Contigo nunca me perco, perdendo-me ! (Ricardo Santos)

sábado, 3 de fevereiro de 2018

Moody Blues (6)

(Dados Biográficos In Wikipédia e/ou In AllMusic.Com - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos)

Os “Moody Blues” foram um grupo que segui até 1971, com o álbum “Seventh Sojourn”. Até aí ouvi e coleccionei os “vinil”, depois, somente os segui, amiúde. Hoje tenho toda a discografia deles. Sempre me agradaram bastante, pela sua música trabalhada e muito bem executada, muitas das vezes acompanhada por orquestra. Por aqui no “O Pacto Português”, e durante algumas semanas (um álbum por semana, até ao “Seventh Sojourn), vou dar-vos um pouco das melodias e do “Rock” deste agrupamento, e também algumas palavras sobre os “MB” (biografia) e análise dos álbuns por críticos musicais. A análise dos álbuns dos “Moody Blues” foram traduzidas do sítio do AllMusic.com e da Wikipedia (versão inglesa). Não sei as análises da AllMusic.com,  são da época ou actuais, mas valem o que valem e como sempre tenho dito, sou um melómano amador e não sei ler uma pauta musical, embora tenha a certeza que não conseguiria viver sem ela.

The Moody Blues (Birmingham, Maio 1964 – 20xx)

The Moody Blues são uma banda de Rock Inglês. Entre algumas das suas inovações para a época conta-se com a fusão com a música clássica. Isto é evidente, e principalmente, no excelente álbum, de 1967, “Days Of Future Passed”.
The Moody Blues venderam mais de 70 milhões de álbuns em todo o mundo e obtiveram 14 discos de ouro e platina. A partir de 2012 eles permanecem activos, com um membro da banda original de 1964, John Lodge, e mais dois a partir da linha 1967, Justin Hayward e Graham Edge.

Discografia:

The Magnificent Moodies (1965)
Days of Future Passed (1967)
In Search of the Lost Chord (1968)
On the Threshold of a Dream (1969)
To Our Children's Children's Children (1969)
A Question of Balance (1970)
Every Good Boy Deserves Favour (1971)
Seventh Sojourn (1972)
Octave (1978)
Long Distance Voyager (1981)
The Present (1983)
The Other Side of Life (1986)
Sur la Mer (1988)
Keys of the Kingdom (1991)
Strange Times (1999)
December (2003)

Etiquetas - Decca, Deram, Threshold, Polydor, Universal, Ark 21, Eagle, Image.
Membros actuais - Graeme Edge, John Lodge e Justin Hayward.
Membros anteriores - Ray Thomas, Michael Pinder, Denny Laine, Clint Warwick, Rodney Clark e Patrick Moraz.


Álbum (vinil) - A Question Of Balance (1970), Threshold THS 3. Gravado entre 17 de Janeiro e 6 de Junho de 1970. Editado em 7 de Agosto de 1970.

Embora os Moodies já definissem um estilo bem próprio e um pouco psicadélico, e ajudassem a definir o som do rock progressivo (então também conhecido como 'rock art'), o grupo decidiu gravar um álbum que poderia ser tocado em público. Este álbum, atingindo o número 3 de vendas nas tabelas norte-americanas e o número 1 nas britânicas, foi, também, indicativo do crescente sucesso da banda na Estados Unidos da América. Aliás, parece ter sido um dos primeiros álbuns de rock que abordaram a questão da ecologia (exemplo: We'll spoil the seas with the rivers we've lost, de Edge's na composição "Don't You Feel Small". A composição "Question" de Hayward (numa versão diferente) foi emitida como single, alcançando o número 2 de vendas no Reino Unido, mantida abaixo do primeiro lugar apenas pela canção "Back Home" da “England World Cup Football”. Justin Hayward começou numa exploração artística dos tons da guitarra através do uso de numerosos pedais de efeitos sonoros e desenvolveu para si mesmo um som de guitarra e solo, muito melódico. Os “Moody Blues” já se tinham tornado por si só e por direito próprio, um “Top” de tabelas de vendas. Eles apareceram duas vezes no famoso “Festival Isle of Wight”. Um DVD da sua actuação neste Festival, foi lançado em 1970. O "Melancholy Man" de Pinder (single número 1, em França) destacou-se ao lado de "Question" de Hayward, neste álbum de 1970.

