Contigo nunca me perco, perdendo-me !!!... (Ricardo Santos)

quarta-feira, 30 de julho de 2014

Lisboa (XIX) – À volta da Avenida da República

(Dados Biográficos In Wikipédia e/ou In AllMusic.Com - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos)

Esta é a segunda parte da minha manhã do dia 6 de Dezembro de 2009, na Avenida da República e nas ruas transversais. Rapidamente, fiz 150 fotografias. Nesta e na semana que passou, publiquei aqui os dois “videoclip” habituais, onde mostrei/mostro alguns prédios recuperados e limpos, e outros em “vias de extinção”, todos eles à volta desta avenida.
Sobre os degradados, direi somente que é uma questão homicídio voluntário, praticado por quem não ama a sua cidade. Eles vão cair, é uma questão de tempo.

Musicalmente e a acompanhar os meus instantâneos digitais, a música “If I Could”, do álbum “First Circle” (1984), do Pat Metheny Group, editado para a ECM Records GmbH.

Pat Metheny – Guitarras;
Steve Rodby – Baixos;
Lyle Mays – Teclas;
Pedro Aznar – Guitarras, percussão, vocais; e
Paul Wertico - Bateria

segunda-feira, 28 de julho de 2014

Jazz Standards (CXXI)

(Dados Biográficos In Wikipédia e In AllMusic.Com - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos)

(Sobre o tema em questão, algumas palavras retiradas de “in
http://www.jazzstandards.com/compositions/index.htm” - adaptação e tradução por Ricardo Santos)

East of the Sun (and West of the Moon) (#125) - Música e Letra de Brooks Bowman
Esta composição “standard” teve uma modesta introdução. Ela fazia parte da produção “Stags at Bay”, de 1934, no “Princeton University’s Triangle Club”. Uma banda de música de dança, da Costa Oeste, dos Estados Unidos, tornou-a número um, das tabelas de vendas, no ano seguinte:

Tom Coakley e a sua orquestra (1935, Carl Ravazza, vocal, Nº. 1)

O “Triangle Club” foi o sucessor da “Princeton College Dramatic Association”, fundada em 1883. O clube encenava, anualmente, uma produção, e para o espectáculo de 1934-1935, o estudante de “Princeton”, Brooks Bowman (da classe de 1936) compôs a música e a letra. O espectáculo recebeu críticas muito positivas durante a digressão, e culminou com duas apresentações completamente esgotadas, em New York.

Jane Monheit (Oakdale, Long Island, EUA, 03-11-1977 - 20xx) – Gravada ao vivo, na “Iridium Records”, com Jane Monheit  (voz), Lou Pallo (guitarra), Nicki Parrott (contrabaixo) e John Coliani (piano).


Stacey Kent (South Orange, New Jersey, EUA, 27-03-1965 – 20xx) – do álbum “Love Is The Tender Trap”, de 1999.


Scott Hamilton (Providence, Rhode Island, EUA, 12-09-1954 - 20xx) – 27 de Agosto de 2009 no “Jazzland”, Viena (Áustria). Com Scott Hamilton (saxofone), Herbert Swoboda (piano), Martin Spitzer (guitarra), Hans Strasser (contrabaixo) e Walter Grossrubatscher (bateria).


Mundell Lowe (Laurel, Mississippi, EUA, 21-04-1922 – 20xx) e Frank Potenza (Providence, Rhode island, EUA, nn-nn-nnnn – 20xx) - Frank Potenza (guitarra), Mundell Lowe (guitarra), Rob Thorsen (contrabaixo) e Ramon Banda (bateria). Tributo ao grande Joe Pass. Gravado em 31 de Janeiro de 2013, actuação lembrando o nascimento de Joe Pass, na “First Christian Church Oceanside”, California, EUA.


