Contigo nunca me perco, perdendo-me !!!... (Ricardo Santos)

domingo, 19 de abril de 2015

Jazz Standards (CXXXVI)

(Dados Biográficos In Wikipédia e In AllMusic.Com - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos)

(Sobre o tema em questão, algumas palavras retiradas de “in
http://www.jazzstandards.com/compositions/index.htm” - adaptação e tradução por Ricardo Santos)

In a Mellotone / In a Mellow Tone (#140) - Música de Duke Ellington e Letra de Milt Gabler
Duke Ellington e a sua orquestra apresentaram este tema em 1940, e que mais tarde se tornaria um “standard”. Apesar de Duke ter tido três músicas nas tabelas de vendas daquele ano, "Mellotone" não era nenhuma dessas composições.
O período de 1939-1942 é considerado por muitos críticos como a era de ouro da carreira de Ellington. Ele tinha uma banda composta de talentos e Duke se estava produzindo composições originais para a orquestra, como, po exemplo: "Ko-Ko"; "Jack the Bear"; "Warm Valley"; "Sepia Panorama"; e "In a Mellotone”.
O que fez as músicas de Duke tornarem-se grandes êxitos, no entanto, não era apenas a melodia ou a orquestração, mas como ele utilizava os seus músicos solistas, na perfeição, dentro dos seus arranjos. "In a Mellotone" é um exemplo perfeito de como Duke poderia levar as mudanças de acordes de um velho tema, neste caso, a meloda "Rose Room" de 1919, e escrever um simples “riff”, o que hoje é considerado a "cabeça" da melodia, e depois combiná-la com grandes solos. A gravação original contém um dos primeiro solos do saxofonista Johnny Hodges, interpretado em "double time".
Sem dúvida, a razão pela qual esta composição alcançou o “status” de “standard” não foi devido aos acordes ou à melodia, mas sim, o que Ellington fez com ela originalmente e inicialmente e como os músicos de jazz reagiram ao seu conceito. Ellington termina o arranjo com um "lift" inteligente do primeiro solo de Louis Armstrong no registo, "Chimes Blues," gravada por “Creole Jazz Band” do rei Oliver em 1923.

Count Basie (Red Bank, New Jersey, EUA, 21-08-1905 - Hollywood, Florida, EUA, 26-04-1984) Orchestra


Ella Fitzgerald (Newport News, EUA, 25-04-1917 — Beverly Hills, EUA, 15-06-1996)


Joe Pass (New Brunswick, New Jersey, EUA, 13-01-1929 – Los Angeles, California, EUA, 23-05-1994) e Herb Ellis (Farmersville, Texas, EUA, 04-08-1921 - Los Angeles, EUA, 20-03-2010) – Com Joe Pass (guitarra), Herb Ellis (guitarra), Ray Brown (contrabaixo) e Jake Hanna (bateria). Ao vivo no “Concord Summer Festival”, Califonia, EUA.


Duke Ellington (Washington, EUA, 29-04-1899 — New York, EUA, 24-05-1974) Orchestra


Letra

In a mellow tone
Feeling fancy free
And I'm not alone
I've got company
Everything's ok
The live long day
With this mellow song
I can't go wrong
In a mellow tone
That's the way to live
If you mope and groan
Something's gotta give
Just go your way
And laugh and play
There's joy unknown
In a mellow tone
In a mellow tone
In a mellow tone
Feeling fancy free
And I'm not alone
I've got company
Everything's ok
The live long day
With this mellow song
I can't go wrong
In a mellow tone
That's the way to live
If you mope and groan
Something's gotta give
Just go your way
And laugh and play
There's joy unknown
In a mellow tone
In a mellow tone
In a mellow tone

Lamento, algumas eventuais falhas nas letras, encontradas na Internet, devido à própria improvisação dada pelos seus intérpretes, e muitas vezes de difícil entendimento. (Ricardo Santos).

14 comentários:

  1. É sempre bom ouvir estas seleções. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Luísa sê bem aparecida por aqui, és sempre bem-vinda !

      Obrigado

      Eliminar
  2. Em estando a Ella (ou a Billie) "em jogo", acabo sempre por preferir a versão dela(s)... :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu sei que é mais difícil gostar somente de versões instrumentais, mas é uma falsa questão do nosso ouvido e da nossa zona de conforto. Mas gosto de te ver aqui a comentar e a ouvir o que coloco aqui para ser ouvido. A Ella e a Billie serão sempre do melhor que existe em termos de voz !

      Obrigado Teresa

      Eliminar
  3. Que colecção!!!
    Vou ouvir novamente.
    Aquele abraço, boa semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pedro fui comentar a tua anedota, mas pelos visto ou te esqueceste de libertar o meu comentário ou foi para ao teu "Spam", ou então foi falhanço meu ... :))

      As versões são todas boas. A do Duke Ellington é de respeitar, visto ter sido o autor da música, mas a de Count Basie e a dos dois guitarras, Herb Ellis e Joe Pass, são também muito boas, principalmente esta última. Gosto imenso do som da guitarra em instrumentais de Jazz. A versão cantada da Ella, é ELA a ELLA !

      Obrigado Pedro

      Eliminar
  4. Excelente selecção. Vou aproveitar para ouvir no silêncio da noite!

    Óptima semana para ti.

    Beijinhos Ricardo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Manuela, é bom ouvir e interromper o silêncio da noite para o fazer !

      Obrigado

      Eliminar
  5. Uma excelente recolha que vou guardar para ouvir com calma.
    beijinho e boa semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Enquanto eles não as tirarem do Youtube ou cancelarem a exibição por motivos de licenciamento, o que acontece algumas vezes, podes ouvir com calma quando quiseres ! :)

      Obrigado Fê

      Eliminar
  6. Boa tarde, sempre gostei da voz doce da Ella Fitzgerald, a maneira fácil como cantar, encanta, foi bom recordar.
    AG

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A Ella era/é na realidade uma voz doce e melodiosa. Parece que nasceu para cantar !

      Obrigado António

      Eliminar

Eu fiz um Pacto com a minha Língua, o Português, língua de Camões e de Pessoa.