Contigo nunca me perco, perdendo-me !!!... (Ricardo Santos)

sábado, 25 de fevereiro de 2012

O Zeca continua por cá...

O Zeca continua por cá, comigo/connosco, e recordo-o aqui mais uma vez, após terem-se completado 25 anos que Ele nos deixou fisicamente.
Esperam que tenham visto o excelente programa que a RTP 1 levou nessa mesma Quinta-Feira, 23, sobre a sua vida, obra e a desmistificação política sobre este Homem Bom e Excelente Artista.
De vez em quando tenho o grande prazer de o trazer aqui, para nunca nos esquecermos dele…         
              
        
             
                  
                
(Dados Biográficos In Wikipédia e/ou In AllMusic.Com - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos)             
                  
José Manuel Cerqueira Afonso dos Santos (Aveiro, 02-08-1929 — Setúbal, 23-02-1987) - Também conhecido por Zeca Afonso, foi um cantor e compositor português. Nasceu no dia 2 de Agosto de 1929, na Freguesia de Glória, em Aveiro. Viveu nesta localidade até aos três anos, numa casa do Largo das Cinco Bicas, com a tia Gé e o tio Xico. Com aquela idade foi levado para Angola, onde o pai havia sido colocado como delegado do Procurador da República, em 1930.             
                  
A Mulher Da Erva, do álbum “Cantigas Do Maio” (1971)            
                
          
                 
Utopia, do álbum “Como Se Fora Seu Filho” (1983)              
                
              
                   
O País Vai De Carrinho, do álbum “Como Se Fora Seu Filho” (1983)         
                   

5MJZ (VIII) – Lou Donaldson Sextet

(Dados Biográficos In Wikipédia e/ou In AllMusic.Com - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos; e ainda In Duarte, José, História do Jazz, 2ª. Edição, Editora Sextante, Novembro de 2009)            
                 
Se Luís Villas-Boas é considerado o pai do Jazz em Portugal, José Duarte é também uma figura proeminente e importante na divulgação deste género musical no nosso País.
Estamos a passar, com o auxílio do “Youtube”, como é habitual, algumas das músicas, consideradas obrigatórias pelo José Duarte e constantes numa edição de três CD’s sobre o programa “Cinco Minutos de Jazz”, começado na década de 60 (1966), no “Rádio Renascença”, depois na Rádio Comercial e mais tarde na Antena 1, onde ainda hoje e há mais de 40 anos se divulga o improviso na rádio do nosso país.              
                  
Lou Donaldson (Badin, North Carolina, EUA, 01-11-1926 – 20xx) – Tem sido um excelente músico “Bop”, influenciado por Charlie Parker, mas com um estilo mais na base dos “Blues”, de sua autoria. Seu tom distinto foi ouvido numa variedade de pequenas configurações de grupos, e gravou, ao longo dos anos, dezenas de cenários/conjuntos importantes e espirituosos (embora às vezes um pouco previsíveis). Donaldson começou a tocar clarinete, quando tinha 15 anos, mas, rapidamente, mudou para o saxofone alto. Ele frequentou a faculdade e enquanto no serviço militar, tocou numa banda da Marinha. Donaldson ganhou notoriedade, quando se mudou para Nova York e em 1952 e começou a gravar para a etiqueta “Blue Note”, como chefe de grupo/banda. Com 25 anos, o seu estilo foi totalmente criado, e embora continuasse a crescer, em profundidade, ao longo dos anos, pode-se dizer que Lou Donaldson tinha encontrado o seu próprio som. Em 1953, ele gravou sessões com o trompete virtuoso de Clifford Brown, e a bateria de Philly Joe Jones. Ele era um membro do “Art Blakey Quintet”. Em 1954, ele participou num espectáculo notável com Art Blakey (bateria), Clifford Brown (trompete), Horace Silver (piano), e Tommy Potter (contrabaixo), e que foi amplamente documentado pela “Blue Note” e que deu início, directamente, aos “Jazz Messengers”. No entanto, Donaldson nunca foi um membro dos “Messengers”, e embora tenha gravado, como “sideman”, nos anos 50 e, ocasionalmente, depois, com Thelonious Monk (piano), Milt Jackson (vibrafone), Jimmy Smith (teclas/ órgão Hammond), entre outros, ele tem sido desde os anos 50 até ao presente, um líder de banda.                 
                 
