas City, Mississippi, EUA, 27-08-1909 - New York, EUA, 15-03-1959) – Los Angels, Março/Abril de 1946. Com Lester Young (saxofone tenor), Nat King Cole (piano) e Buddy Rich (bateria).        
                 
             
                  
Billie Holiday (Filadélfia, EUA, 07-04-1915 — New York, EUA, 17-07-1959)             
                
            
                 
Django Reinhardt (Liberchies, Pont-à-Celles, Bélgica, 23-01-1910 - Paris, França, 16-03-1953) – Com “Fats" Sadi Lallemand (vibrafone), Martial Solal (piano), Django Reinhardt (guitarra), Pierre Michelot (baixo) e Pierre Lemarchand (bateria).            
                
              
                
Letra         
                
Away from the city that hurts and knocks,
I'm standing alone by the desolate docks
in the still and the chill of the night
I see the horizon the great unknown
my heart has an ache
it's as heavy as stone
with the dawn coming on, make it last
I cover the waterfront
I'm watching the sea
Will the one I love
Be coming back to me
I cover the waterfront
In search of my love
An I'm covered
By a starlit sky above
Here am I
Patiently waiting
Hoping and longing
Oh how I yearn
Where are you
Have you thought back time
Will you remember
Will you return
Will the one I love
Be coming back
To me            
               
Lamento, algumas eventuais falhas nas letras, encontradas na Internet, devido à própria improvisação dada pelos seus intérpretes, e muitas vezes de difícil entendimento. (Ricardo Santos)

Consciência de pássaro - Interacção Humorística (LXIX)

Em 26-08-2010. Obrigado.          
              
Consciência de pássaro            
                
Motociclista a 140 km/h numa estrada. De repente vê um passarinho e não consegue esquivar-se: … PÁÁ !!!           
          
Pelo retrovisor, o cara ainda viu o bichinho dando várias piruetas no asfalto até ficar estendido. Voltou para o socorrer. O passarinho estava lá, inconsciente, quase morto. 
Era tal a angústia do motociclista, que recolheu a pequena ave e levou-a, nesse mesmo dia, ao veterinário. Foi tratada e medicada. Comprou uma gaiola pequena e levou o pássaro para casa, tendo o cuidado de deixar um pouco de pão e água para o acidentado.     
        
No dia seguinte, o passarinho recupera a consciência. Ao despertar, vendo-se preso, cercado por grades, com o pedaço de pão e a vasilha de água no canto, o bicho põe as asas na cabeça e grita:       
            
PUTA QUE PARIU ! MATEI O MOTOCICLISTA !

Herman 2012 – Nélio e Idália

As personagens Nélio e Idálio com mais um excelente texto humorístico, para mais um “sketch” do Herman 2012.           
           
           
            

Gira-Discos (XXIX)


(Dados Biográficos In Wikipédia e/ou In AllMusic.Com - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos)         
                 
Mão Morta (1984 – 20xx) - É uma banda portuguesa formada em Braga, com estilo musical dificil de categorizar.
Em Outubro de 1984 Joaquim Pinto assiste em Berlim a uma actuação dos “The Swans”. No final do concerto encontra Harry Crosby, baixista da banda de New York, que lhe pergunta se ele toca baixo. Ante a resposta negativa de Joaquim Pinto, Harry Crosby diz-lhe que ele tem cara de baixista. Joaquim Pinto regressa a Braga, compra um baixo e, em Novembro desse ano, forma os Mão Morta, com Miguel Pedro (guitarra) e Adolfo Luxúria Canibal (vocal).
Em Janeiro de 1985, os Mão Morta, estreiam-se ao vivo no Porto, no “Orfeão da Foz”, num concerto que contou com projecção de diapositivos de Fernando Almeida (Nandão). Apesar da boa recepção, consideram que o palco não está ainda suficientemente preenchido e decidem recrutar mais um elemento. Zé dos Eclipses entra então para o grupo, na guitarra, passando Miguel Pedro para a bateria, em acumulação com percussões, programações rítmicas, teclas e baixo, enquanto Joaquim Pinto continua no baixo, que acumula com teclas, e Adolfo Luxúria Canibal na voz.          
             
