Contigo nunca me perco, perdendo-me !!!... (Ricardo Santos)

sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

Os Festivais das Canções (1981)

(Dados Biográficos In Wikipédia e/ou In AllMusic.Com - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos)

Vou andar por aqui a mostrar um pouco da música dos Festivais da Canção, o da RTP e o da Eurovisão. Ouvirão e verão, sempre que haja vídeo no Youtube , os três primeiros lugares de cada um deles.

Euro Festival 1981, em 4 de Abril, Dublin (Irlanda).

1º. Bucks Fizz (1981) - Making your mind up


2º. Lena Valaitis (07-09-1943) – Johnny Blue


3º. Jean Gabilou (Gabriel Lewis Laughlin) (28-02-1948) - Humanahum


Festival RTP da Canção de 1981, em 07 de Março, no teatro Maria Matos.

1º. Carlos Paião (01-11-1957 – 26-08-1988) - Playback


2º. José Cid (04-02-1942) - Morrer de Amor por Ti


3º. Maria Guinot (20-06-1945) - Um Adeus, um Recomeço

quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

Steps Ahead – Groups & Soloists of Jazz (XI)

(Dados Biográficos In Wikipédia e/ou In AllMusic.Com - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos)

Steps Ahead (1983 – 20xx) – Conhecidos por “Steps” é um grupo de “Jazz Fusion” e uma criação do vibrafonista Mike Mainieri. De acordo com as notas de 1983, o álbum de estreia do grupo, intitulava-se “Steps Ahead". O grupo “Steps” começaram a tempo parcial em 1979, no clube nocturno “7th Avenue South”, em Nova York. O grupo lançou as primeiras gravações no Japão, em 1980.
A primeira formação das etapas, do período 1979-1981, e como se pode ler no álbum ao vivo “Smokin' in the Pit”, era constituída por: Michael Brecker (saxofone tenor), Steve Gadd (bateria), Eddie Gomez (baixo), Don Grolnick (piano), Mike Mainieri (vibrafone) e um convidado especial Kazumi Watanabe (guitarra). Este álbum duplo ao vivo foi gravado em 15 e 16 de Dezembro de 1979, na “The Pit Inn”, em Tóquio e foi disco de ouro. A segunda gravação, em estúdio, foi feito no dia 17 de Dezembro de 1979, e chamava-se “Step By Step”. Este foi lançado, pouco tempo depois do primeiro “Smokin' in the Pit”, e de seguida foi a vez de, no Verão de 1980, ser editada, outra gravação ao vivo, chamada “Paradox”. Estes três álbuns (ver notas de Mike Mainieri no livreto do lançamento do CD de 1999, “Smokin' in the Pit”, foram os únicos álbuns lançados pelo grupo sob o nome de “Steps”. Em 1982, eles verificaram que o nome de “Steps” tinha sido registado por uma banda, na Carolina do Norte, e de seguida, mudaram o nome para “Steps Ahead”.
A formação dos “Steps Ahead” era: Mike Mainieri (vibrafone), Michael Brecker (saxofone tenor) , Eliane Elias (piano), Peter Erskine (bateria) e Eddie Gomez (baixo).
Os membros do grupo também incluiu Dennis Chambers (bateria), Warren Bernhardt (piano), Rachel Z (piano), Donny McCaslin (saxofone), Chuck Loeb (guitarra), Victor Bailey (baixo eléctrico), Tony Levin (baixo eléctrico), Bob Berg (saxofone), Darryl Jones (baixo eléctrico), Mike Stern (guitarra), Richard Bona (guitarra), e muitos outros.
Brecker e Mainieri são destaque nos “Dire Straits”, no álbum “Brothers in Arms”. Para os ouvintes de rock, os álbuns “Steps Ahead” (1983) e “Modern Times” (1984), com Warren Bernhardt a substituir Eliane Elias na formação principal, e outros músicos convidados que aparecem em papéis limitados,  são uma óptima ponte, para um tipo de Jazz, energético e poderoso. Refletindo a natureza de cooperação e interligação da banda, o álbum “Modern Times” incluiu composições de Mainieri, Brecker, Erskine, e Bernhardt .
Segundo o site NYC Records, a formação de 2007 que entrou em digressão, na altura, incluia: Mike Mainieri (vibrafone), Bill Evans (saxofone; não deve ser confundido com o pianista de jazz também chamado Bill Evans), Bryan Baker (guitarra), Anthony Jackson (baixo) e Steve Smith (bateria), ex-membro do grupo de “Rock” “Journey”. Em algumas actuações da digressão, Etienne Mbappe substitui Anthony Jackson no baixo.

