A paixão nua e cega dos estios, Atravessou a minha vida como rios

Sophia de Mello Breyner Andresen, A Paixão Nua, in “O Nome das Coisas”.

sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

Jazz Standards (CXXXI)

(Dados Biográficos In Wikipédia e In AllMusic.Com - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos)

(Sobre o tema em questão, algumas palavras retiradas de “in
http://www.jazzstandards.com/compositions/index.htm” - adaptação e tradução por Ricardo Santos)

Days of Wine and Roses (#135) - Música de Henry N. Mancini e Letra de Johnny Mercer
Ambos compositor e letrista alegaram que a sua canção vencedora do “Oscar” foi de rápida inspiração para eles. O título do filme determinou a melodia, e como Mancini disse na sua autobiografia, Será que eles mencionavam a música ? "A música surgiu do nada e ali estava...” Johnny Mercer, também, diz que ele "não conseguia obter as palavras rápido o suficiente."
Andy Williams cantou "The Days of Wine and Roses" na banda sonora do filme e ganhou um disco de ouro para a “Columbia Records”. A sua versão esteve nas tabelas de vendas por 12 semanas, chegando ao lugar 26, à frente da versão instrumental de Henry Mancini que subiu somente ao lugar 33. A canção também recebeu um Grammy de “Canção do Ano”, e Mancini recebeu Grammies de “Gravação do Ano” e “Melhor Orquestração”. O Oscar para a “Melhor Canção” foi o segundo atribuído à dupla Henry Mancini e Johnny Mercer letrista. Eles tinham vencido em 1961, o mesmo Oscar, com a composição "Moon River" do filme “Breakfast at Tiffany”.

Frank Sinatra (Hoboken, EUA, 12-12-1915 — Los Angeles, EUA, 14-05-1998) – orquestração de Nelson Riddle


Bill Evans (Plainfield, EUA, 16-08-1929 — New York, EUA, 15-09-1980) –gravado entre 31-08 e 07-09 de 1980 em São Francisco, no Jazz Club Keystone Korner. Com Bill Evans (piano), Mark Johnson (contrabaixo) e Joe Labarbera (bateria).


Andy Williams (Wall Lake, Iowa, EUA, 03-12-1927 - Branson, Missouri, EUA, 25-09-2012)


Wes Montgomery (Indianapolis, Indiana, EUA, 06-03-1923 - Indianapolis, Indiana, EUA, 15-06-1968) – no “Plaza Sound Studios”, New York City, 22 de Abril de 1963, com Mel Rhyne (orgão), Wes Montgomery (guitarra) e Jimmy Cobb (bateria)


Letra

The days of wine and roses laugh and run away like a child at play
Through a meadow land toward a closing door
A door marked "nevermore" that wasn't there before
The lonely night discloses just a passing breeze filled with memories
Of the golden smile that introduced me to
The days of wine and roses and you
(The lonely night discloses) just a passing breeze filled with memories
Of the golden smile that introduced me to
The days of wine and roses and you-oo-oo

Lamento, algumas eventuais falhas nas letras, encontradas na Internet, devido à própria improvisação dada pelos seus intérpretes, e muitas vezes de difícil entendimento. (Ricardo Santos)

12 comentários:

  1. Prefiro as versões do Frank Sinatra e do Andy Williams - bem bonitas! Cada uma no seu estilo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu sei que sim Graça !!!
      No entanto, já aqui disse que temos de dar um jeito aos nossos ouvidos de ouvir também as instrumentais, com prazer :)

      Eu a pouco e pouco quando comecei a ouvir jazz instrumental, dissecava a música no meu ouvido e ouvia várias vezes a mesma canção, mas de cada vez que a ouvia, tentava isolar um instrumento, e depois de os ouvir a todos separadamente na minha cabeça, ouvia então a música na sua totalidade e o conjunto de instrumentos.

      Sou um amante incondicional de música, seja ela vocal ou instrumental. Infelizmente como já disse sou um "amador" que não sabe ler uma pauta ! :(((

      Obrigado Graça

      Eliminar
  2. Concordo com a Graça, embora tenha achado as outras bastante agradáveis. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado pela tua visita Luísa e ainda bem que gostaste !

      Eliminar

  3. Como me conheço e sei que aprecio (quase sempre) mais as versões cantadas, ao começar a ouvir os quatro temas achei logo que ia dizer o mesmo que a Graça e a Luísa... quando me surpreendo agradavelmente com a última versão, o tema de Wes Montgomery.
    Já ouvi duas vezes... e vou ouvir de novo. :))

    Beijinhos na noite calma
    (^^)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Wes Montgomery era um excelente guitarrista e esta balada/"standard" intitulada "The Days of Wine and Roses" é um tema muito agradável para ouvir e também para dançar. Ainda bem que gostaste. Um "trio" de jazz um pouco fora do normal (guitarra, orgão e bateria), já que o "trio" clássico costuma ser piano, contrabaixo e bateria, mas que nos preenche auditiva e completamente.

      Às vezes é necessário fazer um pouquinho de esforço, para tentarmos ouvir outro sons. O ser humano precisa de o fazer. É isso uma das coisas que nos diferencia em relação aos outros animais, a procura de algo diferente, inovador para a nossa mente. Fugir à rotina !

      Obrigado Afrodite

      Eliminar
  4. O difícil aqui é escolher uma das versões como favorita: são todas boas! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A ideia é dar a entender a todos que todas elas podem ser boas, independentemente de serem vocais ou instrumentais. É engraçado ver a exploração do mesmo tema de maneiras diferentes.
      Obrigado Teresa

      Eliminar
  5. Isto hoje está para chegar e ficar recostado a escutar a magnífica música que se ouve
    Aquele abraço, boa semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado Pedro. São na realidade para escutar com atenção !

      Eliminar
  6. Boa tarde, ambas as versão são agradáveis, acontece que depois de ouvir o Frank é difícil preferir outra.
    AG

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também preferes as versões cantadas pelo que vejo :). O Frank era uma voz que cantava tudo. Aquilo que se chama em Ópera de "absoluto" !
      Obrigado António

      Eliminar

Eu fiz um Pacto com a minha Língua, o Português, língua de Camões e de Pessoa.