Lou's Blues", de 1952 (*), e do álbum “The Time Is Right”, composição escrita pelo próprio Lou Donaldson. O grupo é composto por: Lou Donaldson (saxofone alto), Horace Parlan (piano), Blue Mitchell (trompete), Laymon Jackson (contrabaixo), Dave Bailey (bateria) e Ray Barretto (congas). Este é o tema que serve de introdução ao programa “Cinco Minutos de Jazz”.                 
                   
(*) 1952 – O pianista John Lewis forma o “Modern Jazz Quartet”; Stanley Donen realiza o filme “Serenata À Chuva” (Singin’In The Rain); A Pílula Contraceptiva é inventada.           
              

Jazz Standards (LI)

(Dados Biográficos In Wikipédia e/ou In AllMusic.Com - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos)              
                  
(Sobre o tema em questão, algumas palavras retiradas de “in
http://www.jazzstandards.com/compositions/index.htm” - adaptação e tradução por Ricardo Santos)             
                 
Stella By Starlight (#10) – Música de Victor Young e letra de Ned Washington
“Victor Young Orchestra” lançou o tema "Stella by Starlight", no filme da “Paramount Pictures” de 1944, “The Uninvited”. Uma história de fantasmas, com Ray Milland, Ruth Hussey e Gail Russell. Enquanto a composição de Victor Young foi escrita como tema do filme, a música em si, tornou-se um ponto dramático focal quando o personagem de de Milland, Rod, cantava a serenata a Stella, personagem interpretada por Ruth Russell. Olhando pela janela, enquanto Rod está no piano de cauda a tocar, Stella pergunta o que é que ele toca. Rod responde: “É uma serenata chamada ‘To Stella by Starlight’”.                
                      
Sarah Vaughan (Newark, 27-03-1924 — Los Angeles, 03-04-1990) – A faixa quarto do álbum “Snowbound” de 1963, para a Columbia Records.         
                
                 
                    
Letra (versão de Sarah Vaughan)          
                 
The song a robin sings
Through years of endless springs
The murmur of a brook at eventide
That ripples by a nook where two lovers hide
A great symphonic theme
That’s Stella by starlight and not a dream
She's all of this and more
She’s everything that you would adore
She's all of this and more
She’s everything that you would adore            
                  
Chet Baker (Yale, Oklahoma, 23-12-1929 – Amsterdão, 13-05-1988) – Em Hitomi-Kinen-Kodo, a 14 de Junho. A faixa um do seu álbum “Chet Baker Live In Tokyo” de 1987, com Chet Baker (trompete), Harold Danko (piano), Hein Van De Geijn (contrabaixo) e John Engels (bateria).              
                
               
                 
Anita O’Day (Chicago, Illinois, 18-10-1919 - Los Angeles, 23-11-2006) – Ao vivo no Jpaão em 1963.              
                     
                   
                          
Letra (versão de Anita O’Day)                 
           
That’s Stella by starlight and not a dream
My heart and I agree
She’s everything a girl could be
The song a robin sings
Through years of endless springs
The murmur of a brook at eventide
That ripples by a nook where two lovers hide
A great symphonic theme
That’s Stella by starlight and not a dream
My heart and I agree
She’s everything a girl could be
She’s all of these things and more
She’s everything that you would adore            
                
Bill Evans (Plainfield, 16-08-1929 — New York, 15-09-1980) Trio – Bill Evans (piano), Eddie Gomez (contrabaixo) e Alex Riel (bateria), em 28 de Outubro de 1966, na cidade de Oslo (Noruega), com gravação, do canal francês M6.           
             

"Filho de peixe" sabe nadar (I)

(Dados Biográficos In Wikipédia e/ou In AllMusic.Com - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos)       

Um obrigado especial à minha filha !             
                    
Pedro Costa Camargo Mariano, ou simplesmente Pedro Mariano (São Paulo, Brasil, 18-05-1975 – 20xx) - É um cantor brasileiro, filho da cantora Elis Regina e do pianista César Camargo Mariano e irmão da cantora Maria Rita, meio-irmão do produtor João Marcello Bôscoli, e do instrumentista Marcelo Mariano. Segundo filho de Elis Regina e o primeiro dela com César Camargo Mariano, Pedro Mariano tentou seguir a carreira de arquitecto, mas acabou optando pela carreira que sua mãe havia previsto desde cedo para ele, cantor. Começou a cantar em espectáculos de escola e gravando “jingles”. Chegou a ganhar um prémio de revelação num “FestValda”. Foi em 1995 que Pedro Mariano realizou a sua primeira gravação em CD, no projecto João Marcello Bôscoli & Cia, originalmente lançado pela “Sony Music”, com as participações de Wilson Simoninha, Cláudio Zoli, Milton Nascimento e César Camargo Mariano, que assinou a produção de "Essa Menina". Neste disco consta a sua participação como solista nas canções "Acredite ou Não", "Ventos do Norte", a regravação de "Noite do Prazer" e a versão ao vivo de "Como Nossos Pais". Dois anos mais tarde, viria o seu primeiro disco de título homónimo, assinando Pedro Camargo Mariano (1997), também co-produzido por seu irmão. 
                        
