A paixão nua e cega dos estios, Atravessou a minha vida como rios

Sophia de Mello Breyner Andresen, A Paixão Nua, in “O Nome das Coisas”.

quarta-feira, 6 de novembro de 2013

Guimarães - Castelo e Paço Duques Bragança

Guimarães é uma cidade portuguesa situada no Distrito de Braga, região Norte e sub-região do Ave (uma das sub-regiões mais industrializadas do país), com uma população de 52 181 habitantes, repartidos por uma malha urbana de 23,5 km², em 20 freguesias e com uma densidade populacional de 2 223,9 habitantes por km².
 
É sede de um município com 241,05 km² de área e 162 636 habitantes (2008), subdividido em 69 freguesias, sendo que a maioria da população reside na cidade e na sua zona periférica. O município é limitado a norte pelo município de Póvoa de Lanhoso, a leste por Fafe, a sul por Felgueiras, Vizela e Santo Tirso, a oeste por Vila Nova de Famalicão e a noroeste por Braga.
 
É uma cidade histórica, com um papel crucial na formação de Portugal, e que conta já com mais de um milénio desde a sua formação, altura em que era designada como Vimaranes
Guimarães é uma das mais importantes cidades históricas do país, sendo o seu centro histórico considerado Património Cultural da Humanidade, tornando-a definitivamente um dos maiores centros turísticos da região. As suas ruas e monumentos respiram história e encantam quem a visita.
 
A Guimarães actual soube conciliar, da melhor forma, a história e consequente manutenção do património com o dinamismo e empreendedorismo que caracterizam as cidades modernas.
 
Guimarães é muitas vezes designada como "Cidade Berço", devido ao facto aí ter sido estabelecido o centro administrativo do Condado Portucalense por D. Henrique e por seu filho D. Afonso Henriques poder ter nascido nesta cidade e fundamentalmente pela importância histórica que a Batalha de São Mamede, travada na periferia da cidade em 24 de Junho de 1128, teve para a formação da nacionalidade. Contudo, as necessidades da Reconquista e de protecção de territórios a sul levou esse mesmo centro para Coimbra em 1129.
 
Os "Vimaranenses" são orgulhosamente tratados por "Conquistadores", fruto dessa herança histórica de conquista iniciada precisamente em Guimarães
O Paço dos Duques de Bragança (tipicamente designado de apenas Paço dos Duques) foi construído no século XV, em Guimarães, por D. Afonso, 1.º duque de Bragança, e o estilo borgonhês deste palácio reflecte os seus gostos, adquiridos nas viagens pela Europa, ainda que o aspecto actual tenha sido recriado, de forma polémica, durante o Estado Novo.
O palácio ficou vazio quando a família dos Braganças se mudou para Vila Viçosa (para o Paço Ducal de Vila Viçosa). Durante este espaço de tempo, o edifício foi sendo pilhado e perdendo gradualmente a forma original que permanece ignorada. Em 1933, sob a governo de Salazar, foi transformado em residência oficial do presidente depois da sua controversa recuperação.
 
Algumas salas no seu interior compõem um museu, onde se podem destacar belos tapetes persas, tapeçarias flamengas (sobre as conquistas do Norte de África) e pinturas tais como o impressionante Cordeiro Pascal de Josefa de Óbidos ou o retrato de Catarina de Bragança. Prestando a habitual homenagem às proezas marítimas dos portugueses, o tecto da sala de banquetes imita o casco virado de uma Caravela.
 
A música de fundo escolhida para a apresentação destas fotografias é a extraordinária canção “Ainda” do grupo português “Madredeus”. "Ainda" (letra e música: Pedro Ayres Magalhães), do álbum com o mesmo nome, de 1995. Teresa Salgueiro (vocais), Rodrigo Leão (teclas); Pedro Ayres Magalhães (guitarra, arranjos, director, produtor); José Peixoto (guitarra); Francisco Ribeiro (violoncelo) e Gabriel Gomes (acordeão).
 
Este disco serviu igualmente de banda sonora para o filme realizado pelo realizador alemão Wim Wenders, intitulado de “Lisbon Story” de 1994. O realizador decidiu não só que os “Madredeus” escrevessem a música para o filme, bem como participassem no elenco do filme.
As músicas deste álbum são de uma tranquilidade e beleza únicas; uma delas narra a busca da essência da vida pelas ruas da capital portuguesa.
(In Wikipédia, adaptado por Ricardo Santos)

9 comentários:


  1. Se fosse o meu filho a comentar este post dizia sem hesitar... "olha... fotos de Espanha..."

    hehehehe

    Há uma rivalidade parva entre Bracarenses e Vimaranenses, acicatada por bairrismos e mais em particular pelas guerras clubísticas. Uma autêntica parvoíce.. mas enfim!

    O vídeo está muito bom... e a música... bem, nem preciso dizer nada pois é um dos meus grupos portugueses de eleição há muitos anos. Pena que o que é bom tem sempre de acabar!...


    Beijinhos minhotos
    (^^)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O teu filho diria que era Espanha (?)...
      A rivalidade é conhecida por mim sim, mas eu gosto mais de Braga por sinal. Trabalhei lá, aqui há um ror de anos por duas semanas. A parvoíce do clubismo é na realidade uma parvoíce mesmo. São duas cidades bem bonitas do nosso País.
      Obrigado pela tuas palavras e pelos beijinhos minhotos, porque são sempre bordados a ouro, tais como os seus trajes regionais!

      Eliminar
  2. O filme não era nada de extraordinário.
    A música, sim.
    Aquele abraço!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. As fotos são minhas e na realidade tens razão o filme necessitava de fotos melhores.
      Obrigado Pedro

      Eliminar
  3. Estive em Guimarães há muito pouco temo e tenho fotos muito semelhantes a algumas das imagens do vídeo!
    Não conhecia a música e gosto!

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Guimarães é um cidade bastante bonita.
      Obrigado Rosa

      Eliminar
  4. Uma cidade, cultural e historicamente, riquíssima ! ... Trabalhei por lá, na indústria têxtil, durante 12 anos ! ... Conheço bem ! :))))

    Abraço, Ricardo ! :))
    .

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E como te fiz lembrar um pouco do teu tempo de trabalho, vamos ter uma fotozinha de Guimarães para algum desafio próximo, não sei porquê !?
      Gosto muito de Guimarães, também, e riquíssima como disseste. Mas para se conhecer bem um local é preciso viver lá algum tempo.
      Obrigado Rui

      Eliminar
  5. Já saíram em tempos 5 posts (Etiqueta Guimarães na pesquisa do blog) e há cerca de uma semana do Largo do Toural ! ... mas não ficará por aqui ! eheheh
    Abraço, Ricardo ! :))
    .

    ResponderEliminar

Eu fiz um Pacto com a minha Língua, o Português, língua de Camões e de Pessoa.