In a Sentimental Mood / Trains, ao vivo, em Tokyo, Japão, a 30 de Julho de 1986. Com Michael Brecker (saxophone), Steve Smith (bateria), Mike Stern: (guitarra), Daryl Jones (baixo eléctrico) e Mike Manieri (vibrafone). A composição “Trains” pertence ao álbum “Magnetic” de 1986.


Oops, do álbum “Modern Times”, de 1984. Aqui, ao vivo, em Tokyo, Japão, a 30 de Julho de 1986. Com Michael Brecker (saxophone), Steve Smith (bateria), Mike Stern: (guitarra), Daryl Jones (baixo eléctrico) e Mike Manieri (vibrafone).


Safari, do álbum “Modern Times”, de 1984. Aqui no Festival de Jazz de Umbria (Itália), em 1985, com Michael Brecker (saxofone), Chuck Loeb (guitarra), Mike Mainieri (vibrafone), Victor Bailey (baixo eléctrico) e Peter Erskine (bateria).


Radio Active, do álbum “Modern Times”, de 1984. Com Michael Brecker (saxofone), Eddie Gomez (contrabaixo), Peter Erskine (bateria), Mike Mainieri (vibrafone) e Chuck Loeb (guitarra).

domingo, 23 de fevereiro de 2014

Prémio Valmor, Ano de 1906, Avenida República 36-38

Casa Visconde de Valmor, ex-Clube dos Empresários

Encontra-se do lado direito da Avenida da República, para quem vai da Praça Duque de Saldanha, em direcção a Entrecampos, na esquina da faixa lateral direita da Avenida da República e a Avenida Visconde de Valmor, cerca de dois quarteirões antes da Praça de Touros do Campo Pequeno. Actualmente encontra-se à venda.

Arquitecto Miguel Ventura Terra:


Prémios Valmor (1903, 1906, 1909, 1911) e Menção Honrosa (1913)

Arquitecto Miguel Ventura Terra (1866-1919):

“Natural da freguesia de São Pedro de Seixas do Minho, iniciou os seus estudos na Academia Portuense, entretanto Escola de Belas-Artes, que concluiu com a obtenção do diploma de Arquitecto e, em 1886, partiu para Paris, como bolseiro do Governo, após um polémico concurso, reclamado e sanado, onde lhe foi confirmado o primeiro lugar. Nesta cidade, candidatou-se à respectiva Escola de Belas-Artes, tendo ficado entre os cinco primeiros classificados. Discípulo dos notáveis arquitectos Jules André (1) e Victor Laloux (2), durante estes estudos, obteve primeiros prémios, medalhas e menções honrosas que lhe permitiram concorrer à primeira classe dos arquitectos diplomados pelo Governo francês. Em 1895, recebeu o honroso diploma, após defesa de um Projecto do Palácio da Justiça para Lisboa que, entretanto lhe fora encomendado pelo Governo português. Nesse ano foi recebido no “Salon”.
devem-se a Ventura Terra as grandiosas obras do Monte de Santa Luzia, em Viana do Castelo, continuadas, após a sua morte, pelo Arqº. Manuel Nogueira (1883-1953), e, ainda, em Lisboa, a sinagoga israelita Schaare Tiekwa, da Rua Alexandre Herculano, que substituiu a do Beco dos Apóstolos, à Rua das Flores («A Construção Moderna» N.º 97/Ano IV/1903);
Obteve o Prémio Valmor referente aos Anos de 1903, 1906, 1909 e 1911 com as edificações situadas na Rua Alexandre Herculano, N.º 57-57C, Avenida da República, N.º 38, Rua Marquês da Fronteira, N.º 18-28, e Rua Alexandre Herculano N.º 25. Receberia ainda, respeitante a 1913, uma Menção Honrosa do Prémio Valmor pelo prédio situado na Avenida António Augusto de Aguiar, N.º 3-D, onde é hoje a sede da Ordem dos Engenheiros.”