Aos Nossos Filhos (Ivan Lins / Vitor Martins), programa “Som Brasil”, com o “Especial Elis Regina”. Gravado no extinta casa de espectáculos “Metropolitan”.
               
                
                      
Maria, Maria (Milton Nascimento / Fernando Brant). Com Milton Nascimento) ). Programa “Som Brasil”, com o “Especial Elis Regina”. Gravado no extinta casa de espectáculos “Metropolitan”.             
                
                 
                      
Só Tinha De Ser Com Você (António Carlos Jobim)               
                    
              
                
Se Eu Quiser Falar Com Deus (Gilkberto Gil), actuação de Pedro Mariano com o seu pai César Camargo Mariano.            
                    

O Assumido - Interacção Humorística (LV)

Em 17-02-2012. Obrigado.           
            
O Assumido                      

Músicas House MD (5ª. Temporada) (XX)

(Dados Biográficos In Wikipédia e/ou In AllMusic.Com - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos)             
                
Damon Gough (Dunstable, Bedforshire, Inglaterra, 02-10-1969 – 20xx) – É um Inglês cantor de música alternativa e compositor. Ele cresceu em Breightmet de Bolton, Lancashire, Inglaterra. Damon escolheu o seu nome artístico do personagem-título do espectáculo “Sam And His Magic Ball”, que ele viu na TV numa festa em Trafford, Manchester, em 1995. Antes de pensar em usar este nome, fez alguns cartões de visita, cada um único, com uma imagem impressa de um desenho de seu sobrinho e uma pequena colagem de Gough. Esse conjunto foi então manufacturado e dado a amigos e pessoas em clubes, em Blackburn e Manchester.           
                 
Badly Drawn Boy – The Shining             
               
              
                         
Soul Coughing (1990 – 20nn) – Foi uma popular banda nova-iorquina de “Rock Alternativo”. A banda encontrou sucesso comercial modesto na segunda metade da década de 90. “Soul Coughing” desenvolveu uma base de fãs devotos e têm recebido resposta positiva em grande parte dos críticos. Steve Huey no “Allmusic” descreve a banda como "uma das bandas de culto mais incomuns da década de 1990 ... dirigida por Mike Doughty e com poesia do fluxo de consciência. O som “Soul Coughing” é uma mistura, deliberadamente, idiossincrática de “grooves” de jazz de improvisação, de amostras excêntricas, de “Hip Hop”, de electrónica e de experimentalismo barulhento (descrito pelo próprio Doughty como 'jazz slacker profundo")".             
                  
Soul Coughing – $300          
                 
              
                   
Stephen Lawrence "Steve" Winwood (nascido em 12 de maio de 1948– 20nn) - É um compositor e músico inglês cujos géneros incluem “Blues”, “Soul”, “R&B”, “Rock”, “Blues-Rock”, “Pop-Rock”, e “Jazz”. Um multi-instrumentista, ele toca órgão eléctrico, sintetizadores, baixo, bateria, guitarra, bandolim, violino e outras cordas. Um artista há quase 50 anos, que também tem feito um trabalho notável como produtor. Além da sua actual carreira solo, Winwood era um membro chave “The Spencer Davis Group”, “The Traffic”, “The Blind Faith” and “Go”. Ele foi registado no “Rock and Roll Hall of Fame”, como um membro dos “The Traffic” em 2004. Em 2005, Steve Winwood foi homenageado como um ícone da BMI no espectáculo anual de distribuição dos “BMI London Awards” pela a sua "influência duradoura sobre gerações de compositores". Em 2008, a revista “Rolling Stone” classificou Steve no número 33 entre os 100 maiores cantores de todos os tempos. Winwood já ganhou, nos Estados Unidos, inúmeros prémios “Grammy”.             
                    