Formação do álbum “A Question Of Balance": Justin Hayward (vocais, guitarras e bandolim), John Lodge (vocais, baixos e harpa), Ray Thomas (vocais, flauta, e pandeireta), Graeme Edge (vocais, bateria e percussão) e Mike Pinder (vocais, teclas e sintetizador).
Melhor classificação, Álbum: 3º. Lugar “Billboard 200” em 1972 e Tema “Nights In White Satin” 2º. Lugar “Billboard Hot 100” em 1972.


It's Up to You, de Justin Hayward, em versão acústica e,…


… em versão estúdio


Dawning Is the Day, de Justin Hayward.


Melancholy Man, de Mike Pinder, em versão ao vivo, e…


… em versão estúdio


Question, de Justin Hayward.

16 comentários:

  1. Num baú de livros e discos que herdei está o LP Long Distance Voyager dos Moody Blues em perfeito estado.

    Sempre com boas escolhas,Ricardo!
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os Moody Blues são uma banda importante na minha vida. Tenho os oito primeiros álbuns em vinil e todos em mp3 ! :))
      Obrigado mz

      Eliminar
  2. Sempre gostei dos Moody Blues, embora não tenha a tua preciosa colecção, mas gostava :)
    Gostei de os ouvir por aqui e deu-me muito prazer. :)
    Uma boa selecção musical Ricardo

    ResponderEliminar
  3. Seu blog é muito
    interessante.
    Estou chegando agora,
    vou ler mais um pouco
    e volto para comentar as
    postagens. Já seguindo
    aguardo sua vista.
    Feliz domingo.
    Bjins e/ou Abraço
    CatiahoAlc.

    ResponderEliminar
  4. Que excelente escolha! Os Moody Bluess fazem parte dos meus vinil, não sei quais as músicas, porque estão com a minha filhota assim como o gira discos.

    Boa semana Ricardo e um beijinho com carinho.

    Adélia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois de vinil tenho os 8 primeiros !...
      Obrigado e Boa Semana Adélia

      Eliminar
  5. Fazem parte da galeria restrita dos que ficam para sempre.
    Aquele abraço, boa semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Exactamente Pedro, com uma música muito desenvolvida e trabalhada para a altura!
      Obrigado e Abraço

      Eliminar
  6. Sempre gostei dos Moody Blues, embora não tenha a tua preciosa colecção, mas gostava :)
    Gostei de os ouvir por aqui e deu-me muito prazer. :)
    Uma boa selecção musical Ricardo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A minha preciosa colecção posso disponibilizá-la toda a quem quiser em mp3. E de bónus ainda levam o concerto de 2000 no Royal Albert Hall.
      Quem quiser tem o meu email é só pedir !
      Obrigado Manuela

      Eliminar
  7. Respostas
    1. Não há nada para agradecer, são tão somente os MOODY BLUES !!!
      Obrigado NI

      Eliminar
  8. Ricardo, this music is fantastic. Thanks.
    Hugs

    ResponderEliminar
  9. Deste álbum já tenho memórias vivas.
    Este é dos álbuns que tocava vezes sem conta no gira-discos do meu irmão.
    E lembro-me bem da capa do disco. Muito interessante!
    As versões de estúdio são sempre as que gosto mais.

    Beijinhos revivalistas
    (^^)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tenho os oito primeiros vinil deles, como já disse. Este foi o meu primeiro álbum que mandei vir do Reino Unido (País de Gales). A £ibra estava a 56$00 e compensava mandar vir de fora. Mandavam-se vir dois ou três LP e um deles deveria ser um duplo ou triplo, para tudo ficar mais barato. Vinham por correio à cobrança, que eram mais 20$00. A qualidade das gravações eram excelentes. Em Inglaterra já se gravava em muitas pistas, já não me lembro quantas e as prensagens eram excelentes !!!
      Só para teres uma ideia o Festival de Woodstock (1969), eram um triplo e um duplo álbuns que se compravam cá por mais de 800$00, lá adquiriam-se por pouco mais de metade. Tenho bastante vinil de rock que mandei vir de lá !!!

      Obrigado Afrodite

      Eliminar

Eu fiz um Pacto com a minha Língua, o Português, língua de Camões, de Pessoa e de Saramago.