In Bairrada, Eduardo Martins, “Prémios Valmor 1902-1952”, Edição 1988, CML. (sic)*

*http://www.priberam.pt/dlpo/sic
*sic |síque| (palavra latina) Advérbio: Sem alteração nenhuma; tal e qual. = assim

(1) - Louis-Jules André ou Jules André é um arquitecto francês, nascido em Paris, a 24-06-1819 e morreu, também em Paris, a 30-01-1890, foi professor de Arquitectura, Prémio de Roma e membro do Instituto de França.

(2) - Victor-Alexandre-Frédéric Laloux (Tours, 15-11-1850 - Paris, 13-07-1937) é um arquitecto francês.

Acontecimentos Arquitectónicos da década:

1902 - Inauguração do elevador de Santa Justa;
1903 - Publicação do novo regulamento de salubridade para as construções urbanas;
1904 – Aprovação do Plano Geral de Melhoramentos, apresentado pelo engenheiro Ressano Garcia (1847-1911);
1905 – Desenvolvimento das construções ao longo da Avenida Fontes Pereira de Melo e da futura Avenida da República;
1905 - Jardim Zoológico, nas Laranjeiras, Raul Lino;
1907 – Animatógrafo do Rossio;
1908 - Projecto para o Parque Eduardo VII do arquitecto Miguel Ventura Terra.

As dez primeiras fotos, a seguir à imagem do Google MAP, são de 2008 e as seguintes de 2013.



Próxima publicação dia 10-03-2014 com o Prémio Valmor de 1908, na Avenida Avenida Almirante Reis 2, e arquitectada por Arnaldo Adães Bermudes.

sábado, 22 de fevereiro de 2014

Lisboa (X) – O Miradouro e o Caracol da Graça

O Bairro da Graça é uma freguesia portuguesa do concelho de Lisboa, com 0,34 km² de área e 6 960 habitantes (2001). Densidade: 20 410,6 hab/km². Esta freguesia foi formada já muito depois do terramoto de 1755, com a integração das extintas freguesias de Santo André e Santa Marinha, só tendo adquirindo identidade própria já no século XIX. No largo da Graça, junto à Igreja, existe uma esplanada no Miradouro da Graça onde se pode desfrutar de uma das mais belas vistas da cidade.

Junta de Freguesia:
http://www.jf-graca.pt/
Lista Casas Abandonadas no bairro da Graça, algumas no próprio Caracol:
http://lrm.isr.ist.utl.pt/jsgm/lsb_abandono/16_graca.html

Para acompanhar as fotos do “Miradouro” e da descida que fiz do “Caracol” até à Rua dos Lagares, nada mais natural que um fado cantado por um dos nossos melhores representantes da música ligeira portuguesa, de todos os tempos, é ele, Paulo de Carvalho (15-05-1947-20xx). Artista multifacetado com letra maiúscula. Manuel Paulo de Carvalho Costa começou como baterista. Em 1962 foi um dos fundadores do grupo “Sheiks”. O sucesso da carreira da banda, a que chamaram os “Beatles portugueses”, pôs-lhe fim às veleidades futebolísticas nos juniores do Benfica.
Muito haveria aqui a escrever/adaptar daquilo que vem na Wikipédia em nome de Paulo de Carvalho, saliento somente, uma canção que terá para sempre um significado adicional à sua vida de artista e às nossas de portugueses.
Vence o Festival RTP da Canção de 1974 com “E Depois do Adeus. Esta canção foi uma das senhas para a Revolução dos Cravos. Na Eurovisão ficou em último lugar “ex-aequo” com as canções representantes da Noruega, Alemanha e Suíça.
Aqui nesta mostra fotográfica, “Lisboa Menina e Moça” (Ary dos Santos, Joaquim Pessoa, Fernando Tordo/Paulo de Carvalho), original de 1976 para um “single” da etiqueta Orfeu.
Para quem pouco ouviu deste intérprete recomendo o CD “Vida”, editado em 2006, pela Farol Música, Lda. (FAR67652) – 5603850676521.