"Novelos de Paixão", do álbum “Pesadelos em Peluche”, de 2010.       
                 
    
            
"Budapeste", do álbum “Bandas Míticas”, de 2011.        
            

Gira-Discos (XXIX)

(Dados Biográficos In Wikipédia e/ou In AllMusic.Com - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos)      
            
Manfred Mann (1962 – 1969) - Foi uma banda britânica de R&B, foi fundada na Grã-Bretanha, em 1962, pelo próprio Manfred Mann, nascido em 21 de Outubro de 1940, em Joanesburgo, África do Sul. Com Manfred Mann (teclas), estava o seu amigo Mike Hugg (bateria). O vocalista era Paul Jones (que se tornaria mais tarde num actor de sucesso). Os outros membros foram Tom McGuinness (baixo) e Mike Vickers (flauta, sax, guitarra).
Os seus primeiros sucessos foram "Do Wah Diddy Diddy" (um original dos Exciters) e "Pretty Flamingo". Jones (vocal) saíu em 1966 e foi substituído por Mike D'Abo, mas o grupo manteve a senda de sucessos (um caso raro quando ocorre mudança de vocalista) de que se salienta, em 1968 uma versão de "Mighty Quinn" de Bob Dylan. Outros temas de Dylan gravados pelo grupo foram, "Just Like A Woman" (1966) e "If You Got To Go - Go Now".
Outro popular tema do grupo foi: "Ha! Ha! Said The Clown", de 1967.    
        
"Ha! Ha! Said The Clown", de 1967.       
            
      
           
Ha ha said the clown
has the king lost his crown,
is the night being tight on romance
Ha ha said the clown
is it bringing you down,
that You've lost Your chance
Feeling low, gotta go
see a show in town
Hear the jokes, have a smoke,
and a laugh at the clown
In a whirl, see a girl
with a smile in her eyes
Never thought I'd be brought
right down by her lies
In a trance, watch her dance
to the beat of the drums
Faster now, sweating brow,
I'm all the fingers and thumbs
Wonder why I hit the sky
When she blows me a kiss
In a while run a mile
I'm regretting all this
Time to go, close the show,
wave the people good-bye
Grab my coat, grab my hat,
look that girl in the eye
Where's your home,
what's your phone numberstop fooling round
Could have died she replied
"I'm the wife of the clown"       

            
"Mighty Quinn", de 1968.       
     

domingo, 20 de maio de 2012

Lumiére – “Les Intouchables – Amigos Improváveis”

A comédia francesa que vos aconselho a irem ver. Baseado numa história verdadeira “Les Intouchables”. Um filme muito agradável de ver, não só pelos seus momentos cómicos, mas também pelo retrato da sociedade francesa actual, com os seus milhares largos de emigrantes que habitam a cidade de Paris. A não perder se gostam de ver coisas diferentes e se gostam de cinema, e não simplesmente de filmes americanos com efeitos especiais, feitos em computador.  
          
(Dados Biográficos In Wikipédia e/ou In AllMusic.Com - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos)         
               
Olivier Nakache (Suresne, 14-04-1973 – 20xx) - É um realizador, argumentista e actor francês. Ele muitas vezes trabalha em co-realização com Eric Toledano. Ele é o irmão da actriz e realizadora Geraldine Nakache.
A sua carreira permanece, intrinsecamente, ligada à de Eric Toledano. Logo os dois se tornaram amigos e começaram a trabalhar em curtas-metragens.
Em 1995, eles se lançam em “Le Jour et la Nuit”, a história de um médico da noite apaixonado por Zinedine Soualem e Mauduech Julie.
Quatro anos depois eles estão de volta com “Les Petits Souliers”, crónica sobre os jovens Pais Natal de uma noite, que reúne a jovem “nata” de comediantes franceses, Jamel Debbouze, Gad Elmaleh, Atmen Kelif, Roschdy Zem e Gilbert Melki, essas experiências que passar o formato de longa-metragem em 2005, com “Je préfère qu'on reste amis...” com Gerard Depardieu e Jean-Paul Rouve.
Uma nova comédia com “Nos jours heureux”, sobre os acampamentos de verão. O filme é o sucesso do Verão de 2007.
Em 2009, dirige a sua terceira longa-metragem “Tellement proches”, a história de uma família colorida, onde Vincent Elbaz encena com Isabelle Carré, François-Xavier Demaison, Audrey Dana e Omar Sy.          
          
