Contigo nunca me perco, perdendo-me !!!... (Ricardo Santos)

segunda-feira, 30 de março de 2015

Os Meus Cromos do Rock Pop (II) – The Tremeloes

“Os Meus Cromos do Rock Pop” servirá de desafio, e poderá ter duas, três ou quatro perguntas que terão de pesquisar e responder para o meu endereço de “mail” ricardosantos1953@gmail.com, visto que os comentários não estarão moderados.
Aqui trarei canções significativas dos grupos e intérpretes de Rock e de Pop que mais me agradaram durante a minha juventude e alguma informação sobre eles. O primeiro foi dedicado aos Beatles (1960 – 1970), como seria óbvio.

“The Tremeloes” é uma banda de “Rock and Roll” britânica, formada em 1958 em Dagenham, Essex, Reino Unido. Composta por Brian Poole (vocais), Ricky West (guitarra), Alan Blakely (teclas), Alan Howard (baixo) e Dave Munden (bateria). Em 1962, fizeram um teste na editora “Decca”, competindo com outro grupo, para um possível contrato para gravações. Foram aprovados, enquanto a outra banda, “The Beatles”, foi dispensada.
Conseguiram alguns sucessos tabelas de vendas musicais do Reino Unido durante a década de 1960, embora jamais tenham conseguido superar os seus "rivais" de estúdio.
Apesar de passar por diversas mudanças em sua formação, a banda continua a gravar e a se apresentar ocasionalmente.
...

A primeira música, data de 1967 e é talvez o primeiro grande sucesso do grupo. Nas tabelas de vendas de alguns países: 1º. lugar na Irlanda, Nova Zelândia, Noruega, Reino Unido; 4º. lugar na Áustria; 5º lugar na Holanda; 8º. lugar na Alemanha (RFA, na altura); 10º. lugar na Bélgica e em Espanha; e 11º. lugar nos EUA.

A pergunta para a primeira canção, é:
De quem é a primeira versão de “Silence is Golden” e em que ano foi editada ano ?


A segunda composição, foi composta por Alan Blakley e Len Hawkes.

A pergunta para a segunda canção, é:
Quem era Len Hawkes ?



As soluções do Passatempo serão publicadas depois de amanhã, dia 1 pelas 20:00 ! 

domingo, 29 de março de 2015

Preservativos - Interacção Humorística (CXXXIX)

Em 02-09-2011. Obrigado.

Compra de preservativos

Vai um tipo ao Pingo Doce comprar preservativos.

Quando está na caixa a pagar, a empregada pergunta:

- Vai desejar saco?

- Não obrigado! Ela não é assim tão feia!

quinta-feira, 26 de março de 2015

Os Festivais das Canções (1998)

(Dados Biográficos In Wikipédia e/ou In AllMusic.Com - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos)

Vou andar por aqui a mostrar um pouco da música dos Festivais da Canção, o da RTP e o da Eurovisão. Ouvirão e verão, sempre que haja vídeo no Youtube, os três primeiros lugares de cada um deles.

Esta longa retrospectiva sobre o Euro Festival da Canção e o Festival da Canção RTP, terminará com a publicação do ano 2000. Esta é a antepenúltima publicação.

Euro Festival 1998, em 9 de Maio, Birmingham (Reino Unido).

1º. Dana International (Yaron Cohen) (??-??-19??) - Diva (דיווה)


2º. Imaani (??-??-1972) - Where Are You ?


3º. Chiara (29-09-1976) - The One That I Love


Festival RTP da Canção de 1998, em 7 de Março, Teatro São Luiz (Lisboa).

