Teus olhos contas escuras, são duas Avé Marias, dum rosário d’amarguras, que eu rezo todos os dias. - Fernando Pessoa

quinta-feira, 14 de junho de 2018

Entre-Aspas (14) Traz Outro Amigo Também

(Dados Biográficos In Wikipédia e/ou In AllMusic.Com - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos)

Músicas do CD Duplo “Os Filhos da Madrugada” editado em 27 de Abril de 1994, onde o Grande José Afonso, foi homenageado pelos artistas das principais bandas portuguesas. É também a minha homenagem a esta figura IMPORTANTÍSSIMA na vida musical portuguesa e no respeito que demonstrava e defendia pela liberdade de todos os cidadãos.

José Manuel Cerqueira Afonso dos Santos (Aveiro, 02-08-1929 – Setúbal, 23-02-1987)


Desenho meu, feito a lápis de carvão, no ano de 1988, após a morte do Artista

Entre-Aspas (1990)

É a única versão que não existe no Youtube e que foi interpretada pelo grupo Entre Aspas. Ficaremos somente com a versão do José Afonso.


Amigo maior que o pensamento
Por essa estrada amigo vem
Por essa estrada amigo vem
Não percas tempo que o vento
É meu amigo também
Não percas tempo que o vento
É meu amigo também
Em terras
Em todas as fronteiras
Seja benvindo quem vier por bem
Seja benvindo quem vier por bem
Se alguém houver que não queira
Trá-lo contigo também
Se alguém houver que não queira
Trá-lo contigo também
Aqueles
Aqueles que ficaram
Em toda a parte todo o mundo tem
Em toda a parte todo o mundo tem
Em sonhos me visitaram
Traz outro amigo também
Em sonhos me visitaram
Traz outro amigo também

18 comentários:

  1. Tão bom, recordar o grande Zeca Afonso.
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Faltam 7 publicações desta Homenagem ao nosso Zeca Afonso. Ainda vai passar por aqui muito boa música !
      Obrigado Elvira

      Eliminar
  2. Não me recordava dos "Entre-aspas" ! Também, porque durou pouco mais de 10 anos !
    Mas quanto a este tema do Zeca Afonso, eu sei que é difícil classificar, mas sinto que é um dos que mais sempre me apaixonou !

    Abraço, Ricardo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estou de acordo, é na realidade um dos temas mais conhecidos do Zeca e mais cantado. É uma canção que nos arrepia os pelos dos braços ! :)
      Obrigado Rui

      Eliminar
  3. Este tema faz-me recuar até à minha infância profunda.
    Gosto mesmo muito!

    Um beijo amigo
    (^^)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Este álbum é de 1970. Editado pela Orfeu (STAT 005 Estereofónico).
      Compreio-o no dia 24 de Dezembro de 1977. É o meu vinil N.º 61 :) !

      Nele consta um prefácio de Bernardo Santareno sobre o homem e compositor José Manuel Cerqueira Afonso dos Santos (Zeca Afonso). Estávamos nos anos finais da ditadura, já com Marcelo Caetano no poder (Setembro 1968 a Abril 1974), e Santareno termina assim:

      .... E o amor do povo, dos jovens, de todos aqueles que ainda não estão definitivamente contaminados, esclerosados, é, tenho a certeza! a recompensa e glória de José Afonso. Nem tudo está podre no reino da Dinamarca.

      Obrigado Afrodite

      Eliminar
  4. Tantas vezes a cantei com amigos!!
    Aquele abraço, bfds

    ResponderEliminar
  5. Para o Zéca 'Afonso', todos os mimos,todas as homenagem!

    E para si Ricardo, os meus parabéns, tem alma de artista no carvão e na sensibilidade!

    Zéca sempre!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Merece muito respeito pela Boa Alma Portuguesa que ele é/era !
      Muita gentileza tua em relação ao meu carvão.
      Muito Obrigado mz

      Eliminar
  6. E ficamos muito bem. Grande tema. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É um grande tema na realidade !
      Obrigado Luísa

      Eliminar
  7. Gostei muito de ouvir. vou ouvir outra vez.
    : )

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Faz favor ! Podes ouvir as vezes que te apetecer !
      Obrigado Catarina

      Eliminar
  8. Meu caro Ricardamigo

    INFORMAÇÃO

    Como deixei escrito no final do quarto texto da saga É DIFÍCIL VIVER COM UM IRMÃO MONGÓLICO fiquei seriamente a pensar em terminar a sua publicação. Isto porque o primeiro episódio teve uma boa aceitação (52 comentários e correspondentes respostas), o segundo ficou-se pelos 20 e o terceiro ainda menos, 18…
    O apelo para uma boa polémica só teve uma resposta. A da Nonamamiga.
    Escuso de matutar mais no problema: fico-me por este último texto. Continuarei a escrever a saga mas para outra finalidade. Obrigado a todos os que me acompanharam e também a quem o não fez


    ResponderEliminar
  9. É sempre um prazer ouvir esta canção que na minha adolescência sabia de cor.

    Obrigada pela partilha Ricardo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muitos de nós a cantámos em situações diversas. Era uma canção que, como disse atrás, nos arrepiava os pelos do braço !
      Obrigado Manuela

      Eliminar

Eu fiz um Pacto com a minha língua, o Português, língua de Camões, de Pessoa e de Saramago.