Contigo nunca me perco, perdendo-me ! (Ricardo Santos)

sábado, 5 de dezembro de 2015

Estou ?! Posso pedir um disco ? (VIII)

O pedido de hoje é da bloguer Catarina Almeida, do Blogue “Contempladora Ocidental”. Um Blogue que nos fala de um País onde de certeza muitos de nós gostaríamos de viver, e onde o único senão é o frio. Fala-nos do Canadá. Temas escolhidos por ela que deambula pela cidade onde habita e pelas cidades por perto da sua. Delas traz-nos a beleza com as suas fotose as suas histórias, e ainda…muito importante !!!... as suas aventuras gastronómicas.
Deixou uma mensagem do que a levou a escolher esta música:

Uma canção muito romântica de um cantor com uma voz muito bonita!!

Vitor Espadinha (10-07-1939)


Alguma história sobre os discos, antigo suporte magnético que, actualmente, continua a ter imensos adeptos, dado que está cientificamente provado que a qualidade sonora do vinil é superior à do CD, dizem !

Os 78 rpm (rotações por minuto) eram os antigos discos, de goma-laca, que tocaram durante alguns anos nos gramofones dos nossos avós.

Os 33 rpm (rotações por minuto) eram os antigos “LP” (Long Play) de vinil que tocavam nos nossos antigos gira-discos.
Os 45 rpm (rotações por minuto) era os “singles” ou “EP” (Extended Play), também em vinil. Ambos fizeram a delícia das gerações de 60 e 70.

Esta nova publicação viverá, exclusivamente, dos vossos pedidos por “mail” para o meu “email” ricardosantos1953@gmail.com, da música que pretendem ouvir e umas breves palavras sobre o porquê que ela vos foi/é querida.

Peçam uma de cada vez e de vez em quando. Podem começar a enviá-los já hoje. Os pedidos serão atendidos por ordem de chegada dos “mails”.

Serão apresentados dois vídeos, do Youtube. Um será com a escolha de quem me enviou o “mail” e o outro uma escolha minha. Também darei algumas indicações adicionais sobre a composição, compositor e intérprete. Isto caso a música exista e haja informação adicional sobre ela.

18 comentários:

  1. Realmente esta é uma boa iniciativa tua, faz com que recordemos canções que há muito saíram da nossa memória.
    Gostei de ouvir o Víctor Espadinha.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sempre podemos recordar canções e intérpretes, menos conhecidos, ou não !

      Obrigado Manuela

      Eliminar
  2. Um tema muito adequado a recordar :) Lembro-me da música. Vou ler o post que antecede e ainda não li e depois vou ouvi-lo.
    um bom Domingo
    Gábi

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uma canção muito "badalada" no meio musical da altura !

      Obrigado Gabriela

      Eliminar
  3. Concordo com a Manu. Com esta rubrica recordamos, com prazer, temas já meio esquecidos. :)

    ResponderEliminar
  4. Sempre considerei esta canção como uma das mais românticas de sempre !
    Acompanhei desde início a carreira do Victor Espadinha ! Ele era de facto excepcional na época, mas era também pouco modesto, sabia do seu valor e apregoava-o !
    Uma tremenda maldade em 1969 ! ... O célebre Zip-Zip "apostou" em "destruir" essa sua imagem numa entrevista num desses programas, procurando "achincalhá-lo" e desconstruir esse mito, levando-o a provar e comprovar, de improviso e repentinamente durante o programa, porque é que ele se considerava tão especial !? ... Dada a situação, assim apresentada, ele não conseguiu reagir positivamente no programa ! :( ... Creio que, a partir daí a sua popularidade foi destruída com extrema maldade por 3 grandes homens que realmente o eram, na altura, mas até eu fiquei muito magoado ! :((

    ... mas ainda hoje acho-o fantástico !!! ... Basta ouvir !

    Abraço ... e excelente escolha da Catarina, com este tema muito de acordo com o programa ! :))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É uma canção bem romântica. Essa história do Zip Zip não me lembro, e não me parece que tenha sido muito correcta em relação ao Vitor Espadinha :((

      Obrigado e um Abraço Rui

      Eliminar
  5. Foi através de um dos blogues que me lembrei há poucos anos desta canção. Recordava-me do título mas não do nome do cantor. Pouco sei sobre ele, apenas que tinha uma voz linda! : ) Uma voz linda nesta canção; nunca o vi ou ouvi numa entrevista.
    Gostei desta tua iniciativa, Ricardo! : )

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ontem à noite estive a ouvir de novo o Victor Espadinha aqui no teu blogue. Entretanto, li com mais atenção os comentários. Li o do Rui. Que grande maldade lhe fizeram no Zip-Zip! Fialho Gouveia, Carlos Cruz e Raul Solnado?
      Teriam sido mesmo responsáveis, em parte, pelo declínio da sua carreira? Imperdoável.

      Eliminar
    2. Pois Catarina, a responsabilidade ninguém lhas tira ! :(

      Eliminar
  6. Sempre me surpreendo com canções que não ouvi nunca e ao ouvi-las me encanto.
    Essa é uma que gostei muito,Ricardo.
    Romântica e deliciosa de ouvir,
    Parabéns a Catarina.
    abraço

    ResponderEliminar
  7. Acho que o meu blog não faz a actualização dos teus posts, Ricardo.
    Passou mais um disco pedido e eu nicles...Nem me apercebi! :(
    Gosto muito desta canção , mas é verdade que nos seus tempos áureos o Vitor Espadinha teve atitudes que o deixaram muito mal visto. Excentrico e narcisista, só mais tarde ganhou tacto e alguma humildade.
    Claro que tudo isso não invalida que tivesse uma bonita voz romântica e feito sucesso com esta e outras canções.
    Mas o que conta aqui é esta bela escolha da Catarina.

    Um beijinho para ambos!

    "Sim eu sei que tudo são recordações..."

    Janita

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É isso mesmo Janita "Sim eu sei que tudo são recordações...", a polémica e o cantor polémico !

      Obrigado

      Eliminar
  8. Vítor Espadinha, que eu não admirava, mas cantava esta canção.
    Ricardo, parece-me que os discos pedidos vão todos para os anos em que ainda éramos muito jovens e ouvíamos na rádio estas melodias. Saudosismo?
    Beijinho

    Maria Araújo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois assim será Maria !!!
      Saudosismo dos tempos em que o coração palpitava nos bailaricos ! :)

      Obrigado

      Eliminar

Eu fiz um Pacto com a minha Língua, o Português, língua de Camões e de Pessoa.