1º. Alma Lusa (1998) - Se Eu Te Pudesse Abraçar


2º. Teresa Radamanto (22-07-1980) - Só o Mar Ficou


3º. Sofia Barbosa (04-10-1974) - Uma Lua Em Cada Mão

segunda-feira, 23 de março de 2015

Arturo Sandoval – Groups & Soloists of Jazz (XXIII)

(Dados Biográficos In Wikipédia e/ou In AllMusic.Com - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos)

Arturo Sandoval (Artemisa, Cuba, 06-11-1949 – 20xx) – É trompetista e pianista de Jazz, cubano. Sandoval começou a estudar o trompete aos 12 anos de idade e mais tarde foi co-fundador do grupo “Irakere” e a partir de 1981 iniciou a sua carreira solo. É conhecido também pela facilidade em executar notas superagudas, muita agilidade e ser rápido e criativo com o improviso, no trompete. O seu ídolo e amigo Dizzy Gillespie ajudou-o na sua naturalização, como americano, em 1990. E é, desde 1999, cidadão norte-americano.
No ano de 2000 foi lançado um filme sobre a história da sua vida e a sua ascensão, no meio musical. O filme de nome "For Love or Country" foi produzido pela HBO, e teve como actor principal Andy Garcia.
Arturo Sandoval já recebeu quatro “Grammy Awards”, seis “Billboard Awards” e um “Emmy Award”.
...

There Will Never Be Another You, Mahesh Balasooyria (piano), Zane Musa (saxofone), John Belzaguy (contrabaixo) e Johnny Friday (bateria).



A Night In Tunisia (Dizzi Gillespie). Com a “United States Air Force Band”, Novembro de 2011. O sargento Tim Leahy no trompete, faz companhia a Arturo Sandoval.



Mambo Caliente, num "Encontro de Trompetistas" no "México", um tributo a Rafael Mendes, com participação do trompetista Wayne Begeron.



Tunisia Blues


sábado, 21 de março de 2015

Prémio Valmor, Ano de 1943, Av. Sidónio Pais, 6

O edifício de habitação premiado em 1943 e os edifícios premiados nos anos seguintes são exemplos bastante representativos do chamado estilo “Estado Novo”. Neste período vão premiar-se obras que primem pelo tradicionalismo, não se esperando quaisquer inovações nas obras submetidas a avaliação pelo júri. Assim, a obra premiada neste ano, um edifício de habitação situado na Avenida Sidónio Pais nº. 6, com projecto dos arquitectos Raul Rodrigues Lima e Fernando Silva (1914-1983) para António Cardoso Ferreira, cumpre o pretendido.

Situa-se no início da Avenida Sidónio Pais nº. 6, do lado direito quem a sobe, vindo da Avenida Fontes Pereira de Melo, sua última transversal à direita e que ladeia o Parque Eduardo VII. Actualmente, encontra-se ocupada pela Residência Avenida Parque, uma unidade hoteleira.

Arquitecto Raúl Rodrigues Lima (1909-1980):

“Natural de Lisboa, diplomou-se em Arquitectura pela Escola de Belas-Artes desta cidade, em Maio de 1936, tendo estagiado com Cottineli Telmo (1897-1948), Pardal Monteiro (1897-1957), Cassiano Branco (1898-1969), e Cristino da Silva (1896-1976). No «atelier» de Pardal Monteiro, participou nos grandes trabalhos do Instituto Superior Técnico, do Instituto Nacional de Estatística, da Igreja de Fátima, da sede do «Diário de Notícias», do Ministério das Finanças e das Gares Marítimas de Alcântara e Rocha do Conde de Óbidos.
...
Em Lisboa foram trabalhos seus o Cine-Teatro Monumental, no Saldanha (recentemente demolido), os cinemas «Satélite» (que também ali funcionava), «Europa», «Cinearte» e «Berna». Projectou a sede da Polícia Judiciária, Rua Gomes Freire;
...
Obteve o Prémio Valmor de 1943, pelo edifício construído na Av. Sidónio Pais, N.º 6, ao qual desejou que se associasse (sem a Câmara regularmente, tal poder aceitar) o Arq.º Fernando Silva.
...”.

