Contigo nunca me perco, perdendo-me !!!... (Ricardo Santos)

terça-feira, 29 de dezembro de 2015

O meu presente de quase Fim de Ano

Que o Novo Ano nos traga uma nova maneira de encarar os graves problemas da sociedade mundial que até agora não temos querido enfrentar. Temos todos de procurar ajudar quem necessita e lembrarmo-nos que amanhã poderemos ser nós os necessitados. Amor é algo que se precisa urgentemente, neste Mundo de convencidos que pensam que a tecnologia vai resolver tudo !!!

Para quem me visita e ouve, aqui no “Pacto”, aqui fica o meu presente de Novo Ano. Quatro composições que falam de Amor e quatro intérpretes. Desta vez, quase tudo em português.




terça-feira, 22 de dezembro de 2015

O meu presente de Natal

Que o Natal vos traga, aquilo que eu desejo para mim e para os meus, e também, para todos os seres humanos: Amizade, Amor, Paz e Saúde.

Para quem me visita e ouve, aqui no “Pacto”, aqui fica o meu presente de Boas Festas. Quatro dos meus intérpretes e músicos preferidos, cantando e tocando quatro célebres composições de Natal.




domingo, 20 de dezembro de 2015

Estou ?! Posso pedir um disco ? (XI)

O pedido de hoje é da bloguer Isabel Pires, do Blogue “Nascer na Praia”. Um Blogue onde exprime as suas ideias, os seus sentimentos e as suas emoções. A poesia, as imagens e alguma música, também muitas vezes ilustram os seus textos.
Deixou uma mensagem do que o levou a escolher esta música:

- Boa tarde, é de "Quando o telefone toca"?
- É sim. Pode pedir o disco.
- Então, pretendo ouvir a primeira senha musical do 25 de Abril, transmitida às 22h55 da véspera, pelos Emissores Associados de Lisboa. Se não me falha a memória - isto já são muitos anos! - a letra é de José Niza e a música de José Calvário. Sabe qual é, não sabe?
- Sim, sim. Vai já rodar. Obrigada pela sua participação !

Paulo de Carvalho (15-05-1947)



Alguma história sobre os discos, antigo suporte magnético que, actualmente, continua a ter imensos adeptos, dado que está cientificamente provado que a qualidade sonora do vinil é superior à do CD, dizem !

Os 78 rpm (rotações por minuto) eram os antigos discos, de goma-laca, que tocaram durante alguns anos nos gramofones dos nossos avós.

Os 33 rpm (rotações por minuto) eram os antigos “LP” (Long Play) de vinil que tocavam nos nossos antigos gira-discos.
Os 45 rpm (rotações por minuto) era os “singles” ou “EP” (Extended Play), também em vinil. Ambos fizeram a delícia das gerações de 60 e 70.

Esta nova publicação viverá, exclusivamente, dos vossos pedidos por “mail” para o meu “email” ricardosantos1953@gmail.com, da música que pretendem ouvir e umas breves palavras sobre o porquê que ela vos foi/é querida.

Peçam uma de cada vez e de vez em quando. Podem começar a enviá-los já hoje. Os pedidos serão atendidos por ordem de chegada dos “mails”.


Serão apresentados dois vídeos, do Youtube. Um será com a escolha de quem me enviou o “mail” e o outro uma escolha minha. Também darei algumas indicações adicionais sobre a composição, compositor e intérprete. Isto caso a música exista e haja informação adicional sobre ela.

quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

terça-feira, 15 de dezembro de 2015

Estou ?! Posso pedir um disco ? (X)

O pedido de hoje é da bloguer Graça Sampaio, do Blogue “Picos de Roseira Brava”. Um Blogue que nos fala desta época e de outras também, com alguns apontamentos de cariz político, histórias de muitas viagens e, também dessa maravilhosa terra que é Leiria.
A Graça deixou uma mensagem do que a levou a escolher esta música:

Então aí vai o meu Disco Pedido: é a canção Hi Lili, Hi Lili, Hi Lo!  dos meus tempos de adolescência, quando eu tinha a mania do ballet e até tinha aulas de bailado... Traz-me muito boas recordações. Além de que foi também uma canção tocada e cantada pelos «meus» Diamantes Negros, o conjunto dos meus colegas de escola em Sintra nos idos de 1964...