Letra

East of the sun and west of the moon
We'll build a dream house of love dear
Close to the sun in the day
Near to the moon at night
We'll live in a lovely way dear
Sharing our love in the pale moonlight
Just you and I, forever and a day
Love will not die; we'll keep it that way
Up among the stars we'll find a harmony of life to a lovely tune
East of the sun and west of the moon dear
East of the sun and west of the moon

Lamento, algumas eventuais falhas nas letras, encontradas na Internet, devido à própria improvisação dada pelos seus intérpretes, e muitas vezes de difícil entendimento. (Ricardo Santos)

sábado, 26 de julho de 2014

Ribamar na personagem de Bebete Ilário

O excelente actor e humorista brasileiro Tom Cavalcante

Sexo aos 87 anos - Interacção Humorística (CXXV)

Em 08-07-2011. Obrigado.

Sexo aos 87 anos

Um velhote de 87 anos pergunta ao médico:

- Doutor, na minha idade em que posição devo fazer sexo?

Médico:
- Tipo cão!

Velhote:   
- Tipo dar por trás?

Médico:

- Não! É só cheirar e lamber!

quinta-feira, 24 de julho de 2014

Prémio Valmor, Ano de 1914, Avenida Fontes Pereira Melo 28

No ano de 1914 o Prémio Valmor também foi atribuído a uma moradia unifamiliar na Av. Fontes Pereira de Melo, 28 pertencente a José Marques e cuja arquitectura se deve ao Arquitecto Manuel Norte Júnior. A escolha deste prémio impôs-se pela "originalidade e disposição engenhosa da fachada principal e pela exuberância da decoração". Bem conservada. Funcionam aqui os Serviços do Metropolitano de Lisboa.

Encontra-se na Avenida Fontes Pereira de Melo, do lado direito quem sobe da Praça Marquês de Pombal, em direcção à Praça Duque de Saldanha, fazendo esquina com a Rua Andrade Corvo.


Arquitecto Manuel Joaquim Norte Júnior (1878-1962):

“Natural de Lisboa, curso a Escola de Belas-Artes desta cidade, onde se formou com distinção. Seguiu depois para Paris, onde, como pensionista do Legado Valmor, frequentou o “atelier” Pascal (1) e satisfez provas que o habilitaram também com o diploma francês. Completou a sua formação com viagens de estudo através da própria França, Bélgica e Espanha, digressões demoradas e atentas, fixadas em muitos aspectos por magníficos desenhos que lhe forneceram elementos e sugestões para a temática decorativa e compositiva da sua obra.
Na década de trinta, desfrutando o apogeu da sua carreira, subscreveu os prédios construídos, na Avenida António Augusto de Aguiar, N.º 100; na Avenida da República, N.º 71; na Avenida Rodrigues Sampaio, N.º 158; na Avenida Ressano Garcia, N.º 24, e os dois prédios da Avenida de Berne, N.º 6 e 8.
Respeitante aos anos de 1905, 1912, 1914, 1915 e 1927, obteve o Prémio Valmor, respectivamente, com os edifícios da Avenida Cinco de Outubro, N.º 6-8, Alameda das Linhas de Torres, N.º 22 (semidemolido, hoje em ruínas, somente com as fachadas em pé!), Avenida Fontes Pereira, N.º 28, Avenida da Liberdade, N.º 206-218, e ainda com o da mesma artéria, N.º 176-180.
Nos anos de 1908 e 1912 foi distinguido com Menções Honrosas do mesmo Prémio, pelos prédios situados, respectivamente, na Avenida da República, N.º 45, tornejando para a Avenida Visconde Valmor (já demolido, em 1949/1950!), e na Praça Duque de Saldanha, N.º 12, tornejando para a Avenida Praia da Vitória, N.º 44, este existente e bem conservado (começa a apresentar sintomas de degradação!).”

In Bairrada, Eduardo Martins, “Prémios Valmor 1902-1952”, Edição 1988, CML. (sic)*

*http://www.priberam.pt/dlpo/sic
*sic |síque| (palavra latina) Advérbio: Sem alteração nenhuma; tal e qual. = ASSIM
(1) - Jean-Louis Pascal (04-06-1837 – 17-05-1920) foi um arquitecto francês.