...  e Arquitecto Fernando Silva (1914-1983):

“Natural de Lisboa, viria a cursar Arquitectura na Escola de Belas-Artes do Porto, diplomando-se em 11 de Fevereiro de 1944, após estágio, no concorrido «atelier» do Arq.º Rodrigues Lima.
Tratou-se Fernando Silva de um técnico todo virado à vida profissional, nunca tendo desempenhado cargos estatais, municipais ou docentes, nem participado em deslocações ou congressos, ou até mesmo escrito qualquer artigo ou memória, em revista da especilidade.
...
Figura marcante da sua geração, com grandes qualidades de trabalho e bem sucedido na carreira, a sua obra é vasta e importante, muito dispersa pelo país.
Destacaremos, só em Lisboa, o cinema S. Jorge, na Avenida da Liberdade, que obteve o Prémio Municipal de Arquitectura, em 1951; os estabelecimentos Fradique (depois Pastelaria Monte-Carlo), na Av. Fontes Pereira de Melo; o Café Martinho do Largo D. João da Câmara, hoje delegação bancária do Fonsecas & Burnay;
...
Colaborou, como tirocinante, mo edifício que, respeitante a 1943, conferiria o prémio Valmor ao Arq.º Raúl Rodrigues Lima, situado na Av. Sidónio Pais, 6, e recebê-lo-ia, por mérito próprio, em 1946, com o edifício da Av. Casal Ribeiro, 12.
... ”.

Outros acontecimentos nesta década:

1940 – Exposição do Mundo Português, sob a orientação geral de Cottinelli Telmo;
1940/42– Café Cristal, de Cassiano Branco;
1943 – Estudo de Faria da Costa para o Martim Moniz;
1945 – Laboratório Sanitas, Rodrigues Lima disponibilizar;
1945 - Plano para o Parque Eduardo VII, Keil do Amaral;
1945 - Edifício da Standard Electric, com projecto do arquitecto Cottinelli Telmo;
1946 – Conclusão da 1ª fase de construção do aeroporto, início da sua ampliação;
1946 - Projecto do Bairro da Encarnação, Paulino Montês;
1946/51– Igreja do Santo Contestável, pelo arquitecto Vasco Regaleira;
1947 – Plano de urbanização do Bairro de Alvalade;
1947 - Início da construção do «Bairro de S. Miguel», Miguel Jacobetty Rosa e Sérgio Gomes;
1949/53 – Igreja de São João de Deus, António Lino.

A seguir à imagem do Google MAP, e da segunda à oitava fotografia são referentes a 2008, daí em diante são de 2013.


Terminam aqui estas publicações, sobre as Menções Honrosas e os Prémios do Prémio Valmor. A próxima publicação são os considerandos finais sobre este longo trabalho. 

quarta-feira, 18 de março de 2015

Jazz Standards (CXXXIV)

(Dados Biográficos In Wikipédia e In AllMusic.Com - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos)

(Sobre o tema em questão, algumas palavras retiradas de “in
http://www.jazzstandards.com/compositions/index.htm” - adaptação e tradução por Ricardo Santos)

I Remember Clifford (#138) - Música de Benny Golson e Letra de Jon Hendricks
"Threnody", como o dicionário define, descreve perfeitamente este lamento pela morte do grande trompetista Clifford Brown, nascido em 1930 e que morreu antes de seu tempo, aos 25 anos, num acidente de automóvel. Profissionalmente, era admirado pela sua técnica, a sua entrega emocional e o seu sentido rítmico. No entanto, foi a sua personalidade e bondade que elevou o ser humano que era, para além do músico, intensamente, admirado.
O trompetista Art Farmer chamou-o de "Sweet Cat"
Em 1954, Brown uniu-se ao baterista Max Roach, para formar um dos grupos mais admirados do Jazz, que somente durou 27 meses, visto que Clifford Brown morreu em 1956. A sua morte produziu uma onda enorme de tristeza, na comunidade jazzística.
Em 1957, o saxofonista e chefe de banda, Benny Golson compôs uma elegia a Brown para a qual, Jon Hendricks contribuíu, mais tarde, com a letra.
Hendricks homenageou o legado de Clifford Brown, com estas palavras:

