Contigo nunca me perco, perdendo-me ! (Ricardo Santos)

terça-feira, 22 de abril de 2014

Ivone Silva

(Dados Biográficos In Wikipédia e/ou In AllMusic.Com - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos)

Maria Ivone da Silva Nunes (Ferreira do Zêzere, Paio Mendes, 24-04-1936 1936 — Lisboa, 20-11-1987) – Mais, simplesmente, conhecida por Ivone Silva, foi uma actriz portuguesa conhecida pelo seu trabalho humorístico na televisão e teatro de revista. Filha de José António da Silva e de sua mulher Ermelinda Rosa Nunes Dias, 15.ª neta de Duarte Galvão, ambos ligados profissionalmente à arte da alfaiataria, nasceu a 24 de Abril de 1936 em Paio Mendes, aldeia situada no concelho de Ferreira do Zêzere e veio a falecer em Lisboa a 20 de Novembro de 1987, de cancro da mama. Desde muito cedo conviveu com o ambiente ligado às artes cénicas já que o pai também era actor, tenho participado com algum destaque, em filmes portugueses como “O Ladrão da Luva Branca” e “O Zé do Telhado”. A sua irmã é a actriz Linda Silva.
A figura ímpar e excepcional de Ivone Silva ficou estreitamente ligada a outro grande humorista português, Camilo de Oliveira, que com o dueto crítico e muito engraçado dos dois alcoólicos, Agostinho e Agostinha, intitulado “Ai Agostinho, ai Agostinha” na série televisiva portuguesa «Sabadabadu». Muitos dos seus programas deram a conhecer ao mundo português, nomes, como Carlos Cunha e muitos outros actores.
Desta senhora saíram várias frases populares como "com um simples vestido preto, eu nunca me comprometo".
Tem uma Rua com o seu nome na Freguesia do Campo Grande, em Lisboa.

A Ré – de uma revista de autoria de César de Oliveira.


Olívia Patroa e Olívia Costureira


O Cubo – do programa “Sabadabadu”.


Entrevista – … em 1970.

4 comentários:

  1. Numa palavra - inesquecível!!
    Aquele abraço e votos de boa semana!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Exacto ... inesquecível !
      Obrigado e um abraço Pedro

      Eliminar
  2. Um nome que os portugueses não podem esquecer.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esse comentário apraz dizer-me, nem mais nem ontem !
      Obrigado Catarina Algarvia

      Eliminar

Eu fiz um Pacto com a minha Língua, o Português, língua de Camões e de Pessoa.