Filmografia, como Realizador       
           
Curtas-Metragens:      
            
1995 - Le Jour et la Nuit
1999 - Les Petits Souliers
2000 - La Part de l'ombre
2002 - Ces jours heureux        
           
Longas-Metragens:     
         
2005 - Je préfère qu'on reste amis...
2006 - Nos jours heureux
2009 - Tellement proches
2011 - Intouchables     
      
Les Intouchables”, “trailer” em português “Amigos Improváveis”.        
        
        
           


Veuillez installer Flash Player pour lire la vidéo

Jazz Standards (LXIII)

(Dados Biográficos In Wikipédia e In AllMusic.Com - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos)             
              
(Sobre o tema em questão, algumas palavras retiradas de “in
http://www.jazzstandards.com/compositions/index.htm” - adaptação e tradução por Ricardo Santos)         
               
Cherokee (Indian Love Song) (#39) - Música e Letra de Ray Noble
Chefe de banda, britânico, Ray Noble escreveu e lançou o "Cherokee", como o primeiro dos cinco movimentos de "Suite Indian" (Cherokee, Comanche War Dance, Iroquois, Seminole e Sioux Sue). No ano seguinte, o trompetista e orquestrador Billy May criou um arranjo com sucesso instrumental, de "Cherokee", para a orquestra de Charlie Barnet. A música subiria para o número 15, das tabelas populares.              
                  
Clifford Brown (Filadélfia, EUA, 30-10-1930 - 20xx) & Max Roach (New Land, North Carolina, EUA, 10-01-1924 - New York, EUA, 16-08-2007) – Em 1955, do album “Study in Brown, com Clifford Brown (trompete), Harold Land (saxofone tenor), Richie Powell (piano), George Morrow (baixo duplo, contrabaixo), Max Roach (bateria).            
                 
           
                  
Joe Pass (New Brunswick, New Jersey, EUA, 13-01-1929 – Los Angeles, California, EUA, 23-05-1994) – Do seu album “Virtuoso” de 1973, gravado em Novembro, para a Metro Goldwin Mayer (MGM) Recording Studios.    
           
             
              
Sarah Vaughan (Newark, EUA, 27-03-1924 — Los Angeles, EUA, 03-04-1990)          
            
           
             
Bud Powell (New York, EUA, 27-09-1924 – New York, EUA, 31-07-1966) trio – Com Bud Powell (piano), Ray Brown (contrabaixo) e Max Roach (bateria). 
          
          
           
Letra  
    
Sweet Indian warrior
Since first I met you
I can't forget you
Cherokee sweetheart
Child of the prairie
Your love keeps calling
My heart enthralling
Ooh Cherokee
Dreams of summertime
Of wintertime gone by
Throng my memory so tenderly and sigh
My sweet Indian warrior
One day I'll hold you
In my arms fold you
Oh Cherokee
Brave Indian warrior
Since I first met you
I can't forget you
Cherokee sweetheart
Child of the prairie
Your love keeps calling
My heart enthralling
Ooh Cherokee           
        
Lamento, algumas eventuais falhas nas letras, encontradas na Internet, devido à própria improvisação dada pelos seus intérpretes, e muitas vezes de difícil entendimento. (Ricardo Santos)

Alguma “velha” publicidade televisiva (IV)

A “Família Prudêncio” quem se lembra desta cuidadosa família nos uso dos pesticidas. Não tarda muito a Assunção Cristas está a fazer um novo comercial com o tema.          
            