Eu só sei que eu oiço-o agora
E eu acredito que eu sempre o ouvirei
Têm que acreditar
Lembro-me de Clifford ainda, sim ainda o ouço
Sei que ele nunca irá ser esquecido
Ele era um rei sem coroa

Art Blakey (Pittsburgh, Pennsylvania, EUA, 11-10-1919 - New York City, EUA, 16-10-1990) and The Jazz Messengers (1955-1990) – Com Lee Morgan (trompete), Benny Golson (saxofone tenor), Bobby Timmons (piano), Jymie Merritt (contrabaixo) e Art Blakey (bateria). Ao vio na Bélgica, em 1958.


Modern Jazz Quartet (1952 - 1992) - Com Milt Jackson (vibrafone), John Lewis (piano, director musical), Percy Heath (contrabaixo), e Kenny Clarke (bateria).


Sarah Vaughan (Newark, EUA, 27-03-1924 — Los Angeles, EUA, 03-04-1990) – Praga (Checoslováquia), 1978.


Stan Getz (Filadélfia, Pensilvânia, EUA 02-02-1927 - Malibu, California, EUA, 06-06-1991)


Letra

I know he'll never be forgotten
He was a king uncrowned
I know I'll always remember
The warmth of his sound
Lingering long I'm sure he's still around
For those who heard they respect him yet
So those who hear won't forget
The sound of each phrase
Echoing time uncountable by days
The things he played are with us now
And they'll endure should time allow
Oh yes I remember Clifford
I seem to always fed him near somehow
Every day I hear his lovely tone
In every trumpet sound that has a beauty all its own
So how can we say something so real has really gone away?
I hear him now, I always will
Believe me I remember Clifford still

Lamento, algumas eventuais falhas nas letras, encontradas na Internet, devido à própria improvisação dada pelos seus intérpretes, e muitas vezes de difícil entendimento. (Ricardo Santos).

terça-feira, 17 de março de 2015

Soluções do Passatempo Os Meus Cromos do Rock Pop (I) – The Beatles

Qual era o nome da composição do Lado B, do single “Love Me Do” ?
A música do lado B do single “Love Me Do” é: “P.S. I Love You”.

O título "Martha My Dear" foi inspirado em quem ?
O título  foi inspirado na sua cadela de raça “Old English Sheepdog”.

E foi dedicado a quem ?
O título “Martha My Dear” foi inspirado em quem ? E dedicado a quem ?
McCartney disse que a própria canção seria dedicada a Jane Asher pelo interesse amoroso que teve por ela.


Pela participação e pelos acertos:
Janita, Rui Espírito Santo, Afrodite, Super Sónia, Pedro Coimbra, Manuela Pereira, Luísa e Lis.

Pelos comentários:
Catarina, Gábi, M. e Victória.

O meu Obrigado a todos os participantes !!!

domingo, 15 de março de 2015

Os Meus Cromos do Rock Pop (I) – The Beatles

Começa hoje nova publicação, intitulada “Os Meus Cromos do Rock Pop”. Esta rúbrica servirá de desafio, e poderá ter duas, três ou quatro perguntas que terão de pesquisar e responder para o meu endereço de “mail” ricardosantos1953@gmail.com, visto que os comentários não estarão moderados.
Aqui trarei canções significativas dos grupos e intérpretes de Rock e de Pop que mais me agradaram durante a minha juventude e alguma informação sobre eles. O primeiro é dedicado aos Beatles (1960 – 1970), como seria óbvio.

