A paixão nua e cega dos estios, Atravessou a minha vida como rios

Sophia de Mello Breyner Andresen, A Paixão Nua, in “O Nome das Coisas”.

domingo, 24 de novembro de 2013

Freddie Hubbard – Groups & Soloists of Jazz (VIII)

(Dados Biográficos In Wikipédia e/ou In AllMusic.Com - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos)      
           
Frederick (Freddie) Dewayne Hubbard (Indianápolis, Indiana, EUA, 07-04-1938 - Los Angeles, EUA, 29-12-2008) – Foi um trompetista de jazz norte-americano. Na sua juventude, Hubbard associou-se a vários músicos em Indianápolis, entre eles, Wes Montgomery (guitarra) e seus irmãos. Chet Baker (trompete, voz) foi uma de suas primeiras influências, embora Hubbard tenha logo se alinhado à abordagem de Clifford Brown (trompete) e, claramente, Fats Navarro (trompete) e Dizzy Gillespie (trompete).
Hubbard dedicou-se, mais seriamente, ao jazz, depois de se mudar para New York, em 1958. Ali, trabalhou com Sonny Rollins (saxofone), Slide Hampton (trombone), James Louis Johnson (trombone), Bill Evans (piano), Philly Joe Jones (bateria), Oliver Nelson (saxofone, clarinete) e Quincy Jones (voz), além de outros.
Em 1972 recebeu um “Grammy” para o melhor disco de jazz.
Durante a sua carreira, de quase 50 anos, Hubbard recebeu, em 2006, o “Prémio dos Mestres do Jazz da Instituição Nacional das Artes”, e tocou com figuras lendárias, como John Coltrane (saxofone), Ornette Coleman (saxofone), McCoy Tyner (piano), Art Blakey (bateria) e Herbie Hancock (piano).
Morreu num hospital de “Sherman Oaks”, no noroeste de Los Angeles, um mês depois de ter sofrido um ataque cardíaco.         
             
I remember Clifford, aqui com Art Blakey e os “All Star Jazz Messengers”, em 1984. Grupo composto por Art Blakey (bateria), Benny Golson (saxofone), Curtis Fuller (trombone), Walter Davis Jr. (piano), Buster Williams (contrabaixo).          
           
        
             
The Night Has a Thousand Eyes, em Berna (Suiça) decorria o ano de 1989. Com James Williams (piano), Peter Washington (contrabaixo), e Tony Reedus (bateria).       
            
          
            
Moanin', em 1962 com Art Blakey e os “Jazz Messengers”. Com Art Blakey (bateria), Wayne Shorter (saxofone), Curtis Fuller (trombone), Cedar Walton (piano) e Reggie Workman (contrabaixo).        
              
          
               
Misty, em 1985, com Kenny Garrett (saxofone, flauta), Mark Templeton (piano), Ira Coleman (contrabaixo) e Carl Allen (bateria).           
           

4 comentários:

  1. Um artista de muito talento.
    Bom domingo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. De três notas físicas existentes no trompete, conseguir fazer o resto, deve ser difícil. Aliás, os instrumentos complicados, como este, são sempre de admirar os músicos que os tocam.
      Catarina Obrigado

      Eliminar
  2. Jazz a começar a semana.
    Vai ser uma semana boa!
    Aquele abraço e votos de boa semana !!

    ResponderEliminar
  3. Pedro espero que sim. O Jazz é bom é improvisado, ao contrário de muitas outras coisas !
    Obrigado

    ResponderEliminar

Eu fiz um Pacto com a minha Língua, o Português, língua de Camões e de Pessoa.