Contigo nunca me perco, perdendo-me ! (Ricardo Santos)

segunda-feira, 9 de maio de 2016

Resultados Qual Livro ? Qual Autor ? (II)

Livro: Ribacôa




















Os Vencedores foram: Afrodite, Luísa, Rui Espírito Santo, Pedro Coimbra, Manuela e Janita.

Obrigado a Todos que participaram e recomendo para os “amantes” de livros a leitura de um dos livros de José Ferreira Marques, ou dos três !!! 

11 comentários:

  1. Ó Ricardo, então achas que eu não sabia qual o nome do livro e do autor depois de teres dito tudo sobre o escritor? Só não enviei a resposta para o teu mail por que era mais que óbvio o nome do livro e de quem o escreveu. Por isso é que escrevi a anedota, uma vez que "Ribacôa" me fez lembrar "Ribadelas"...

    Deixa lá, eu também não ando atrás de louros...mas vê lá se não metes os pés pelas mãos, da próxima vez!!
    Aconselho-te, antes de fazeres a gravação, que verifiques se já há textos na Net.
    Quanto à leitura tipo 'ditado' só quero lembrar-te que é através de uma ou mais frases, que podemos pesquisar. Certo?
    Um bom "Diseur", seja de poesia ou prosa, lê pausadamente!

    Um abraço a todos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já tens lá o teu nome nos acertantes, mas tens de mandar o "mail" como todos os outros, se fazes favor.

      Tudo o que li acho se percebe perfeitamente. Não me considero "diseur", mas a poesia ou a prosa tem de se conseguir dar alguma interpretação. Pausadamente, somente quando o texto o indica que se leia assim. Imagina que estás a ler um discurso directo, um diálogo entre duas pessoas e uma delas está irritada com a outra, carece de interpretação, caso contrário irá parecer que a pessoa que está zangada , afinal não está ou estará ? Desde que não se comam palavras e nos façamos entender e ouvir, para mim está correcto. Em breve demonstrá-lo-ei na prática através de um livro que escolherei, propositadamente, para demonstrar isso mesmo.

      Janita, obrigado pela tua opinião que respeito e pelo tua colaboração e participação.

      Eliminar
  2. Perdi a possibilidade de tentar adivinhar, mas vou na mesma procurar o post mais abaixo para ouvir :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por quem sois Gabriela ! Faz favor de ouvir as minhas leituras ! :)


      Eliminar
  3. Aceito a sugestão com todo o agrado.
    Aquele abraço

    ResponderEliminar
  4. Já não cheguei a tempo de participar neste desafio. Mas posso dizer que não conheço o livro, nem o autor... ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Podes sempre lê-lo. Acho que vais gostar !
      Obrigado Teresa

      Eliminar
    2. Também eu não conheço o livro, nem o autor, Ricardo.

      Não posso participar nos teus desafios, porque não quero entrar no meu @-mail.

      Qual é a tua canção favorita do Festival desta noite em Estocolmo?

      Não é o meu tipo de música, no entanto, não posso perder uma visita a Estocolmo, mesmo que seja na minha imaginação.

      Eliminar
    3. Itália é de longe a minha favorita, porque só ouvir italiano para mim dá-me muito prazer ! Mas há para mim três ou quatro canções boas, para o género de espectáculo. Israel, Bélgica, Sérvia, e Hungria.
      O espectáculo televisivo é muito bom !

      Obrigado Ematejoca

      Eliminar
    4. Ainda atordoada com o Festival, venho aqui desabafar:

      O triunfo foi entregue à Ucrânia, com um total de 534 pontos. A Rússia, a minha favorita e representada por Sergey Lazarev, ficou em terceiro lugar, com 491 pontos e a convidada australiana ficou no segundo lugar do pódio, com 511 pontos.

      A França, a Suécia, a Holanda eram também as minhas favoritas. A canção alemã não mereceu 11 pontos, mereceu sim, O pontos!

      Não gosto da língua italiana, porém até gostei da canção italiana. Gostei menos das canções da Bélgica, da Sérvia e da Húngria, gostei muito mais da canção de Israel.

      A canção da Sérvia era a favorita da minha filha Vanessa, com quem vi o excelente espectáculo televisivo.

      Boa noite, Ricardo, o meu nome é TERESA, o meu blogue é que se chama EMATEJOCA.

      Eliminar

Eu fiz um Pacto com a minha Língua, o Português, língua de Camões e de Pessoa.