Acontecimentos referentes à década:

1910 – Instauração da República.
1910 (até este ano) - Realiza-se na zona do Campo Grande uma das mais importantes feiras de Lisboa;
1914 – Projecto de monumento ao Marquês de Pombal por F. Santos, A. Couto e A. Bermudes;
1914/18 – Primeira Guerra Mundial;
1919 – Início das obras no Bairro Social do Arco Cego.

As 13 primeiras fotos, a seguir à imagem do Google MAP, são de 2008 e as seguintes de 2013.


Próxima publicação dia 14-08-2014 com o Prémio Valmor de 1915, na Avenida Liberdade 216-218. Foi arquitectado por Manuel Joaquim Norte Júnior.

terça-feira, 22 de julho de 2014

Duas composições dos álbuns mais vendidos (XI)

(Dados Biográficos In Wikipédia e/ou In AllMusic.Com - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos)

GBR, O Fantasma da Ópera, “Phantom Of The Opera” e “Think Of Me”, “O Fantasma da Ópera, 1986, Musical Teatro.

Editado 1986, um dos álbuns de maior sucesso de todos os tempos, e por indicação do “Guiness Book of World Records” com vendas de cerca de 40 milhões de unidades. “O Fantasma da Ópera” (“The Phantom of the Opera”) é um musical composto por Andrew Lloyd Webber, baseado no romance homónimo de Gaston Leroux. As músicas foram escritas por Andrew Lloyd Webber, com letras de Charles Hart e Richard Stilgoe. Um espectáculo que está em exibição há 26 anos no “Her Majesty’s Theatre”, Haymarket, Londres.

Abaixo da majestade e esplendor da Ópera de Paris, o fantasma esconde uma existência sombria. Envergonhado pela sua aparência física e temido por todos, o amor que ele tem pela sua linda e protegida Christine Daaé é tão forte que até mesmo o seu coração não pode resistir.
O musical estreou no “Her Majesty’s Theatre”, em 9 de Outubro de 1986 com Michael Crawford e Sarah Brightman nos papéis principais, e desde então, têm havido dezenas de produções em todo o mundo. Agora no seu 26º. Ano, “The Phantom of the Opera” continua a cativar o público, em West End (Haymarket), Londres, mesmo depois de mais de 10 mil apresentações.
Espectáculo hipnotizante, escrito por Andrew Lloyd Webber, conjuntamente com paisagens de nos deixar de queixo caído e efeitos especiais de tirar o fôlego, combinam-se, magicamente, para nos trazer ao palco esta trágica história de amor.

http://www.thephantomoftheopera.com/london

O Fantasma da Ópera, na gala de celebração do 50º. Aniversário de Andrew Lloyd Webber, em Abril de 1998, no Royal Albert Hall, com Sara Brightman e Antonio Banderas.


Think Of Me

sexta-feira, 18 de julho de 2014

Bobby Womack – Jazz Singers (XXIV)

(Dados Biográficos In Wikipédia e/ou In AllMusic.Com - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos)

