Contigo nunca me perco, perdendo-me ! (Ricardo Santos)

domingo, 31 de maio de 2015

Emancipação ?! - Interacção Humorística (CXLIII)

Em 23-11-2011. Obrigado.

Emancipação ?!

Desabafo de um "jovem" com mais de 30 anos:

 - Os meus pais querem que eu viva sozinho, mas recusam-se a sair de casa!

quinta-feira, 28 de maio de 2015

Patchworks of Music Glued (III)

O calor da brisa batia na minha cara à medida que caminhava na praia em direcção ao ocaso. A água de fim de tarde, quase tépida, molhava de quando em vez os meus pés. As pegadas iam desaparecendo à medida que andava. A praia quase deserta. Sons de sereias de barcos. Tonalidades de cor fora de vulgar. Azuis, cinzentos, pratas... Registei recordações em papel digital, de um fim de tarde que nunca deveria ter sido um monólogo.



Foto minha, "batida" no dia 24 de Junho de 2014, junto à Praia da Torre.

Música, do "Pat Metheny Group", extraída do álbum “Secret Story” de Julho 1992, para a etiqueta “Geffen”. A composição “The Longest Summer”, composta por Pat Metheny.

segunda-feira, 25 de maio de 2015

Charlie Parker – Groups & Soloists of Jazz (XXV)

(Dados Biográficos In Wikipédia e/ou In AllMusic.Com - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos)

Charlie Parker Jr. (Kansas, Missouri, EUA, 29-08-1920 – New York, EUA, 12-03-1955) – Foi um saxofonista e compositor norte-americano de jazz.
No início da sua carreira Parker foi apelidado de “Yardbird”. Esse apelido, foi encurtado para “Bird” e permaneceu como “alcunha” de Parker para o resto da sua vida.
Parker é considerado um dos melhores músicos de jazz. Em termos de influência e impacto, a sua contribuição foi tão significativa que Charles Mingus comentou na altura, “…que se Bird fosse vivo hoje, ele poderia pensar que estava a viver numa parede de espelhos”, tal a sua influência sobre Charlie. O talento de “Bird” (Charlie Parker) é comparado, sem contestação, com músicos lendários, tais como Louis Armstrong e Duke Ellington. A sua reputação, como um dos melhores saxofonistas, é tal, que alguns críticos dizem que ele é/foi insuperável. O crítico de jazz Scott Yanow, fala por muitos amadores do jazz e músicos, quando sugere que "…Parker foi, indubitavelmente, o melhor saxofonista de todos os tempos."
Charlie Parker foi figura fundadora do “Bebop”, a forma inovadora para melodia, ritmo e harmonia, e que tem exercido uma incalculável influência no jazz. Várias canções de Parker tornaram-se “standards” do repertório do jazz, e inúmeros músicos têm estudado a música de Parker e absorvido elementos do seu estilo.
Parker tornou-se um ícone para a geração do “Beat”, e foi uma figura chave no desenvolvimento conceptivo do jazz, como um artista descomprometido e intelectual, ao invés de apenas um “entertainer” público. Por várias vezes, Parker fundiu o jazz com outros estilos musicais, do clássico (com Edgard Varese e Stefan Wolpe) à música latina (com Machito), abrindo um caminho seguido mais tarde por outros.
Consumido pelo álcool e pelas drogas, Parker teve uma existência breve e trágica, que inspirou criadores como o escritor argentino Julio Cortázar, que se inspirou nele para delinear o personagem central do conto "O Perseguidor", e o cineasta Clint Eastwood, que recebeu seu primeiro Globo de Ouro com o filme "Bird", de 1988, estreado com Forest Whitaker, o qual, por sua vez, arrebatou o prémio para “Melhor Actor” no Festival de Cannes, graças a este trabalho.
A biografia de Parker contabilizou duas tentativas de suicídio e um longo internamento num sanatório, antes de chegar ao fim. Aos 34 anos,  o estrago causado no seu corpo, pela vida desregrada, era tão grande que o médico-legista atribuiu ao morto, a idade de 65 anos. Faleceu em 12 de março de 1955. Encontra-se sepultado no Cemitério Lincoln, Kansas City, Missouri, Estados Unidos.

