A paixão nua e cega dos estios, Atravessou a minha vida como rios

Sophia de Mello Breyner Andresen, A Paixão Nua, in “O Nome das Coisas”.

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Pat Metheny e mais dez baladas …(XIII)

Teus olhos, borboletas de oiro, ardentes
Batendo as asas leves, irisadas,
Poisam nos meus, suaves e cansadas
Como em dois lírios roxos e dolentes...   
      
E os lírios fecham... Meu Amor, não sentes?
Minha boca tem rosas desmaiadas,
E as minhas pobres mãos são maceradas
Como vagas saudades de doentes...      
          
O Silencio abre as mãos... entorna rosas...
Andam no ar carícias vaporosas
Como pálidas sedas, arrastando...     
          
E a tua boca rubra ao pé da minha    
É na suavidade da tardinha
Um coração ardente palpitando...       
         
Florbela Espanca, “Crespúsculo”, in “Livro de Soror Saudade”        
           
Sueño con Mexico, do álbum “New Chautauqua” de 1979, para a etiqueta ECM.      
           
       
             
Sisters, do álbum “A Map of the World” de 1999, para a etiqueta Warner Bros.. 
       

6 comentários:

  1. Eu parece que só recebo notícia dos seus posts de semana a semana (às segundas-feiras)
    O que é que se passa?
    Abraço e votos de boa semana!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pedro eu, normalmente, publico aos Domingos e às Quartas. Envio um "mail" para alguns endereços para avisar do que vou publicar, mas o Pedro não está na minha lista de "mails". Não percebo porque acontece isto consigo.
      Um abraço e obrigado

      Eliminar
    2. Fica o meu mail - jpscoimbra@yahoo.com
      Aquele abraço!!

      Eliminar
  2. Finalmente entendi a "programação" das 10 baladas, todas belíssimas. Tenho de conhecer melhor este músico... :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Teté eu vou repôr aqui, no blog, alguma música do Pat Metheny, mas sim vale a pena procurar no Youtube sobre ele.
      Obrigado

      Eliminar

Eu fiz um Pacto com a minha Língua, o Português, língua de Camões e de Pessoa.