Bobby Womack (Cleveland, Ohio, EUA, 04-03-1944 – 27-06-2014) – Foi um cantor, compositor e músico norte-americano. Um artista desde o início da década de 1960, quando começou a carreira, como vocalista do grupo musical familiar “The Valentinos” e, como guitarrista, de Sam Cooke. Durou a carreira, mais de 50 anos e estendeu-se por um enorme reportório de estilos: R&B, Ssoul, Rock & Roll, Doo-Wop, Gospel e Country.
Womack escreveu e gravou pela primeira vez, o sucesso Nº.1, dos “Rolling Stones” no Reino Unido, "It’s All Over Now", e a composição "I Can Understand It" do grupo “New Birth's”, entre outras canções. Como cantor, teve os seus grandes sucessos: "Lookin 'For a Love", "That's The Way I Feel About Cha", "Woman's Gotta Have It", "Harry Hippie", "Across 110th Street" e o seu êxito, de 1980, "If You Think You're Lonely Now".
Em 2009, Womack entrou para o “Rock and Roll Hall of Fame”.
Nascido de sua mãe Naomi Womack e de seu pai Friendly Womack foi criado em Cleveland’s East 85 e Quincy. Womack foi o terceiro de cinco irmãos. Criados de tendência “Baptista”, a mãe tocava órgão na igreja e seu pai era pastor e músico, muitas vezes conhecido por tocar guitarra.
Embora ele tenha aconselhado os seus filhos a não mexer na guitarra enquanto ele estava fora, uma noite, Bobby de oito anos de idade, que a tocava muitas vezes, na ausência do pai, partiu-lhe, nessa noite, uma corda. Após Friendly, seu pai, ter substituído a corda com um atacador, ele deixou Bobby tocar o instrumento. De acordo com palavras de Bobby Womack, o pai ficou perplexo com o talento do filho, bem como, com os talentos dos seus outros filhos. Comprou-lhe uma guitarra e formou a banda “Womack Brothers”. O grupo percorreu, o círculo religioso que professava, com os pais que os acompanhavam no órgão (mãe) e na guitarra (pai). Em 1954, o grupo gravou e lançou o seu único single, "Buffalo Bill". Bobby tinha apenas dez anos de idade na época.
Bob Womack morreu na passada sexta-feira, dia 27 de Junho de 2014, com 70 anos de idade. 

I Wish He Didn't Trust Me So Much


Woman's Gottta Have It


No Matter How High I Get, com Altrinna Grayson


Lookin' For A Love e, If You Think You're Lonely Now, em Londres, 27 de Novembro de 2012

quarta-feira, 16 de julho de 2014

Lisboa (XVIII) – Estação Ferroviária de Santa Apolónia

(Dados Biográficos In Wikipédia e/ou In AllMusic.Com - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos)

A Estação de Santa Apolónia localiza-se no centro de Lisboa, bastante perto do bairro da Alfama e a 15 minutos (a pé) da Praça do Comércio. Aqui a linha do Norte tem o seu término, é a mais antiga estação ferroviária da cidade.
Actualmente servida pela CP é ponto de partida de diversos comboios tanto a nível nacional (Alfa Pendular, Intercidades, InterRegional e Regional) como a nível internacional (Sud-Express Lisboa-Paris e Lusitânia Comboio-Hotel Lisboa-Madrid).
Além destes serviços, conta ainda com o serviço suburbano da CP Lisboa Santa Apolónia - Azambuja.
No seu exterior, conta com ligação a diversos autocarros da Carris, bem como ao Metropolitano de Lisboa.
A estação está construída no local onde existiu o convento de Santa Apolónia.
Foi inaugurada em 1 de Maio de 1865 com um só andar. Em 1908 é aprovado o projecto para a sua ampliação. A ligação à linha de Cascais nunca se chegou a realizar.
Em Dezembro de 2007, a estação passou a estar ligada à rede do metropolitano de Lisboa (Linha Azul).

Acompanha-nos musicalmente a extraordinária banda de Glenn Miller, com a música “Chattanooga Choo Choo” que foi tocada pela primeira em 1941, no filme “Sun Valley Serenade”, com Sonja Henie, John Payne, Glenn Miller, The Modernaires, Milton Berle e Joan Davis. Era tocada no filme com as vozes de Tex Beneke, Paula Kelly e ainda com uma sequência de dança e sapateado pelos “The Nicholas Brothers”. Ela foi número nos Estados Unidos no dia 7 de Dezembro de 1941. A gravação de Glenn Miller para a RCA (Bluebird B-11230-B, foi primeiro no “Billboard Best Sellers” durante nove semanas. A versão comercial do 78 r.p.m. (78 rotações) desta canção foi gravada em 7 de Maio de 1942, para a editora RCA Victor’s, etiqueta Bluebird, e tornou-se disco de ouro em Fevereiro de 1942, com vendas de 1.200.000.


