Dá a surpresa de ser

Dá a surpresa de ser É alta, de um louro escuro. Faz bem só pensar em ver Seu corpo meio maduro.

Seus seios altos parecem (Se ela estivesse deitada) Dois montinhos que amanhecem Sem ter que haver madrugada.

E a mão do seu braço branco Assenta em palmo espalhado Sobre a saliência do flanco Do seu relevo tapado.

Apetece como um barco. Tem qualquer coisa de gomo. Meu Deus, quando é que eu embarco? Ó fome, quando é que eu como?

10-9-1930 - Poesias. Fernando Pessoa. (Nota explicativa de João Gaspar Simões e Luiz de Montalvor.) Lisboa: Ática, 1942 (15ª ed. 1995) - 123.

domingo, 30 de maio de 2021

Prémio Valmor, Ano de 1909, Rua Sacramento à Lapa 34-38

Rua Sacramento à Lapa, do lado direito, a seguir, e muito perto da esquadra da Polícia (à esquerda da rua). Uma tabuleta indicava que, seria propriedade de uma Embaixada, eventualmente, da Bulgária, mas com reservas. Não vi bandeira exterior. Existe uma morada nas Páginas Amarelas Internet que indica esta rua, mas com número de porta diferente.

Consegui voltar a fotografar em 2018, embora não o tenha feito em 2013, visto ser um edifício de “chão estrangeiro” e que, já na altura, em virtude da esquadra da polícia ser mesmo perto, fui alvo de olhares curiosos, por parte das autoridades, o que me levou a não fotografá-lo em 2013. Voltei agora em 2018, penso que eventualmente, já não pertence a Embaixada alguma.

As fotos são referentes ao ano de 2018, sendo a primeira obtida através do “Google Earth”.

Foram entregues quatro prémios, três dos quais Menções Honrosas. Dos edifícios premiados com Menção Honrosa apenas um deles, um Palacete, na Rua do Sacramento à Lapa, 34-38, do arquitecto Arnaldo R. Adães Bermudes e propriedade do Conde de Agrolongo se encontra ainda em bom estado de conservação e destinado a habitação.

Arquitecto Arnaldo Adães Bermudes (1864-1948): 

Prémios Valmor (1908 e 1909) e Menção Honrosa 1909

“Natural do Porto, formou-se em Arquitectura (1885) pela Academia Portuense, entretanto Escola de Belas-Artes e um ano depois, subvencionado pelos organismos comerciais da Cidade Invicta, foi-lhe atribuída uma bolsa de estudo fora do país. Regressado a Portugal, entrou num concurso aberto em 1888, pela Academia de Belas-Artes de Lisboa, para bolseiros no estrangeiro e alcançou a primeira classificação. Durante cinco anos frequentou a Escola de Belas-Artes de Paris e com o melhor proveito, as classes particulares de Paul Blondel (1). Um dos seus trabalhos de grande composição, então ali feitos, levado ao “Salon” de 1893, mereceu elogiosa crítica.

Foi o primeiro classificado, com o Arq.º António Couto Abreu (1874-1946) e o escultor Francisco dos Santos (1878-1930), no Monumento ao Marquês de Pombal, após concursos de polémica violentíssima, onde viria a prevalecer o projecto desta equipa, aquele que se ergue na Rotunda.

Obteve o Prémio Valmor de 1908 pelo edifício construído no gaveto da Avenida Almirante Reis, 2-2K para o Largo do Intendente, 1 a 10. Receberia também, respeitante a 1909, uma Menção Honrosa do Prémio Valmor pelo prédio situado na Rua do Sacramento à Lapa, N.º 34-38, ainda hoje existente, embora com alterações (Primitivo projecto na «Construção Moderna» N.º 214/Ano VII/1906 e fotografia na «Architectura Portugueza», N.º 12/Ano II/Dez. 1909).”

In Bairrada, Eduardo Martins, “Prémios Valmor 1902-1952”, Edição 1988, CML. (sic)*

“http://www.priberam.pt/dlpo/sic” - *sic |sique| (palavra latina)

Advérbio: Sem alteração nenhuma; tal e qual. = assim

(1) – Paul Blondel (1847-1897) foi um arquiteto francês, Grande Prémio de Roma em 1876. Frequentou a Escola de Belas-Artes, oficina “Daumet” em 1864, tornou-se professor de oficina na Escola de Belas-Artes em 1880. Primeiro Presidente de Arquitectura, da Escola Nacional de Artes Decorativas e Inspector-Geral dos Edifícios diocesanos.

Acontecimentos Arquitectónicos da década:

1902 - Inauguração do elevador de Santa Justa;

1903 - Publicação do novo regulamento de salubridade para as construções urbanas;

1904 – Aprovação do Plano Geral de Melhoramentos, apresentado pelo engenheiro Ressano Garcia (1847-1911);

1905 – Desenvolvimento das construções ao longo da Avenida Fontes Pereira de Melo e da futura Avenida da República;

1905 - Jardim Zoológico, nas Laranjeiras, Raul Lino;

1907 – Animatógrafo do Rossio;

1908 - Projecto para o Parque Eduardo VII do arquitecto Miguel Ventura Terra. 

8 comentários:

  1. Grande talento. Não me recordava.
    Conheci bem foi a Rua do Sacramento à Lapa. Cheguei a viver na Estrela pertinho da Basílica.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se bem te lembras comentaste a minha publicação fotográfica sobre a Basílica da Estrela... https://opactoportugues.blogspot.com/2017/08/eyes-thru-glass-22-basilica-da-estrela.html#comment-form
      Esta construção na rua do Sacramento à Lapa, é bonita, não muito trabalhada arquitectonicamente, mas é bonita !
      Catarina obrigado

      Eliminar
    2. Naquele momento, quando escrevi o comentário, estava mais focada no arquiteto e não me recordei desse teu post. Cheguei a ir muitas vezes à missa na Basílica. : )

      Eliminar
    3. A Basílica é um templo muito bonito.
      Catarina obrigado

      Eliminar
  2. Belas fotos, algumas conheço, mas é sempre um prazer revisitar Lisboa

    ResponderEliminar
  3. Quero ir lá!!!
    Abraço, boa semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Deve ser cara! Uma boa aquisição a quem sair o Euromilhões!
      Pedro obrigado e abraço

      Eliminar

Eu fiz um Pacto com a minha língua, o Português, língua de Camões, de Pessoa e de Saramago. Respeito pelo Português (Brasil), mas em desrespeito total pelo Acordo Ortográfico de 90 !!!