Dá a surpresa de ser

Dá a surpresa de ser É alta, de um louro escuro. Faz bem só pensar em ver Seu corpo meio maduro.

Seus seios altos parecem (Se ela estivesse deitada) Dois montinhos que amanhecem Sem ter que haver madrugada.

E a mão do seu braço branco Assenta em palmo espalhado Sobre a saliência do flanco Do seu relevo tapado.

Apetece como um barco. Tem qualquer coisa de gomo. Meu Deus, quando é que eu embarco? Ó fome, quando é que eu como?

10-9-1930 - Poesias. Fernando Pessoa. (Nota explicativa de João Gaspar Simões e Luiz de Montalvor.) Lisboa: Ática, 1942 (15ª ed. 1995) - 123.

sexta-feira, 14 de janeiro de 2022

Annunzio Paolo Mantovani (3)

Não são compositores, embora alguns deles tenham composto, mas foram maestros de grandes orquestras que todos recordamos, com os seus êxitos mais mediáticos.

Annunzio Paolo Mantovani (15-11-1905 – 29-03-1980)

Summertime in Venice, de Alessandro Cicognini e escrita em 1995 para o filme “Summetime” de David Lean.

La Cumparsita

Smoke Gets in your Eyes

Come Prima

24 comentários:

  1. Lembro-me. Nostálgica esta recordação.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Foi uma orquestra muito conhecida e que todos gostavam de ouvir, nomeadamente os seus melodiosos naipe de violinos.
      Brancas nuvens negras, obrigado

      Eliminar
  2. É sempre muito bonito assistir apresentação clássica das orquestras.
    La Cumparsita é a quem mais recordo.
    Bom fim de semana, Ricardo e já lá vai indo o mês de Janeiro.
    abraços,

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vão passar aqui mais algumas que serão conhecidas de muitos de nós.
      Lis obrigado

      Eliminar
  3. O meu pai tinha discos de vinil lá em casa.
    Ainda por lá andarão dentro do móvel Telefunken.
    Abraço, bfds

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O vinil também tenho cá alguns, para aí uns 100. Infelizmente, já não os costumo ouvir, visto que adquiri, posteriormente, quase todos os CD respectivos.
      Pedro obrigado e abraço

      Eliminar
  4. Que belas recordações!
    Summertine in Venice, lembra-me uma bela viagem que fiz a Veneza.

    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Recordaste a tua viagem de gôndola, espero que com a maré cheia :), a Veneza !
      Manuela obrigado

      Eliminar
  5. The music which I love. Thanks for posting.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. There will posted soon, other famous orchestras!
      Orvokki thank you

      Eliminar
  6. Gostei muito da música e de rever Veneza. Estive em todos os locais que o vídeo mostra e muitos mais durante aquelas semanas. Apenas não andei de gôndola. : )
    Também dancei ao som de La Cumparsita. Tantos anos já passaram.
    Tenho que ir a Roma que não conheço. Fui convidada para ir lá este ano com um grupo conhecido, mas acho que não é ainda a altura, a não ser que as variantes tenham desaparecido na altura. Para sempre!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Veneza e gôndola só com maré cheia, porque com a vazia, só com uma mola no nariz :) !
      Espero que venhas a ir a Roma, que também gostaria de visitar.
      As variantes da Covid iremos cetamente todos apanhar alguma delas, penso que seja inevitável, isto dito pelos médicos. Que seja comparável a uma simples constipação. Soube outro dia que só a Pfizer, facturou mais de 35 mil milhões de dólares, desde que começou a pandemia ou o ano9 passado. A desgraça também traz negócio :(((...
      Catarina obrigado

      Eliminar
    2. Uns ganham e outros perdem... sempre foi assim. Podem ganhar todos esses biliões que não fico incomodada. Criaram a vacina que de certa me protege.

      Eliminar
  7. Todas estas melodias são minhas conhecidas de há muito, mas La Cumparsita e Come Prima são as que mais recordações me trazem.
    Gostei muito de as recordar.

    Ricardo, aproveito a oportunidade para te agradecer e retribuir os votos de Bom Ano 2022 que tiveste a amabilidade de me enviar.

    Um abraço também e tudo de bom para ti e para os teus.

    PS- Desculpa por usar esta conta, mas de momento, e não sei até quando, não consigo usar a minha conta "Janita" e tu não tens a opção URL.
    Já vim cá pela enésima vez e agora tive de optar. Obrigada.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mantovani foi durante alguns anos muito ouvido na rádio em Portugal, lembro-me muito bem disso.
      Janita obrigado

      Eliminar
  8. Sabe sempre bem ouvir uma boa orquestra ligeira, das muitas que houve no passado. Há nomes que me ficaram na memória: Percy Faith, Helmut Zacharias, Paul Mauriat, a Orquestra dos 101 Violinos (era assim que ela era identificada nas rádios portuguesas, pois o seu nome original era "101 Strings"), etc. A Orquestra Mantovani, porém, era especial. O Mantovani tinha um dom de prolongar algumas notas de violino, sobrepondo-as às notas seguintes como um longo eco, de modo a arrancar harmonias da peça musical em execução. Ninguém tinha feito isso nem voltou a fazer. Só ele. Gostei muito de voltar a ouvir.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vão passar por aqui algumas mais, fazendo jus à minha memórias, dos nomes dos maestros e das respectivas orquestras.
      Por exemplo, Helmut Zacharias já não me lembrava, anotei :) !
      Existia também um maestro alemão e a sua orquestra que já dei volta à minha memória, mas não me lembro do nome dele :) !

      Sim Mantovani e o prolongamento dessas notas dos violinos foram a chave, se é que se pode chamar assim, do seu sucesso. Todos na altura, falavam dos violinos e da melodiosa orquestra de Mantovani.

      Fernando obrigado pela visita e pelos comentários, sempre oportunos !

      Eliminar
    2. Há mais um nome que eu tinha debaixo da língua, mas que não consegui desembuchar a tempo. Só agora a desembuchei: Ray Coniff. https://www.youtube.com/watch?v=WesDkphsQsY

      Eliminar
  9. Bom ano Ricardo! Boas escolhas musicais!

    ResponderEliminar
  10. Somente conheço o filme “Summetime” de David Lean.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O dar muita atenção aquilo que se faz no país de cada é muito importante e nós Portugueses queixamo-nos disso. Fala-se muito pouco das nossas Artes, sejam elas de que quadrante forem. O darmos mais atenção às "coisas" estrangeiras tem o seu benefício, isto porque muitas vezes, aqui em Portugal conhecemos muita Arte estrangeira e pouco a nossa. O ideal seria uma maior abrangência de tudo o que é cá feito, com Qualidade, e também do que é feito lá fora com Qualidade !!!
      Teresa obrigado

      Eliminar
  11. Conhecia os temas... mas não em versão orquestrada... pelo que adorei descobri-los por aqui!
    Um grande abraço!
    Ana

    ResponderEliminar

Eu fiz um Pacto com a minha língua, o Português, língua de Camões, de Pessoa e de Saramago. Respeito pelo Português (Brasil), mas em desrespeito total pelo Acordo Ortográfico de 90 !!!