Sobre Glenn Miler

Alton Glenn Miller (Clarinda, 01-03-1904 — 15-12-1944) foi um músico de jazz norte-americano e chefe de orquestra na era do “Swing”. Ele foi um dos artistas que vendeu mais entre 1939 e 1942, à frente de uma famosíssima orquestra.
Após ter estudado na Universidade de Colorado, em 1926 Miller transformara-se num trombonista profissional na banda de Ben Pollack. Por volta de 1930, já era um reconhecido músico independente em New York. Mais tarde transformou-se num organizador de orquestras ligeiras masculinas, sobretudo a dos irmãos Dorsey, iniciada em 1934, e de Ray Noble, organizada em 1935. Depois de ter tentado, infrutiferamente, formar a sua própria orquestra em 1937, acabou por o conseguir no ano seguinte. Em finais de 1939 era já um famoso director de orquestra ligeira. Ingressou no exército americano durante a 2.ª Guerra Mundial, tendo-lhe sido dado o posto de capitão, sendo promovido mais tarde a major e a director da banda da Força Aérea do Exército dos Estados Unidos na Europa. Ao voar de Inglaterra para Paris, o avião onde viajava, desapareceu, não tendo os corpos nem os destroços dos ocupantes do avião sido avistados ou recuperados.

…com The Nicholas Brothers e Dorothy Dandridge:

segunda-feira, 14 de julho de 2014

Jazz Standards (CXIX)

(Dados Biográficos In Wikipédia e In AllMusic.Com - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos)

(Sobre o tema em questão, algumas palavras retiradas de “in
http://www.jazzstandards.com/compositions/index.htm” - adaptação e tradução por Ricardo Santos)

Little Girl Blue (#124) - Música de Richard Rodgers e Letra de Lorenz Hart
“The Hippodrome”, era um teatro gigantesco que abriu em New York, em 1905, como um local para grandes produções (“larger than life!”). Foi o extravagante produtor e empresário Billy Rose, que concebeu um espectáculo – em parte comédia estilo “Broadway”, em parte Circo, em parte Carnaval - para preencher “The Hippodrome”. Foi a produção mais cara que a Broadway já alguma vez tinha visto. Ele assinou com o compositor Richard Rodgers e o letrista Lorenz Hart, para criarem todas as músicas/letras de “Jumbo”.
O argumento tinha como história, a rivalidade entre dois proprietários de circo cuja filha e filho, respectivos, se apaixonavam.
Jimmy Durante desempenhou o papel de agente do elefante do circo “Jumbo”, e o espectáculo abria com a orquestra de Paul Whiteman, com ele montado no dorso do elefante, chamado Jumbo.
Gloria Grafton, interpretava o papel de Mickey Considine, a filha de um dos empresários, cantou "Little Girl Blue", uma das três canções populares do espectáculo que incluiu "My Romance" e "The Most Beautiful Girl in the World" O musical, o último a ser exibido no “The Hippodrome”, inaugurado em 1935, durou 253 exibições. O teatro gigante, do outro lado da rua, do Hotel Algonquin, foi destruído e substituído, por uma garagem.

Nina Simone (Tryon, North Carolina, EUA, 21-02-1933 — Carry-le-Rouet, França, 21-04-2003)


Chet Baker (Yale, Oklahoma, EUA, 23-12-1929 – Amsterdão, Holanda, 13-05-1988) – Enrico Pieranunzi (piano)


Janis Joplin (Port Arthur, Texas, EUA, 19-01-1943 - Los Angeles, California, EUA, 04-10-1970) – Em 1969, no espectáculo “Tom Jones”.


