Contigo nunca me perco, perdendo-me ! (Ricardo Santos)

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

Jazz Standards (CXLIX)

(Dados Biográficos In Wikipédia e In AllMusic.Com - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos)

(Sobre o tema em questão, algumas palavras retiradas de “in
http://www.jazzstandards.com/compositions/index.htm” - adaptação e tradução por Ricardo Santos)

Lullaby of Birdland (#153) - Música de George Shearing e Letra de George Weiss

“Birdland” foi um famoso clube de jazz em New York localizado no número 1678 da Broadway, na rua 44. Ele tinha sido anteriormente o “Clique Club”, onde o pianista George Shearing, compositor de "Lullaby of Birdland", tocou pela primeira vez em 1949, com o clarinetista Buddy de Franco. Mais tarde, nesse mesmo ano, o proprietário Morris Levy renomeou o clube de “Birdland”,  em honra de Charlie "Bird" Parker (saxofonista).
Na sua autobiografia, “Lullaby of Birdland: The Autobiography Of George Shearing”, Shearing diz que não havia nada de especial sobre o pequeno clube que levava no máximo de 175 pessoas “bem comprimidas”. O clube tornou-se famoso por causa das transmissões de rádio ao vivo que lá se fizeram. Em 1952, Levy decidiu na estação WJZ, em New York, transmitir um programa estilo “disco-jockey” de lá, e perguntou a Shearing para gravar uma música tema para o programa. Mas Shearing não gostava da música que Levy lhe deu, por isso ele ofereceu-se para escrever uma especialmente para o progama. Levy finalmente concordou com a condição de que ele teria os direitos de publicação, enquanto Shearing os direitos de composição. Assim nasceu "Lullaby of Birdland".

George Shearing (Battersea, London, Inlgaterra, 13-08-1919 - New York City, Estados Unidos, 14-02-2011) Quintet (1949 - 1978)


Sarah Vaughan (Newark, EUA, 27-03-1924 — Los Angeles, EUA, 03-04-1990) - Ernie Wilkins (orquestrador), Clifford Brown (trompete), Herbie Mann (flauta), Paul Quinichette (saxofone tenor), Jimmy Jones (piano), Joe Benjamin (contrabaixo), and Roy Haynes (bateria). Gravado em New York, 18 de Dezembro de 1954, para a “EmArcy Records”.


Ella Fitzgerald (Newport News, EUA, 25-04-1917 — Beverly Hills, EUA, 15-06-1996) – Com a orquestra de Duke Ellington


Nikki Yanofsky (Montreal, Quebec, Canadá, 08-02-1994 - 20xx) – Para a Decca Label Group, em 2010.


Letra

Oh, lullaby by birdland that's what I
Always hear, when you sigh,
never in my wordland could there be words to reveal
in a phrase how I feel
Have you ever heard two turtle doves
Bill and coo, when they love?
That's the kind of magic music we made with our lips
When we kiss
And there's a weepy old willow
He really knows how to cry
That's how I'd cry in my pillow
If you should tell me farewell and goodbye
Lullaby by birdland whisper low
Kiss me sweet, and we'll go
Flying high in birdland, high in the sky up above
All because we're in love
Lullaby, Lullaby
Have you ever heard two turtle doves
Bill and coo when they love?
That's the kind of magic music we made with our lips
When we kiss
And there's a weepy old willow
He really knows how to cry
That's how I'd cry in my pillow
If you should tell me farewell and goodbye
Lullaby by birdland whisper low
Kiss me sweet, and we'll go
Flying high in birdland, high in the sky up above
All because we're in love

Lamento, algumas eventuais falhas nas letras, encontradas na Internet, devido à própria improvisação dada pelos seus intérpretes, e muitas vezes de difícil entendimento. (Ricardo Santos).

14 comentários:


  1. Venham os "monstros sagrados" todos... I don't care!!
    Eu cá fui direitinha ao player da Nikki!!.. Esta miúda é fantástica!
    Sou fã dela, mas mesmo à séria!
    Ela nasceu com a música dentro dela... e canta com tanta naturalidade que faz parecer que interpretar aquelas músicas é a coisa mais fácil e natural do mundo!

    Está na hora de ouvir uma lullaby e ir dormir.
    Beijinhos (quase) na hora da deita
    (^^)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É fantástica sim ! Tem-me surpreendido nas suas interpretações. Há pessoas que nascem para determinada arte ou profissão, ou desporto. Yanofsky nasceu para a arte do canto. Canta como se o fizesse há mais de 100 anos, com um "à vontade" espectacular !

      Obrigado Deusa Grega

      Eliminar
  2. Estou a ouvir a versão instrumental juntamente com a última vocal, a da jovem Nikki, e o resultado soa-me muito bom.
    Claro que a Diva Ella, é sempre um caso especial.
    Essa já eu estava habituada a ouvir noutros tempos, Ricardo!
    Não a conheci daqui - nem ela, a Ella, nem o marido, Duke Ellington.
    Gostei, sim senhor!

    :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Dizer de Ella há muito pouco, soberba intérprete. Gosto menos de Sarah Vaughan. Mas Nikki, é sublime ! A versão tocada é do compositor da música, e é muito boa !

      Obrigado Janita

      Eliminar
  3. Uma menina com muito talento no meio dos monstros sagrados.
    E que bem que ficou!!
    Aquele abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ficou sim Pedro. É uma excelente e mais que promissora voz canadiana !

      Um Abraço

      Eliminar
  4. Nunca é tarde para aprender, Ricardo ! :)
    Valeu para ficar a conhecer a Nikki (a "publicidade" chamou-me a atenção) e gostei, de facto, ainda mais que dos consagrados !

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Rui é uma artista dos pés à cabeça. Trata as notas por tu !

      Um Abraço

      Eliminar
  5. Partilho da mesma opinião dos comentadores anteriores. A Nikki com aquela voz fresca fascinou-me, embora os outros me encantem também.
    Não conhecia nenhuma destas versões.


    Obrigada pela partilha Ricardo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Manuela ficou satisfeito que todas as versões tenham sido novidade para ti. Gosto de te ver por aqui a comentar, mas muito principalmente a ouvir.
      É para isto que eu tenho um Blogue, para dar a conhecer músicas agradáveis e diferentes a todos vós.

      Obrigado

      Eliminar
  6. Boa tarde, valeu a pena ouvir o videos, desconhecia os mesmos.
    AG

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Modéstia à parte, vale sempre a pena vir aqui ouvir música ! :)))

      Obrigado António

      Eliminar
  7. As versões são tão diferentes que parecem outra música... :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. As orquestrações ditam muitas vezes acordes diferentes para a mesma melodia. Inclusivé, e também algumas vezes as letras são alteradas por alguns dos cantores !

      Obrigado Teresa

      Eliminar

Eu fiz um Pacto com a minha Língua, o Português, língua de Camões e de Pessoa.