A paixão nua e cega dos estios, Atravessou a minha vida como rios

Sophia de Mello Breyner Andresen, A Paixão Nua, in “O Nome das Coisas”.

sexta-feira, 13 de novembro de 2015

SIC Abandonados - Foguete / Sotavento

“Os Abandonados foram conhecer a história”. O comboio Foguete que ligava Lisboa ao Porto nos anos cinquenta…

16 comentários:

  1. As memórias devem continuar vivas Ricardo!
    bom dia de sábado para amanhã :)
    Angela

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ângela, há coisas que podiam ser mais que memórias se houve interesse em mantê-las vivas e não destruí-las... podiam, simplesmente, modernizar-se, não ???

      Obrigado

      Eliminar
  2. Respostas
    1. Este programa é no geral muito bom !!!

      Obrigado Maria

      Eliminar
    2. Duas das que muito gostei de ver foram as fábricas MACONDE e FAMEL.
      Tanta coisa boa que tinhamos e que desapareceram.

      Eliminar
    3. A Famel há-de passar por aqui em breve !

      Obrigado Maria

      Eliminar
  3. O Foguete ou Rápido, como era conhecido, foi um transporte ferroviário que revolucionou a ligação Porto- Lisboa. Nunca viajei nele mas lembro-me bem do quanto se falava neste comboio.
    É certo que tudo tem a sua época e com a evolução dos novos tempos, muito do que foi a coqueluche, passa a obsoleto.
    Poderíamos era saber preservar as nossas relíquias de um tempo que faz parte da nossa História.
    Agradeço a partilha destes "Abandonados", Ricardo!
    Aqui viajou o General Humberto Delgado, conforme estou a ouvir enquanto escrevo.
    Esta Reportagem não vi na TV.

    Fica bem e tem um excelente fim de semana.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também nunca andei nele, mas lembro-me de o ver passar no apeadeiro da vila onde os meus Pais moravam.
      Poderíamos e deveríamos preservar sim !

      Obrigado Janita

      Eliminar
  4. Olá Ricardo
    Sabes que Ermesinde chegou a ser uma das principais centros ferroviários do país?!... Era uma Estação muito importante, por ser o ponto de bifurcação das linhas do Minho e Douro. A Estação onde todos os comboios paravam para deixar os passageiros que vinham do Douro e queriam seguir para o Minho e vice.versa e que os ligavam ao Porto e ao Sul.
    Por esse facto e por estar perto de Contumil e Porto, viviam em Ermesinde uma grande parte da população ferroviária.
    Era o local onde as máquinas a vapor se abasteciam de água e até de carvão.
    Desde os anos 40 aos anos 60 eu chegava a fazer diariamente 4 viagens por dia e por isso passei por todas as fases dos diversos tipos de locomotivas, carruagens e composições !
    Claro que o "Foguete" era na altura "a jóia da coroa" ! :)

    Contudo e também por ter acompanhado toda essa evolução, não sou saudosista ! Acho que "cada tipo" teve o seu lugar na história dos transportes, teve o seu aparecimento, o seu ponto alto e a sua morte !
    Acho que "nem pensar" em "recuperações" ! Quando muito, preservar uma "peça de Museu" para a história e mais nada !
    Só me surpreende ainda não terem dado um destino definitivo, para a sucata, a essas antiguidades obsoletas e hoje sem o menor interesse. Neste caso como no caso dos carris das linhas desactivadas, que fizeram enriquecer o "sucateiro" que hoje ainda anda a contas com a justiça ! :)

    Abraço !

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tens conhecimentos da tua experiência de via interessantes. Eu sempre gostei de ir ver os combóios com o meu Pai, quando era miúdo. Ainda me lembro de ter visto, pelo menos uma vez uma locomotiva a vapor. Já não circulavam na altura, mas a vez que a vi deveria ter passado pelo apeadeiro de Moscavide, sei lá porquê !

      O Foguete vi-o algumas vezes, obviamente, é do meu tempo. Uma revolução tecnológica em Portugal, na altura.

      Recuperação acho dificil sim, mas algo devia ser feito e não deixar estas coisas morerem sem lhes fazermos a justica devida.

      Um Abraço Rui

      Eliminar
  5. Uma boa partilha, esta reportagem. Gostei. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estas reportagens da SIC "Abandonados" são normalmente muito educativas e interessantes. Põem em questão algumas situações que nos devemos questionar sobre.

      Obrigado Luísa

      Eliminar

  6. ♫ Olha o foguete, ó ó ó
    Olha o foguete, ó ó ó
    Não vai à lua nem quer lá chegar
    Olha o foguete, ó ó ó
    Olha o foguete, ó ó ó
    Toma o bilhete pra ir e voltar! ♫

    Beijinhos musicais
    (^^)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho uma boa resposta para amenizar um tema triste, como mais um dos temas dos "Abandonados".
      São temas tristes, mas não deixa de ser importante chamar de novo a atenção para eles !

      Obrigado pela música !

      Eliminar
  7. O meu avô paterno era ferroviário.
    Foi o comboio que lhe decepou braço direito.
    Tudo o que diz respeito aos comboios mexe sempre comigo.
    Aquele abraço, boa semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acredito Pedro, depois do que infelizmente aconteceu au teu avô !

      Obrigado e um abraço

      Eliminar

Eu fiz um Pacto com a minha Língua, o Português, língua de Camões e de Pessoa.