Ornithology, gravado em 28 de Março de 1946, com Charlie Parker (saxofone alto), Miles Davis (trompete), Lucky Thompson (saxofone tenor), Dodo Marmarosa (piano), Arvin Garrison (guitarra), Vic McMillan (contrabaixo) e Roy Porter (bateria).


Improvisation session, com Coleman Hawkins (saxofone tenor), em 1950.


I've Got Rhythm


April In Paris, com Charlie Parker (saxofone alto), Mitch Miller (oboé), Bronislaw Gimpel, Max Hollander, Milton Lomask (violinos), Frank Brieff (viola), Frank Miller (violoncelo), Myor Rosen (harpa), Stan Freeman (piano); Ray Brown (contrabaixo), Buddy Rich (bateria), Jimmy Carroll (orquestrador e maestro). Gravado no “Reeves Sound Studios”, New York City, 30 Novembro de 1949.

sexta-feira, 22 de maio de 2015

Zeferino e Hermenegildo (I)


Zeferino: As próximas eleições legislativas vão ser as mais renhidas de sempre…

Hermenegildo: Ele não me parece lá muito inteligente. É verdade !

Zeferino: AS ELEIÇÕES LEGISLATIVAS MAIS IMPORTANTES E MAIS RENHIDAS DE SEMPRE !

Hermenegildo: Já ouvi Zeferino, as Eleições ! E isso serve para quê ?

Zeferino: ESTÚPIDO QUE TU ÉS! AS ELEIÇÕES LEGISLATIVAS SERVEM PARA ELEGERES OS TEUS REPRESENTANTES NA ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA. AQUELES QUE IRÃO DEFENDER OS TEUS INTERESSES ! OUVISTE BURRO !?

Hermenegildo: Achas mesmo que sou Burro ?
Então, olha só: O PS e o PSD já lá estiverem “n” vezes, desde o 25 de Abril e podemos constatar e ver como é que o País está, desemprego, nível de vida, educação, habitação, saúde, etc.;
O CDS esse fez parte de alguns governos, ora aliado com o PS, ora na AD, do tempo do Sá Carneiro. Fizeram alguma coisa decente ?;
O PCP, CDU, PEV, são só siglas e como nunca mais lá estiveram, depois do Vasco Gonçalves, também nada fizeram;
O actual Bloco de Esquerda que se está a afirmar como terceira força política, o seu líder já disse, que não quer governar, quer somente ser Oposição. Depois disto diz-me se achas que vale a pena ir votar e colocar na Assembleia da República, para aí, 25% de pessoas que trabalham e outros 75% de outros que pouco ou nada fazem, a não ser gastar dinheiro ao Estado.

Zeferino: TU ÉS MESMO IGNORANTE E ATRASADO !

Hermenegildo: Cala-te, tu sabes lá o que dizes! Eu só sei, é que neste País, Justiça não há !!!… e só isso deixa os Portugueses honestos frustrados. Aqueles que lutam e trabalham abnegadamente sem descanso, e que hoje vêem outros que nada fazem subir à conta de vigarices que, ainda por cima, são publicitados. Já viste que quem só fala e tem tempo de antena, são os vigaristas !

Zeferino: EU VOU VOTAR! PORQUÊ VOTAR É SER DEMOCRATA !!!

Hermenegildo: É ??????

Zeferino: ???!!!!

terça-feira, 19 de maio de 2015

Tecnologia - Interacção Humorística (CXLII)

Em 16-11-2011. Obrigado.

Tecnologias

Hoje estava eu a tomar um café na “Padaria Portuguesa”, quando, desesperadamente, precisei de soltar um gás. A música estava bem alta. Então calculei soltar o gasoso em sincronia com o ritmo.

