A paixão nua e cega dos estios, Atravessou a minha vida como rios

Sophia de Mello Breyner Andresen, A Paixão Nua, in “O Nome das Coisas”.

sábado, 8 de abril de 2017

Eyes Thru Glass (16) – Igrejas de Lisboa (I)

Aqui neste blogue e no “Eyes thru Glass“ mostro aquilo que os meus olhos vêem, através da objectiva.

Aqui ficarão somente as fotos, sem texto ficcional e sem música, apenas uma breve introdução, onde são tiradas e quando, e eventualmente alguma especificação técnica. Cliquem sobre a primeira foto para poderem vê-las em formato maior.

Igrejas de Lisboa (I)

No dia 23 de Setembro de 2014, Igreja do Cristo Rei, no bairro da Portela






No dia 28 de Setembro de 2014, Igreja do Santo Condestável, no bairro de Campo de Ourique






No dia 1 de Outubro de 2014, Igreja de São João de Brito, no bairro da Alvalade






No dia 2 de Outubro de 2014, Igreja de Santo Eugénio, no bairro da Encarnação






No dia 8 de Fevereiro 2012, Igreja de São Domingos, em plena Baixa de Lisboa






34 comentários:

  1. bonita arquitetura de vários estilos, Ricardo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Algumas nem têm propriamente algum estilo. O caso da igreja da Encarnação. É uma mera igreja de bairro, muito simples !
      Obrigado Ângela

      Eliminar
  2. A única igreja de Lisboa em que já entrei foi a Basílica da Estrela. De resto só no exterior. E a primeira, só na televisão. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também tenho fotos dela. Hão-de aparecer por cá !
      Obrigado Luísa

      Eliminar
  3. Gostei muito da Igreja de S. Domingos.
    bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tem uma grande história. Carrega no nome dela e lê se te interessar Papoila !
      Obrigado

      Eliminar
  4. É uma vergonha, mas não conheço o interior de nenhuma igreja em Lisboa, tenho sempre a impressão que tenho de usar tripé por falta de luz suficiente.
    Gostei muito destas que mostras, fotos muito ao teu estilo.

    Beijos Ricardo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Manuela precisas de te encostar a uma coluna como eu faço ou a um banco para ficar com a mão mais firme e poder fotografar sem flash, como em todas estas. Na realidade, não precisas de tripé, mas é preciso estar com a máquina bem posicionada e encostados a algum sítio.
      Obrigado

      Eliminar
  5. Reconheci as três primeiras igrejas de um desafio que o Rui realizou com fotos tuas.
    A igreja do Cristo Rei na Portela é inconfundível. Já tenho visto na televisão celebrações litúrgicas que são transmitidas de lá.

    A última, a igreja de São Domingos, é a única que já visitei sem ser pelo Google. Já estive lá por duas vezes e ambas me marcaram imenso. A visão das paredes queimadas e a carga histórica que aquele local carrega, mexem connosco.

    Gostei muito de recordar.
    Beijinhos de fé
    (^^)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. São na realidade, todas bem diferentes umas dos outras, mas todas elas são bonitas. A igreja da Portela é talvez a que mais se destaca, pelas suas linhas contemporâneas e ousadas, com a torre sineira separada. Gostei do conceito quando a fui visitar e fotografar.
      A igreja de São Domingos tem uma história imensa de fogo, de terramoto. Adoro passar lá e já lá fiz muitas fotografias, estas são somente uma brevíssima mostra.
      Pois algumas delas dei ao Rui para os seus desafios fotográficos. Tenho mais de igrejas e irão passar por aqui !
      Obrigado Afrodite

      Eliminar
  6. Gosto muito de visitar igrejas qualquer que seja a cidade onde me encontre.
    Em Lisboa, cheguei a ir à missa na Basílica da Estrela.
    Gostei imenso destas fotos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também tenho fotos da Basílica, eu adoro fotografar monumentos, igrejas, tudo o que estiver relacionada com arquitectura. Vão passar por aqui muitas mais fotos de igrejas de zonas do País por onde tenho passado e fotografado. Talvez traga algumas do estrangeiro.
      Os templos religiosos causam-me Paz e gosto de estar dentro deles, e sentir-me pequenino na imensidão desse templo.
      Obrigado Catarina

      Eliminar
  7. The second church is a marvelous gorgeous inside.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. The second search dos not have any text in English. As you know, Portugal is a country with more than one thousand years old. This Church is not so old. I took the liberty and translate the Wikipedia text for you:

      The Church of Santo Condestável is located in Campo de Ourique, neighborhood and parish of Lisbon, Portugal.
      The church, built in neo-Gothic style in honor of the Countess D. Nuno Álvares Pereira (1360-1431), also known as St. Nuno of Santa Maria, was designed by the Portuguese architect Vasco Regaleira and inaugurated on August 14, 1951.
      The Condestável is also remembered with sculptures in the Arch of the Augusta Street, in the Commerce Square, in Lisbon and in the castle of Ourém.