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Jazz Standards (CXI)

(Dados Biográficos In Wikipédia e In AllMusic.Com - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos)

(Sobre o tema em questão, algumas palavras retiradas de “in
http://www.jazzstandards.com/compositions/index.htm” - adaptação e tradução por Ricardo Santos)

Nature Boy (#115) - Música e Letra de Eden Ahbez
Nat "King" Cole apresentou esta melodia fora de comum, baseada numa canção “Yiddish” com o título "Schwieg Mein Hertz" (Be Still My Heart), em 1948, e a composição subiu ao primeiro lugar nas tabelas de vendas, e lá permaneceu,  durante 18 semanas:

Nat "King" Cole (1948, vocal, Nº. 1)
Frank Sinatra (1948, vocal, Nº. 7)
Sarah Vaughan (1948, vocal, Nº. 9)
Dick Haymes (1948, vocal, Nº. 11)

O compositor de "Nature Boy", Éden Ahbez, nasceu Alexander Aberle, em Brooklyn, no ano de 1908. A partitura original da canção mostra uma foto de Ahbez, com cabelo comprido e barba, parecendo Cristo, altamente invulgar para a década de 1940. Nalguns aspectos, Éden Ahbez era o protótipo de um “hippie” de 20 anos, à frente da sua época. Para além da sua aparência física, vivia uma vida simples, usava uma túnica e calçava umas sandálias, era vegetariano, e dizia-se, que vivia com a sua esposa, debaixo da letra "L" do famosa escultura "HOLLYWOOD", situada no monte “Lee”, “Holywwod Hills”, “Santa Monica Mountains”.

Howard University's Jazz Vocal Ensemble (2002 – 20xx) – formados pelo Professor Connaitre Miller, na Primavera de 2002.


Celine Dion (Charlemagne, Canada, 30-03-1968 - 20xx)


Kurt Elling (Chicago, Illinois, EUA, 02-11-1967 - 20xx) – Em 17 Abril de 2008, na “Opera House”, Sydney, Austrália, com a “Sydney Symphony Orchestra”.


Lizz Wright (Hahira, Georgia, EUA, 22-01-1980 - 20xx)


Letra

There was a boy
A very strange enchanted boy.
They say he wandered very far, very far,
Over land and sea.
A little shy
And sad of eye,
But very wise, very wise was he...

Until one day,
One lucky day he passed my way,
And while we talked of many things
Fools and kings,
This he said to me:
"The greatest thing
You’ll ever learn
Is just to love
And be loved
In return”.

Lamento, algumas eventuais falhas nas letras, encontradas na Internet, devido à própria improvisação dada pelos seus intérpretes, e muitas vezes de difícil entendimento. (Ricardo Santos)

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

Duas composições dos álbuns mais vendidos (I)

(Dados Biográficos In Wikipédia e/ou In AllMusic.Com - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos)

Hoje nova rúbrica que intercalará com as “Eurovision Songs”, e porque este mês de Fevereiro de 2014, comemoro três anos de “O Pacto Português”, posso dizer-vos que continuo a divertir-me imenso ao possuir um espaço onde escrever e partilhar coisas/assuntos de que gosto, com Familiares e Amigos (agradecimentos à Google e à Blogspot !), tentando dar a conhecer, algo fora do circuito comercial (até nem será o caso destas publicações !), vou por isso, andar por aqui umas semanas a trazer as maiores vendas, dos géneros musicais mais vendidos em todo o Mundo.

EUA, Michael Jackson, “The Girl Is Mine” e “Thriller”, Thriller, 30/11/1982, Pop / R&B / Rock / Dance

Editado em 30-11-1982, este foi, um dos álbuns de maior sucesso de todos os tempos, e por indicação do “Guiness Book of World Records”, com vendas de cerca de 65 milhões de unidades.
Talvez tenha começado aqui a saga dos “Walking Dead”, dos séculos XX/XXI que actualmente, têm tão vasta assistência, e isto a propósito do tema “Thriller”, o principal do álbum e a segunda música escolhida.
Deixo-vos com duas músicas, do álbum mais vendido no Mundo, e de géneros completamente diferentes.

The Girl Is Mine



Thriller (vídeo original)

domingo, 16 de fevereiro de 2014

Zé Pedro Gomes - Coçar onde é preciso !?



Em 25-05-2011. Obrigado.

ASAE na Assembleia da República

Fiscais da ASAE, da inspecção da higiene alimentar, acabam de encerrar a cantina da Assembleia da República.     


