A paixão nua e cega dos estios, Atravessou a minha vida como rios

Sophia de Mello Breyner Andresen, A Paixão Nua, in “O Nome das Coisas”.

sexta-feira, 6 de junho de 2014

Karen Souza – Jazz Singers (XXIII)

(Dados Biográficos In Wikipédia e/ou In AllMusic.Com - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos).

A voz desta semana tem direito a mais duas composições extra, visto pertencer a um excelente grupo vocal, o “Coltrane Quartet”.

Karen Souza (Argentina, 19?? – 20xx) – Enquanto a voz de Karen Souza pode parecer, como tendo surgido para o jazz, ela é, na verdade, uma recém-chegada a este género de música. A sua carreira começou com vários pseudónimos, visto que ela deu apoio vocal para uma série de produtores de música electrónica e fez parte de vários sucessos da “International House”.
Utiliza/ou pseudónimos em álbuns, como: “Pacha Ibiza”, “FTV” para a Fashion TV, “Paris Dernier”, “Hotel Costes” e “Privé”.
Na altura começava a congeminar na sua mente a ideia de cantar “Jazz” quando foi contactada a participar, da produção do primeiro volume da série “Jazz e 80’s”. Ninguém imaginava o sucesso que a série iria ter. O produtor fez dela a voz do projecto e foi a voz que fez a diferença em cada álbum.
Agora que Karen provara o estúdio e o “Jazz”, a editora decidiu enviá-la juntamente com o Quarteto, numa digressão pelo Brasil. Entrou sempre em palco com mais confiança e aperfeiçoando o seu canto.
Durante a aventura brasileira, a editora achou que era tempo de Karen se concentrar no seu próprio destino, como intérprete a solo. Para o efeito, mandou-a para Los Angeles, durante alguns meses, para trabalhar e aprender com alguns dos melhores compositores de “Jazz”. Foi lá que ela estudou sob a orientação de Pam Oland, um compositor, várias vezes nomeado para Grammies e, o qual já tinha trabalhado com artistas, como: Whitney Houston, “Earth, Wind and Fire” e Aretha Franklin, somente para citar alguns. Este período deu um novo rumo à vida de Karen como compositora e intérprete, ajudando-a a desenvolver o seu próprio estilo e som característico, enquanto continuava a agradar os seus ouvintes com os seus dotes e características vocais exuberantes.
Depois da sua temporada em Los Angeles, Karen começou a dedicar-se, exclusivamente, a ensaiar tanto o material novo e o mais velho com o resto do quarteto, tendo conseguido uma simbiose extremamente agradável de ouvir e assistir. O “Quartet Cooltrane” com Karen na liderança, é um acto a não perder, porque está cheio de excelentes versões de “Jazz”.

Paris


Do You Really Want To Hurt Me


Bette Davis Eyes


Every Breath You Take


Creep (Coltrane Quartet)


Tainted Love (Coltrane Quartet)

4 comentários:

  1. Não conhecia.
    Uma óptima novidade.
    Aquele abraço e votos de bfds

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por isso vale a pena passar pela "minha" casa ! :))
      Obrigado Pedro

      Eliminar
  2. Respostas
    1. Podes roubar o que quiseres. As ver~soes que estão no Youtube não são minhas. São da comunidade internauta e do cantor que as interpreta !

      Obrigado Euterpe

      Eliminar

Eu fiz um Pacto com a minha Língua, o Português, língua de Camões e de Pessoa.