A paixão nua e cega dos estios, Atravessou a minha vida como rios

Sophia de Mello Breyner Andresen, A Paixão Nua, in “O Nome das Coisas”.

domingo, 11 de agosto de 2013

Nat King Cole – Jazz Singers (XIV)

(Dados Biográficos In Wikipédia e/ou In AllMusic.Com - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos)         
              
Nathaniel Adams Coles (Montegomery, EUA, 17-03-1919 — Santa Monica, EUA, 15-02-1965) – Nat King Cole como ficou conhecido foi um cantor e músico de jazz norte-americano, pai da cantora Natalie Cole. O apelido de "King Cole" veio de uma popular cantiga de roda inglesa conhecida como “Old King Cole”.
A sua voz marcante imortalizou várias canções, como: “Mona Lisa”, “Stardust”, “Unforgettable”, “Nature Boy”, “Christmas Song”, "Quizás, Quizás, Quizás", entre outras, algumas das quais nas línguas espanhola e portuguesa.
As suas músicas românticas tinham um toque especial, com a sua voz e associada ao piano, tornando-o assim um artista de grande sucesso.
A sua, então revolucionária, formação com piano, guitarra e contrabaixo, ao tempo das “Big Bands”, tornou-se popular, como o “trio” de jazz.
Nat King Cole aprendeu a tocar piano na igreja onde o seu pai era pastor. Desde criança que ele esteve ligado à música, tocando junto no coral da mesma igreja. Cole lutou contra o racismo durante toda a sua vida, recusando-se sempre a cantar em plateias com segregação racial.
Por ter um hábito de fumar diariamente três maços de cigarro, o cantor morreu vítima de cancro. Encontra-se sepultado no “Forest Lawn Memorial Park”, Glendale, Los Angeles, Estados Unidos. Um de seus últimos trabalhos foi no filme “Cat Ballou”, onde cantou a balada da personagem título, interpretada por Jane Fonda.
  
Smile, de 1936, letra de John Turner and Geoffrey Parsons e música de Charlie Chaplin.      
            
            
               
When I Fall In Love, de 1952, letra de Edward Heyman e música de Victor Young.           
              
            
                
Unforgettable, de 1951, com letra e música de Irving Gordon.             
                
            
               
I Love You For Sentimental Reasons, de 1945, com letra de Ivory "Deek" Watson e música de William "Pat" Best.             
                

6 comentários:

  1. O homem da voz doce! :)

    Boa noite, Ricardo! :)

    ResponderEliminar
  2. O cantor com um fraseado mais perfeito.
    Não sou que o digo, foi Franck Sinatra.
    Boa semana!!

    ResponderEliminar
  3. E o Frank sabia o que dizia.
    Obrigado pelo comentário

    ResponderEliminar
  4. ADORO o Nat king Cole! Sempre gostei de o ouvir desde os meus mais verdes anos, lá para os idos de 50/60. E a Perfídia? Maravilha!

    Boa escolha, amigo Ricardo!

    ResponderEliminar
  5. Também gosto imenso de ouvir o Nat King Cole !
    Obrigado

    ResponderEliminar

Eu fiz um Pacto com a minha Língua, o Português, língua de Camões e de Pessoa.