Contigo nunca me perco, perdendo-me !!!... (Ricardo Santos)

sexta-feira, 31 de julho de 2015

Prevenção contra incêndios (II)

Regras Básicas para quando o incêndio ocorrer,...

1-   Não corra, nem entre em pânico, mas não perca tempo;
      2-   Dê o alerta de fogo a alguém, para que os Bombeiros sejam avisados;
      3-   Se souber, utilize o extintor portátil:

O extintor portátil poderá demorar entre 30 segundos a 1 minuto a ser totalmente descarregado;
Avance agachado e ataque o fogo na base da chama, com jactos intermitentes;
Num compartimento de uma casa, o extintor de pó químico e o fumo, são tais que existe muita dificuldade em verificar se o fogo foi extinto ou não;
Se não conseguir apagar o fogo, feche a porta do compartimento onde o fogo decorre, e chame de imediato os Bombeiros. 
Será muito mais seguro para a sua vida e a dos outros que possam estar envolvidos;
       
     4-   Faça sempre por ter o telefone dos Bombeiros sempre à mão.

Este é o vídeo mais conhecido e já visto, possivelmente por alguns de vós. Durante as minhas formações anuais de reciclagem das “brigadas de emergência”, na corporação de bombeiros onde elas decorrem, várias vezes foi simulada esta situação (dentro dum contentor onde existe uma cozinha improvisada !). Garanto-vos que é assustador quando se atira água para a frigideira/panela em fogo, ao lume…


Incêndio numa sala de estar. Tomem atenção ao relógio !

terça-feira, 28 de julho de 2015

Prevenção contra incêndios (I)

Vão ser duas pequenas publicações espaçadas de 3 dias cada.
Eu pertenço, na empresa onde trabalho, às brigadas de primeira intervenção (extintores !), e achei interessante relembrar um assunto extremamente importante, o fogo e a prevenção.

As regras são básicas, mas nem sempre nós as cumprimos. Pensamos sempre… “isto nunca vai acontecer comigo !”. Pois esqueçam isso e sejam rigorosos neste assunto. Da nossa rigorosidade e respeito pelas regras, poderá muitas vezes depender uma vida humana, que pode ser a nossa, ou a de um familiar ou amigo, já para não falar de uma casa devastada pelo fogo.

Os cigarros, a limpeza, a sobrecarga de tomadas eléctricas e as velas, devem ser hoje, maioritariamente, a causa da existência de incêndios dentro de uma casa.

Por isso, cigarros fumados com cuidado e apagados num cinzeiro de tamanho médio, de preferência de vidro, e limpo ao final do dia.

Limpeza das zonas de tomadas eléctricas onde o pó acumulado e provocar um incêndio. O cotão arde !!!

Fichas triplas ? …de preferência não ! Mas se tiver de ser, que seja somente uma. Não devemos sobrecarregar uma tomada eléctrica com n aparelhos lá ligados.

Velas acesas, dentro de uma casa, hoje é moda ou… Por isso, elas devem estar colocadas longe de materiais comburentes e dentro dos recipientes próprios para.

Os exemplos são estes pequenos vídeos, que não quero, de modo algum, com eles causar, medo ou “terror”. Escolhi-os porque demonstram bem aquilo que acontece quando não respeitamos regras. Apesar de estarem em inglês, são facilmente compreensíveis.
São situações de fogo em ambientes criados, e filmadas, para mostrar como pode ocorrer um incêndio.

A prevenção é muita vezes lógica e senso comum. As regras existem, devem ser cumpridas, não são paranóia !


Em conclusão com o que referi atrás e ainda, aos dois gráficos aqui expostos, gostaria de acrescentar que se pretenderem ter um extintor em vossas casas, o ideal é o Extintor de Pó Químico ABC. No quadro acima é o dito “Pó Polivalente” (Agente Extintor) e está classificado como Bom, nas três classes de fogo, A, B e C, porque ataca com sucesso os materiais existentes dentro dessas classes.

Vejam os vídeos, colham os ensinamentos e tentem perceber o que foi feito de mal para dar origem ao incêndio. Como já referi os tempos dos vídeos, são REAIS !!!

