A paixão nua e cega dos estios, Atravessou a minha vida como rios

Sophia de Mello Breyner Andresen, A Paixão Nua, in “O Nome das Coisas”.

quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

Steps Ahead – Groups & Soloists of Jazz (XI)

(Dados Biográficos In Wikipédia e/ou In AllMusic.Com - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos)

Steps Ahead (1983 – 20xx) – Conhecidos por “Steps” é um grupo de “Jazz Fusion” e uma criação do vibrafonista Mike Mainieri. De acordo com as notas de 1983, o álbum de estreia do grupo, intitulava-se “Steps Ahead". O grupo “Steps” começaram a tempo parcial em 1979, no clube nocturno “7th Avenue South”, em Nova York. O grupo lançou as primeiras gravações no Japão, em 1980.
A primeira formação das etapas, do período 1979-1981, e como se pode ler no álbum ao vivo “Smokin' in the Pit”, era constituída por: Michael Brecker (saxofone tenor), Steve Gadd (bateria), Eddie Gomez (baixo), Don Grolnick (piano), Mike Mainieri (vibrafone) e um convidado especial Kazumi Watanabe (guitarra). Este álbum duplo ao vivo foi gravado em 15 e 16 de Dezembro de 1979, na “The Pit Inn”, em Tóquio e foi disco de ouro. A segunda gravação, em estúdio, foi feito no dia 17 de Dezembro de 1979, e chamava-se “Step By Step”. Este foi lançado, pouco tempo depois do primeiro “Smokin' in the Pit”, e de seguida foi a vez de, no Verão de 1980, ser editada, outra gravação ao vivo, chamada “Paradox”. Estes três álbuns (ver notas de Mike Mainieri no livreto do lançamento do CD de 1999, “Smokin' in the Pit”, foram os únicos álbuns lançados pelo grupo sob o nome de “Steps”. Em 1982, eles verificaram que o nome de “Steps” tinha sido registado por uma banda, na Carolina do Norte, e de seguida, mudaram o nome para “Steps Ahead”.
A formação dos “Steps Ahead” era: Mike Mainieri (vibrafone), Michael Brecker (saxofone tenor) , Eliane Elias (piano), Peter Erskine (bateria) e Eddie Gomez (baixo).
Os membros do grupo também incluiu Dennis Chambers (bateria), Warren Bernhardt (piano), Rachel Z (piano), Donny McCaslin (saxofone), Chuck Loeb (guitarra), Victor Bailey (baixo eléctrico), Tony Levin (baixo eléctrico), Bob Berg (saxofone), Darryl Jones (baixo eléctrico), Mike Stern (guitarra), Richard Bona (guitarra), e muitos outros.
Brecker e Mainieri são destaque nos “Dire Straits”, no álbum “Brothers in Arms”. Para os ouvintes de rock, os álbuns “Steps Ahead” (1983) e “Modern Times” (1984), com Warren Bernhardt a substituir Eliane Elias na formação principal, e outros músicos convidados que aparecem em papéis limitados,  são uma óptima ponte, para um tipo de Jazz, energético e poderoso. Refletindo a natureza de cooperação e interligação da banda, o álbum “Modern Times” incluiu composições de Mainieri, Brecker, Erskine, e Bernhardt .
Segundo o site NYC Records, a formação de 2007 que entrou em digressão, na altura, incluia: Mike Mainieri (vibrafone), Bill Evans (saxofone; não deve ser confundido com o pianista de jazz também chamado Bill Evans), Bryan Baker (guitarra), Anthony Jackson (baixo) e Steve Smith (bateria), ex-membro do grupo de “Rock” “Journey”. Em algumas actuações da digressão, Etienne Mbappe substitui Anthony Jackson no baixo.

In a Sentimental Mood / Trains, ao vivo, em Tokyo, Japão, a 30 de Julho de 1986. Com Michael Brecker (saxophone), Steve Smith (bateria), Mike Stern: (guitarra), Daryl Jones (baixo eléctrico) e Mike Manieri (vibrafone). A composição “Trains” pertence ao álbum “Magnetic” de 1986.


Oops, do álbum “Modern Times”, de 1984. Aqui, ao vivo, em Tokyo, Japão, a 30 de Julho de 1986. Com Michael Brecker (saxophone), Steve Smith (bateria), Mike Stern: (guitarra), Daryl Jones (baixo eléctrico) e Mike Manieri (vibrafone).


Safari, do álbum “Modern Times”, de 1984. Aqui no Festival de Jazz de Umbria (Itália), em 1985, com Michael Brecker (saxofone), Chuck Loeb (guitarra), Mike Mainieri (vibrafone), Victor Bailey (baixo eléctrico) e Peter Erskine (bateria).


Radio Active, do álbum “Modern Times”, de 1984. Com Michael Brecker (saxofone), Eddie Gomez (contrabaixo), Peter Erskine (bateria), Mike Mainieri (vibrafone) e Chuck Loeb (guitarra).

6 comentários:

  1. Mais uma novidade, Ricardo.
    E, como sempre, das boas.
    Grande abraço!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vou trazendo, das que conheço e as que acho importantes ! É sempre bom ouvir coisas diferentes.
      Obrigado Pedro

      Eliminar
  2. Não conhecia, Ricardo ! :(((( ... Sou um autêntico ignorante nestas coisas ! :(((
    Vou ficando a saber ao passar por aqui ! Valha-me isso ! :))

    Abraço ! :))))
    .

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ignorantes somos todos até conhecermos e apreendermos coisas novas e diferentes do normal dia a dia. Outras músicas, outras artes, outras pessoas !
      Obrigado Rui

      Eliminar

  3. Ora cá está o minimal repetitivo... :D
    (Quem sabe um dia me habituo!)

    Já conhecia este grupo... e gosto desse segundo tema, o "Oops", um tema bastante alegre e com uma linha bastante melodiosa.


    Beijinhos uns passos à frente
    (^^)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Este grupo é/foi um dos grandes grupos de jazz de sempre. Digo foi porque o seu saxofonista e um dos fundadores, Michael Brecker, morreu precocemente e infelizmente, com leucemia, em Janeiro de 2007, com 57 anos, e com ele perdeu-se muita magia e carisma que a banda tinha.
      No entanto, ainda hoje Mike Manieri leva a banda para a frente. Há dois álbuns essenciais, para ouvir, do grupo. São eles: Steps Ahead (1983) e Modern Times (1984).
      Obrigado Afrodite

      Eliminar

Eu fiz um Pacto com a minha Língua, o Português, língua de Camões e de Pessoa.