A paixão nua e cega dos estios, Atravessou a minha vida como rios

Sophia de Mello Breyner Andresen, A Paixão Nua, in “O Nome das Coisas”.

terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

Gregory Porter – Jazz Singers (XXX)

(Dados Biográficos In Wikipédia e/ou In AllMusic.Com - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos)

Gregory Porter (Sacramento, California, EUA, 04-11-1971 – 20xx) – É um vocalista de jazz, compositor e actor norte-americano. Ganhou em 2014 o “Grammy” de “Melhor Álbum Vocal de Jazz” com o trabalho “Liquid Spirit”. Nasceu em Los Angeles e foi criado em Bakersfield, Califórnia, onde a sua Mãe era ministro. Recebeu em 1989 uma pós-graduação na “Highland High School”, uma bolsa estudos para desporto (futebol americano) para a “San Diego State University (SDSU Aztecs)”. A sua lesão no ombro, durante o seu primeiro ano restringiu a sua carreira de futebolista.
Porter veste muitas vezes um colete modificado para aparições públicas. A razão para isso, não é totalmente clara, mas ele mencionou que o colete é como se fosse um cobertor de segurança, e também, como o seu chapéu de jazz ("hat jazz").
Numa entrevista da “Jazzweekly.Com”, conduzida por George W. Harris, em 3 de Novembro de  2012, quando perguntado "Porquê o chapéu omnipresente?" Porter respondeu: "Eu fiz uma cirurgia na minha pele, de modo que este será o meu aspecto e vai continuar a ser por mais algum tempo. As pessoas reconhecem-me pelo chapéu agora. É o que é !".
Assinado pela “Blue Note Records” (Universal Music Group) em 17 de Maio de 2013, e o seu terceiro álbum, “Liquid Spirit”, editado em 2 de Setembro de 2013, na Europa, e em 17 de Setembro de 2013, nos EUA, produzido por Brian Bacchus, ganhou o “Grammy 2014” de “Melhor Vocal Jazz album”.
Em Agosto 2014 Porter lançou o single "The 'In' Crowd".

Our Love, do álbum “Be Good” de 2013.


Painted On Canvas, do álbum “Be Good” de 2013, No “Festival International de Jazz de Montréal” em 2012.


Hey Laura, do álbum “Liquid Spirit” de 2014.


Water Under Bridges, do álbum “Liquid Spirit” de 2014. No programa “The Late Late Show da RTÉ One (Irlanda)”.

6 comentários:


  1. Ainda só vou no primeiro tema, «Our Love», e já estou a adorar esta voz doce e quente.
    Acho que vou ficar fã. Mais um nome para reter!

    Acho que hoje vou ficar aqui por um bom bocado.
    Arranjas umas pipocas? :))

    Beijinho caramelizado
    (^^)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Comecei a ouvi-lo aqui há um ano. Alguém mo deu a conhecer e fiquei com vontade de ouvir muitas vezes. Tem uma belíssima voz !
      Pipocas não tenho, mas tenho boa música, modéstia à parte !!!
      Obrigado Afrodite

      Eliminar
  2. Obrigada! Vou "jazzar" um pouco enquanto trabalho :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sê Bem Vinda por aqui. Continuo a tentar colocar boa música para se ouvir !
      Obrigado M

      Eliminar
  3. Boa tarde, para ouvir jazz é necessário as origens, significados para gostar, ouvir por ouvir, penso eu não resulta, o grande divulgador do jazz em Portugal e meu colega de trabalho, Luís Villas Boas, teve o dom de por os portugueses a ouvir e a saber a origem do Jazz.
    AG

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. António, verdade irrefutável o que dizes. Infelizmente, o Luís já não está cá connosco e eu não encontro na divulgação do Jazz, outro "Luís" !
      Obrigado António

      Eliminar

Eu fiz um Pacto com a minha Língua, o Português, língua de Camões e de Pessoa.