“The Beatles” foi um grupo de “Rock” britânico, formado em Liverpool em 1960. É o grupo musical mais bem-sucedido e aclamado da história da música popular (Pop). A partir de 1962, o grupo era formado por John Lennon (guitarra rítmica e vocal), Paul McCartney (baixo, piano, vocal), George Harrison (guitarra solo e vocal) e Ringo Starr (bateria). Enraizada do “Skiffle” (tipo de música “Folk” com influência de “Jazz”, “Blues” e “Country”) e do “Rock and Roll” da década de 1950, a banda veio mais tarde a assumir diversos géneros que vão do “Folk Rock” ao “Rock Psicadélico”, muitas vezes incorporando elementos da música clássica e outros, em formas inovadoras e criativas. A sua crescente popularidade, titulada pela imprensa britânica de "Beatlemania", fez com que eles crescessem em sofisticação. Os Beatles vieram a ser percebidos como a encarnação de ideais progressistas e a sua influência estendeu-se até as revoluções sociais e culturais, da década de 60.

A primeira música, data de 1960 e é talvez o primeiro grande sucesso do grupo “The Beatles”. Editado na Grã-Bretanha em 5 de Outubro de 1962 e nos Estados Unidos em 27 de Abril de 1964. Foi primeira nas tabelas de vendas nos Estados Unidos a 30 de Maio de 1964 e “Top 100” durante 14 semanas.

A primeira pergunta para a primeira canção, é:
Qual era o nome da composição do Lado B, do single “Love Me Do” ?


A segunda composição, data de 4 de Outubro de 1968, editada pela “Apple Records” em 22 de Novembro de 1968, escrita por John Lennon e Paul McCartney e produzida por George Martin.

Para a segunda composição, as perguntas são:
O título "Martha My Dear" foi inspirado em quem ?
E foi dedicado a quem ?



As soluções do Passatempo serão publicadas depois de amanhã, dia 17 pelas 20:00 ! 

sábado, 14 de março de 2015

O Carro da GNR - Interacção Humorística (CXXXVIII)

Em 09-09-2011. Obrigado.

O Carro da GNR

Há dias fui à despedida de solteiro de um grande amigo meu. Quando voltava para casa, fui mandado parar pela BT à entrada da cidade...... Eu estava num estado lastimável !

Quase caí ao sair do carro, e vi os três policias (eram três ? sei lá !...) a pedirem-me para soprar o balão.

Felizmente, do outro lado da estrada surge um camião que sobe a divisória e capota, espalhando um carregamento de tijolos pela estrada.

Vendo isto os policias começam a correr em direcção ao sinistro e mandam-me embora.

E eu lá peguei no carro e fui todo contente: Grande sorte !

No dia seguinte a minha mulher acorda-me e pergunta:

- Olha lá! O que é que faz um carro da Brigada de Trânsito na nossa garagem ?

quarta-feira, 11 de março de 2015

Nancy Wilson – Jazz Singers (XXXI)

(Dados Biográficos In Wikipédia e/ou In AllMusic.Com - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos)

Nancy Wilson (Chillicothe, Ohio, EUA, 20-02-1937 – 20xx) – É uma cantora norte-americana com mais de 70 álbuns e três “Grammy Awards”. Ela tem sido rotulada, como uma cantora de “Blues”, “Jazz”, “Cabaret” e “Pop”; uma actriz “consumada"; e uma artista completa. O título que ela prefere, no entanto, é a canção de estilo. Ela recebeu vários apelidos, incluindo "Sweet Nancy", "The Baby", "Fancy Miss Nancy" e "The Girl With the Honey-Coated Voice".
Em 20 de Fevereiro de 1937, Wilson foi a primeira de seis filhos de Olden Wilson, um trabalhador na fundição de ferro, e Lillian Ryan, uma empregada doméstica em Chillicothe, Ohio, EUA. O pai de Wilson comprava discos para ouvir em casa. Ainda em tenra idade, Nancy Wilson ouviu gravações de Billy Eckstine (voz), Nat “King” Cole (voz) , e Jimmy Scott (voz) com a Big Band de Lionel Hampton (vibrafone). Wilson diz: "O ponto de encontro (café, bar ?!) da zona, tinha uma “Jukebox” e lá ouvia Dinah Washington (voz), Ruth Brown (voz), LaVerne Baker (voz), Little Esther (voz). Nancy tornou-se consciente do seu talento, enquanto cantava em corais de igreja, imitando os cantores que ouvia e actuando em casa, da sua avó, durante as visitas de familiares e amigos, no Verão. Com a idade de quatro anos, ela sabia que acabaria por se tornar uma cantora.
...