Agora que a Agricultura voltou a estar na moda…
          

5MJZ (XX) - Lester Young Quartet

(Dados Biográficos In Wikipédia e/ou In AllMusic.Com - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos; e ainda In Duarte, José, História do Jazz, 2ª. Edição, Editora Sextante, Novembro de 2009)          
                
Se Luís Villas-Boas é considerado o pai do Jazz em Portugal, José Duarte é também uma figura proeminente e importante na divulgação deste género musical no nosso País. 
Estamos a passar, com o auxílio do “Youtube”, como é habitual, algumas das músicas, consideradas obrigatórias pelo José Duarte e constantes numa edição de três CD’s sobre o programa “Cinco Minutos de Jazz”, começado na década de 60 (1966), no “Rádio Renascença”, depois na Rádio Comercial e mais tarde na Antena 1, onde ainda hoje e há mais de 40 anos se divulga o improviso na rádio do nosso país.            
               
Lester Willis Young (Woodville, Mississippi, EUA, 27-08-1909 – New York, EUA, 15-03-1959) - apelidado de "Pres" ou "Prez", foi um saxofonista tenor de jazz e clarinetista, norte-americano. Também tocou trompete, violino e bateria. Tendo-se destacado enquanto membro da orquestra de Count Basie, Young foi um dos músicos mais influentes no seu instrumento, tocando com um tom frio e usando harmonias sofisticadas.
Lester Young nasceu em Woodville, Mississippi e cresceu numa família musical. O jovem pai, Willis Handy jovem, era um professor respeitado, seu irmão, Lee Young foi um baterista, e vários outros parentes tocava música, profissionalmente. A sua família mudou-se para New Orleans, Louisiana, quando Lester era um bebé e depois para Minneapolis, Minnesota. Embora muito jovem, Lester inicialmente não conhecia o seu pai, disseram-lhe que o seu pai era músico. Mais tarde, Willis ensinou o filho a tocar trompete, violino e bateria, além do saxofone.
Lester Young tocou na banda da família, tanto no “Vaudeville” como nos circuitos de carnaval. Deixou a banda familiar em 1927, com 18 anos, porque recusou fazer a digressão no sul dos Estados Unidos, onde as leis de Jim Crow estavam em vigor e segregação racial era obrigatória nas instalações públicas.           
             
Prisoner Of Love", de 1931 (*), composta por, música de Russ Columbo, Clarence Gaskill, e letra de Leo Robin.
O quarteto de Pres e Teddy, era formado por Teddy Wilson (piano), Lester Young (saxofone tenor), Jo Jones (bateria) e Gene Ramey (contrabaixo).            
                    
(*) 1931 – O “gangster” Al Capone é julgado e condenado nos Estados Unidos; “The Star Spangled Banner” é adoptado o hino nacional norte-americano; John Raskob constrói o Empire State Building em New York; e Greta Garbo protagoniza a espiã Mata-Hari.          
                 

Trabalho ou Prazer ? - Interacção Humorística (LXVIII)

Em 16-08-2010. Obrigado.        
               
Trabalho ou Prazer ?!           
               
Um Presidente de uma determinada empresa, casado há 25 anos, está com uma grande dúvida. Fazer amor com a mulher, depois de tanto tempo de casamento, é trabalho ou prazer ?  
      
Na dúvida, ligou para o Director Geral e perguntou-lhe o que é que ele achava.       
          
O Director ligou para o Vice-Director e fez a mesma pergunta.         
           
O Vice-Director ligou para o Gerente Geral e fez a mesma pergunta.      
          
E assim seguiu-se a corrente de ligações até que a pergunta chegou ao Sector Jurídico e o Advogado Chefe perguntou naturalmente e como era da praxe, para o  Estagiário que estava todo atarefado fazendo mil coisas ao mesmo tempo.             
                
- Rapaz, tem um minuto para responder… se quando o Presidente da empresa faz amor com a mulher dele, se é trabalho ou prazer ???            
             
