Lisboa ainda

Lisboa não tem beijos nem abraços, não tem risos nem esplanadas, não tem passos, nem raparigas nem rapazes de mãos dadas, tem praças cheias de ninguém, ainda tem Sol mas não tem nem gaivota de Amália nem canoa, sem restaurantes, sem bares, nem cinemas, ainda é fado, ainda é poemas, fechada dentro de si mesma ainda é Lisboa, cidade aberta, ainda é Lisboa de Pessoa alegre e triste, e em cada rua deserta, ainda resiste

Manuel Alegre, 20 de Março de 2020


quarta-feira, 20 de maio de 2020

Palavras Nossas (2)


Texto que recebi dia 1 de Maio de 2020, da Rosélia Bezerra:

É   PRIMAVERA !

Carregando minha Cruz,

Sentida deveras,
Eis que surge Jesus!

Sua dor dilacerante,
Outrora sentida,
Dá sentido à minha vida,
Sou mais confiante...

Sou vida nova,
Sou igreja viva,
Exulto e canto,

Sou comunhão.

É feliz meu coração

Em floridos prados, 
Acontece a Ressurreição,
Ao arado, ofereço minhas mãos.

23 comentários:

  1. Boa noite de fé e esperança, poeta Ricardo!
    Muito obrigada pela gentileza de aderir a proposta da Elvira aos cuidados da Teresa Dias que me indicou seu nome para enviar um motivo de alento neste tempo pandêmico. Achei louvável a iniciativa delas e a sua de valorizar o que recebeu.
    Gentileza gera gentileza.
    Muito obrigada pelo seu carinho incentivador.
    Tenha dias abençoados!
    Abraços fraternos de paz e bem

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Rosélia
      Fica aqui o seu contributo poético
      Obrigado
      Abraço

      Eliminar
  2. Um belo e sentido poema.
    Abraço e saúde

    ResponderEliminar
  3. Que lindas palavras e poesia da Roselia! Adorei! abraços aos dois! chica

    ResponderEliminar
  4. Há palavras que lemos e não nos deixam indiferentes.
    Gostei muito destas bonitas palavras vindas do outro lado do Atlântico.

    Um abraço para os dois.

    ResponderEliminar
  5. Palavras belas, vindo de um coração que tão bem vive o Amor e a poesia.
    Abraço a ambos.

    ResponderEliminar
  6. Palavras escritas com o coração.
    É assim, linda, a amiga Roselia. Amiga de verdade!
    Dois beijos.

    ResponderEliminar

Eu fiz um Pacto com a minha língua, o Português, língua de Camões, de Pessoa e de Saramago.