Assim o pensei, assim o fiz. Lá se foram os gases da fermentação da feijoada, molho de repolho e ovos cozidos, sendo libertados ao ritmo da música.

Fiquei orgulhoso pelo peido fragmentado, ritmado, em sincronismo perfeito com a música...Comecei a sentir-me melhor e mais aliviado...

Terminei o meu café tranquilamente...só então notei que toda a gente estava a olhar para mim. De repente, lembrei-me que estava a ouvir música do meu iPod, com os “phones”...

Nunca mais tomo café na “Padaria Portuguesa” !!!

sábado, 16 de maio de 2015

Fabrico do 2CV na fábrica de Mangualde

Era assim que se montava um dos carros mais icónicos de sempre, o Citröen 2CV, o “Dois Cavalos” !!!

quarta-feira, 13 de maio de 2015

Jazz Standards (CXXXVIII)

(Dados Biográficos In Wikipédia e In AllMusic.Com - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos)

(Sobre o tema em questão, algumas palavras retiradas de “in
http://www.jazzstandards.com/compositions/index.htm” - adaptação e tradução por Ricardo Santos)

Sweet and Lovely (#142) - Música e Letra de Gus Arnheim, Charles N. Daniels e Harry Tobias
A orquestra de Gus Arnheim foi a banda de dança mais popular na Costa Oeste, no final dos anos 20 e início dos anos 30, e eles eram a banda da elegante “boite” (termo antigo usado nos anos 60 e 70 e equivalente à actual “discoteca”) “Cocoanut Grove”, em Los Angeles. As honras vocais eram do vocalista Donald Novis, e a versão deste “standard” de Gus Arnheim, "Sweet and Lovely", teve um lugar privilegiado nas tabelas de vendas, por 14 semanas em 1931, foi número um.

Gus Arnheim e a sua orquestra (1931, Donald Novis, vocal, Nº.1);
Guy Lombardo e “His Royal Canadians” (1931, Nº. 2);
Bing Crosby (1931, vocal, Nº. 9);
Ben Bernie e a sua orquestra (1931, Nº. 12);
Russ Columbo (1931, vocal, Nº. 19); e
Bing Crosby (1944, Nº. 27).

Em "Sweet and Lovely", Harry Tobias foi o letrista. Segundo, Gus Arnheim era um chefe de banda e astuto empresário - não era um compositor. Por isso, o compositor da melodia foi Charles N. Daniels. Mas na partitura original ele aparece sob um de seus pseudónimos, "Jules Lemare", embora tivesse outro,  "Neil Moret".

Mary Stallings (San Francisco, California, EUA, 16-08-1939 - 20xx) – O Trio de Mary Stallings (vocal), com Michael Bluestein (piano), Geoff Brennan (contrabaixo) e Babatunde Lea (bateria).


Ella Fitzgerald (Newport News, EUA, 25-04-1917 — Beverly Hills, EUA, 15-06-1996)


Thelonious Monk (Rocky Mount, EUA, 10-10-1917 — Weehawken, New Jersey, EUA, 17-02-1982) – do álbum “Solo Monk”, Los Angeles, 31 de Outubro de 1964.


Bryan Ferry (Washington, County Durham, Inglaterra, 26-09-1945 - 20xx) – do álbum “As Time Goes By” de 1999.


Letra

Sweet and lovely
Sweeter than the roses in May
Sweet and lovely
Heaven must have sent him my way
Skies above me
Never were as blue as his eyes
And he loves me
Who would want a sweeter surprise?
When he nestles in my arms so tenderly
There's a thrill that words cannot express
In my heart a song of love is taunting me
Melody haunting me
Sweet and lovely
Sweeter than the roses in May
And he loves me
There is nothing more I can say
When he nestles in my arms so tenderly
There's a thrill that words cannot express
In my heart a song of love is taunting me
Melody haunting me
Sweet and lovely
Sweeter than the roses in May
And he loves me
There is nothing more I can say
There is nothing more I can say
There is nothing more I can say
There is nothing more I can say
There is nothing more I can say

