Contigo nunca me perco, perdendo-me !!!... (Ricardo Santos)

sexta-feira, 28 de outubro de 2016

Jazz Standards (CLVII)

(Dados Biográficos In Wikipédia e In AllMusic.Com - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos)

(Sobre o tema em questão, algumas palavras retiradas de “in
http://www.jazzstandards.com/compositions/index.htm” - adaptação e tradução por Ricardo Santos)

Moon Indigo (#161) - Música e Letra de Barney Bigard, Duke Ellington e Irving Mills
A orquestra de Duke Ellington apresentou "Mood Indigo", no Cotton Club de New York, em 1930. Embora os créditos da composição tenham sido dados a Albany Bigard, Duke Ellington e Irving Mills, que era o patrão de Ellington naquela altura, a história completa é um pouco mais complicada. As primeiras gravações da orquestra e com esta melodia foram feitas em Outubro e Dezembro de 1930.

Nina Simone (Tryon, North Carolina, EUA, 21-02-1933 — Carry-le-Rouet, França, 21-04-2003) – Poderá ser a versão do álbum lançado a 24 de Junho de 1958, com Nina Simone (vocal, piano e arranjos), Jimmy Bond (contrabaixo) e Albert "Tootie" Heath (bateria).


Duke Ellington (Washington, EUA, 29-04-1899 — New York, EUA, 24-05-1974) – A orquestra de Duke, com Paul Gonsalves (saxofone tenor), Sam Woodyard (bateria), John Lamb (contrabaixo), Lawrence Brown (piano), Russell Procope (clarinet) e Harry Carney (saxofone barítono).


Charles Mingus (Nogales, Arizona, 22-04-1922 – Cuernavaca, Mexico, 05-01-1979)


Tony Benett (Anthony Dominick Benedetto) (Queens, New York, EUA, 03-08-1926 - 20xx) – A segunda faixa do álbum, “Sings Ellington Hot & Cool”, lançado a 28 de Setembro de 1999.


Letra

You ain't never been blue, no, no, no
You ain't never been blue
Till you've had that mood indigo
That feeling goes stealing right down to my shoes
While I just sit here and sigh
Go along blues
I always get that mood indigo
Since my baby said goodbye
And in the evening when the lights are low
I'm so lonely I could cry
For there's nobody who cares about me
I'm just a poor fool that's bluer than blue can be
When I get that mood indigo
I could lay me down and die
You ain't been blue, no, no, no
You ain't never been blue
Till you've had that mood indigo
That feeling goes stealing right down to my shoes
While I just sit here and sigh
Go along blues

Lamento, algumas eventuais falhas nas letras, encontradas na Internet, devido à própria improvisação dada pelos seus intérpretes, e muitas vezes de difícil entendimento. (Ricardo Santos).

quarta-feira, 26 de outubro de 2016

Humor – O Pátio das Cantigas – Vinho / Ò Evaristo tens cá disto ?

Sem querer aqui polemizar as recentes produções de “A Canção de Lisboa” e “O Pátio das Cantigas”, penso que com a riqueza literária do nosso País, talvez fosse bom fazer bom cinema, baseado na nossa literatura humorística que a há, em vez de repetições de filmes que foram magistralmente interpretados por grande actores cómicos da nossa cena teatral e cinematográfica. Sigam, os exemplos, de filmes originais e com guiões bem escritos, como foram os casos da “Gaiola Dourada” e do “Filme da Treta”.


domingo, 23 de outubro de 2016

Eyes Thru Glass (IV) – Aqueduto das Águas Livres

Aqui neste blogue e no “Eyes thru Glass“ mostro aquilo que os meus olhos vêem, através da objectiva.

Aqui ficarão somente as fotos, sem texto ficcional e sem música, apenas uma breve introdução, onde são tiradas e quando, e eventualmente alguma especificação técnica. Cliquem sobre a primeira foto para poderem vê-las em formato maior.

