A paixão nua e cega dos estios, Atravessou a minha vida como rios

Sophia de Mello Breyner Andresen, A Paixão Nua, in “O Nome das Coisas”.

domingo, 2 de fevereiro de 2014

Desejo de Grávida - Interacção Humorística (CXV)

Em 20-05-2011. Obrigado.

Desejo de Grávida

A esposa, grávida, acorda durante a noite e chama o marido:

- Amor... Amooorrr!
- Hummmm?!
- Acorda!
- Hummm?!
- Acoorda!

Desorientado e assustado, o marido levanta-se e pergunta:

- O que é que aconteceu?!
- Estou com um desejo...
- Desejo?
- Sim... De comer carne de corvo...
- Corvo? Mas onde é que eu vou arranjar um corvo agora a esta hora?
- Vai ao Jardim Zoológico...
- Estás maluca! Não vou agora ao Zoológico. Vou mas é pintar um frango de preto e depois comes.
- Não como carne de corvo, porque não me satisfazes o desejo, mas vais-te arrepender se o nosso filho nascer com carinha de corvo.

Passam-se nove meses, chega o dia do parto e, quando o homem vai ver o seu querido filho, vê que o seu herdeiro é pretinho, mesmo pretinho. Meio apanhado, cheio de remorsos, corre para casa da mãe a lamentar-se:

- Mãe, eu não quis dar carne de corvo à Isabel quando ela estava grávida e ela sentiu esse desejo e agora o meu filho nasceu preto, como um corvo.

A mãe, bem-humorada, consola o filho que está num pranto:

- Não chores meu filho... Quando eu estava grávida de ti, tive desejo de comer carne de boi, não consegui... E tu nasceste assim cornudo, mas só agora é que se nota.

2 comentários:

Eu fiz um Pacto com a minha Língua, o Português, língua de Camões e de Pessoa.