      Thanks for your visit orvokki !

      Eliminar
  8. Igrejas para vários gostos arquitectónicos! Para mim, quanto mais austeras, mais sentido fariam, mas o certo é que gostamos de contemplar o belo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. M. o nosso País é uma riqueza cultural de uma ponta a outra. Temnos monumentos impressionantemente belos e dignos de olharmos para eles. Eu como gosto imenso de fotografar arquitectura, perco-me com as minhas fotos em enquadramentos losangonais e diferentes do habitual.
      Obrigado

      Eliminar
  9. Como já referido, Ricardo, algumas destas já me são familiares, por gentileza tua ! :)) ... e não são só essas ! rsrs... Ainda tenho algumas de que ainda não fiz post por serem demasiado conhecidas, ou facilmente reconhecíveis por pesquisa no google ! rsrs

    Realmente a da Portela (pelas linha modernas) e a de S. Domingos pela sua História e pelo que representa hoje, são muito especiais !

    Admiráveis algumas dessa fotos, pelo ângulo que tu escolheste !

    Abraço :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Rui eu como gosto dos teus desafios de fotografia, dá-me muito prazer dar-te alguma mão-de-obra para tu utilizares.

      As duas igrejas que citaste sobressaiem aqui sim, uma pelas suas diferentes formas e outra pela sua longínqua História no tempo, e enquanto numa entramos lá e admiramos aquilo que vemos de diverso e a sua distribuição no espaço, a outra está carregada de emoções e quando lá entro, acho que algo mexe comigo, parece que ela, igreja, nos quer contar aquilo porque passou.

      Os ângulos escolhidos, devem-se á minha atitude de querer sempre fugir à rotina e às frases feitas.

      Obrigado e Abraço

      Eliminar
    2. Eu acho que temos que dar os parabéns às entidades que decidiram deixar a igreja tal como está hoje, após o estado em que ficou depois do incêndio !
      É história viva !!! ... e é verdade , lá sentidos que há qualquer coisa que mexe connosco e isso deve-se ao modo como ela se nos apresenta !

      Eliminar
    3. Estou de acordo contigo Rui. Quem diz que, neste caso, uma igreja não tem força para nos criar sensações quando entramos dentro dela. Eu acho que tem e muita !
      Abraço Rui

      Eliminar
  10. Olá, Ricardo!

    Há quanto tempo eu não passava por aqui! Calhou, hoje!

    Novo Design de Blogue, temática que não era habitual, enfim, o "mundo é composto de mudança", já o poeta e a canção diziam e dizem.

    Fantásticas as fotos, que faz, e eu k conheço quase todas as igrejas aqui mostradas, excetuando a do Santo Condestável, sinto-me em casa e parece que me pertencem, um bocadinho, também.

    A semana passada estive na de S. João de Brito, mais uma vez, olhando, olhando e meditando, simultaneamente. Gosto daquela zona e de tomar um chá por ali.

    Estou a ler na sua resposta acima, k gosta de fotografar arquitetura, e em enquadramentos pouco usuais, então, e não descurando o nosso país, Paris, que, mto provavelmente conhece, vem logo a seguir.

    Beijo e bom domingo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Céu este espaço de quando em quando gosta de mudar o seu visual, é necessidade do próprio "dono".

      As fotos estão razoáveis, são igrejas diversas umas das outras mas os templos religiosos são espaços de Paz, e eu gosto disso !

      São João de Brito, vivi por ali 20 anos que foram muito agradáveis. Foi na Biarritz que muitos anos me cruzei com o Tordo e o Ary dos Santos. Foi por lá também, que vi o Luís Villas-Boas, alguém que tem muito significado por ter "empurrado" o jazz em Portugal para a frente.

      Já fotografei em Paris, mas Lisboa é a minha cidade de berço, não a troco por nenhuma deste Mundo !

      Obrigado pelo comentário

      Eliminar
    2. Claro, Ricardo! É bom mudar o visual de coisas e pessoas e o seu rosto (peço desculpa pela análise -rs) é todo dado a mudanças, embora com alguma segurança e sensatez.

      Não seja modesto, "menino"! As fotos estão fora do comum.

      Eu fui algumas vezes à Biarritz, mas achava-a pouco limpa, embora me cruzasse lá com figuras públicas famosas, mas era uma adolescente tímida, recatada e sabia pouco ou nada desses assuntos. Onde eu encontrava o Tordo e o Paulo de Carvalho era na pastelaria/café Roma (eu andei no Filipa) e tb no Vá-Vá.

      Gosto mto de Paris, mas não a troco por Lisboa, nem por Beja, minha cidade natal.

      Abraço e apareça, qdo e se quiser.

