Contigo nunca me perco, perdendo-me ! (Ricardo Santos)

segunda-feira, 14 de abril de 2014

Jazz Standards (CXIV)

(Dados Biográficos In Wikipédia e In AllMusic.Com - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos)

(Sobre o tema em questão, algumas palavras retiradas de “in
http://www.jazzstandards.com/compositions/index.htm” - adaptação e tradução por Ricardo Santos)

Lover (#118) - Música de Richard Rodgers e Letra de Lorenz Hart
O filme de 1933, “Love Me Tonight”, estreado com Jeanette MacDonald e Maurice Chevalier, apresentou a música "Lover", que foi cantada por Jeanette MacDonald. No livro de Gerald Mast “Can’t Help Singin’” afirma que o nível atingido pelo compositor Richard Rodgers e Lorenz Hart (letrista) torna esta partitura "... uma das melhores e originais, alguma vez jamais escritas para o cinema". Além desta crítica, Clive Hirschhorn, no seu livro “Hollywood Musicals” diz que o filme "…continua a ser um dos musicais mais encantadores e coesos do género."
O filme é um conto de fadas com Jeanette MacDonald, como uma princesa que se apaixona por um alfaiate interpretado por Maurice Chevalier. As composições "Isn’t It Romantic" e "Mimi", tornaram-se canções assinatura de Chevalier, principalmente, a última. Apesar da forma em que foi apresentado no filme, a bela valsa "Lover" conseguiu traçar e manter a sua popularidade ao longo de gerações, bastando para isso ver as datas do sucesso da mesma:

Paul Whiteman e a sua orquestra, em 1933, com Jack Fulton (vocal), 7 semanas de permanência, chegou ao 3º. Lugar;
Greta Keller, em 1933, 2 semanas de permanência, chegou ao 15º. Lugar;
Guy Lombardo e a sua orquestra, em 1944, somente instrumental, 5 semanas de permanência, chegou 8º. Lugar;
Les Paul, em 1948, somente instrumental, 4 semanas de permanência, chegou ao 21º. Lugar; e
Peggy Lee, em 1952, 13 semanas de permanência, chegou ao 3º. Lugar.


Frank Sinatra (Hoboken, EUA, 12-12-1915 — Los Angeles, EUA, 14-05-1998) – em Abril de 1950.


Ella Fitzgerald (Newport News, EUA, 25-04-1917 — Beverly Hills, EUA, 15-06-1996) – Em 1956, para a Verve Records.


Deanna Durbin (Winnipeg, Manitoba, EUA, 04-12-1921 - Neauphle-le-Château, França, ??-04-2103)


Eric Johnson (???? - ????) – Tocada por Eric Johnson e a sua Orquestra, para a etiqueta “Westminster” em 1958.


Letra

Lover, when I'm near you, and I hear you - speak my name
Softly, in my ear you - breathe a flame
Lover, when we are dancing, keep on glancing in my eyes,
Till loves own enchanting music dies
All of my future is in you, you're every plan in design,
Promise you'll always continue to be mine
Lover, it's immoral, but why quarrel - with our bliss
When, two lips of coral - want to kiss
I say (that) the devil is in you, and to resists you - I try
But if you didn't continue - I would die
Lover, please be tender, when you're tender - fears depart
Lover, I surrender - to my heart

Lamento, algumas eventuais falhas nas letras, encontradas na Internet, devido à própria improvisação dada pelos seus intérpretes, e muitas vezes de difícil entendimento. (Ricardo Santos)

10 comentários:

  1. Fantástica partilha! Obrigada!

    Beijinhos Marianos, Ricardo! :)

    ResponderEliminar
  2. Lindo, podermos ouvir 4 versões excelentes do mesmo tema. :))

    Um grande abraço, Ricardo!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É o que esta rúbrica, das mais antigas, tem tentado trazer. 4 versões da mesma composição. Algumas cantadas, outras instrumentais !~
      Obrigado Luciano

      Eliminar
  3. Dia 26, na Arena do Venetian, Stacey Kent.
    YES!
    Aquele abraço e votos de boa semana!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já percebi que vais lá estar :) !
      Obrigado e um abraço Pedro

      Eliminar
  4. Boa tarde,
    excelente divulgação das 4 versões, conhecia unicamente a do Frank Sinatra, gosto de musica e tenho interesse pelas musicas que se tornaram clássicos, as vozes mais antigas que interpretam são magnificas.
    Abraço
    ag

    http://momentosagomes-ag.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  5. A que gostei mais foi da Ella! Mas sou suspeita, está claro... :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estamos de acordo Teresa. A Ella sempre foi uma intérprete rica de recursos vocais e que sabia cantar maravilhosamente bem.
      Obrigado pela tua visita

      Eliminar

Eu fiz um Pacto com a minha Língua, o Português, língua de Camões e de Pessoa.