Leslie Caron (01-07-1931)


Nat Nathaniel "King" Adams Cole (17-03-1919 — 15-02-1965)


Alguma história sobre os discos, antigo suporte magnético que, actualmente, continua a ter imensos adeptos, dado que está cientificamente provado que a qualidade sonora do vinil é superior à do CD, dizem !

Os 78 rpm (rotações por minuto) eram os antigos discos, de goma-laca, que tocaram durante alguns anos nos gramofones dos nossos avós.

Os 33 rpm (rotações por minuto) eram os antigos “LP” (Long Play) de vinil que tocavam nos nossos antigos gira-discos.
Os 45 rpm (rotações por minuto) era os “singles” ou “EP” (Extended Play), também em vinil. Ambos fizeram a delícia das gerações de 60 e 70

Esta nova publicação viverá, exclusivamente, dos vossos pedidos por “mail” para o meu “email” ricardosantos1953@gmail.com, da música que pretendem ouvir e umas breves palavras sobre o porquê que ela vos foi/é querida.

Peçam uma de cada vez e de vez em quando. Podem começar a enviá-los já hoje. Os pedidos serão atendidos por ordem de chegada dos “mails”.

Serão apresentados dois vídeos, do Youtube. Um será com a escolha de quem me enviou o “mail” e o outro uma escolha minha. Também darei algumas indicações adicionais sobre a composição, compositor e intérprete. Isto caso a música exista e haja informação adicional sobre ela.

sábado, 12 de dezembro de 2015

Jazz Standards (CXLVII)

(Dados Biográficos In Wikipédia e In AllMusic.Com - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos)

(Sobre o tema em questão, algumas palavras retiradas de “in
http://www.jazzstandards.com/compositions/index.htm” - adaptação e tradução por Ricardo Santos)

Come Sunday (#151) - Música de Duke Ellington
"Come Sunday" foi tocado e apresentado pela primeira vez, por Duke Ellington e a sua orquestra no “Carnegie Hall”, tendo o primeiro espectáculo acontecido, em 23 de Janeiro de 1943. Ellington gravou a obra para a RCA Victor, no ano seguinte.
Em 1942, Ellington e a sua orquestra foram contratados para um espectáculo especial no “Carnegie Hall”, e para o evento Ellington compôs uma peça extensa intitulada "Black, Brown and Beige", onde cada cor queria mostrar uma secção da peça correspondente a um período de tempo na história dos afro-americanos nos Estados Unidos. Ellington descreveu-o como "a tone parallel (um tom paralelo)". "Come Sunday" é o que é hoje conhecido como o 32-bar AABA – estrutura de canção (que Ellington escreveu para o saxofonista alto Johnny Hodges), mas originalmente era parte de uma parcela de 12 minutos da primeira secção, "Black".

Abbey Lincoln (Chicago, Illinois, EUA, 06-08-1930 - New York, New York, EUA, 14-08-2010)


Yusef Lateef (Chattanooga, Tennessee, EUA, 09-10-1920 - Shutesbury, Massachusetts, EUA, 23-12-2013)


Johnny Hodges (Cambridge, Massachusetts, EUA, 25-07-1906 - Cambridge, Massachusetts, EUA, 11-05-1970)


Mahalia Jackson (New Orleans, Louisiana, EUA, 26-11-1911 - Evergreen Park, Illinois, EUA, 27-01-1972) e Duke Ellington (Washington, EUA, 29-04-1899 — New York, EUA, 24-05-1974)