      BOA PÁSCOA!

      Eliminar
  11. A primeira Igreja já a conhecia. O interior das outras é, de facto, imponente. Admiro a tua inclinação e gosto em fotografar igrejas.
    Sabes uma coisa? Ao ver a do Bairro da Encarnação, veio-me à ideia o tempo em que eu e a minha irmã, mais algumas amigas, todas ou quase, alentejanas. Íamos a pé de Moscavide até à Encarnação, passando pelo meio de campos cultivados com favais e searas. Nessa altura, não havia Olivais norte nem sul, era Olivais e mais nada! :) Isto, há cerca 50 anos...

    Gostei muito das fotos e das lembranças que me trouxeste! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os meus pais e eu morámos em Moscavide de 57 a 79. Conheço o que tu dizes os Olivais, só com quintas, embora eu fosse muito miúdo, na altura.

      Remeto-te se estiver interessada em ler um livro de um amigo, mais velho, sobre as quintas dos Olivais, o Fernando Furtado Barreiros e o seu livro "O Bairro da Encarnação e as Antigas Quintas dos Olivais", escrito conjuntamente com Carlos Alberto Revez Inácio.

      Pela Encarnação fiz muitas fotos e dois pequenos videos clips que estão no meu Canal e neste link do post de homenagem ao livro do Fernando.

      https://opactoportugues.blogspot.pt/search?q=quintas+dos+olivais

      Obrigado Janita

      Eliminar
    2. O mundo é mesmo uma casca de noz!!
      Chego à conclusão que durante todo o tempo que eu vivi em Moscavide, tu também lá estavas. Cheguei por volta de 58/59 e vivi lá até 64/65.
      Morávamos num primeiro andar de um prédio quase em frente ao Jardim público. A Igreja ficava ao fundo da Avenida de Moscavide e, nesse Largo, morava uma irmã do Camilo de Oliveira, a Badita de Oliveira, que conheci porque ela alugava trajes antigos. Provavelmente, vestidos que haviam feito parte do guarda-roupa de peças de teatro. A minha irmã, mais velha do que eu seis, adorava mascarar-se nos bailes de Carnaval e eu ia lá com ela.:)
      Leva o livro no dia 30, Ricardo, se tiveres um exemplar a mais, eu compro-o. Agora, tenho mais um motivo para desejar ir, assim tudo me corra a contento. Irei procurar fotos tiradas no Jardim e levo-as.Pelo menos uma, tenho!
      Obrigada, Ricardo.

      Eliminar
    3. A igreja ainda vai passar por aqui. teria passado desta vez se eu soubesse que tu tinhas morado em Moscavide. Mas vai passar mais tarde. Mas sou capaz de disponibilizar uma surpresa. Algo que te fará chorar digo eu !

      Eu morava na primeira transversal da avenida de Moscavide à esquerda na Rua António Pedro de Carvalho.

      O Jardim hoje é fechado à noite, por causa, acho eu, dos drogados e dos sem abrigo. De dia está aberto aos reformados e tem um lugar para eles jogarem às cartas.

      Na primeira andei no Externato Almeida Garrett, hoje sucursal do PS e no liceu andei no Externato de Moscavide que ficava em frente ao Jardim.

      Lembro-me de ouvir falar dessa senhora irmã do Camilo de Oliveira, que fazia fatos.

      Vou ver se te arranjo um livro, para levar no dia 30 e até lá digo-te quanto custa, se estiveres interessada.

      Obrigado Janita

      Eliminar
    4. Vê aqui Moscavide Janita e relembra algumas ruas da famosa vila de Moscavide, com música do Pat Metheny, como não podia deixar de ser, como uma música de fundo ...
      https://www.youtube.com/watch?v=21_bbIQl0i0
      Abraço

      Eliminar
    5. Agora fiquei em pulgas com a surpresa, Ricardo.:)
      Que coisas estranhas e incríveis a vida tem...
      No teu vídeo as ruas continuam praticamente iguais, às lembranças que tenho, mas com muitos, muitos mais carros do que naquela altura. Andávamos pelo meio das ruas. O Jardim não era vedado.
      Vamos ter muito que falar, e não precisas dizer o preço do livro. Certamente, não será mais caro do que qualquer outro livro.

      Um abraço, Ricardo.

      Eliminar
  12. A nossa cidade Ricardo tem igrejas muito belas, por acaso conheço todas as que tão bem fotografaste.

    Um beijinho e boa semana

    O Toque do coração

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fernanda muito obrigado pela visita. Mais virão passar aqui !
      Abraço e boa semana

      Eliminar
  13. Portugal possui um património religioso absolutamente extraordinário.
    Aquele abraço, boa semana

    ResponderEliminar

Eu fiz um Pacto com a minha Língua, o Português, língua de Camões e de Pessoa.