Dá a surpresa de ser

Dá a surpresa de ser É alta, de um louro escuro. Faz bem só pensar em ver Seu corpo meio maduro.

Seus seios altos parecem (Se ela estivesse deitada) Dois montinhos que amanhecem Sem ter que haver madrugada.

E a mão do seu braço branco Assenta em palmo espalhado Sobre a saliência do flanco Do seu relevo tapado.

Apetece como um barco. Tem qualquer coisa de gomo. Meu Deus, quando é que eu embarco? Ó fome, quando é que eu como?

10-9-1930 - Poesias. Fernando Pessoa. (Nota explicativa de João Gaspar Simões e Luiz de Montalvor.) Lisboa: Ática, 1942 (15ª ed. 1995) - 123.

segunda-feira, 2 de agosto de 2021

O Poeta Bocage (3)

Vou trazer aqui em dez publicações, trinta sonetos de Manuel Maria Barbosa du Bocage (Elmano Sadino), pseudónimo adoptado em 1790, quando da sua adesão à Academia das Belas Letras ou Nova Arcádia. Bocage é um dos nossos melhores poetas, embora não lhe seja reconhecida a sua genialidade, visto ser basicamente conhecido pelas suas anedotas obscenas ou ousadas. Escolhi trinta sonetos, dez da poesia lírica, dez de poesia satírica e outros dez da poesia erótica.

Alguns links sobre a poesia de Bocage, bem como onde poderão encontrar  alguns livros editados do poeta:

https://www.bertrand.pt/autor/bocage/9129

https://www.wook.pt/livro/poesias-eroticas-bocage/223553

https://www.fnac.pt/Antologia-de-Poesia-Erotica-de-Bocage-Bocage/a1320322

Na RTP

Entrevista a Daniel Pires, presidente do Centro de Estudos Bocagianos sobre a obra satírica e erótica do poeta Manuel Maria Barbosa du Bocage, com visita à exposição "2005 Ano Bocage", Comemorações do Bicentenário da Morte de Bocage, patente no Museu de Arqueologia e Etnografia de Setúbal realizada por Henrique Félix.

https://arquivos.rtp.pt/conteudos/poesia-erotica-e-satirica-de-bocage/

Na TSF

https://www.tsf.pt/programa/o-livro-do-dia/emissao/antologia-de-poesia-erotica-de-bocage-8963082.html

No Município de Setúbal

https://www.mun-setubal.pt/livro-valoriza-poesia-erotica/


Sobre a artista plástica Dina de Sousa:

http://artistasportugueses.weebly.com/dina-de-sousa.html


Lírica

A frouxidão no amor é uma ofensa,

Ofensa que se eleva a grau supremo;

Paixão requer paixão, fervor e extremo;

Com extremo e fervor se recompensa,

 

Vê qual sou, vê qual és, vê que dif’rença!

Eu descoro, eu praguejo, eu ardo, eu gemo;

Eu choro, eu desespero, eu clamo, eu tremo;

Em sombras a razão se me condensa.

 

Tu só tens gratidão, só tens brandura,

E antes que um coração pouco amoroso

Quisera ver-te uma alma ingrata e dura.

 

Talvez me enfadaria aspecto iroso;

Mas de teu peito a lânguida ternura

Tem-me cativo, e não me faz ditoso.


Satírica

Não tendo que fazer Apolo, um dia,

Às Musas disse: «Irmãs, é benefício

Vadios empregar; dêmos ofício

Aos sócios vãos da magra Academia:

 

O Caldas satisfaça a padaria;

O França de enjoar tenha exercício,

E o autor do entremez do rei egípcio

O Pégaso veloz conduza à pia.

 

Vá na Ulisseia tasquinhar o ex-frade,

Da sala o Quintanilha acenda as velas,

Em se juntando alguma sociedade.

 

Bernardo nénias faça, e roa nelas;

E Belmiro, por ter habilidade,

Como de antes, trabalhe em bagatelas».

 

Erótica

Soneto de todas as putas

 

Não lamentes, ó Nize, o teu estado;

Puta tem sido muita gente boa;

Putíssimas fidalgas tem Lisboa,

Milhões de vezes putas têm reinado;

 

Dido foi puta, e puta de um soldado;

Cleópatra por puta alcançou a coroa;

Tu, Lucrécia, com toda a tua proa,

O teu cono não passa por honrado: (cona)

 

Essa da Rússia imperatriz famosa,

Que ainda há pouco morreu (diz a Gazeta)

Entre mil piças expirou vaidosa;

 

Todas no mundo dão a sua greta;

Não fiques pois, ó Nize, duvidosa

Que isso de virgem e honra é tudo peta. 

7 comentários:

  1. O Manuel Maria era um provocador!!
    Abraço, boa semana

    ResponderEliminar
  2. O Manuel Maria é um dos meus ídolos da poesia portuguesa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ...e meu também!
      Teresa fica bem com saúde e força para enfrentar tudo na vida. Obrigado

      Eliminar
    2. Embora alguém tenha escrito num blogue amigo:

      “A Frau Hoffbauer aconselho a que procure apoio profissional que a ajude a superar a fase difícil que atravessa.”

      A minha fase ligeiramente difícil já passou — não preciso de apoio de profissional (ela queria dizer psiquiatra) mas sim do apoio de um bom cozinheiro.


      Eliminar

  3. Confesso que tenho imensas dificuldades em ler Bocage.
    No poema lírico acho que ainda consegui "entrar" mas logo a seguir no poema satírico não pesquei uma!! (lol)

    Quanto ao soneto que escolheste para preencher a vaga da poesia erótica, vem a propósito um programa que vi hoje na RTP Play, o «Primeira Pessoa», com Herman José como entrevistado. Ele diz que há uma certa semelhança entre os humoristas em palco e as prostitutas: porque em palco têm de se desnudar e estar em frente ao público é o mesmo que estar com um cliente, que tem em primeiro lugar de ser seduzido e encantado, e depois fazê-lo apaixonar-se e levá-lo ao clímax! E quando o espectáculo acaba com a sala a bater palmas em pé, então (e isso são as palavras dele) quer dizer que foram umas belas prostitutas.

    Tens aqui o LINK do programa se o quiseres ver ou rever.

    Beijinhos pescados à linha
    (^^)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Em teoria a poesia satírica de Bocage será virada a factos da época em que ele viveu (digo eu!), daí a dificuldade em se conseguir interpretar.
      Pois o Herman lá terá as suas opiniões que de alguma maneira fazem sentido.
      Clara obrigado pelo comentário e pelo link

      Eliminar

Eu fiz um Pacto com a minha língua, o Português, língua de Camões, de Pessoa e de Saramago. Respeito pelo Português (Brasil), mas em desrespeito total pelo Acordo Ortográfico de 90 !!!