The Very Thought Of You, em 1964.


Save Your Love For Me, with Cannonball Adderly.


I Was Telling Him About You, no “Newport Jazz Festival” em Agosto de 1987.


Face it Girl It's Over

quinta-feira, 5 de março de 2015

Eliane Elias – Groups & Soloists of Jazz (XXII)

(Dados Biográficos In Wikipédia e/ou In AllMusic.Com - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos)

Eliane Elias (São Paulo, Brasil, 19-03-1960 – 20xx) – É uma pianista e cantora brasileira. Começou a tocar piano aos 6. A sua mãe Lucy era pianista clássica. Em 1973, aos 13, iniciou os seus estudos de piano no “Centro Livre de Aprendizagem Musical – CLAM” com Amilton Godoy, pianista do “Zimbo Trio”. Aos 17 começou exibir-se, publicamente, tocando as suas próprioas composições. Após uma digressão, em 1981 com Eddie Gomez, foi encorajada a ir viver, para Nova Iorque.
Em Nova Iorque, foi convidada ao grupo “Steps Ahead”, gravando com eles em 1983. Após sair do grupo, trabalhou com o trompetista Randy Brecker, com quem veio a casar.
Eliane gravou inúmeros discos, entre eles um, em dueto, com Herbie Hancock. Após 1989, começou a cantar nas suas gravações.
Eliane é agora casada com o baixista, Marc Johnson, que foi durante muitos anos contrabaixista do falecido pianista, norte-americano, Bill Evans.

Discografia

1984: Amanda
1986: Illusions
1987: Cross Currents
1989: So Far So Close
1990: Eliane Elias Plays Jobim
1991: A Long Story
1992: Fantasia
1993: Paulistana
1993: On The Classical Side
1994: Solos and Duets
1995: Best of
1996: The Three Americas
1997: Impulsive!
1998: Sings Jobim
2000: Everything I Love
2001: The Best of Eliane Elias, Vol. 1: Originals
2002: Kissed By Nature
2003: Timeless Eliane Elias
2003: Brazilian Classics
2004: Giants of Jazz: Eliane Elias
2004: Dreamer
2005: Sings and Plays
2006: Around the City
2008: Something For You: Eliane Elias Sings & Plays Bill Evans
2008: Bossa Nova Stories
2009: Plays Live
2011: Light My Fire
2012: Swept Away
2013: I Thought About You- A Tribute to Chet Baker

Samba Triste, com Eliane Elías (piano), Marc Johnson (contrabaixo) e Satoshi Takeishi (bateria).


Só Danço o Samba, ao vivo “At Basel”, Suiça, em Novembro de 2010, com Eliane Elias (piano e voz), Rubens de La Corte (guitarra), Marc Hohnson (contrabaixo) e Rafael Barata (bateria).


They Can't Take That Away From Me, no “Festival Jazz Cinq Continents”, em Marselha (França), decorria o ano de 2009.


Chega de Saudade, no “Festival Jazz Cinq Continents”, em Marselha (França), decorria o ano de 2009.

segunda-feira, 2 de março de 2015

Prémio Valmor, Ano de 1942, Rua Imprensa à Estrela 25


Em 1942 foi premiado um edifício de habitação para rendimento localizado na Rua da Imprensa, 25 com projecto do arquitecto António Maria Veloso dos Reis Camelo para Acácio e Vieira, Lda. Edifício de expressão modernista é interessante pela volumetria das fachadas lateral e posterior. Destina-se ainda a habitação.

