A paixão nua e cega dos estios, Atravessou a minha vida como rios

Sophia de Mello Breyner Andresen, A Paixão Nua, in “O Nome das Coisas”.

domingo, 27 de maio de 2012

5MJZ (XXI) - Fats Waller

(Dados Biográficos In Wikipédia e/ou In AllMusic.Com - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos; e ainda In Duarte, José, História do Jazz, 2ª. Edição, Editora Sextante, Novembro de 2009)             
                  
Se Luís Villas-Boas é considerado o pai do Jazz em Portugal, José Duarte é também uma figura proeminente e importante na divulgação deste género musical no nosso País.
Estamos a passar, com o auxílio do “Youtube”, como é habitual, algumas das músicas, consideradas obrigatórias pelo José Duarte e constantes numa edição de três CD’s sobre o programa “Cinco Minutos de Jazz”, começado na década de 60 (1966), no “Rádio Renascença”, depois na Rádio Comercial e mais tarde na Antena 1, onde ainda hoje e há mais de 40 anos se divulga o improviso na rádio do nosso país.          
            
Thomas Wright Waller (Fats Waller) (New York, EUA, 21-05-1904 – Kansas City, EUA , 15-12-1943) - Foi mais conhecido como Fats Waller, foi pianista de jazz, organista, compositor e comediante norte-americano.
Waller foi um dos mais populares artistas de sua época, com sucesso comercial e da crítica, no seu país e na Europa. Foi um fértil compositor, ainda com várias composições (standards jazz) tocadas, actualmente, para modernas audiências, como "Honeysuckle Rose", "Ain't Misbehavin'" e "Squeeze Me".
Nasceu no Harlem, em New York, filho de um pastor batista. Começou por estudar piano clássico e órgão na igreja. Em jovem ainda teve lições regulares, com um conhecido pianista do Harlem, James P. Johnson, que lhe ensinou jazz. Também foi influenciado por Willie "The Lion" Smith, músico que tocava um tipo de música chamada “stride”. Fats gravou pela primeira vez com 18 anos.
Waller contraiu pneumonia e morreu numa viagem de combóio próximo de Kansas City, no Missouri, em 15 de Dezembro de 1943. Assim que o combóio chegou ao destino, a notícia da morte de Fats Waller espalhou-se pela estação, chegando a outro combóio que partia para oeste. Nesse estava Louis Armstrong, que ao saber da morte, ficou imensamente comovido, e diz-se ter chorado horas.            
                
Ain’t Misbehavin", é uma canção de 1929 (*) escrita por Fats Waller e Harry Brooks, a música, e Andy Razaf, a letra. Waller gravou a versão original desse ano para a editora Victor e mais tarde, cantou a música em 1943, no filme “Stormy Weather”. Numa entrevista de 1941 com Eddie "Rochester" Anderson, Fats alegou que a canção teria sido escrita enquanto estava "hospedado" na prisão, e é por isso que ela  se chamou de "mau comportamento".
Ela foi gravada por muitos outros artistas ao longo dos anos, Anita O'Day, Billie Holiday, Eartha Kitt, Ella Fitzgerald, Django Reinhardt, Louis Armstrong, Miles Davis, Kay Starr, Frankie Laine, Art Tatum, Sonny Stitt, Sam Cooke, Johnnie Ray, Sidney Bechet, Ray Charles, Nat King Cole, Elkie Brooks, “Bill Haley & His Comets” (que gravou uma versão “Rock & Roll” em 1957). Em 1960, Tommy Bruce e “The Bruisers” teve um sucesso #3 nas tabelas britânicas, no Reino Unido, com sua versão da canção. Leon Redbone executou a canção no “Saturday Night Live”, em 1976.
A gravação original de 1929 "Ain’t Misbehavin '", de Fats Waller recebeu o “Grammy” “Hall of Fame Award”, em 1984, e foi uma das cinquenta gravações seleccionadas para inclusão no Registo Nacional de gravação pela “Biblioteca do Congresso”, em 2004.
Vamos ver no “videoclip” do Youtube, a versão do filme “Stormy Weather” de 1943.      
                
(*) 1929 – “Crash” na bolsa de new York, a 29 de Outubro, provocando a “Grande Depressão”; Georges Prosper Remi, mais conhecido por “Hergé” cria a personagem da banda desenhada “TinTim”; Ernest Hemingway escreve “O Adeus às Armas”; e o presidente Carmona recebe dois filhos do ditador fascista Benito Mussolini, acompanhados por um destacamento da ”Juventude Fascista Italiana”, um deles viria mais tarde, a ser pianista de jazz, e a tocar em Lisboa;              
                  

Sem comentários:

Enviar um comentário

Eu fiz um Pacto com a minha Língua, o Português, língua de Camões e de Pessoa.