Contigo nunca me perco, perdendo-me ! (Ricardo Santos)

quarta-feira, 25 de outubro de 2017

Eyes Thru Glass (24) – Panteão Nacional

Aqui neste blogue e no “Eyes thru Glass“ mostro aquilo que os meus olhos vêem, através da objectiva.

Aqui ficarão somente as fotos, sem texto ficcional e sem música, apenas uma breve introdução, onde são tiradas e quando, e eventualmente alguma especificação técnica. Cliquem sobre a primeira foto para poderem vê-las em formato maior.


No dia 21 de Agosto de 2016, fiz umas quantas fotos do Panteão Nacional, sito na Igreja de Santa Engrácia, em Lisboa.













24 comentários:

  1. Fabulosas, todas elas! Não vejo bem qual foi a motivação de enviesares a maior parte, mas isso não lhes rouba encanto.
    Gostei muito de todas.

    Obrigada, Ricardo, por estes retalhos dos belos monumentos da 'tua' cidade! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Janita é um estilo que "criei" para mim e que me agrada. Pensa um pouco e talvez percebas que enviesar algumas fotos, faz com que consiga apanhar os motivos todos que me interessam. Além disso, porque motivo temos nós de fazer sempre tudo igual, diz-me !
      Obrigado pelo teu comentário

      Eliminar
  2. Que magnífico edifício! A vista é linda.
    :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Catarina, é um monumento muito bonito e lá de cima vemos o rio Tejo e muita paisagem da "minha" linda Lisboa.
      Obrigado

      Eliminar
  3. Quem me dera saber fotografar assim...
    Aquele abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pedro, estas máquinas modernas, digitais, em modo automático são simples e em 90% dos casos as fotos saem todas bem. 10% precisa de ser trabalho em modo manual e aí sim são bem mais difíceis que as antigas analógicas que tinham meia-dúzia de funções principais.
      Abraço

      Eliminar
  4. fui visitar há alguns anos Ricardo, eu só dizia aos mais pequenos da família: ficam mais para trás, não se aproximem da beira !
    la em cima é deveras muito alto e quem olha para baixo no interior do edifício, sente medo das alturas !!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ângela não me fales em medo de alturas ! :)) Há sítios em Lisboa que nunca me dignei a lá ir acima por causa do medo das alturas, como por exemplo o Padrão dos Descobrimentos. Mas tenho ido a outros e se os parapeitos são largos e em pedra consigo estar lá. No interior do Panteão cuidado, andei quase encostado às paredes... por isso junta-te a mim ! :))
      Obrigado

      Eliminar
  5. Tu sabes que tendo já ido dezenas de vezes a Lisboa, ainda não fui ao Panteão ?! ... E "conheço-o" (nome) desde criancinha, por causa das famigeradas "obras de Santa Engrácia" ! :))
    ... E lá fiquei eu de pescoço torcido, Ricardo ! eheheh
    Claro que as fotos, como habitualmente, óptimas !!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Rui em relação às fotos tortas, já respondi à Janita sobre. É uma maneira de ver o tema e de conseguir meter tudo o que muitas vezes quero dentro da foto !
      As "obras de Santa Engrácia" duraram anos como tu bem sabes, mas compensaram. Vale a pena visitar !
      Obrigado e um Abraço

      Eliminar
  6. O Panteão Nacional é uma pérola da arquitectura portuguesa e o seu interior é lindíssimo.

    Ricardo,as suas fotografias na diagonal, mostram o seu lado sensível de estar a reproduzir o momento dando-lhe movimento.

    Eu gostei muito deste Twist fotográfico!

    Beijinho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. mz obrigado pela apreciação às minhas fotos. Gosto de tentar ver as coisas de maneira diferente !

      Eliminar
  7. Excelentes fotos. Adorei visitar o Panteão há dois anos. Pena que não tivesse máquina fotográfica comigo.
    Tenho que voltar lá qualquer dia.
    Abraço e bom fim de semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Elvira vale a pena, mas com a máquina a tiracolo !
      Obrigado

      Eliminar
  8. Belíssimas imagens, gostei de as ver neste ângulo!
    Não conheço pessoalmente o Panteão, apenas parte a história e só mesmo por fotos, mas não me atrevia a ir lá, é alto demais para mim.

    Beijinho Ricardo e um bom domingo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mais uma pessoa com receio às alturas. A visita vale mesmo a pena !
      Obrigado Adélia

      Eliminar
  9. Para mim, ver estas fotografias foi uma forma de entrar pela 1ª vez no Panteão... Só o conheço por fora.

    Obrigada!

    Beijinhos lisboetas...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quando voltares a Lisboa faz-lhe uma visita. A D. Engrácia agradece ! :)))
      Obrigado Graça

      Eliminar
  10. Tu visitaste em 2016 eu tive o prazer de conhecer em 2017. Foi uma bela surpresa!
    Adorei as tuas fotos, sejam direitas ou inclinadas.

    Beijos Ricardo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Manuela é um local óptimo para fotografar e admirar a paisagem à volta !
      Obrigado

      Eliminar
  11. Já lá tenho andado por perto, várias vezes, mas nunca entrei. Gosto especialmente das da cúpula (interior e exterior)e da última. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Luísa não é cara a visita e tem imenso lá dentro que ver, muita coisa mesmo, para além dos túmulos dos ilustres. Faz uma visita lá dentro e tira umas fotos lá de cima que vão sair bonitas tiradas pela tua mão de certeza !!!
      Obrigado

      Eliminar

  12. Soube-me mesmo bem viajar com as tuas fotos de novo até ao Panteão!
    (estão tão lindas...)

    Também só consegui concretizar o desejo (de há muito) de visitar este esplendor de monumento este verão.
    Conto lá voltar... porque é dos locais mais fantásticos para se visitar em Lisboa. Se a luz de Lisboa já é especial... ali é inigualável!!

    Beijos de Luz
    (^^)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A luz de Lisboa é muito característica. Hoje teve um dia algo cinzento, mas o céu apareceu com imensos pacotes de algodão. Nuvens cinzentas escuras e claras, brancas, estava divinal. Não pude levar a máquina, não era dia de fotografar ! :(
      Linda minha cidade com estas tonalidades !!!
      O Panteão é um monumento muito bem conseguido.
      Obrigado Afrodite

      Eliminar

Eu fiz um Pacto com a minha Língua, o Português, língua de Camões, de Pessoa e de Saramago.