Motivo: Comiam todos do mesmo tacho.

domingo, 9 de fevereiro de 2014

Músicas House MD (7ª. Temporada) (XLIX)

(Dados Biográficos In Wikipédia e/ou In AllMusic.Com - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos)

Crowded House (1985 – 20xx) – É uma banda de “Pop Rock” formada em Melbourne, Austrália, em 1985. Os membros fundadores foram, o neozelandês Neil Finn (vocalista, guitarrista, compositor principal), e os australianos Paul Hester (bateria) e Nick Seymour (baixo). Membros da banda posteriores incluíram o irmão de Neil, Tim Finn, e os americanos Mark Hart e Matt Sherrod
Crowded House – Falling Dove


LCD Soundsystem (2010 – 2011) – Foi uma proeminente banda de “Dance-Rock” nova-iorquina. Foi liderada pelo cantor, compositor e produtor americano James Murphy, co-fundador da editora “DFA Records”. O grupo lançou três álbuns criticamente aclamados. No dia 5 de Fevereiro de 2011, um anúncio foi publicado no “website” da banda que anunciava o fim do grupo e a data de um concerto de despedida, que ocorreu no dia 2 de Abril de 2011, no Madison Square Garden. A última apresentação televisionada foi oara o ar no dia 14 de Fevereiro de 2011 no programa “The Colbert Report”.
...
LCD Soundsystem – No Love Lost


Mason Jennings (Honolulu, Hawai, 19-03-1975 – 20xx) – É um “Pop Folk” cantor e compositor norte-americano. Conhecido pelas suas melodias simples, mas cativantes, com letras intimistas, com temas literários e históricos, e uma voz inconfundível. A sua música tem aparecido no filme de surf “Shelter”, música essa que foi muito tocada, nas suas digressões.
...
Mason Jennings – The Light

sábado, 8 de fevereiro de 2014

Kay Starr – Jazz Singers (XIX)

(Dados Biográficos In Wikipédia e/ou In AllMusic.Com - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos)

Kay Starr (Dougherty, Oklahoma, EUA, 21-07-1922 - 20xx) – É uma norte-americana cantora de Jazz que fez sucesso considerável nas décadas de 40 e 50. Ela é mais lembrada por duas canções que se tornaram êxitos de primeiro lugar na década de 50, "Wheel of Fortune" e "The Rock And Roll Waltz".
Starr foi bem sucedida em todos os géneros musicais, no “Jazz”, no “Pop” e no “Country”. Mas as suas raízes, como intérprete estavam no Jazz, e Billie Holiday, dizia que Kay Starr era a única mulher branca que poderia cantar blues".
Kay Starr nasceu, Katherine Laverne Starks, numa reserve índia em Dougherty, Oklahoma. O seu pai, Harry, era um puro-sangue índio Iroquois. A sua mãe, Annie, era de origem mista, indiana irlandesa e com americana. Quando o seu pai conseguiu um emprego, como instalador de sistemas de aspersão de água para a extinção de incêndios, na “Automatical Sprinkler Company”, a família mudou-se para Dallas, Texas. Lá, a sua mãe criava galinhas, a quem Kay cantava para elas, estilo serenata, no galinheiro. A tia de Kay, Nora ficou impressionada com o canto da sobrinha, de apenas 7 anos de idade e arranjou-lhe, numa estação de rádio de Dallas, a WRR, sítio onde cantar. Primeiro, ela fez concorreu num concurso de talentos, classificando-se em 3.º lugar e a partir daí ficou sempre em primeiro lugar. Eventualmente, ela teria tido os seus próprios 15 minutos de programa. Ela cantou “Pop” e canções "hillbilly" acompanhada ao piano. Com 10 anos, ela fazia US $3 por noite, que era um bom salário nos dias da Depressão.
Stormy Wheater


It Is A Good Day, e ainda, Wheel Of Fortune, no TV Variety Show de 1952.


The Man In The Bag, 1950


Rock And Roll Waltz, 1954


quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

Prémio Valmor, Ano de 1905, Avenida 5 de Outubro 6-8

Casa Malhoa, actual Casa Museu Dr. Anastácio Gonçalves

Encontra-se no final da Avenida 5 de Outubro, do outro lado da Maternidade Alfredo da Costa e tendo nas suas costas, do seu lado esquerdo, o Hotel Imaviz.


