Contigo nunca me perco, perdendo-me ! (Ricardo Santos)

quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Braga (I) – Santuário do Sameiro e Bom Jesus

(In Wikipédia, adaptação Ricardo Santos)
O Santuário do Sameiro é um santuário localizado em Braga, Portugal, cuja construção se iniciou a 14 de Julho de 1863. É o centro de maior devoção “Mariana” em Portugal, depois de Fátima. O Templo, concluído no século XX, destaca-se no seu interior o altar-mor em granito branco polido, bem como o sacrário de prata. Em frente do Templo ergue-se uma imponente e vasta escadaria, no topo do qual se levantam dois altos pilares, encimados da Virgem e do Coração de Jesus.

Cronologia da construção:
Em 14 de Julho de 1863 foi lançada a primeira pedra para a Igreja do Sameiro;
Em 10 de Agosto de 1877 a Igreja foi sagrada;
Em 7 de Agosto de 1878, chegou a imagem de Nossa Senhora do Sameiro, obra do escultor italiano Eugénio Maccagnani (1852-1930);
Em 12 de Julho de 1936, inicia-se a construção da cúpula;
Em 12 de Junho de 1941, foi a sagração do altar da Basílica de Sameiro;
Em 7 de Junho de 1953 foi inaugurado o cruzeiro monumental, obra do arquitecto David Moreira da Silva;
Em 13 de Junho de 1954 foram inaugurados os monumentos ao sagrado coração de Jesus, e ao Papa Pio IX;
Em 17 de Junho de 1979 foi inaugurada a Cripta, sob o templo inicial;
Em 15 de Maio de 1982, teve a visita do Papa João Paulo II; e
Em 3 de Junho de 1984, foi inaugurada a estátua do Papa João Paulo.

O Santuário do Bom Jesus de Braga (O Santuário do Bom Jesus do Monte) é um local religioso e turístico localizado em Tenões, uma freguesia dos arredores de Braga, Portugal. O Bom Jesus possui uma grande igreja, um Escadaria por onde passa a Via Sacra do Bom Jesus, uma mata (Parque do Bom Jesus) alguns hotéis e um elevador hidráulico centenário.

O santuário do Bom Jesus serviu de inspiração a numerosas construções pelo mundo fora como o Bom Jesus de Congonhas em Congonhas, Brasil, o Santuário de Nossa Senhora dos Remédios em Lâmego etc.

Foi projectado pelo arquitecto Carlos Amarante, por encomenda do Arcebispo D. Gaspar de Bragança, para substituir uma primitiva igreja, mandada construir por D. Rodrigo de Moura Teles que se encontrava em ruínas. As obras começaram em 1 de Junho de 1784, tendo ficado concluídas em 1811. É um dos primeiros edifícios neoclássicos em Portugal. A fachada é ladeada por duas torres e termina num frontão triangular.

Os Escadarias do Bom Jesus vencem um desnível de 116 metros e estão divididos em três partes:

Escadaria do Pórtico - O Pórtico, um arco à entrada da escadaria, mostra o brasão de D. Rodrigo de Moura Teles, Arcebispo de Braga, responsável pela construção, em 1723, do primeiro grande lanço de escadaria e capelas. Nesta primeira parte, estão as capelas do início da Via Sacra.

Escadarias dos Cinco Sentidos - Nesta parte da Escadaria estão cinco lances de escadas, intervalados por patamares com fontes alegóricas aos cinco sentidos, pela seguinte ordem: Visão, Audição, Olfacto, Paladar e Tacto.

A primeira fonte, a das Cinco Chagas, tem a seguinte inscrição: “Fontes de púrpura abriu então o ódio amargo; agora o amor transforma-os aqui em cristais para ti”.
Fonte da Visão - Na fonte da Visão existe uma estátua lançando água pelos olhos e onde a inscrição é “Varão prudente, toma-as por um sonho e assim vigiarás”. À direita a estátua de Moisés dizendo “Aqueles que feridos olhavam saravam” e de Jeremias, com a inscrição “Eu vejo uma cara vigilante”.

Fonte da Audição - A fonte do Ouvido, representado por uma figura que lança água das orelhas tem a estátua de "Idito" a tocar cítara e a legenda “Que cantava ao som da cítara, presidindo os que cantavam e louvavam o Senhor”. À esquerda está David e “Ao meu ouvido darás gozo e alegria” em frente a uma mulher que lhe diz “Tua voz soe aos meus ouvidos”.
 
