Contigo nunca me perco, perdendo-me ! (Ricardo Santos)

terça-feira, 30 de janeiro de 2018

Delfins (8) Vejam Bem

(Dados Biográficos In Wikipédia e/ou In AllMusic.Com - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos)

Músicas do CD Duplo “Os Filhos da Madrugada” editado em 27 de Abril de 1994, onde o Grande José Afonso, foi homenageado pelos artistas das principais bandas portuguesas. É também a minha homenagem a esta figura IMPORTANTÍSSIMA na vida musical portuguesa e no respeito que demonstrava e defendia pela liberdade de todos os cidadãos.

José Manuel Cerqueira Afonso dos Santos (Aveiro, 02-08-1929 – Setúbal, 23-02-1987)


 Desenho meu, feito a lápis de carvão, no ano de 1988, após a morte do Artista

Delfins (1984 – 2009, último concerto da banda)




Vejam bem
que não há só gaivotas em terra
quando um homem se põe a pensar
quando um homem se põe a pensar
Quem lá vem
dorme à noite ao relento na areia
dorme à noite ao relento no mar
dorme à noite ao relento no mar
E se houver
uma praça de gente madura
e uma estátua
e uma estátua de de febre a arder
Anda alguém
pela noite de breu à procura
e não há quem lhe queira valer
e não há quem lhe queira valer
Vejam bem
daquele homem a fraca figura
desbravando os caminhos do pão
desbravando os caminhos do pão
E se houver
uma praça de gente madura
ninguém vem levantá-lo do chão
ninguém vem levantá-lo do chão
Vejam bem
que não há só gaivotas em terra
quando um homem
quando um homem se põe a pensar
Quem lá vem
dorme à noite ao relento na areia
dorme à noite ao relento no mar
dorme à noite ao relento no mar

13 comentários:

  1. Não sendo grande fã dos Delfins gosto desta versão da balada do Zeca.
    Aquele abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estou de acordo contigo 100% !
      Também não sou grande fã, mas gosto da versão !
      Obrigado e Abraço Pedro

      Eliminar
  2. Nesta versão, ao vivo, os "Delfins" não estiveram no seu melhor! Gostava bastante da Banda e de Miguel Ângelo, continuando sua fã quando iniciou a carreira a solo. Mas não me cativou esta versão rockeira.

    A Balada é linda. Nada como a voz de Zeca Afonso, para nos fazer sentir o valor da mensagem, em toda a sua plenitude.

    Um abraço e obrigada, Ricardo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Janita é a tua opinião, que respeito ! Nós todos tentamos ouvir sempre pelo lado mais fácil e se, neste caso, a versão não é tão melodiosa como o original do Zeca, custa-nos a ouvir, mas não deixa de ser um boa composição criada por eles !
      Obrigado Janita

      Eliminar
  3. Esta versão dos Delfins, não a acho bem concebida. Sou suspeita, talvez, porque gostar tanto do Zeca.

    Beijinho Ricardo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A mesma resposta que dei à Janita, para ti !
      Obrigado Adélia

      Eliminar
  4. Uma diferença enorme entre o primeiro tema interpretada pelos Delfins que não gostei muito, já a do Zeca adoro, ainda hoje sei a letra de cor.
    Obrigada pela partilha Ricardo

    ResponderEliminar
  5. O meu comentário não entrou, mas dizia eu que não fiquei fã da primeira versão, já a segunda adorei, sei a letra de cor.
    Obrigada pela partilha Ricardo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A primeira versão dos Delfins, é algo diferente do habitual.
      Obrigado Manuela

      Eliminar
  6. Curioso (ou talvez não), que estou em concordância com os vários comentários.
    Já aqui tinha estado, ainda não havia comentários e preferi esperar para "ouvir" outras opiniões.
    Abraço, Ricardo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Rui, os Delfins fizeram uma versão estilizada, muito ao jeito do Miguel Ângelo, desta excelente composição do José Afonso. A versão é a sua homenagem ao Zeca, como foi a mensagem principal deste duplo CD em levar a música do Zeca ao conhecimento do público nas várias versões dos diferentes grupos.
      Obrigado

      Eliminar

Eu fiz um Pacto com a minha Língua, o Português, língua de Camões, de Pessoa e de Saramago.