No dia 16 de Fevereiro de 2014, com a minha Nikon D3200, baixo da gama, fiz umas quantas imagens do Aqueduto das Águas Livres em Lisboa. Foi a primeira vez que saí a fotografar com esta máquina e deu-me um prazer enorme “bater” fotos com ela. Visitem o sítio oficial da EPAL e organizem as vossas visitas.







quinta-feira, 20 de outubro de 2016

Pat Metheny Group – Para quem quiser ouvir (IX)

(In Wikipédia ou http://www.patmetheny.com - Os excertos das biografias foram adaptados e traduzidos, o resto dos textos são da minha autoria – Ricardo Santos)

O “jazz fusão”, “jazz rock” ou simplesmente “fusão” é um género musical que se desenvolveu nos finais de 1960, de uma mistura de elementos de jazz, tal como o seu foco na improvisação com os ritmos e tons de “funk” e “R&B”, instrumentos eléctricos altamente amplificados e efeitos electrónicos de “rock”. Enquanto o termo “jazz rock” é muitas vezes utilizado como um sinónimo de “jazz fusão”, ele também se refere à música executada nos finais de 1960 e na época de 1970 das bandas rock, quando eles adicionaram elementos de jazz à sua música, como uma forma livre de improvisação.
Depois de uma década de desenvolvimento durante os anos 70, a “fusão” expandiu-se nas capacidades de improvisação e nas tentativas experimentais durante os anos 80 e 90.
Álbuns de “fusão”, mesmo aqueles que são feitos pelo mesmo grupo ou artista, podem incluir uma variedade de estilos. Diferentemente de serem um estilo musical codificado, a “fusão” pode ser vista como uma música tradicional ou aproximação a ela.
Alguma música de “rock progressivo” é também etiquetada por “fusão”. A música de fusão é tipicamente instrumental, muitas vezes com complexas assinaturas temporais, métricas e padrões rítmicos, e também extensas faixas, com improvisações longas. Muitos proeminentes músicos de fusão são reconhecidos, como tendo um alto nível de virtuosismo, combinado com composições complexas e música improvisada complexas ou de um amalgamado de métricas.

A música de PMG, algumas vezes de “jazz fusão” ou “fusão”, que irá passar por aqui contem na maioria das vezes um tema que a inicia e que, de seguida, dá origem aos espaços improvisados de melodias complexas, com Pat Metheny (guitarra e guitarra sintetizada) e os outros músicos. Para terminar, ela retorna ao tema principal para os momentos finais da composição.
As interpretações textuais de algumas músicas são minhas. Como um livro, a música também pode tentar ter uma interpretação, baseada no seu título, porque não ?

SPEAKING OF NOW

“Speaking of Now” de composição total de Pat Metheny e Lyle Mays com excepção de uma música, somente, da autoria de PM.
Foi gravado em 2001 em New York (Right Track Studio). Músicas escolhidas, a faixa nº. 4 “The Gathering Sky” de 9’ 22” e a faixa nº. 5 “You” de 8´24”, exibida anteriormente.

Formação:

Pat Metheny (guitarra e guitarras acústica e sintetizada);
Lyle Mays (piano e teclas);
Steve Rodby (baixos acústico e eléctrico);
Antonio Sanchez (bateria);
Richard Bona (vocal, percussão e vários instrumentos); e
Cuong Vu (vocal, trompete e vários instrumentos).

Produção de Pat Metheny e Co-produção de Steve Rodby e Lyle Mays.

A versão aqui exibida é do DVD ao vivo gravado em Tóquio no Japão, em 19 e 20 de Setembro de 2002

The Gathering Sky (1ª. Parte)

Esta música poderia ser também o chamado “cavalo de batalha”. “O céu e as nuvens vão-se reunindo…” é bem definido do que é a introdução, um tema, os solos e novamente o tema para finalizar. A versão do Youtube é de relativa qualidade e está separada em dois “clips”. Aqui vão as minhas indicações para o primeiro:

00:08 – Introdução e Tema (guitarra de Metheny e de Richard Bona, piano Mays e grupo);
01:16 – O tema continua a ser explorado;
02:30 – Acordes finais do piano e saída do tema, para os solos;
02:43 – Cuong Vu (trompete);
03:20 – Pat Metheny (guitarra);
05:52 – Grupo termina o solo de Metheny;


The Gathering Sky (2ª. Parte)

Aqui vão as minhas indicações para o segundo:

00:00 – 04:25 – Antonio Sanchez (bateria), para quem julgava que já tinha ouvido e visto tudo, em matéria de solos de bateria, ouçam com muita atenção, este exímio baterista!;
04:34 – Vamos voltar ao tema, o grupo vai novamente introduzi-lo para nós. Um crescendo até lá;
05:47 – Tema até ao fim, com todo o grupo e a voz de Richard Bona.

quarta-feira, 19 de outubro de 2016

Vencedores Desafio de 17 de Outubro

Hoje era o dia de publicar os resultados do desafio (17-09-2016), onde a Bloguer Afrodite publicou a sua música. Aqui ficam os resultados:


Obrigado a todos os que participaram. Vencedores foram: Pedro Coimbra; Rui Espírito Santo; Papoila; Luísa e Teté. Participaram ainda: Janita, Teresa (Ematejoca), e Manuela.