Os fumos, o monóxido de carbono, um fogo num quarto (bobina eléctrica simula um cigarro caído num sofá, ambiente criado)… em 2 minutos, a temperatura dentro deste quarto simulado é de 760º centígrados…


Estamos a chegar ao Natal. Antes de ligarem as luzes das vossas árvores, revejam as ligações e lâmpadas (curto circuito eléctrico, ambiente criado !)… vejam o relógio do filme…

domingo, 26 de julho de 2015

Traição reduzida - Interacção Humorística (CXLVI)

Em 23-12-2011. Obrigado.

Traição reduzida

O marido chega a casa e encontra a mulher na cama com um anão.

... - Maria, não tinhas prometido que nunca mais me traías?!

- Môr, eu tou a tentar... já ando a reduzir!!!

quarta-feira, 22 de julho de 2015

Jazz Standards (CXLII)

(Dados Biográficos In Wikipédia e In AllMusic.Com - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos)

(Sobre o tema em questão, algumas palavras retiradas de “in
http://www.jazzstandards.com/compositions/index.htm” - adaptação e tradução por Ricardo Santos)

Flamingo (#146) - Música de Theodor Grouya e Letra de Edmund Anderson
O vocalista Herb Jeffries cantou pela primeira vez este “standard” acompanhado da orquestra de Duke Ellington. Em meados de 1941 a composição disparou na tabela de vendas e subiu para 11º. Lugar.
Jeffries contou-nos, como uma noite em 1940, enquanto actuava com a banda de Duke Ellington no “Pearl Theater” em Filadélfia, um estranho se aproximou. Numa entrevista de 1993, com Don Ferguson para o “San Diego Union-Tribune”, Jeffries lembrou: «Eu estava a sair para jantar e este rapaz fez-me parar na porta do teatro e diz-me, com um sotaque francês, 'Monsieur Jeffries, eu sou Ted Grouya. O porteiro não me deixou entrar. Importa-se, por favor, de mostrar a minha música para Monsieur Ellington’. Eu disse: 'Tudo bem', e coloquei a pauta musical no meu bolso. Mais tarde, larguei-a na minha mesa, do quarto de vestir. O orquestrador e pianista Billy Strayhorn viu a música, levou-a, e começou a tocá-la no piano. Ellington ouviu-o e disse: ‘O que quer que tu estejas a tocar, vai fazer sucesso!’. A música, com as palavras adicionadas por Edmund Anderson, tornou-se em "Flamingo"».
Duke, na sessão de gravação para a RCA Victor, de 28 de Dezembro de 1940 precisando de um número adicional para a tocar com a banda, gravou esta melodia. Embora o Leonard Joy da RCA, não ter ficado impressionado com a gravação, foi o primeiro número de Ellington a subir às tabelas de vendas em 1941 e segundo êxito de Herb Jeffries '.

Duke Ellington (Washington, EUA, 29-04-1899 — New York, EUA, 24-05-1974) e Herb Jeffries (Detroit, Michigan, EUA, 24-09-1913 - West Hills, Los Angeles, California, EUA, 25-05-2014)


Carmen McRae (Harlem, New York, EUA, 08-04-1920 – Beverly Hills, California, EUA, 10-11-1994) – gravado a 5 de Agosto de 1958.


Wynton Marsalis (New Orleans, Louisiana, EUA, 18-10-1961 - 20xx) –  Wynton Marsalis no trompete.


Benny Carter (Harlem, New York, EUA, 08-08-1907 - Los Angeles, California, EUA, 12-07-2003) – Benny Carter no saxofine.


Letra

Flamingo, like a flame in the sky
Flying over the island
To my lover nearby
Flamingo, like a flame in the sky
Flying over the island
To my lover nearby
Flamingo, with your tropical hue
For it's you I rely on
And the love that is true
The wind sings a song to you as you go
The song that I hear below
The murmuring heart
Flamingo, when the sun meets the sea
Say farewell to my lover
And hasten to me
Ah, oh, ah, oh, oh, oh
Flamingo
Flamingo
Flamingo, when the sun meets the sea
Say farewell to my lover
And hasten to me
Ah, oh, oh, oh, oh, ah

Lamento, algumas eventuais falhas nas letras, encontradas na Internet, devido à própria improvisação dada pelos seus intérpretes, e muitas vezes de difícil entendimento. (Ricardo Santos).

sábado, 18 de julho de 2015

SIC Abandonados – Fundição Alba

Poder-me-ão perguntar porque “carga de água” estou a divulgar algo que passa num canal privado da televisão portuguesa ? Este programa até dá ao Domingo, logo a seguir ao jornal da noite !...