Arquitecto Manuel Joaquim Norte Júnior (1878-1962):

“Natural de Lisboa, curso a Escola de Belas-Artes desta cidade, onde se formou com distinção. Seguiu depois para Paris, onde, como pensionista do Legado Valmor, frequentou o “atelier” Pascal (1) e satisfez provas que o habilitaram também com o diploma francês. Completou a sua formação com viagens de estudo através da própria França, Bélgica e Espanha, digressões demoradas e atentas, fixadas em muitos aspectos por magníficos desenhos que lhe forneceram elementos e sugestões para a temática decorativa e compositiva da sua obra.
Na década de trinta, desfrutando o apogeu da sua carreira, subscreveu os prédios construídos, na Avenida António Augusto de Aguiar, N.º 100; na Avenida da República, N.º 71; na Avenida Rodrigues Sampaio, N.º 158; na Avenida Ressano Garcia, N.º 24, e os dois prédios da Avenida de Berne, N.º 6 e 8.
Respeitante aos anos de 1905, 1912, 1914, 1915 e 1927, obteve o Prémio Valmor, respectivamente, com os edifícios da Avenida Cinco de Outubro, N.º 6-8, Alameda das Linhas de Torres, N.º 22 (semidemolido, hoje em ruínas, somente com as fachadas em pé!), Avenida Fontes Pereira, N.º 28, Avenida da Liberdade, N.º 206-218, e ainda com o da mesma artéria, N.º 176-180.
Nos anos de 1908 e 1912 foi distinguido com Menções Honrosas do mesmo Prémio, pelos prédios situados, respectivamente, na Avenida da República, N.º 45, tornejando para a Avenida Visconde Valmor (já demolido, em 1949/1950!), e na Praça Duque de Saldanha, N.º 12, tornejando para a Avenida Praia da Vitória, N.º 44, este existente e bem conservado (começa a apresentar sintomas de degradação!).”

In Bairrada, Eduardo Martins, “Prémios Valmor 1902-1952”, Edição 1988, CML. (sic)*

*http://www.priberam.pt/dlpo/sic
*sic |síque| (palavra latina) Advérbio: Sem alteração nenhuma; tal e qual. = ASSIM
(1) - Jean-Louis Pascal (04-06-1837 – 17-05-1920) foi um arquitecto francês.

Acontecimentos referentes à década:

1902 - Inauguração do elevador de Santa Justa;
1903 - Publicação do novo regulamento de salubridade para as construções urbanas;
1904 – Aprovação do Plano Geral de Melhoramentos, apresentado pelo engenheiro Ressano Garcia (1847-1911);
1905 – Desenvolvimento das construções ao longo da Avenida Fontes Pereira de Melo e da futura Avenida da República;
1905 - Jardim Zoológico, nas Laranjeiras, Raul Lino;
1907 – Animatógrafo do Rossio;
1908 - Projecto para o Parque Eduardo VII do arquitecto Miguel Ventura Terra.

As dezasseis primeiras fotos, a seguir à imagem do Google MAP, são de 2008 e as seguintes de 2013.


Próxima publicação dia 20-02-2014 com o Prémio Valmor de 1906, na Avenida República 36-38, Clube dos Empresários, neste momento com placa “Para Venda”, e arquitectado por Miguel Ventura Terra.

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

Lisboa (IX) – Belém

(Dados Biográficos In Wikipédia e/ou In AllMusic.Com - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos)

Algumas fotos sobre Belém, nomeadamente um dos monumentos mais representativos e conhecidos do nosso país, símbolo daquilo que fomos, não daquilo que somos, a Torre de Belém.

A Torre de Belém é um dos monumentos mais expressivos da cidade de Lisboa. Localiza-se na margem direita do rio Tejo, onde existiu outrora a praia de Belém. Inicialmente cercada pelas águas em todo o seu perímetro, progressivamente foi envolvida pela praia, até se incorporar hoje à terra firme. Classificada como Património Mundial pela UNESCO, em 7 de Julho de 2007 foi eleita como uma das Sete Maravilhas de Portugal.
Originalmente sob a invocação de São Vicente de Saragoça, padroeiro da cidade de Lisboa, designada no século XVI pelo nome de Baluarte de São Vicente a par de Belém e por Baluarte do Restelo, esta fortificação integrava o plano defensivo da barra do rio Tejo projectado à época de João II de Portugal (1481-1495), integrado na margem direita do rio pelo Baluarte de Cascais e, na esquerda, pelo Baluarte da Caparica.
O cronista Garcia de Resende foi o autor do seu risco inicial, tendo registado:

"E assim mandou fazer então a (...) torre e baluarte de Caparica, defronte de Belém, em que estava muita e grande artilharia; e tinha ordenado de fazer uma forte fortaleza onde ora está a formosa torre de Belém, que el-Rei D. Manuel, que santa glória haja, mandou fazer; para que a fortaleza de uma parte e a torre da outra tolhessem a entrada do rio. A qual fortaleza eu por seu mandado debuxei, e com ele ordenei a sua vontade; e tinha já dada a capitania dela [a] Álvaro da Cunha, seu estribeiro-mor, e pessoa de que muito confiava; e porque el-Rei João faleceu, não houve tempo para se fazer" (Resende, Garcia de, Crónica de D. João II, 1545.).