- É prazer de certeza, Doutor !!! - respondeu o estagiário prontamente e com segurança.  
            
- O quê ? Como é que pode responder isso com tanta segurança e sem dúvidas ?            
           
- É que... se fosse trabalho, já tinham mandado eu fazer !!!!

Estado de Graça – Desemprego

Músicas House MD (6ª. Temporada) (XXVI)

(Dados Biográficos In Wikipédia e/ou In AllMusic.Com - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos)      
             
Wolfgang Amadeus Mozart baptizado Joannes Chrysostomus Wolfgangus Theophilus Mozart (Salzburgo, 27-01-1756 – Viena, 05-12-1791) - Foi um prolífero e influente compositor austríaco do período clássico. Mozart mostrou uma habilidade musical prodigiosa desde a sua infância. Já competente nos instrumentos de piano e no violino, começou a compor aos cinco anos de idade, e passou a apresentar-se para a realeza europeia, maravilhando a todos com o seu talento precoce com a sua idade. Na adolescência foi contratado como músico da corte em Salzburgo, porém as limitações da vida musical na cidade impeliram-no a procurar um novo cargo noutras cortes, mas sem sucesso. Ao visitar Viena em 1781, desentende-se com o seu senhor/amo e solicitou a sua demissão, optando por ficar na capital, onde, ao longo do resto de sua vida, conquistou fama, porém com dificuldades e pouca estabilidade financeira. Os seus últimos anos de vida, viram surgir algumas das suas obras, tais como sinfonias, concertos e óperas mais conhecidas, para além do seu “Requiem”. As circunstâncias da sua morte prematura deram origem a diversas lendas. Deixou uma mulher, Constanze, e dois filhos.
Foi autor de mais de seiscentas obras, muitas delas referências na música sinfónica, concertante, da ópera, coral, de piano e de câmara. A sua produção foi louvada por todos os críticos da sua época, embora muitos a considerassem excessivamente complexa e difícil, e estendeu a sua influência a vários outros compositores ao longo de todo o século XIX e início do século XX. Hoje Mozart é visto pela crítica especializada como um dos maiores compositores do ocidente, conseguiu conquistar grande prestígio, mesmo entre os leigos, e sua imagem se tornou um ícone popular.      
          
Wolfgang Amadeus Mozart – Abertura da Flauta Mágica, tocada no Festival de Salzburgo, pela orquestra Filarmónica de Viena dirigida por Riccardo Mutti.       
             
           
                 
Dean Martin (Steubenville, Ohio, EUA, 07-06-1917 — Beverly Hills, California, EUA, 25-12-1995) -  Foi um dos mais influentes artistas do século XX, tanto na música, televisão, bem como no cinema. Seu nome de baptismo é Dino Paul Crocetti. Era integrante da "Rat Pack", um grupo de amigos formado por Frank Sinatra, Sammy Davis, Jr., Peter Lawford e Joey Bishop que realizaram algumas actividades artísticas em conjunto, na década de 1960. É bastante reconhecido pela sua parceria de enorme êxito com o cómico e actor, Jerry Lewis. Morreu com cancro no pulmão. Possui três estrelas na "calçada da fama", uma (6519 Hollywood Boulevard) pelo seu trabalho no cinema, a segunda (1817 Vine) pelas suas gravações, e a terceira (6651 Hollywood Boulevard) pelo seu trabalho na televisão. Era pai do também cantor e actor Dean Paul Martin, cuja morte prematura fez o pai encerrar a carreira.              
                 
Dean Martin – You're Nobody Till Somebody Loves You, composição escrita por James Cavanaugh, Russ Morgan and Larry Stock.          
       
           
               
Los Del Rio (1992 – 2007) – É um grupo musical criado em Sevilha, Espanha e composto por Antonio Romero Monge e Rafael Ruíz. O grupo alcançou grande sucesso no ano de 1996 com o sucesso "Macarena".             
              
Los Del Rio – Macarena