E é um excelente programa !

Eu quero trazer aqui, chamar a atenção e divulgar arquitectura industrial e privada que se perdeu. Consequências, muito mais graves e associadas a essa perda, causaram o fim dessas fábricas e instituições em termos de empregos e de mais valias para a região onde se situavam. Tempos em que se acreditava que valia a pena desenvolver a indústria e as artes no nosso País e de muitas coisas que poderia aqui falar, mas que todos nós sabemos e temos ideias sobre.

Todas as gerações gostam de deixar um cunho do seu dedo, da sua mão, na nossa sociedade, certíssimo ! Não entendo é porque para isso acontecer, tem de se destruir “coisas” de outras épocas que eram rentáveis e que empregavam milhares de pessoas.

Temos de aprender a preservar o que é nosso e defender com “unhas e dentes” a nossa Cultura e Tradição. Somos Europeus de uma de mescla de povos, dos mais antigos do Mundo, não precisamos de histórias, a nossa História é riquíssima.

“Os Abandonados foram conhecer a história do único carro que, do motor à carroçaria, foi feito em Portugal, o Alba, e a fábrica onde nasceu em Albergaria-a-Velha. Foi desta fundição, que chegou a ser a maior do país, que saíram também bancos de jardim e candeeiros, instalados de norte a sul de Portugal.”

sexta-feira, 17 de julho de 2015

Os Meus Cromos do Rock Pop (IV) (Reedição)

As respostas correctas para a primeira música, são:

O grupo chamava-se Small Faces;
A composição chama-se Itchycoo Park;
O outro nome de Winston é Jimmy;
O outro nome de Marriot era Steve.

A mesma música aqui, ao vivo, no programa alemão “Beat Club”, em 1967.


As respostas correctas para a segunda música, são:

O grupo chama-se Black Sabbath;
A composição chama-se Laguna Sunrise, referenciada no álbum “Vol. 4”;
O vocalista que aqui não cantou, é Ozzy Osbourne;
O primeiro nome do grupo foi Polka Tulk Blues Band, e encontra-se no texto referente “Origens à estreia 1966-1970”, no início do segundo parágrafo.


Os vencedores foram: 

Afrodite; Luísa; Rui Espírito Santo; Janita; Manuela; Lis !!!

Obrigado pela participação da Gábi e do António Gomes !

segunda-feira, 13 de julho de 2015

Os Meus Cromos do Rock Pop (IV)

(Dados Biográficos In Wikipédia e/ou In AllMusic.Com - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos)

Vou retomar os “Meus Cromos do Rock Pop”, mas num formato que finalmente vai tornar estes desafios, aparentemente, um pouco mais difíceis, mas mais interessantes. Aquilo que não era fácil com o “Youtube” ou com o “Vimeo”, em virtude da licença, com o “Opendrive” é diferente e exequível.

Duas músicas, uma vocal e uma instrumental, quatro perguntas, por cada música, e dicas, obviamente algumas, visto agora ser mais complicado encontra a solução.

Os comentários NÃO ESTARÃO moderados. Por isso, caso saibam as respostas, nas as publiquem no vosso comentário, enviem para o meu “email” ricardosantos1953@gmail.com

No entanto podem dar palpites, sempre que vos aprouver. Aqui trarei canções significativas dos grupos e intérpretes de Rock e de Pop que mais me agradaram durante a minha juventude e alguma informação sobre eles.

Desafio

A primeira música e o primeiro grupo da terra de Sua Majestade. Se fossem hoje apelidados de “Smiles” não fugiria muito ao seu nome real. Existiu na formação do grupo, um Winston, mas não era Churchill, e um Marriott, que não era cadeia de Hotéis.


Qual o nome deste grupo ?
Qual o nome da música que tocam ?
Qual o outro nome do Winston ?
Qual o outro nome do Marriot ?