Lamento, algumas eventuais falhas nas letras, encontradas na Internet, devido à própria improvisação dada pelos seus intérpretes, e muitas vezes de difícil entendimento. (Ricardo Santos).

segunda-feira, 11 de maio de 2015

Soluções do Passatempo Os Meus Cromos do Rock Pop (III) – The Bee Gees

De que fala a letra desta canção ?
Conta a história de um homem que espera a sua execução na cadeira eléctrica e que pede ao capelão da cadeia que antes de morrer ele quer enviar uma mensagem à sua mulher.

Em que lugar classificou esteve nos "Tops" no Reino Unido e nos Estados Unidos ?


Pela participação, acertos e comentários:
Janita, Rui Espírito Santo, Teresa e Pedro Coimbra.

Pelos comentários:
Afrodite e Maria Eu.

O meu Obrigado a todos os participantes !!!

domingo, 10 de maio de 2015

Os Meus Cromos do Rock Pop (III) – The Bee Gees

“Os Meus Cromos do Rock Pop” servirá de desafio, e poderá ter duas, três ou quatro perguntas que terão de pesquisar e responder para o meu endereço de “mail” ricardosantos1953@gmail.com, visto que os comentários não estarão moderados.
Aqui trarei canções significativas dos grupos e intérpretes de Rock e de Pop que mais me agradaram durante a minha juventude e alguma informação sobre eles. O primeiro é dedicado aos Beatles (1960 – 1970), como seria óbvio.

“The Bee Gees” é uma banda formada pelos irmãos Barry, Robin e Maurice Gibb. Nascidos na Ilha de Man, viveram alguns anos em Chorlton, Manchester, Inglaterra. Ainda crianças mudaram-se com os pais para Brisbane, Queensland, Austrália. Fizeram sucesso desde 1966, estando entre os maiores grupos de venda de discos, de todos os tempos.

Passaram por diversos ritmos musicais, do “Rock” Psicadélico às Baladas, passando pelo “Country Rock”, pela música “Disco”, pelo “R&B”, pela música romântica, terminando no “Pop Rock” moderno. Venderam ao todo mais de 250 milhões de discos. Foram incluídos no “Groups and Bands Hall of Fame”, no “Rock and Roll Hall of Fame”, no “Composers Hall of Fame” e ganharam dez prémios “Grammy”.

O álbum “Saturday Night Fever”, banda sonora do filme “Febre de Sábado à Noite”, é a banda sonora mais vendida de todos os tempos e, actualmente ocupa o 5º. Lugar, como álbum mais vendido da história, com mais de 37 milhões de cópias, de acordo com a revista “Billboard: 300 Best-Selling Albums of All-Time”.
...
“The Bee Gees” são uma das bandas que mais dinheiro arrecadou na história da música, e são considerados por grande parte da crítica musical, a segunda maior banda da história evidenciada pelo conjunto da sua obra (composições, produções e gravações). Somente ultrapassados pelos “The Beatles”.
...

A primeira música aqui a passar, data de 7 de Setembro de 1968 e é talvez um dos primeiros sucessos. Nas tabelas de vendas de alguns países: 1º. lugar na Irlanda, Reino Unido, África do Sul e Itália; 2º. lugar na Nova Zelândia e Holanda; 3º. lugar na Alemanha, Holanda, Austrália, EUA (Cash Box), e Canadá.

A pergunta para a primeira canção, é:
De que fala a letra desta canção ?


A segunda composição, de Janeiro de 1968, e foi: 1º. lugar na Alemanha, Suíça e Holanda; 4º. lugar na Bélgica, Áustria e Canadá; 6º. lugar na Dinamarca; 7º. lugar na Noruega; 9º. lugar em França; 11º. lugar em Itália; 13º. lugar na Austrália e 19º. lugar no Japão. 

A pergunta para a segunda canção, é:
Em que lugar classificou esteve nos "Tops" no Reino Unido e nos Estados Unidos ?


