A paixão nua e cega dos estios, Atravessou a minha vida como rios

Sophia de Mello Breyner Andresen, A Paixão Nua, in “O Nome das Coisas”.

terça-feira, 30 de abril de 2013

Ainda 1h e 45m de “Dia Mundial do Jazz”

Atrasado no “post” porque não vejo notícias. Soube, claramente, através de alguém, que hoje era o “Dia Mundial de Jazz”.      
             
A minha atitude é uma clara adoração por este género musical.
Tinha de trazer algo aqui que me fosse emocionalmente querido e, teria de ser um pianista.    
               
Não faço mais comentários, porque o músico em questão já faleceu, mas deixou-nos uma obra digna de ser ouvida repetidas vezes.        
               

4 comentários:


  1. Este tema tem tanto de belo como de triste...

    Obrigada por nos recordares que a tristeza também faz parte da vida... pois faz-nos dar mais valor aos momentos de alegria.


    Um beijinho
    (^^)

    ResponderEliminar
  2. A vida é composta de alegria e de tristeza, mas há que reconhecer que a tristeza pode ser tão bela como a alegria, depende do que se quiser interpretar com ela ou dela.
    É bom saber que desde há algum tempo a esta parte, vens aqui visitar-me e ouvir um pouco de música que penso ser diferente daquela que estamos costumados a ouvir no circuito comercial.
    Bjs

    ResponderEliminar
  3. Linda!
    Gosto muito de jazz! :)

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  4. O Jazz é aquilo que eu entendo como aproveitas aquilo que de bom a vida nos dá. O fugir da rotina e o apreciar das coisas belas que muitas vezes o quotidiano não nos deixa ver.
    Obrigado
    Bjs

    ResponderEliminar

Eu fiz um Pacto com a minha Língua, o Português, língua de Camões e de Pessoa.