O segundo grupo também é, das mesmas ilhas, formado em 1966. É considerada uma das bandas pioneiras do “Heavy Metal”, no entanto, parecer-vos-á uma contradição, tendo em conta a música que vão ouvir. O título da música tem algo de nascer do Sol. A formação original tinha quatro elementos, uma bateria, uma viola solo, um baixo e um vocalista que era Osbourne, mas que nesta música ficou calado. O primeiro nome que a banda teve, continha a palavra Polka.


Qual o nome deste grupo ?
Qual o nome da música que tocam ?
Como se chamava o vocalista ?
Qual o primeiro nome do grupo ?

Quatro dias para descobrirem as oito respostas. Às 20:00 do dia 17 publico as soluções e o nome dos vencedores.

quinta-feira, 9 de julho de 2015

Inesquecíveis (I)

(Dados Biográficos In Wikipédia e/ou In AllMusic.Com - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos)

Inesquecíveis são os temas que iremos apresentar, durante algumas semanas. Estas publicações serão exclusivamente dedicadas à música brasileira que serviu de banda sonora a algumas novelas, das primeiras que aconteceram na Televisão Portuguesa. Algumas das músicas mais emblemáticas irão passar por aqui, duas de cada vez, e algumas delas com duas versões, sempre que existir a segunda. 
A primeira, será a original da novela que terá somente o “player” da referência Youtube.
A segunda será uma versão, também do Youtube, mas gravada ao vivo pelo artista e no formato de janela que costumo utilizar (h=360 w=480).

E começamos hoje com dois temas bem conhecidos. Espero que gostem !

Novela:          Gabriela                                   
Ano:               1975  
Tema:            Porto 
Intérprete/s:   MPB4 (1965)                                  
Autor/es:        Dorival Caymmi




Novela:          Vereda Tropical                              
Ano:               1984  
Tema:            Vereda Tropical                              
Intérprete/s:   Ney (Matogrosso) de Souza Pereira (01-08-1941)                             
Autor/es:        Gonzalo Curiel



domingo, 5 de julho de 2015

Diana Krall – Groups & Soloists of Jazz (XXVI)

(Dados Biográficos In Wikipédia e/ou In AllMusic.Com - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos)

Diana Krall (Nanaimo, Canadá 16-11-1964 – 20xx) – É uma popular cantora e pianista de jazz canadiana.

Krall nasceu na Colúmbia Britânica de uma família de músicos. Começou a tocar piano aos quatro anos, e durante a sua juventude a sua família mudou-se para Vancouver. No colégio, começou a tocar num pequeno grupo de jazz. Aos quinze anos, ela passou a actuar com regularidade, em diversos restaurantes de Nanaimo.
A sua técnica chamou a atenção do contrabaixista Ray Brown, que a apresentou a diversos professores e produtores. Aos 17 anos, Krall ganhou uma bolsa para estudar no “Berklee College Of Music”, em Boston, Massachusetts. Passado algum tempo, mudou-se para Los Angeles, Califórnia, passando a estudar com Jimmy Rowles, com quem ela começaria a cantar. Em 1990, Diana Krall foi para New York, gravando alguns álbuns e finalmente alcançando sucesso internacional. Ela e o músico britânico Elvis Costello casaram-se em Dezembro de 2003. Diana engravidou de Costello, em 2006 e os gémeos Dexter Henry Lorcan e Frank Harlan James, nasceram em 6 de Dezembro de 2006, em New York.

Em 1993, Krall editou o seu primeiro álbum “Stepping Out” juntamente com John Clayton e Jeff Hamilton. Este álbum acabaria por chamar a atenção de Tommy LiPuma, que produziu o seu segundo álbum “Only Trust Your Heart” em 1995. O seu terceiro “All For You – Dedication to Nat King Cole Trio” (1996) foi nomeado para os “Grammy” e permaneceu na lista da Billboard, revista norte-americana dedicada à música, durante 70 semanas. Em seguida foi editado “Love Scenes” (1997), que se tornou rapidamente um sucesso de vendas, na qual ela actua com o seu trio Diana Krall, Russel Malone (guitarra) e Christian McBride (contrabaixo).