John Lewis (La Grange, Illinois, EUA, 03-05-1920 - New York, EUA, 31-03-2001) e Sasha Distel (Paris, França, 29-01-1933 - Rayol-Canadel, França, 22-07-2004) – Com Sacha Distel (guitarra), John Lewis (piano), Barney Wilen (saxofone tenhor), Percy Heath (contrabaixo) e Kenny Clark (bateria). Paris, 4 e 7 de Dezembro de 1956.


Letra

Sit there and count your fingers
What can you do, little girl you're through
Sit there, count your little fingers
Unhappy little girl blue
Sit there and count the raindrops
Falling on you, it's time you knew
All you can ever count on are the raindrops
That fall on little girl blue
Won't you just sit there
Count the little raindrops falling on you
Cause is time, you knew all you can ever count on
Are the raindrops that fall on little girl blue
Ain't no use old girl, ain't no use old girl
You might as well surrender
'Cause your hopes are getting slender
'Cause your hopes are getting slender
Why won't somebody send a tender blue, blue boy
Won't somebody send a little tender blue boy to cheer
To cheer a little girl blue

Lamento, algumas eventuais falhas nas letras, encontradas na Internet, devido à própria improvisação dada pelos seus intérpretes, e muitas vezes de difícil entendimento. (Ricardo Santos)

sábado, 12 de julho de 2014

Prémio Valmor, Ano de 1914, Campo Grande 382

Terceira Menção Honrosa foi para uma moradia unifamiliar, situada no Campo Grande 382, pertencente a Artur Magalhães com arquitectura de Álvaro Machado (1874-1944). Nesta escolha o júri considerou que as "duas fachadas de estilização portuguesa recomendam-se". Actualmente é o Museu Rafael Bordalo Pinheiro.

Situa-se no final do Campo Grande, do lado direito quem vai da Praça de Entrecampos, pela faixa lateral, em direcção á Alameda das Linhas de Torres, um pouco antes dos últimos semáforos do Campo Grande.


 Arquitecto Álvaro Augusto Machado (1874-1944):

“Natural de Lisboa e filho do cenógrafo Eduardo Machado, o decorador do Coliseu dos Recreios, matriculou-se na Escola de Belas-Artes em1889, concluindo o curso de Arquitectura com distinção, em 1897. Um projecto académico por si elaborado da estação terminal de Caminhos-de-Ferro foi premiado em 1908, no Grémio Artístico, integrado na Exposição Comemorativa do IV Centenário do Caminho Marítimo para a Índia.
Autor do edifício da Sociedade Nacional de Belas Artes, na Rua Barata Salgueiro
Artista considerado no seu tempo, do seu risco são ainda os túmulos do visconde de Valmor, a que já demos devido destaque, e o de Alfredo da Cunha, figura grada do jornalismo português, ambos no cemitério do Alto de São João e do Arq.º Domingos Parente da Silva, erguido pelos seus admiradores, no Cemitério da Ajuda. Também o Monumento a Eduardo Coelho, o fundador do “Diário de Notícias”, no Jardim de São Pedro de Alcântara e aos mortos da Grande Guerra, em Lamego, são peças da sua autoria.
Foi durante vinte anos professor de Desenho, no Instituto Superior Técnico.
Obteve o Prémio Valmor de 1919 pelo edifício construído na Av. Duque de Loulé, N.º 47, já demolido, e uma Menção Honrosa, respeitante a 1914, com o prédio da Rua Oriental do Campo Grande, N.º 382, onde é hoje o Museu Municipal de Rafael Bordalo Pinheiro.”

In Bairrada, Eduardo Martins, “Prémios Valmor 1902-1952”, Edição 1988, CML. (sic)*

*http://www.priberam.pt/dlpo/sic
*sic |síque| (palavra latina) Advérbio: Sem alteração nenhuma; tal e qual. = ASSIM
Acontecimentos referentes à década:

1910 – Instauração da República.
1910 (até este ano) - Realiza-se na zona do Campo Grande uma das mais importantes feiras de Lisboa;
1914 – Projecto de monumento ao Marquês de Pombal por F. Santos, A. Couto e A. Bermudes;
1914/18 – Primeira Guerra Mundial;
1919 – Início das obras no Bairro Social do Arco Cego.

