Contigo nunca me perco, perdendo-me ! (Ricardo Santos)

segunda-feira, 28 de abril de 2014

Prémio Valmor, Ano de 1911, Rua Alexandre Herculano 25

O Prémio Valmor em 1911 também foi atribuído a um edifício de habitação (15). Este situa-se na Rua Alexandre Herculano 25. O projecto é da autoria do Arquitecto Miguel Ventura Terra (1866-1919) e o proprietário era António Tomás Quartim. Considerado um excelente modelo de arquitectura urbana, este edifício apresentava um nobre estilo, incorporando diversos materiais e demonstrando uma notória influência parisiense. Actualmente encontra-se em bom estado. 

Encontra-se no lado esquerdo da Rua Alexandre Herculano 25, quem se dirige da Avenida da Liberdade para o Largo do Rato, e é logo no primeiro quarteirão. Actualmente funciona lá, a Direcção Municipal de Reabilitação Urbana, departamento da própria CML. Um departamento que penso eu, ter muita responsabilidade, nas melhorias e recuperações dos edifícios patrimoniais desta capital europeia.

Arquitecto Miguel Ventura Terra:


Prémios Valmor (1903, 1906, 1909, 1911) e Menção Honrosa (1913)

Arquitecto Miguel Ventura Terra (1866-1919):

“Natural da freguesia de São Pedro de Seixas do Minho, iniciou os seus estudos na Academia Portuense, entretanto Escola de Belas-Artes, que concluiu com a obtenção do diploma de Arquitecto e, em 1886, partiu para Paris, como bolseiro do Governo, após um polémico concurso, reclamado e sanado, onde lhe foi confirmado o primeiro lugar. Nesta cidade, candidatou-se à respectiva Escola de Belas-Artes, tendo ficado entre os cinco primeiros classificados. Discípulo dos notáveis arquitectos Jules André (1) e Victor Laloux (2), durante estes estudos, obteve primeiros prémios, medalhas e menções honrosas que lhe permitiram concorrer à primeira classe dos arquitectos diplomados pelo Governo francês. Em 1895, recebeu o honroso diploma, após defesa de um Projecto do Palácio da Justiça para Lisboa que, entretanto lhe fora encomendado pelo Governo português. Nesse ano foi recebido no “Salon”.
devem-se a Ventura Terra as grandiosas obras do Monte de Santa Luzia, em Viana do Castelo, continuadas, após a sua morte, pelo Arqº. Manuel Nogueira (1883-1953), e, ainda, em Lisboa, a sinagoga israelita Schaare Tiekwa, da Rua Alexandre Herculano, que substituiu a do Beco dos Apóstolos, à Rua das Flores («A Construção Moderna» N.º 97/Ano IV/1903);
Obteve o Prémio Valmor referente aos Anos de 1903, 1906, 1909 e 1911 com as edificações situadas na Rua Alexandre Herculano, N.º 57-57C, Avenida da República, N.º 38, Rua Marquês da Fronteira, N.º 18-28, e Rua Alexandre Herculano N.º 25. Receberia ainda, respeitante a 1913, uma Menção Honrosa do Prémio Valmor pelo prédio situado na Avenida António Augusto de Aguiar, N.º 3-D, onde é hoje a sede da Ordem dos Engenheiros.”

In Bairrada, Eduardo Martins, “Prémios Valmor 1902-1952”, Edição 1988, CML. (sic)*

*http://www.priberam.pt/dlpo/sic
*sic |síque| (palavra latina) Advérbio: Sem alteração nenhuma; tal e qual. = assim

(1) - Louis-Jules André ou Jules André é um arquitecto francês, nascido em Paris, a 24-06-1819 e morreu, também em Paris, a 30-01-1890, foi professor de Arquitectura, Prémio de Roma e membro do Instituto de França.

(2) - Victor-Alexandre-Frédéric Laloux (Tours, 15-11-1850 - Paris, 13-07-1937) é um arquitecto francês.

Acontecimentos Arquitectónicos da década:

1910 – Instauração da República.
1910 (até este ano) - Realiza-se na zona do Campo Grande uma das mais importantes feiras de Lisboa;
1914 – Projecto de monumento ao Marquês de Pombal por F. Santos, A. Couto e A. Bermudes;
1914/18 – Primeira Guerra Mundial;
1919 – Início das obras no Bairro Social do Arco Cego.

A seguir à imagem do Google MAP, e da segunda à nona fotografia são referentes ao ano de 2008, daí em diante são de 2013.


Próxima publicação dia 14-05-2014 com o Prémio Valmor de 1912, na Praça Duque de Saldanha 12, e arquitectada por Manuel Joaquim Norte Júnior.

6 comentários:

  1. ~ Lindíssimo prédio!

    ~ Tenho uma amiga que residiu, na sua juventude, na rua Duque de Palmela.
    ~ Conheço muito bem este prédio. Todo o quarteirão está admirávelmente bem conservado.
    ~ O mesmo não se pode dizer do lado oposto da rua. É incompreensível verificar a insensibilidade artística dos arquitetos camarários que aprovaram a construção de edifícios num estilo que contrasta aberrantemente com os belos edíficios desta rua. Não encontramos destes revoltantes erros crassos em Londres, por exemplo.
    ~ ~ ~ Felicito-o, mais uma vez, por esta dedicação na divulgação dos nossos valores arquitetónicos. ~ ~ ~

    ResponderEliminar
  2. Mais uma pérola arquitectónica que o Ricardo nos dá a conhecer.
    Aquele abraço e votos de boa semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vai haver mais e bem bonitos. Vai aparecer também uma situação muito negativa !
      Obrigado Pedro

      Eliminar
  3. Encomendada pelo meu trisavô a Ventura Terra, foi a casa da família do meu Pai (onde ele nasceu) até 1957, quando foi vendida à CML. Na tradição da família dizia-se que a casa ao lado, que também ainda está de pé e foi menção honrosa do Prémio Valmor, teria sido em grande parte construída com materiais roubados das obras do prédio desse meu trisavô, António Thomas Quartin, natural de Viana do Castelo, que enriquecera no Brasil e, depois de voltar a Portugal, dividia seu tempo em obras de benemerência e apoio a atividades culturais na sua cidade natal e em Lisboa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Luís se permite tratá-lo assim, muito obrigado por essa informação "preciosa" !
      Penso dar outra volta fotográfica, pelos Valmor para o ano que vem. Existem alguns que estão para venda e que se estão a deteriorar rapidamente ! :(

      Custa ver o antigo clube dos empresários, na Avenida da República, para venda :((

      Obrigdao pela visita !

      Eliminar

Eu fiz um Pacto com a minha Língua, o Português, língua de Camões e de Pessoa.