Steve Winwood – I'm Not Drowning               
               

Estado de Graça - Feriados abolidos

sábado, 18 de fevereiro de 2012

5MJZ (VII) – Gerry Mulligan Quartet


(Dados Biográficos In Wikipédia e/ou In AllMusic.Com - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos; e ainda In Duarte, José, História do Jazz, 2ª. Edição, Editora Sextante, Novembro de 2009)            
                 
Se Luís Villas-Boas é considerado o pai do Jazz em Portugal, José Duarte é também uma figura proeminente e importante na divulgação deste género musical no nosso País.
Estamos a passar, com o auxílio do “Youtube”, como é habitual, algumas das músicas, consideradas obrigatórias pelo José Duarte e constantes numa edição de três CD’s sobre o programa “Cinco Minutos de Jazz”, começado na década de 60 (1966), no “Rádio Renascença”, depois na Rádio Comercial e mais tarde na Antena 1, onde ainda hoje e há mais de 40 anos se divulga o improviso na rádio do nosso país.                
                 
Gerald Joseph "Gerry" Mulligan (Queens Village, Queens, New York, EUA, 06-04-1927 - 20-01-1996) -  Foi um saxofonista de jazz norte-americano, clarinetista, compositor e orquestrador. Apesar de Mulligan ser principalmente conhecido, como um dos principais saxofonistas barítono - tocava o instrumento com um tom leve e arejado na era do “Jazz Cool” – ele era, também, um notável orquestrador. Trabalhou com Claude Thornhill, Miles Davis, Stan Kenton, entre outros. O quarteto sem piano de Mulligan dos anos 1950 com o trompetista Chet Baker ainda é considerado como um dos mais importantes grupos de “Jazz Cool”. Mulligan era também um hábil pianista e tocava vários instrumentos de palheta. Em termos amorosos, Mulligan teria tido um relacionamento com a actriz Judy Holliday até à morte desta em 1965, e com a actriz Sandy Dennis, de 1965 até à separação do casal, em 1976.
Gerry Mulligan nasceu em Queens Village, Queens, New York, filho de George e Louise Mulligan. Seu pai era um Wilmington, nativo de Delaware, de ascendência irlandesa, a sua mãe oriunda de Filadélfia, de meia ascendência irlandesa e meia alemã. Gerry era o mais novo dos quatro filhos do casal: George; Phil; Don; e Gerry.
A carreira do pai Mulligan, como engenheiro, exigia mudanças frequentes através de várias cidades. Quando Gerry tinha menos de um ano de idade, a família mudou-se para Marion, Ohio, onde o seu pai aceitou um emprego com a “Marion Power Shovel Company”.          
                   
What Is There to Say?", pertence ao álbum de 1959, gravado para a Columbia (Columbia Jazz Masterpieces), entre 17 de Dezembro de 1958 e 15 de Janeiro de 1959 (*), e tendo como produtor Teo Macero. Scott Yanow da “Allmusic” afirma: "…o último dos álbuns do quarteto sem piano que Gerry Mulligan gravou na década de 1950, é um dos melhores." e "…virtualmente cada música é memorável, sendo no entanto pontos altos, "What Is There to Say," "Just in Time," "Festive Minor," "My Funny Valentine," e "Utter Chaos”.
O quarteto era composto por Gerry Mulligan (saxofone barítono),  Art Farmer (trompete), Bill Crow (contrabaixo) e Dave Bailey (bateria).               
                  
(*) 1959 – Morre Billie Holiday; António Carlos Jobim e João Gilberto gravam “Chega de Saudade”, dando início à “Bossa-Nova”; Jack Kilby inventa o circuito integrado (“microchip”).
                     

Jazz Standards (L)

(Dados Biográficos In Wikipédia e In AllMusic.Com - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos)             
                     
(Sobre o tema em questão, algumas palavras retiradas de “in

http://www.jazzstandards.com/compositions/index.htm” - adaptação e tradução por Ricardo Santos)



Yesterdays (#9) – Música de Jerome Kern e letra de Otto Harbach
Em 18 de Novembro de 1933, "Yesterdays" foi apresentada ao público no “New Amsterdam Theater”. A canção foi incluída em “Roberta”, um musical da Broadway que iria desfrutar de uma temporada de sucesso de 295 exibições. "Yesterdays" foi um sucesso instantâneo, aparecendo nas tabelas uma semana após o espectáculo ter começado. A gravação de Leo Reisman e da sua orquestra, tendo Frank Luther, como vocalista, iria subir ao terceiro lugar, das tabelas.                 
                
Lee Konitz (Chicago, Illinois, EUA, 13-10-1927 - 20xx) Quintet – Em 1951, com Miles Davis (trompete), Lee Konitz (saxofone alto), Sal Mosca (piano), Billy Bauer (guitarra) e Arnold Fishkin (contrabaixo).      
              
             
                 
Carmen McRae (Harlem, New York, 08-04-1920 – Beverly Hills, California, 10-11-1994) – no álbum de 1961 “Lover Man”.            
                      