Letra

Oh dear Lord I´ve loved
God almighty, God up above
Please, look down and see my people through
I believe the sun and moon
Will shine up in the sky
When the day is grey
It´s just clouds passing by
He´ll give peace and comfort
To every troubled mind
Come sunday, oh come sunday
That´s the day
Often we feel weary
But he knows our every care
Go to him in secret
He will hear every prayer
Lillies on the valley
They neither toll nor spin
And flowers bloom in spring
And birds sing
Up from dawn till sunset
Man work hard all the day
Come sunday, oh come sunday
That´s the day

Lamento, algumas eventuais falhas nas letras, encontradas na Internet, devido à própria improvisação dada pelos seus intérpretes, e muitas vezes de difícil entendimento. (Ricardo Santos).

quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

Estou ?! Posso pedir um disco ? (IX)

O pedido de hoje é da bloguer Fernanda, do Blogue “O Blogue da Fê Blue Bird”. O Blogue da Fê, como é conhecida, é um Blogue bonito, com muita poesia e temas interessantes.
A Fê deixou uma mensagem do que a levou a escolher esta música:

A música que escolhi tem a ver com uma fase complicada da minha vida a nível de saúde.
Uma grande amiga, que conheci através de um fórum de auto-ajuda na internet, dedicou-me o vídeo, cuja letra da música me emocionou na altura e que me emociona ainda hoje.

Almir Sater (14-11-1956)


Maria Bethânia (18-06-1946)


Alguma história sobre os discos, antigo suporte magnético que, actualmente, continua a ter imensos adeptos, dado que está cientificamente provado que a qualidade sonora do vinil é superior à do CD, dizem !

Os 78 rpm (rotações por minuto) eram os antigos discos, de goma-laca, que tocaram durante alguns anos nos gramofones dos nossos avós.

Os 33 rpm (rotações por minuto) eram os antigos “LP” (Long Play) de vinil que tocavam nos nossos antigos gira-discos.
Os 45 rpm (rotações por minuto) era os “singles” ou “EP” (Extended Play), também em vinil. Ambos fizeram a delícia das gerações de 60 e 70.

Esta nova publicação viverá, exclusivamente, dos vossos pedidos por “mail” para o meu “email” ricardosantos1953@gmail.com, da música que pretendem ouvir e umas breves palavras sobre o porquê que ela vos foi/é querida.

Peçam uma de cada vez e de vez em quando. Podem começar a enviá-los já hoje. Os pedidos serão atendidos por ordem de chegada dos “mails”.

Serão apresentados dois vídeos, do Youtube. Um será com a escolha de quem me enviou o “mail” e o outro uma escolha minha. Também darei algumas indicações adicionais sobre a composição, compositor e intérprete. Isto caso a música exista e haja informação adicional sobre ela.

segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

SIC Abandonados – Fábrica da Famel

Os Abandonados foram conhecer a história da motorizada portuguesa Famel e da sua fábrica.

sábado, 5 de dezembro de 2015

Estou ?! Posso pedir um disco ? (VIII)

O pedido de hoje é da bloguer Catarina Almeida, do Blogue “Contempladora Ocidental”. Um Blogue que nos fala de um País onde de certeza muitos de nós gostaríamos de viver, e onde o único senão é o frio. Fala-nos do Canadá. Temas escolhidos por ela que deambula pela cidade onde habita e pelas cidades por perto da sua. Delas traz-nos a beleza com as suas fotose as suas histórias, e ainda…muito importante !!!... as suas aventuras gastronómicas.
Deixou uma mensagem do que a levou a escolher esta música:

Uma canção muito romântica de um cantor com uma voz muito bonita!!

Vitor Espadinha (10-07-1939)


Alguma história sobre os discos, antigo suporte magnético que, actualmente, continua a ter imensos adeptos, dado que está cientificamente provado que a qualidade sonora do vinil é superior à do CD, dizem !

Os 78 rpm (rotações por minuto) eram os antigos discos, de goma-laca, que tocaram durante alguns anos nos gramofones dos nossos avós.

Os 33 rpm (rotações por minuto) eram os antigos “LP” (Long Play) de vinil que tocavam nos nossos antigos gira-discos.
Os 45 rpm (rotações por minuto) era os “singles” ou “EP” (Extended Play), também em vinil. Ambos fizeram a delícia das gerações de 60 e 70.