A estrutura só viria a ser iniciada em 1514, sob o reinado de Manuel I de Portugal (1495-1521), tendo como arquitecto Francisco de Arruda. Localizava-se sobre um afloramento rochoso nas águas do rio, fronteiro à antiga praia de Belém, e destinava-se a substituir a antiga nau artilhada, ancorada naquele trecho, de onde partiam as frotas para as Índias. As suas obras ficaram a cargo de Diogo Boitaca, que, à época, também dirigia as já adiantadas obras do vizinho Mosteiro dos Jerónimos.
Concluída em 1520, foi seu primeiro alcaide Gaspar de Paiva, nomeado para a função no ano seguinte.
Algumas palavras sobre Vitorino Salomé que ilustra com a sua música “Queda do Império”, do álbum “Flor de La Mar, editado pela EMI Valentim de Carvalho, decorria o ano de 1983.

Vitorino Salomé Vieira, ou apenas Vitorino, como é conhecido, (nasceu no Redondo, Alentejo, em 1942) é um cantor português. A sua música combina o folclore tradicional do Alentejo e o estilo urbano e popular da sua voz.
Conheceu Zeca Afonso, de quem se tornou amigo, quando estava a fazer a recruta no Algarve. Fixou-se em Lisboa a partir dos 20 anos, onde se associou à noite, às tertúlias e aos prazeres boémios. Em 1968 entrou para o Curso de Belas Artes. Emigrado em França, estudou pintura.
Colaborou em discos de José Afonso, "Coro dos Tribunais", e de Fausto. Actuou no célebre concerto de Março de 1974, I Encontro da Canção Portuguesa, que decorreu no Coliseu dos Recreios. Lançou nesse ano o seu primeiro single: "Morra Quem Não Tem Amores".
Participou no disco "Cantigas de Ida e Volta" conjuntamente com outros nomes como Fausto, Sheila e Sérgio Godinho.
Em 1975, estreou com o seu primeiro disco que incluía uma das canções mais importantes do imaginário português: “Menina estás à janela”. No álbum "Semear Salsa ao Reguinho" aparecem ainda canções como "Cantiga d'um Marginal do séc. XIX", "A primavera do Outono", "Cantiga de Uma Greve de Verão" e "Morra Quem Não Tem Amores".

terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

Jazz Standards (CX)

(Dados Biográficos In Wikipédia e In AllMusic.Com - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos)

(Sobre o tema em questão, algumas palavras retiradas de “in
http://www.jazzstandards.com/compositions/index.htm” - adaptação e tradução por Ricardo Santos)

It Might As Well Be Spring (#114) - Música de Richard Rodgers e Letra de Oscar Hammerstein II

O filme de 1945, “State Fair”, foi a única banda sonora original, escrita pelo compositor Richard Rodgers e pelo letrista Oscar Hammerstein II. Os seus outros filmes foram adaptados de peças de teatro. "It Might As Well Be Spring" interpretada, no filme, por Dick Haymes ganhou o Óscar de “Melhor Canção” daquele ano. Outras canções memoráveis ​​no cinema incluem " That’s for Me" e " It’s a Grand Night for Singing". O filme de 1945 foi uma nova versão, de um filme de 1933, não-musical interpretado Will Rogers e Janet Gaynor. Em 1962, dois anos após a morte de Hammerstein, o filme teve nova versão, com Pat Boone, Bobby Darin, Pamela Tiffin, e Ann-Margaret, com músicas e letras por de Richard Rodgers.
A canção "It Might As Well Be Spring", foi apresentada no programa de rádio “Your Hit Parade”, 14 vezes em primeiro lugar, e foi à tabela de três vezes, também:

Dick Haymes (1945, Paul Whiteman e sua orquestra, N.º 5)
Margaret Whiting (1945, Paul Weston e sua orquestra, N.º 6)
Billy Williams (1946, Sammy Kaye e sua orquestra, N.º 4)

Jane Monheit (Oakdale, Long Island, EUA, 03-11-1977 - 20xx) – Acompanhada por orquestra dirigida pelo maestro Alan Broadbent. Na “Rainbow Room” em 23 de Setembro de 2002, no 65º. Andar da “Rockefeller Plaza” em New York.