Yesterdays
Yesterdays
Days I knew as happy sweet
Sequestered days
Olden days
Golden days
Days of mad romance and love
Then gay youth was mine
Truth was mine
Joyous free in flame and life
Sooth was mine
Sad am I
Glad am I
For today I’m dreamin' of
Yesterdays
Yesterdays
Yesterdays
Days I knew as happy sweet
Sequestered days
Olden days
Golden days
Days of mad romance and love
Then gay youth was mine
I look around and truth was mine
Joyous free in flaming my… was mine
Sad am I
Glad am I
For today I’m dreamin' of

Yesterdays      
        
Lamento, algumas eventuais falhas nas letras, encontradas na Internet, devido à própria improvisação dada pelos seus intérpretes, e muitas vezes de difícil entendimento. (Ricardo Santos)               
                 
Wes Montgomery (Indianapolis, Indiana, EUA, 06-03-1923 - (Indianapolis, Indiana, EUA, 15-06-1968) Quartet



         
              
Art Tatum (Toledo, Ohio, 13-10-1910 - Los Angeles, Califórnia, 05-11-1956)             
               

Gira-Discos (XXII)


(Dados Biográficos In Wikipédia e/ou In AllMusic.Com - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos)     
             
Cebola Mole (2001 – 20xx) - É um duo da música portuguesa, conhecido pelo tom cómico das suas músicas e pela atitude irreverente em palco. Foi lançado no programa “O homem que mordeu o cão”, de Nuno Markl, sendo que este dizia que "os tinha encontrado à porta do estúdio".            
Apesar de terem aparecido na rádio e alcançado grande sucesso graças à Internet, em 2001 lançaram o CD “Samba Roulotte”, pela EMI. Em 2003 lançaram “Android Polaroid”. Grande parte do seu sucesso ficou a dever-se às actuações nas queimas das fitas, e nas aparições ao vivo no programa “Levanta-te e Ri”. Os “Cebola Mol” regressaram em 2009, num concerto que teve lugar no “Casino de Lisboa”, intitulado "O Fim dos Cebola Mol". No entanto, ao contrário do que muita gente pensou, este não marcou um concerto de despedida definitiva da banda, mas sim a apresentação de um novo CD chamado, precisamente, "O Fim dos Cebola Mol". Em 2012 lançaram um novo CD "O Novo CD". O duo é composto por Eduardo Madeira e Filipe Homem Fonseca, conhecidos por “Eddie Startdust” e “Phil”, respectivamente.             
                  
"Os Meus Irmãos Baterem-me”             
                
                  
              
Queixadas de Sintra”, no programa “Levanta-te e Ri”.               
                

Gira-Discos (XXII)


(Dados Biográficos In Wikipédia e/ou In AllMusic.Com - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos)              
                    
Mungo Jerry (1970 – 20xx) – É um grupo de “Rock” Inglês cujo maior sucesso foi na década de 1970, embora tenham continuado ao longo dos anos, com uma constante mudança dos seus membros, sempre liderada por Ray Dorset. Eles são lembrados acima de tudo pelo seu grande sucesso de 1971 que subiu ao 13º. Lugar na tabela norte-americana. É a sua canção de maior sucesso e mais imediatamente reconhecível.         
                      
 In The Summertime” de 1979, do álbum “Electronically Tested”, a faixa número 3, composta por Ray Dorset. Aqui durante a sua exibição no programa alemão “Beat Club”.   
                      
                   
              
In the summertime when the weather's high,
you can stretch right up and touch the sky,
when the weather's fine,
you got women, you got women on your mind.
Have a drink, have a drive,
go out and see what you can find.
If her daddy's rich, take her out for a meal.
If her daddy's poor, just do as you feel.
Speed along the lane,
Do a ton, or a ton and twenty-five.
When the sun goes down, you can make it,
make it good in a lay-by.
We're not grey people, we're not dirty, we're not mean.
We love everybody, but we do as we think.
When the weather's fine
we go fishing or go swimming in the sea.
We're always happy,
life's for living, yeah, that's our philosophy.
Sing along with us, dee-dee-dee-dee-dee.
Da-da-da-da-da...Yeah, we're happy happy,
da-da-da-da-dah.
When the winter's here, then it's party time.
Bring a bottle, wear your bright clothes.
It'll soon be summertime, and we'll sing again,
we'll go drivin' or maybe we'll settle down.
If she's rich, if she's nice,
bring you're friends and we'll all go into town.              
                
Alright Alright Alright”, no canal “3sat”, da televisão alemã, em 1973.