A paixão nua e cega dos estios, Atravessou a minha vida como rios

Sophia de Mello Breyner Andresen, A Paixão Nua, in “O Nome das Coisas”.

quarta-feira, 26 de março de 2014

Jazz Standards (CXIII)

(Dados Biográficos In Wikipédia e In AllMusic.Com - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos)

(Sobre o tema em questão, algumas palavras retiradas de “in
http://www.jazzstandards.com/compositions/index.htm” - adaptação e tradução por Ricardo Santos)

Goodbye (#117) - Música e Letra de Gordon Jenkins 
Benny Goodman e sua orquestra apresentou a composição de Gordon Jenkins "Goodbye" no programa de rádio NBC "Let’s Dance", que começou a 1 de Dezembro de 1934. A gravação de Goodman, de Setembro de 1935, para a “RCA Victor” chegou às tabelas de vendas no ano seguinte e subiu ao lugar Nº.20.
Um jovem Gordon Jenkins, novato em espectáculos, tocando banjo, em St. Louis, foi contratado pela orquestra de Jones Isham em 1932. A banda de Jones, iniciou-se em 1920, e tornou-se respeitada, como uma sofisticada orquestra de dança, no início dos anos 1930. O saxofonista Joe Bishop tinha escrito uma composição intitulada "Blue Prelude”, e a “Casa Loma Orchestra” levou Isham Jones a gravar no início do ano de 1933. As gravações da “Casa Loma” começaram a ser ouvidas, e Jones não estava feliz que outra banda tivesse sucesso com uma música escrita por um de seus acompanhantes, e rapidamente gravou a sua própria versão. Mas antes que a música pudesse ser publicada, precisava de uma letra, e Jones queria que isso acontecesse, o mais rápido possível. Jenkins ofereceu-se, embora o Joe Bishopa se questionasse sobre a habilidade deste, como letrista. No entanto, uma vez que a música gravada e editada teve um enorme sucesso, e a versão de Bing Crosby foi um grande êxito nas tabelas de venda.

Benny Goodman (Chicago, Illinois, EUA, 30-05-1909 – New York, EUA, 13-06-1986) – RCA Victor Records 1935


Frank Sinatra (Hoboken, EUA, 12-12-1915 — Los Angeles, EUA, 14-05-1998)


Dinah Washington (Tuscaloosa, Alabama, EUA, 29-08-1924 – Detroit, Michigan, EUA, 14-12-1963) - Com Paul Quinichette (saxofone tenor), Wynton Kelly (piano), Keter Betts (contrabaixo), Jimmy Cobb (bateria), uma secção de 9 cordas, e uma secção de 4 trombones, Hal Mooney (maestro). Gravação em Los Angeles, Califórnia, 10 de Novembro de 1955, para a EmArcy Records.


Chet Baker (Yale, Oklahoma, EUA, 23-12-1929 – Amsterdão, Holanda, 13-05-1988) – Com Chet Baker (trompete), Mario Pezzotta (trombone), Glauco Masetti (saxophone alto), Gianni Basso (saxophone tenor), Fausto Papetti (saxophone barítono), Giulio Libano (piano), Franco Cerri (contrabaixo), Gene Voctory (bateria) secção de cordas não identificada, Len Mercer (maestro e orquestrador). Gravado em Milão (Itália), em 29 de Setembro de 1959, para a etiqueta “Jazzland”


Letra

I'll never forget you.
I'll never forget you.
I'll never forget how we promised one day,
To love one another forever that way.
We said we'd never say, "Good-bye."
But that was long ago.
Now you've forgotten, I know.
No use to wonder why.
Let's say farewell with a sigh.
Let love die.
But we'll go on living,
Our own way of living.
So you take the high road and I'll take the low.
It's time that we parted,
It's much better so.
But kiss me as you go.
Good-bye.
But that was long ago.
Now you've forgotten, I know.
No use to wonder why.
Let's say farewell with a sigh.
Let love die.
But we'll go on living,
Our own way of living.
So you take that high road and I'll take the low.
It's time that we parted,
It's much better so.
But kiss you as you go.
Good-bye. Good-bye. Good-bye.

Lamento, algumas eventuais falhas nas letras, encontradas na Internet, devido à própria improvisação dada pelos seus intérpretes, e muitas vezes de difícil entendimento. (Ricardo Santos)

2 comentários:

  1. Dinah Washington também é das que me faz companhia no carro.
    Aquele abraço!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito boa intérprete, sem sombra dúvida.
      Obrigado Pedro

      Eliminar

Eu fiz um Pacto com a minha Língua, o Português, língua de Camões e de Pessoa.