Esta nova publicação viverá, exclusivamente, dos vossos pedidos por “mail” para o meu “email” ricardosantos1953@gmail.com, da música que pretendem ouvir e umas breves palavras sobre o porquê que ela vos foi/é querida.

Peçam uma de cada vez e de vez em quando. Podem começar a enviá-los já hoje. Os pedidos serão atendidos por ordem de chegada dos “mails”.

Serão apresentados dois vídeos, do Youtube. Um será com a escolha de quem me enviou o “mail” e o outro uma escolha minha. Também darei algumas indicações adicionais sobre a composição, compositor e intérprete. Isto caso a música exista e haja informação adicional sobre ela.

quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

Voluntariado é algo muito importante para todos nós !

Nos dois últimos anos, o primeiro de espera, após a inscrição e o segundo no começo do meu voluntariado, a minha vida completou-se com mais esta tarefa gratificante de ajudar quem precisa e de ter uma palavra para acarinhar seres humanos que um dia tiveram o azar de ter a doença que mais atormenta a Humanidade de há muitos anos a esta parte, o cancro.
Tem sido, e vai continuar a ser uma experiência maravilhosa ajudar a Liga Portuguesa Contra o Cancro !

Petição Cancro da Mama (Liga Portuguesa Contra o Cancro)


Liga Portuguesa Contra o Cancro | 70 anos de solidariedade e de humanização


terça-feira, 1 de dezembro de 2015

Estou ?! Posso pedir um disco ? (VII)

O pedido de hoje é da bloguer Maria Araújo, do Blogue da Sapo “Cantinho da Casa”. Um Blogue onde a autora publica aquilo que gosta ou que a preocupa. É um Blogue onde há espaço para tudo, desde a Moda a assuntos Interessantes e às vezes polémicos.
Deixou um texto que gostei imenso e que mostra o lado criativo da Maria. Obrigado.

Trimmmmm! Trimmmmm! ~
- Está?
- Posso pedir um disco?
- Sim. Qual o disco que quer ouvir?
- Senhor locutor Ricardo, quero ouvir o disco "toca o telefone a toda a hora" da Maria José Valério, porque esta canção faz-me lembrar a minha mãe que a cantava a toda a hora, como outras, e que hei de pedir.
- Está bem. Como se chama a senhora e de onde fala?
- Chamo-me Maria e falo de Braaga!
- Obrigado, senhora Maria. Então vamos à música.

Maria José Valério (06-05-1933)


Rita Filipe - Uma Canção Para Ti - 2ª Edição - Menina dos Telefones - 3ª Gala (12/04/2009 - Semifinal).


Alguma história sobre os discos, antigo suporte magnético que, actualmente, continua a ter imensos adeptos, dado que está cientificamente provado que a qualidade sonora do vinil é superior à do CD, dizem !

Os 78 rpm (rotações por minuto) eram os antigos discos, de goma-laca, que tocaram durante alguns anos nos gramofones dos nossos avós.
Os 33 rpm (rotações por minuto) eram os antigos “LP” (Long Play) de vinil que tocavam nos nossos antigos gira-discos.
Os 45 rpm (rotações por minuto) era os “singles” ou “EP” (Extended Play), também em vinil. Ambos fizeram a delícia das gerações de 60 e 70.

Esta nova publicação viverá, exclusivamente, dos vossos pedidos por “mail” para o meu “email” ricardosantos1953@gmail.com, da música que pretendem ouvir e umas breves palavras sobre o porquê que ela vos foi/é querida.

Peçam uma de cada vez e de vez em quando. Podem começar a enviá-los já hoje. Os pedidos serão atendidos por ordem de chegada dos “mails”.

Serão apresentados dois vídeos, do Youtube. Um será com a escolha de quem me enviou o “mail” e o outro uma escolha minha. Também darei algumas indicações adicionais sobre a composição, compositor e intérprete. Isto caso a música exista e haja informação adicional sobre ela.