As soluções do Passatempo serão publicadas depois de amanhã, dia 12 pelas 20:00 ! 

quinta-feira, 7 de maio de 2015

India Arie – Jazz Singers (XXXIII)

(Dados Biográficos In Wikipédia e/ou In AllMusic.Com - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos)

India Arie (Denver, Colorado, EUA, 03-10-1975) – India Arie Simpson mais conhecida como India Arie, é uma norte-americana, cantora, guitarrista, compositora e produtora musical de “R&B”, “Soul” e “Neo Soul”. Foi já premiada com três “Grammy”.
India Arie, desde pequena foi influenciada pelo seus pais a desenvolver as suas capacidades musicais. A sua mãe, Joyce Simpson, cantava profissionalmente. O seu pai, Ralph Simpson, jogou na ABA e NBA.

Video, do álbum “Acoustic Soul” (2001).


The Truth, do álbum “Voyage to India” (2002).


Beautiful Flower, single de 2008.


Just Do You, do álbum “Songversation” (2013).

segunda-feira, 4 de maio de 2015

Jazz Standards (CXXXVII)

(Dados Biográficos In Wikipédia e In AllMusic.Com - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos)

(Sobre o tema em questão, algumas palavras retiradas de “in
http://www.jazzstandards.com/compositions/index.htm” - adaptação e tradução por Ricardo Santos)

Moonlight in Vermont (#141) - Música de Karl Suessdorf e Letra de John M. Blackburn
A vocalista Margaret Whiting, filha do compositor Richard Whiting, apresentou esta canção em 1944, e foi o seu primeiro grande sucesso. Ela gravou-a novamente 10 anos depois, e esta versão subiu nas tabelas de venda:

Billy Butterfield e a sua osquetra (1945, Margaret Whiting, vocal, Nº. 15)
Margaret Whiting (1954, vocal, Nº. 29)

A “Capitol Records” começou a editar em 8 de Abril de 1942. A ideia do seu criador, o letrista e vocalista Johnny Mercer, destinava-se a fazê-la ser a concorrência da Costa Oeste para as grandes gravadoras da Costa Leste, como a “RCA Victor” e “Columbia”. No momento da sua formação, a American Federation of Musicians atacou em força, e a “Capitol”, rapidamente, gravou e lançou vários lados, dois dos quais (pelo chefe de orquestra e pianista Freddie Slack e Johnny Mercer), tornaram-se grandes sucessos.

Ella Fitzgerald (Newport News, EUA, 25-04-1917 — Beverly Hills, EUA, 15-06-1996) e Frank Sinatra (Hoboken, EUA, 12-12-1915 — Los Angeles, EUA, 14-05-1998)


Billie Holiday (Filadélfia, EUA, 07-04-1915 — New York, EUA, 17-07-1959) – video com paisagens em Vermont, nordeste dos Estados Unidos, região de New England, e com capital em Montpelier.


Ray Charles (Albany, Geórgia, EUA, 23-09-1930 - Beverly Hills, Califórnia, EUA, 10-06-2004)


Stephane Grappelli (Paris, França, 26-01-1908 - Paris, França, 01-12-1997) e Bill Coleman (Paris, Kentucky, EUA, 04-08-1904 - Toulouse, France, 24-08-1981) - William Johnson (Bill) Coleman no trompete e Stephane Grappelli no violino.


Letra

Pennies in a stream
Falling leaves a sycamore
Moonlight in Vermont
Gentle finger waves
Ski trails down a mountain side
Snowlight in Vermont
Telegraph cables, how they sing down the highway
As they travel each bend in the road
And when people meet, in this romantic setting
They're so hypnotized be the lovely...
Evening summer breeze
Sweet warblings of the meadowlark
Moonlight in Vermont

Lamento, algumas eventuais falhas nas letras, encontradas na Internet, devido à própria improvisação dada pelos seus intérpretes, e muitas vezes de difícil entendimento. (Ricardo Santos).