As 12 primeiras fotos, a seguir à imagem do Google MAP, são de 2008 e as seguintes de 2013.


Próxima publicação dia 24-07-2014 com o Prémio Valmor de 1914, na Avenida Fontes Pereira de Melo 28, a moradia conta como inquilino, os “Serviços do Metropolitano de Lisboa”. Foi arquitectado por Manuel Joaquim Norte Júnior.

quinta-feira, 10 de julho de 2014

Duas composições dos álbuns mais vendidos (X)

(Dados Biográficos In Wikipédia e/ou In AllMusic.Com - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos)

GBR/EUA, Fleetwood Mac, “Dreams” e “Don't Stop”, Rumours, 04/02/1977, Soft Rock

Editado 04-02-1977, “Rumours” é o 11º álbum de estúdio do grupo de “Rock” anglo-americano “Fleetwood Mac”. Gravado em 1976, foi produzido pela banda, conjuntamente, com Ken Caillat e Richard Dashut para a editora “Warner Bros. Records”. O disco alcançou o topo das tabelas de venda “Billboard” nos Estados Unidos e da “UK Albums Chart” no Reino Unido. Quatro canções do disco, "Go Your Own Way", "Don't Stop", "Dreams" e "You Make Loving Fun", foram editadas, como “singles”. Vencedor do prémio “Grammy” de “Álbum do Ano”, “Rumours” vendeu mais de 40 milhões de cópias em todo mundo, recebeu 19 discos de platina da “RIAA” nos Estados Unidos e transformou os “Fleetwood Mac” em superestrelas mundiais do “Rock”.

Dreams


Don't Stop

terça-feira, 8 de julho de 2014

domingo, 6 de julho de 2014

Os Festivais das Canções (1990)

(Dados Biográficos In Wikipédia e/ou In AllMusic.Com - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos)

Vou andar por aqui a mostrar um pouco da música dos Festivais da Canção, o da RTP e o da Eurovisão. Ouvirão e verão, sempre que haja vídeo no Youtube , os três primeiros lugares de cada um deles.

Euro Festival 1990, em 5 de Maio, Zagreb (Jugoslávia).

1º. Toto Cutugno (07-07-1943) - Insieme


Houve neste Festival da Eurovisão, dois segundos lugares, partilhados por:

2º. Liam Reilly (29-01-1955) - Somewhere in Europe


2º. Joëlle Ursull (09-11-1960) - White and Black Blues


Festival RTP da Canção de 1990, em 10 de Março. Casino do Estoril.

1º. Nucha (21-06-1966) – Há Sempre Alguém


2º. Karamurú (19??) - Essência da Vida


3º. Toy (10-02-1963) - Mais e Mais

quarta-feira, 2 de julho de 2014

Os Festivais das Canções (1989)

(Dados Biográficos In Wikipédia e/ou In AllMusic.Com - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos)

Vou andar por aqui a mostrar um pouco da música dos Festivais da Canção, o da RTP e o da Eurovisão. Ouvirão e verão, sempre que haja vídeo no Youtube , os três primeiros lugares de cada um deles.

Euro Festival 1989, em 6 de Maio, Lausana (Suiça).

1º. Riva (1988 – 1991) – Rock Me


2º. Live Report (19??) - Why Do I Always Get it Wrong?


3º. Birthe Kjær (01-09-1948) - Vi Maler Byen Rød


Festival RTP da Canção de 1989, em 7 de Março, no teatro Garcia de Resende, em Évora.

1º. Da Vinci (1982) - Conquistador


2º. Marina Mota (07-10-1962) - Partir de Mim


3º. Eccos (19??) - Assim Recordo-me de Ti