Dá a surpresa de ser

Dá a surpresa de ser É alta, de um louro escuro. Faz bem só pensar em ver Seu corpo meio maduro.

Seus seios altos parecem (Se ela estivesse deitada) Dois montinhos que amanhecem Sem ter que haver madrugada.

E a mão do seu braço branco Assenta em palmo espalhado Sobre a saliência do flanco Do seu relevo tapado.

Apetece como um barco. Tem qualquer coisa de gomo. Meu Deus, quando é que eu embarco? Ó fome, quando é que eu como?

10-9-1930 - Poesias. Fernando Pessoa. (Nota explicativa de João Gaspar Simões e Luiz de Montalvor.) Lisboa: Ática, 1942 (15ª ed. 1995) - 123.

quinta-feira, 2 de julho de 2020

Poesia (1) Álvaro de Campos

Álvaro de Campos (13 ou 15-10-1890 – 1935)

Fernando Pessoa deveria ter sido o nosso primeiro Nobel da Literatura !!!



Opiário, dito por Mário Viegas, um poema, publicado no primeiro número da revista Orpheu, supostamente escrito em Março de 1914, no "canal de Suez”, a bordo, e dedicado a Mário de Sá-Carneiro.

6 comentários:

  1. Como eu não sou nada fã do Saramago não podia estar mais de acordo com o Pessoa como primeiro Nobel.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado Pedro
      Bom resto de semana e fim-de-semana

      Eliminar
  2. Para a próxima vez, que seja o ANTÓNIO LOBO ANTUNES!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se encontrar no Youtube poesias dele, é um caso a considerar.
      Obrigado Teresa

      Eliminar
  3. Gosto muito de José Saramago, gosto muito de António Lobo Antunes, mas Fernando Pessoa era de outra galáxia! Se o Saramago teve um prémio Nobel, o Fernando Pessoa merecia um Nobel por cada um dos seus heterónimos.

    Quando eu andava no Liceu Alexandre Herculano, no Porto, no fim de cada ano letivo realizava-se uma festa, que incluía um espetáculo em que alguns alunos mostravam algumas das suas habilidades. Em todas as escolas secundárias era assim que se fazia, e ainda deve ser. Menos este ano, por causa da pandemia. Em duas ou três festas das que houve no meu liceu, participou um antigo aluno, que foi apresentado como sendo «um rapaz de Santarém, com muito jeito para dizer poesia, chamado Mário Viegas. Este rapaz há de ir longe; tem muito talento». Proféticas palavras.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Assino por baixo o primeiro parágrafo, Pessoa era um génio.
      Mário Viegas era um excelente declamador, porque foi/é dos poucos que consegue estar, quase, na pele do escritor. Ele devia ler muito da personalidade dos poetas para conseguir interpretações fantásticas.
      Obrigado Fernando

      Eliminar

Eu fiz um Pacto com a minha língua, o Português, língua de Camões, de Pessoa e de Saramago. Respeito pelo Português (Brasil), mas em desrespeito total pelo Acordo Ortográfico de 90 !!!