Stacey Kent (South Orange, New Jersey, EUA, 27-03-1965 – 20xx) – Na TBC Bank TV.


Clifford Brown (Filadélfia, EUA, 30-10-1930 - 20xx) - Clifford Brown Quarteto em Paris, a 15 de Outubro de 1953. Com Clifford Brown (trompete), Henri Renaud (piano), Pierre Michelot (contrabaixo) e Benny Bennett (bateria).


Frank Vignola (Long Island, New York, EUA, 30-12-1965 - 20xx) e Vinny Raniolo (??-??-????) – nos estúdios de Seattle, da KPLU, em 30 Maio de 2013.


Letra

I'm as restless as a willow in a windstorm
I'm as jumpy as a puppet on a string
I'd say that I had Spring fever
But I know it isn't Spring
I am starry-eyed and vaguely discontented
Like a nightingale without a song to sing
Oh, why should I have Spring fever
When it isn't even Spring?
I keep wishing I were somewhere else
Walking down a strange new street
Hearing words that I have never heard
From a girl I've yet to meet
I'm as busy as a spider spinning daydreams
I'm as giddy as a baby on a swing
I haven't seen a crocus or a rosebud or a robin on the wing
But I feel so gay in a melancholy way
That it might as well be Spring
It might as well be Spring

Lamento, algumas eventuais falhas nas letras, encontradas na Internet, devido à própria improvisação dada pelos seus intérpretes, e muitas vezes de difícil entendimento. (Ricardo Santos)

segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

Os Festivais das Canções (1980)

(Dados Biográficos In Wikipédia e/ou In AllMusic.Com - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos)

Vou andar por aqui a mostrar um pouco da música dos Festivais da Canção, o da RTP e o da Eurovisão. Ouvirão e verão, sempre que haja vídeo no Youtube , os três primeiros lugares de cada um deles.

Euro Festival 1980, em 19 de Abril, Haia (Holanda).

1º. Johnny Logan (13-05-1954) - What's another year ?



2º. Katja Ebstein (09-03-1945) - Theater



3º. Prima Donna (1980 – 1981) - Love Enough for Two


Festival RTP da Canção de 1980, em 7 de Março, no Teatro São Luís.

1º. José Cid (04-02-1942) - Um grande, grande Amor



2º. Doce (1979 – 1987) - Doce


3º. Madi (19??-????) - Lição de português

domingo, 2 de fevereiro de 2014

A revolucionária pilula azul

Com os dois excelentes actores brasileiros, a Marilía Medina e o Ricardo Petraglia

Desejo de Grávida - Interacção Humorística (CXV)

Em 20-05-2011. Obrigado.

Desejo de Grávida

A esposa, grávida, acorda durante a noite e chama o marido:

- Amor... Amooorrr!
- Hummmm?!
- Acorda!
- Hummm?!
- Acoorda!

Desorientado e assustado, o marido levanta-se e pergunta:

- O que é que aconteceu?!
- Estou com um desejo...
- Desejo?
- Sim... De comer carne de corvo...
- Corvo? Mas onde é que eu vou arranjar um corvo agora a esta hora?
- Vai ao Jardim Zoológico...
- Estás maluca! Não vou agora ao Zoológico. Vou mas é pintar um frango de preto e depois comes.
- Não como carne de corvo, porque não me satisfazes o desejo, mas vais-te arrepender se o nosso filho nascer com carinha de corvo.

Passam-se nove meses, chega o dia do parto e, quando o homem vai ver o seu querido filho, vê que o seu herdeiro é pretinho, mesmo pretinho. Meio apanhado, cheio de remorsos, corre para casa da mãe a lamentar-se:

- Mãe, eu não quis dar carne de corvo à Isabel quando ela estava grávida e ela sentiu esse desejo e agora o meu filho nasceu preto, como um corvo.

A mãe, bem-humorada, consola o filho que está num pranto:

- Não chores meu filho... Quando eu estava grávida de ti, tive desejo de comer carne de boi, não consegui... E tu nasceste assim cornudo, mas só agora é que se nota.