Podem comentar aqui ou no "post" do próprio desafio.

segunda-feira, 17 de outubro de 2016

Estou ?! Posso pedir um disco ? (XXIX)

De quem é esta escolha musical ?
Começa hoje e têm 2 dias para descobrir e 3 hipóteses de escolha. Mandem-me por “mail” quem pensam que é e eu irei respondendo.
Dia 19 divulgarei, para Todos, os Vencedores !

A/O Bloguer deixou uma mensagem do que o levou a escolher esta música:

Escolhi este tema por dois motivos: primeiro porque é impossível ficar indiferente à sua beleza... e depois porque é um instrumental e é a música instrumental a que mais emoções me transmite.

Yo-Yo Ma (Paris, França, 07-10-1955 – 20xx) e Ennio Morricone (Roma, Itália, 10-11-1928)


Do filme "Legend of 1900" - Playing Love

sábado, 15 de outubro de 2016

Artrite - Interacção Humorística (CLVII)

Em 09-04-2012. Obrigado.

Artrite

Num autocarro, um padre sentou-se ao lado de um bêbado que, com dificuldade, lia o jornal.

De repente, com a voz 'empastada', o bêbado perguntou ao padre:

- O senhor sabe o que é artrite?

O padre logo pensou em aproveitar a oportunidade para passar um sermão ao bêbado e respondeu-lhe:

- É uma doença provocada pela vida pecaminosa e sem regras: excesso de consumo de álcool, certamente mulheres perdidas, promiscuidade, sexo, farras e outras coisas que nem ouso dizer.

O bêbado arregalou muito os olhos, calou-se e continuou lendo o jornal.

Pouco depois o padre, achando que tinha sido demasiadamente duro com o bêbado, tentou amenizar e pergunta-lhe:

- Há quanto tempo é que o senhor está com artrite?

- Eu?... Eu não tenho artrite!... diz aqui no jornal, que quem tem é o Papa!

segunda-feira, 10 de outubro de 2016

Inesquecíveis (XV)

(Dados Biográficos In Wikipédia e/ou In AllMusic.Com - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos) e (http://memoriaglobo.globo.com/ da TV Globo)

Novela:          Tieta do Agreste                 
Ano:               1989  
Tema:             Tieta  
Intérprete/s:   Luiz Caldas (19-01-1963)                        
Autor/es:        Paulo Debétio/ Boni


Novela:          Gabriela, Cravo e Canela                        
Ano:               1975
Tema:             Guitarra Baiana      
Intérprete/s:   Moraes Moreira (08-07-1947)                              
Autor/es:        Moraes Moreira

domingo, 9 de outubro de 2016

Vencedores Desafio de 7 de Outubro

Hoje era o dia de publicar os resultados do desafio (07-10-2016), onde a Bloguer Teresa publicou a sua música. Aqui ficam os resultados:


Obrigado a todos os que participaram. Vencedores foram: Luísa e Rui. Participaram Janita, Afrodite, Catarina e Manuela. 

Podem comentar aqui ou no "post" do próprio desafio.

sexta-feira, 7 de outubro de 2016

Estou ?! Posso pedir um disco ? (XXVIII)

De quem é esta escolha musical ?
Começa hoje e têm 2 dias para descobrir e 3 hipóteses de escolha. Mandem-me por “mail” quem pensam que é e eu irei respondendo.
Dia 9 divulgarei, para Todos, os Vencedores !

A/O Bloguer deixou uma mensagem do que o levou a escolher esta música:

Jazz é sinónimo de música relaxante, esta especificamente faz-me lembrar umas férias muito felizes.

Ella Fitzgerald (Newport News, EUA, 25-04-1917 — Beverly Hills, EUA, 15-06-1996)


Annie Lennox (Aberdeen, Escócia, 25-12-1954 - 20xx)

segunda-feira, 3 de outubro de 2016

Eyes Thru Glass (III) – Praça de Touros do Campo Pequeno

Aqui neste blogue e no “Eyes thru Glass“ mostro aquilo que os meus olhos vêem, através da objectiva.

Aqui ficarão somente as fotos, sem texto ficcional e sem música, apenas uma breve introdução, onde são tiradas e quando, e eventualmente alguma especificação técnica. Cliquem sobre a primeira foto para poderem vê-las em formato maior.

No dia 17 de Outubro de 2009, com a minha HP PhotoSmart 850, fiz umas quantas fotos do Campo Pequeno, em Lisboa. Aqui uma pequena mostra.