A meio da Calçada da Estrela, quem desce da Basílica da Estrela e do Jardim da Estrela, em direcção à Assembleia da República, vai encontrar à esquerda a Rua da Imprensa à Estrela. Entrar nessa Rua, o edifício encontra-se com facilidade (à esquerda) após uma curva, também à esquerda, e mais ao menos em frente a um pequeno jardim. Encontra-se com pintura exterior recente.

Embora do mesmo arquitecto que o Edifício da Rua Infantaria 16 (Prémio Valmor de 1931), este Prémio Valmor de 1942, parece ser um edifício de habitação muitíssimo mais interessante do que anterior, embora, para mim também longe de merecer um Prémio Valmor.


Arquitecto António Maria Veloso dos Reis Camelo (1899-1985):

Natural de Ançã (Coimbra), conclui o curso de Arquitectura da Escola de Belas-Artes de Lisboa, em 1927, tendo no 3.º e 4.º anos do Curso Especial recebido o prémio só conferido ao aluno com mais de 16 valores em todas as Cadeiras, pelo menos 18 numa e média superior à de todos os mais alunos desse ano. São desta época dois projectos, uma entrada monumental de um Panteão duma grande metrópole e uma campo santo que a revista “Arquitectura”, N.º 11/Ano I/1927 arquivou nas suas páginas.
...
Obteve o Prémio Valmor de 1931, conjuntamente com o Arq.º Miguel Simões Jacobety Rosa, pelo edifício construído na Rua Infantaria Dezasseis, N.ºs 92-94. Respeitante aos anos de 1942 e 1945, receberia ainda o Prémio Valmor pelos prédios construídos, respectivamente, na Rua da Imprensa, N.ºs 25-25-D e na Av. Sidónio Pais, N.º 14.

In Bairrada, Eduardo Martins, “Prémios Valmor 1902-1952”, Edição 1988, CML. (sic)*

*http://www.priberam.pt/dlpo/sic

*sic |síque| (palavra latina) Advérbio: Sem alteração nenhuma; tal e qual. = ASSIM


Outros acontecimentos nesta década:

Anos 30 – Construção da Alameda Afonso Henriques e Bairro Azul;
1930 – Cinema Eden, do arquitecto Cassiano Branco;
1934 – Casa da Moeda, de Jorge Segurado;
1934 - Hotel Vitória, de Cassiano Branco;
1934 - Elaboração de novo projecto para a criação do Parque Florestal de Monsanto;
1935 – Lisboa estende-se já até Algés, Poço do Bispo, Ajuda, Campolide, Benfica, Carnide, Lumiar e Areeiro.
1937 – Projectos dos bairros de habitação económica da Ajuda da autoria de Paulino Montês;
1937 - Café Portugal, de Cristino da Silva;
1938/40 – Cinema Cinearte, de Rodrigues Lima;
1938/43 – Praça do Areeiro, do arquitecto Luís Cristino da Silva;
1938/43 - Plano “De Gröer”;
1939/45 – Segunda Guerra Mundial.

A seguir à imagem do Google MAP, e da segunda à oitava fotografia são referentes a 2008, daí em diante são de 2013.


Próxima e última publicação dia 21-03-2015 com o Prémio Valmor de 1943, na Avenida Sidónio Pais 6, arquitectado Raúl Rodrigues Lima & Fernando Silva.

domingo, 1 de março de 2015

Subir na vida - Interacção Humorística (CXXXVII)

Em 07-09-2011. Obrigado.

Subir na vida !

Duas amigas cubanas encontram-se em Miami:

- Olá, há quanto tempo que te não via! Mas, estás com óptimo aspecto! Olha-me para este vestido de seda! Quem diria?!

- Vês?! E pensar que quando cheguei vinha com uma mão à frente e outra atrás.

- E como conseguiste singrar na vida aqui em Miami?

- Olha, tirei a mão da frente...