A paixão nua e cega dos estios, Atravessou a minha vida como rios

Sophia de Mello Breyner Andresen, A Paixão Nua, in “O Nome das Coisas”.

domingo, 16 de junho de 2013

Cais da Rocha

Lisboa é a minha cidade, onde nasci, cresci e de onde hei-de partir.

Deixo-vos algumas fotos antigas, da cidade ainda inteira, não destruída, como tem sido, pela sociedade moderna, ou por aqueles que só tem interesse em dinheiro e poder, e ignoram pura e simplesmente a cultura, a tradição e a história de uma urbe. Uma das mais antigas da Europa.


(O documento em "Powerpoint" onde estas fotos existiam, tinha o nome de FCosta como sendo o seu autor. Não sei sequer se essa pessoa é o dono das mesmas. São fotos da maravilhosa cidade de Lisboa. Vou passar aqui algumas fotos que esse documento continha para mostrar a minha cidade há mais de 50 anos.)     
           
O rio Tejo sempre foi, é e será uma referência essencial na história desta Metrópole, a capital mais ocidental da Europa e talvez das poucas cidades que tem sido mais alterada no mau sentido, pelas modernices político-financeiras da nossa era e da própria sociedade portuguesa. Não falo de cor, sempre aqui vivi e tenho vindo ao longo dos anos a dar conta dessa destruição e da falta de conservação da cidade.
Aqui neste cais partiram os contingentes para a guerra das Colónias, pomposamente chamada guerra do Ultramar, muitas embarcações de boa e má história, se foram daqui e aqui chegaram.


Jorge Palma e João Pedro Pais - Canção de Lisboa

Sem comentários:

Enviar um comentário

Eu fiz um Pacto com a minha Língua, o Português, língua de Camões e de Pessoa.