Fonte do Olfacto - Na fonte do Olfacto a estátua deita água pelo nariz e a estátua é de um varão encabeçado pela inscrição “Dai flores como o lírio e rescendei suave cheiro”. À esquerda está Noé e à direita "Sulamite" dizendo “A tua estatura é semelhante a uma palmeira... e o cheiro da tua boca é como o das maçãs”.
 
Fonte do Paladar - Na fonte do Gosto a estátua deita água pela boca e tem a estátua de José do Egipto com um cálice e um prato nas mãos. “A tua terra seja cheia das bênçãos do senhor, dos frutos do céu e do orvalho” é o que se lê. À esquerda “Jónatas” dizendo “Provei um pouco de mel na ponta duma vara e eis porque morro” e na direita “Esdras” pedindo que “Prove o pão, e não nos abandones, como o pastor no meio dos lobos”.
 
Fonte do Tacto - Na fonte do Tacto, cuja fonte tem uma bilha segurada por duas mãos, donde cai água. A estátua da fonte é de Salomão, com a sugestiva inscrição “As minhas entranhas estremeceram ao seu toque”. Salomão está ladeado por Isaías que diz “Tocou a minha boca” e Isaac, cego com as mãos estendidas à procura do filho e proferindo “Chega-te a mim, meu filho, para que te toque”.

Em termos musicais e para acompanhar as fotografias tiradas nestes dois santuários, uma música que homenageia o grande pianista de jazz norte-americano Bill Evans. A interpretação cabe a Pat Metheny (guitarra), que faz/fez 55 anos hoje/ontem, e a Lyle Mays (teclas). Datada de 1980, faz parte do álbum “As Falls Wichita, So Falls Wichita Falls”, e a música chama-se “September Fifteenth”.
Sobre estes dois músicos, já pouco mais há a dizer, visto que eles têm vindo a aparecer com frequência no meu blogue e eu já publiquei aqui algumas palavras sobre eles. Por isso, a melhor maneira de conhecermos alguém é ver/ler/ouvir a arte que ela transmite.


14 comentários:


  1. As fotos são lindas... e tão familiares :)


    Beijinhos Minhotos
    (^^)

    ResponderEliminar
  2. Tb já visitei este lindo local. Lindo, mesmo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É um sítio muito bonito para visitar e conhecer a nossa história.
      Obrigado

      Eliminar
  3. Respostas
    1. Está na hora de revisitar, não ?!
      Os sítios bonitos são, como os livros, de quando em vez volta-se lá!
      Obrigado

      Eliminar
  4. Afinal consegui entrar!
    Tem uma configuração diferente do habitual...
    Conheço bem este Santuário!
    A última vez que passei em Braga foi no dia de S. João...quer dizer que nem consegui parar tal não era a confusão!
    Faz-nos falta o Rui da Bica não é? :(

    Abraço

    ResponderEliminar
  5. O Rui espero voltar a vê-lo em breve, porque faz-nos muita falta !
    Obrigado

    ResponderEliminar
  6. Respostas
    1. Fotografia de Amador é o que eu gosto de fazer... depois é compôr com uma música que acompanhe bem as fotos.
      Obrigado

      Eliminar
  7. Apenas fui lá uma vez e de passagem. Vai fazer agora 23, já que foi durante a lua de mel... :)

    Gostei muito da música, das fotos e do vídeo, que presumo ser da sua autoria. Parabéns! :)

    ResponderEliminar
  8. È um local muito bonito e que todos, na medida do possível, deveriam conhecer.
    As fotos são minhas sim. Eu estou a republicar estes "posts" de fotografia que fiz para o meu primeiro blog.
    Obrigado

    ResponderEliminar
  9. Olá Ricardo ! Estive a ver com pormenor.Excelente reportagem ! Belas fotos, fantástica música, um post excelente !
    Espero que tenhas estado também na cidade, cá em baixo e em Guimarães ! Plenamente justificável e imperativo num passeio para estes lados !

    Parabéns e um Grande Abraço !
    .

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estas fotos tinham sido mostradas pela primeira vez no meu anterior Blog. Estou somente a repô-las. Estive em 2005 por aí de férias de Verão e andei por vários sítios. Também fui a Guimarães, ainda hei-de passar fotos de lá.
      O nosso lindo Portugal é um País de paisagens maravilhosas. Não precisamos ir para o estrangeiro com tanta beleza por cá existente.
      Obrigado Rui

      Eliminar

Eu fiz um Pacto com a minha Língua, o Português, língua de Camões e de Pessoa.