Contigo nunca me perco, perdendo-me ! (Ricardo Santos)

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Alentejo (II) – Arraiolos e Évora

(Dados Biográficos In Wikipédia e/ou In AllMusic.Com - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos)

Arraiolos é uma vila portuguesa situada no Distrito de Évora, região Alentejo e sub-região do Alentejo Central, com cerca de 3450 habitantes.
É sede de um município com 684,08 km² de área e 7980 habitantes (2006), subdividido em 7 freguesias. O município é limitado a norte pelos municípios de Mora e Sousel, a leste por Estremoz, a sul por Évora, a sudoeste por Montemor-o-Novo e a noroeste por Coruche.
A vila é conhecida pela confecção dos Tapetes de Arraiolos. Situa-se a uma cota de altitude entre os 300 e os 400 m. Cunha Rivara, historiador Arraiolense, na sua obra “Memórias da Vila de Arraiolos”, depois de se referir à nobreza e antiguidade de Arraiolos, bem como a alguns aspectos históricos da sua origem, afirma: “... seja como for, tenho por certo que em princípios do século XIII já havia povoação no sítio de Arraiolos...” Certo é também que a abundância de vestígios relacionáveis com o final do Neolítico ou mesmo com o Calcolítico são um sinal de uma significativa ocupação humana a partir do IV Milénio A.C. e, provavelmente, “na proto-História, o grande local de habitat corresponderia já à actual elevação onde se localiza o Castelo de Arraiolos".

Évora é uma cidade portuguesa, capital do Distrito de Évora, e situada na região Alentejo e sub-região do Alentejo Central, com uma população de cerca de 41159 habitantes.
É sede de um dos maiores municípios de Portugal, com 1307,04 km² de área e 54780 habitantes (2008), subdividido em 19 freguesias. O município é limitado a norte pelo município de Arraiolos, a nordeste por Estremoz, a leste pelo Redondo, a sueste por Reguengos de Monsaraz, a sul por Portel, a sudoeste por Viana do Alentejo e a oeste por Montemor-o-Novo. É sede de distrito e de antiga diocese, sendo metrópole eclesiástica (Arquidiocese de Évora). É conhecida como a Capital do Alentejo e Cidade-Museu.

Musicalmente, o Zeca Afonso para nos acompanhar, com a música “Eu marchava de dia e de noite”, um poema de Berthold Brecht (Augsburg, 10-02-1898 – Berlim, 14-08-1956). Neste poema, onde o destino que o próprio Homem traçou para a humanidade, aflige os pobres e descansa os ricos, “…foi assim que o planeta girou”.

10 comentários:

  1. Tesouros da nossa terra, Ricardo.
    Aquele abraço e votos de boa semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nem tudo pode ser bom na nossa terra, infelizmente.
      Obrigado Pedro

      Eliminar
  2. Como Portugal é bonito! Não conheço Évora.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quando vieres a Portugal faz uma visita a esta cidade alentejana muito bonita, que é Évora.
      Obrigado Catarina

      Eliminar
  3. Não tive ainda a oportunidade de visitar esta vila portuguesa, embora a não desconheça de todo. Houve um tempo em que quis aprender e aprendi a fazer os seus tradicionais tapetes. Évora sim, já conheço! Muito lindo, o Alentejo! Muito lindo Portugal. Não fossem os que o não sabem amar e seria o lugar perfeito, para se ser feliz.

    Lídia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Arraiolos é como a grande maioria das vilas e cidades alentejanas. Bonita, limpa, com as suas casas minimamente arranjadas e com cercaduras nas janelas e portas ora azuis, ora amarelos ocre. Os seus tapetes maravilhosos são uma delícia para a vista. Fazem parte da nossa cultura.
      Évora é uma pérola na planície do Além Tejo.
      Obrigado Lídia

      Eliminar
  4. Conheço bem Évora e nunca fui a Arraiolos, imperdoável!
    No final do Verão de 96, passei uma semana no Monte da Serralheira que fica situado a três km de Évora...Adorei a cidade. Tenho fotos no Templo de Diana e nas esplanadas das Arcadas da Praça de Geraldes.
    Numa manhã de muito calor entrei nessa Capela que tens na entrada do vídeo e lembro-me de me sentir tão emocionada que me fartei de chorar.
    Atravessava um período muito difícil da minha vida e as Igrejas eram o meu refúgio, embora algumas estivessem fechadas devido ao furto de imagens sacras.
    Uma coisa que me impressionou foi a Capela dos Ossos, que não mostras aqui.

    No livro que havia lá no Monte, para registo da opinião dos hospedes, escrevi que um dia iria lá voltar, mas até hoje isso não aconteceu. Tive aulas de equitação, ouvi Nat King Cole até à exaustão e li três livros de Paul Auster! :)

    Desculpa lá este desabafo, que as imagens do teu excelente vídeo me provocaram....

    Beijinhos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Arraiolos vale a pena lá ir, mais que não seja para ver as casas onde vendem os tapetes, para ir vê-los mesmo, e se tiveres oportunidade de ir ver fazê-los. A vila é bonita !

      Évora é uma cidade muito bonita. Da "Capela dos Ossos" não tenho fotos, nem sei se estou particularmente interessado em tirá-las.

      Os desabafos são bons porque nos aliviam !
      Obrigado Janita

      Eliminar
  5. Arraiolos ! :)) ... Só lá estive uma vez, mas quase não me recordo do que vi. É uma boa altura de lá voltar numa próxima saída ! :)) ... Obrigado pela ideia, Ricardo ! :))
    Por acaso há dias tinha-me lembrado de voltar a Castelo de Vide, Marvão e Portalegre ! :)) ... É mais uma voltinha ! :))
    .

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Rui, o nosso País, como sabes tão bem como eu, está recheadíssimo de paisagens, vilas e cidades bonitas e gente boa. Podíamos ser um País exemplar em muitas coisas. Infelizmente não somos bom exemplo noutras.
      Castelo de Vide, Marvão e Portalegre são obrigatórios visitar na região alentejana.
      Um abraço

      Eliminar

Eu fiz um Pacto com a minha Língua, o Português, língua de Camões e de Pessoa.