Em Agosto de 2000, Diana juntou-se com Tony Bennett para uma digressão. Com arranjos orquestrais de Johnny Mandel, Diana lançou outro álbum intitulado “When I Look In Your Eyes” (1999). Este recebeu mais nomeações para os “Grammy” e venceu na categoria de “Melhor Músico de Jazz do Ano”. A banda continuou com essa mistura de arranjos/orquestrações, com o álbum “The Look Of Love” (2001), desta vez criados por Claus Ogerman. Esta gravação alcançou o “CD de Platina” e entrou para o Top 10 da Billboard 200. “The Look Of Love” foi o considerado número 1, na lista canadiana, além de ser quatro vezes álbum Platina.

Em Setembro de 2001, Diana realizou uma digressão pelo Mundo e o seu concerto no Olympia de Paris, foi gravado e lançado como sendo, a sua primeira gravação ao vivo e com o título “Diana Krall – Live in Paris” que chegou ao topo da lista de Jazz da Billboard, além de permanecer no Top 20 e Top 200 da Billboard. Neste álbum, foi convidado o percussionista brasileiro Paulinho da Costa. Nessa mesma época ela esteve no Top 5 do Canadá, ganhou o “Juno Award”, um prémio canadiano e ganhou o seu segundo “Grammy”, desta vez como “Melhor Gravação de Jazz (Best Vocal Jazz Record)” e “Juno Award”. Este álbum incluiu dois famosos covers: Just The Way You Are” de Billy Joel e “A Case Of You” de Joni Mitchell.

Mais tarde, após o seu casamento com o músico Elvis Costello, ela dedicou-se à composição, e resultou daí o álbum “The Girl In The Other Room” (2004). O seu álbum rapidamente alcançou o Top 5, do Reino Unido e esteve na lista dos 40 melhores na Austrália. Ela também teve uma participação, no álbum Genius Loves Company (2004) do célebre Ray Charles, com a música “You Don't Know Me”.

Em 2006, Krall lançou seu álbum “From This Moment On” (2006) onde interpreta nomes famosos do jazz, como Irving Berlin, Cole Porter, Richard Rodgers, Lorenz Hart, entre outros. O trabalho contou com a produção de Tommy LiPuma. Destaque para "How Insensitive", ou “Insensatez”, de Tom Jobim e Vinícius de Moraes, com letra em inglês de Norman Gimbel.

Just The Way You Are, em 2002 para a “Verve Music Group”.


Sorry Seems to Be the Hardest Word, do álbum “Wallflower” e composta por Elton John e Bernie Taupin. Composição popularizada por Elton John.


The Look Of Love, do álbum “Diana Krall – Live in Paris” de 2001.


California Dreamin', do álbum “Wallflower” e composta por John Phillips e Michelle Phillips. Composição popularizada pelos “The Mamas & The Papas”.

quarta-feira, 1 de julho de 2015

Coincidência comercial - Interacção Humorística (CXLV)

Em 14-12-2011. Obrigado.

Coincidência comercial

Um homem estava a jogar Golf, quando de repente se sentiu perdido... Olha adiante e vê uma mulher a jogar e vai ao seu encontro...

Bom dia! Pode ajudar-me? Não sei qual o buraco em que estou...
O senhor está um buraco atrás do meu. Eu estou no 7 e o senhor está no 6.

O homem agradeceu e continuou o seu jogo. Algumas horas depois, sentiu-se novamente perdido. Viu a mesma mulher e perguntou já envergonhado.

Desculpe incomodá-la, perdi-me novamente.
Pode-me dizer em que buraco estou agora?
O senhor está um buraco atrás de mim, eu estou no 14 e o senhor está no 13.

Novamente agradeceu à mulher a gentileza e continuou o seu jogo. Quando acabou o jogo, encontrou a mulher no bar do clube. Foi na sua direcção e perguntou se poderia convidá-la a tomar algo em agradecimento por o ter ajudado. Ela aceitou e começaram a conversar animadamente, quando perguntou o que ela fazia para viver.

Trabalho em vendas.
É mesmo? eu também!
E o que é que vende? Perguntou o homem.
Ela sentiu-se envergonhada e depois de muita insistência, dispôs-se a contar-lhe, se ele prometesse não rir.
Ele prometeu não fazê-lo...

 - Vendo tampões higiénicos.

Ele imediatamente soltou uma gargalhada que chamou a atenção de todos os presentes; então irritada, ela disse:
- Você prometeu não rir!
- Como não vou rir? Sou vendedor de papel higiénico... Continuo um buraco atrás de você!!!